Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

TAÇA DE MOÇAMBIQUE/mcel - Textáfrica, 2-Costa do Sol, 0: Sem sombra de pecado

 

REALMENTE, sem sombra de pecado nesta vitória do Textáfrica, pois dominou largo tempo do jogo e, fruto disso, marcou dois golos, sendo um em cada parte. Os “canarinhos”, estes, que se queixem de si próprios, uma vez que nada produziram durante os 90 minutos que lhes pudesse ressalvar, embora tenham tido algumas oportunidades que, no entanto, desperdiçaram.



Os “fabris” foram os que maiores oportunidades de golo criaram, tendo, por exemplo, aos 35 minutos, perdido a primeira chance, quando Paulo efectuou um cruzamento para o interior da área e, depois de uma defesa incompleta do guardião Abu, Mangate rematou para fora.

Um minuto depois, nova investida da turma da Soalpo. Lanito corresponde bem a uma jogada de contra-ataque do lado esquerdo e, perante a saída do guardião visitante, fez o 1-0, para a festa nas hostes locais.

Com este resultado, foi-se ao intervalo, mas antes disso também houve alguma tentativa de resposta por parte dos comandados de David Mandigora, mas nem Josimar e muito menos Ruben e David conseguiram impor-se e as suas tentativas foram goradas. Nota negativa para o facto de, durante o intervalo, o guarda-redes Abu ter tentado, sem sucesso, agredir o juiz da partida, com motivos que só ele pode dizer.


No reatamento, as duas equipas entraram com disposições tácticas diferentes. Enquanto os “fabris” entraram a defender o resultado e fizerem de tudo para não sofrer golos, o seu adversário aumentou o poderio técnico e táctico, criando muitas jogadas de golo, mas não conseguindo aproveitá-las da melhor forma, até que, novamente, o Textáfrica tomou as rédeas do jogo, passando a chegar mais vezes ao reduto recuado “canarinho”, acabando por marcar o segundo tento aos 90 minutos, por intermédio de Nino, “matando” assim, o jogo, pois mesmo nos cinco minutos de compensação nada mais houve.

O juiz esteve bem e também foi bem auxiliado.

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Estêvão Matsinhe, auxiliado por Célio Mugabe e Meque Machate. Quarto árbitro: António Amilton

TEXTAFRICA – Chumakel; Loló (Nino), Cesarito, Tawinha e Ernest (Félix); Mangate, Phondo, Dondo (Bito), e Lanito; Paulo e Jordão

COSTA DO SOL – Abu; Egídio (Payó), Jonas (Escuro), Dito e Mambo; Ruben, David e João; Josimar e Tó (Vivaldo).
Acção disciplinar: cartão amarelo para Mangate, Bito e Josimar.

António Janeiro
 
Fonte:Jornal Noticias

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.