Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

14.Jun.10

TAÇA DE MOÇAMBIQUE - Canário em voo rasante arrasa “alvi-negros”

 


O COSTA do Sol venceu e convenceu o Desportivo, numa tarde de grande motivação “canarinha” e em que o técnico zimbabweano David Mandigora deu o seu primeiro “show”, atendendo que esta é a primeira vitória que obtém desde que assumiu o comando da equipa no mês passado. Foi uma vitória bem conseguida e que cheirou à vingança, tendo em conta a derrota sofrida diante dos “alvi-negros” no primeiro encontro entre ambos a nível da maior prova futebolística do país.



Visivelmente endiabrados, os “canarinhos” assumiram a dianteira, imprimindo maior velocidade na sua abordagem do jogo, com o meio-campista Escuro a revelar-se uma “pedra” bastante importante nas descidas para o ataque, tendo por isso lhe cabido o primeiro tento, aos nove minutos. Este golo veio a consolidar aquilo que eram as pretensões do Costa do Sol que, se servindo do princípio de que a melhor defesa é o ataque, abriu-se cedo à procura do golo da vitória e, com esta premissa, conseguiu os seus intentos.

O Desportivo entrou com alguma monotonia e, perante a pressão canarinha, foi perdendo cabeça a partir da sua zona intermediária, onde o “maestro” Nelinho pouco conseguiu fazer para mexer com a máquina para abrir espaço para a equipa avançar em direcção ao ataque. Houve muitas perdas de bola e, em algumas vezes, passes mal feitos que proporcionaram contra-ataques rápidos e constantes deslizes junto à baliza de Gervásio. A situação tornava-se muito preocupante porque a dupla de centrais Zainadine Júnior e Emídio acusou falta de concentração e desentendeu-se nalgumas ocasiões, tornando a defensiva permeável.

O Costa do Sol tirou proveito da situação e, apesar de algum esforço por parte dos “alvi-negros” em equilibrar as forcas, foi ganhando espaço de manobras para violar a baliza de Gervásio, forçando este para defesas apertadas. Numa situação de desconcentração de Zainadine Júnior, Gervásio evitou que Josimar violasse mais uma vez a sua baliza, cedendo canto. E não tardou para que o perigo voltasse a ameaçar Gervásio, desta vez na sequência dum livre batido por Ruben, tendo o esférico sido devolvido pela trave.

Pode-se dizer deste encontro que o Costa do Sol sobrepôs-se ao Desportivo pela velocidade que imprimiu no seu jogo e pelo aproveitamento das fragilidades do adversário. O Desportivo pensou lentamente daí que, apesar de maior circulação da bola, denunciava as suas jogadas e a defensiva saiu a ganhar, sendo que as jogadas morriam mesmo junto à grande área “canarinha”.

A primeira parte acabou fechando com o 1-0, mas com mais um susto para Gervásio, que foi chamado a uma defesa de recurso por João Mazive, na execução de mais um livre.

O Desportivo voltou a acusar os mesmos defeitos no regresso do intervalo, com Nelinho a perder o esférico a favor do atacante Sanito mesmo nas proximidades do guarda-redes Gervásio. O tiro de Sanito saiu quase a “beijar” o poste. Mas a entrada do ponta-de-lança Stiven trouxe outra dinâmica ao ataque “alvi-negro” e, na sua primeira intervenção, serviu Isac na “boca” da baliza e este atirou defeituosamente.

Porém, o sonho “alvi-negro” morreu poucos minutos depois, quando a equipa ficou reduzida a 10 unidades por expulsão do defensor Cândido, por entrada agressiva contra Josimar. Mesmo assim, o Desportivo continuou a lutar e o último quarto do tempo regulamentar foi bastante emotivo, mas o Costa do Sol teve o devido controlo e, privilegiando o contra-ataque, conseguiu o segundo tento por Josimar, com a excelente assistência do “mestre” Ruben.

Em resposta, o “alvi-negro” Abílio, que entrou a substituir o central James, cabeceou para o travessão. E já nos minutos finais, Josimar, com mais uma assistência de Rúben, atirou para espectacular defesa de Gervásio.

A equipa de arbitragem, liderada por Arlindo Silvano, fez um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Arlindo Silvano, auxiliado por João Paulo e Zé Mula. O quarto árbitro foi Mateus Infante.

DESPORTIVO: Gervásio; James (Abílio), Zainadine Júnior, Emídio e Cândido; Dino (Isac), César Bento, Nelinho e Muandro; Félix e Binó (Stiven).

COSTA DO SOL: Antoninho; João Mazive, Manuelito, Kito e Elísio (Jonas); Josimar, Sanito, Payó e Escuro (David); Gomes e Rúben.

DISCIPLINA: Vermelho directo para Cândido e cartolina amarela para Nelinho, ambos do Desportivo. Amarelos também para João e Kito, do Costa do Sol.

SALVADOR NHANTUMBO
 
http://www.jornalnoticias.co.mz