Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

01.Jun.10

Franceses radiantes por acolher EURO-2016


OS franceses estão em delírio desde que foi anunciado, na sexta-feira, que organizarão o campeonato europeu das nações em futebol em 2016.

Num país agora concentrado, a nível político, na realização da Cimeira França-África, em Nice, mas que passa despercebida à maioria da população e literalmente ignorados pela Imprensa deste país em que nos encontramos, é o futebol a fazer as delícias das conversas matinais dos cafés e nocturnas dos bares ou das grandes avenidas

A organização do Euro-2016 está a ser festejada como se se tratasse já de uma vitória da selecção francesa num “grand match” ou mesmo numa grande competição, com promessas de retaliação aos vexames que os “blues”, como é conhecida a selecção da França, vêm acumulando desde a retirada ou eclipse de forma de jogadores como Zinedinme Zidane, Sylvian Wiltord, Patrick Vieira, Lilian Thuran ou Fabien Barthez.

O anúncio da organização do Euro de daqui a seis anos, que será precedido do de 2012 acolhido conjuntamente entre Polónia e Ucrânia, coincidiu com a nossa chegada à Nice, onde cobrimos a XXV Cimeira África-França. Em condições normais, as sempre acolhedoras gentes da França meridional estariam pelas ruas a espalhar os simpáticos “bien venues” aos estrangeiros que chegam à sua terra. Mas isso foi substituído momentaneamente por celebrações que incluíam troças a italianos e turcos, outros concorrentes de peso que concorriam à organização da competição.

Durante a tarde e noite de sexta-feira e sábado, as principais televisões apresentavam reportagens com detalhes sobre a organização da prova bem como o sentimento dos franceses, principalmente governantes e antigos atletas da selecção, à volta da prova.

A última grande competição desportiva organizada pela França foi o Mundial de 1998, que os “blues” venceram numa final épica diante do Brasil (3-0). Antes tinham organizado o Euro 1984, que também ganharam, numa final contra a Espanha (2-0, com um golo de Michel Platini, hoje presidente da UEFA e que anunciou a atribuição ao seu país da organização do Euro 2016).

O euro-2016 será disputado num novo formato, que passará a contar com 24 equipas, mais oito que no actual modelo.

A organização da prova máxima do futebol europeu, entre nações, ainda é uma festa por vir, mas faz esquecer quase completamente a participação da selecção no “mundial” que se aproxima na África do Sul. É que praticamente não se fala da preparação dos “blues” na prova que se avizinha, talvez por a França ter habituado aos seus adeptos, nos últimos tempos, mais a desaires do que sucessos.

Ainda que entusiasmados, os franceses já fazem contas à organização da prova. Segundo o seu dossier de candidatura, organizarão a prova em onze cidades, disponibilizando 12 estádios, dos quais sete serão renovados e quatro novos.

As cidades hospedeiras do Euro-2016 serão Bordéus, Lens, Lille, Lyon, Nancy, Nice, Marselha, Paris (Stade de France e Parque dos Príncipes), Saint-Etienne, Estrasburgo e Toulouse. Destes estádios, os das cidades de Bordéus, Nancy, Nice e serão Tolouse totalmente novos.

Gil Filipe, em Nice