Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

13.Jul.09

MOÇAMBOLA-2009 - Fer. Maputo, 2 – Maxaquene, 0 : Luís e Jerry poupam “tricolores” da humilhação

O TREINADOR sérvio do Maxaquene, Zoran Pesic, tem bastantes motivos para agradecer os atacantes Jerry e Luís, do Ferroviário de Maputo, por estes lhe terem poupado duma goleada histórica no confronto entre os dois emblemas na tarde de ontem em casa dos “locomotivas”.

Torneio da COSAFA : Sub-20 a caminho da RAS(C.Bila)
O número assinalável de adeptos que se fez ao Estádio da Machava esperava ver um embate à altura de dois grandes conjuntos candidatos ao título (Pesic disse claramente quando pegou na equipa há três jornadas que o seu objectivo era esse). Mas não foi isso o que aconteceu durante largos minutos do desafio.

Os “locomotivas”, rejuvenescidos com Chiquinho Conde no comando técnico, tomaram, conta do jogo logo no primeiro instante, ganhando a disputa das jogadas no miolo do terreno e criando muito perigo na baliza de Soarito.

Só no primeiro quarto de hora o melhor artilheiro do campeonato, Jerry, em parceria com Luís, esbanjaram quatro oportunidades claríssimas de golo, sendo que em duas situações haviam até passado pelo guarda-redes Soarito.

Mas onde estavam os jogadores do Maxaquene para aquele domínio avassalador do Ferroviário? Os “tricolores” apostaram na troca de bola na zona intermediária, longe da baliza a guarda do tanzaniano Mohamed.

Macamito, Kito e o sul-africano Simanga perdiam a batalha da intermediária para Danito, Momed Hagy e Maurício, facto que anulou a existência de Hélder Cuinica e Lakay no ataque.

Para agravar a situação, Zoran Pesic apostou numa defesa em linha, homem a homem, sem qualquer líbero para fazer as emendas. E mesmo com os desperdícios de Jerry e Luís não corrigiu a situação.

E pagou caro. Aos 45 minutos, o Maxaquene perde a bola no ataque e numa jogada rápida o Ferroviário coloca o esférico no terreno adversário, com quatro elementos de ataque contra apenas um defesa, no caso Faria, que é batido com facilidade e surge Luís, finalmente, a inauguram o marcador.

O mesmo Luís selaria o resultado final aos 74 minutos, numa altura que o Maxaquene procurava o empate, mas de forma desorganizada e atabalhoada, sempre a privilegiar jogadas inofensivas no miolo do terreno.

A turma de Chiquinho Conde ainda se beneficiou duma grande penalidade, mas Jerry, em tarde menos inspirada, permitiu a defesa de Soarito. O Maxaquene ficou convencido e aceitou a derrota, de forma que o remate frouxo de Jumisse, já no final do jogo, serviu apenas para confirmar a incredulidade da equipa num resultado diferente.

A equipa de arbitragem, chefiada por Arão Júnior, fez um trabalho aceitável. No lance da jogada em que terá anulado um golo ao Maxaquene, ficámos com a impressão de que Hélder Cuinica estava fora-de-jogo.

FICHA TÉCNICA

FER. MAPUTO - Mohamed, Zabula (Butana), Tony, Jotamo, Fredy, Hagy, Wisky, Maurício (Mendes), Danito, Luís (Artur Manhica) e Jerry.

MAXAQUENE - Soarito, Kiki, Tony, Faria, Eusébio, Mustafa (Jumisse), Simanga, Kito (Rafael), Macamito, Lakay e Hélder Cuinica (Reginaldo).

ACÇÃO DISCIPLINAR : Cartões amarelos para Wisky, Kiki e Lakay.

Custódio Mugabe