Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

23.Mar.09

MOÇAMBOLA-2009 - Liga Muçulmana, 4-FC Lichinga, 0 : Requintado passeio na Machava

PRIMEIRO que tudo, vejamos o antes e o actual em relação ao novo campo do Maxaquene. Antes, pertença ao Atlético Muçulmano: sempre aprimorado e marcações em dia, à hora de qualquer jogo.

Fanuel, autor do único golo da Liga Muçulmana (C. Bila)
Actual, nas mãos dos “tricolores”: perca de alguma qualidade no relvado e, por exemplo, ontem, o árbitro inhambanense Justino Faduco não aceitou iniciar a partida às 15.00, dado que as marcações eram invisíveis, daí o atraso de 20 minutos verificado. Oxalá, pois, que Rafindine Mahomed e seus pares não matem um dos melhores relvados que o país se orgulha de possuir.

Agora, vamos aos factos do embate em si, que foi um autêntico passeio requintado da Liga Muçulmana pelas bandas da Machava. Nítidas diferenças competitivas e de atitude caracterizaram a hora e meia da contenda, com a formação da capital do país claramente em vantagem sobre um FC Lichinga apavorado consigo mesmo, sem um fio condutor consistente e uma estampa futebolística visível.

Aliás, enquanto a Liga primava por um futebol progressivo, através da acção ofensiva de jogadores como Vling, Carlitos e Sandomba, o Lichinga preferia o contrário, isto é, quando desenvolvesse um lance atacante vistoso, imediatamente o jogador em posse do esférico parava, atrasava a jogada e tudo regredia, para um novo começo.

Que estranha forma de jogar! Mas, paulatinamente, fomo-nos apercebendo que a equipa não tem personalidade e teme tudo que possa acontecer mais à frente.

Grande oportunidade para a formação de Neca, sem exactamente dar um “show” de bola, praticar o seu futebol à vontade e chegar aos quatro golos sem sobressaltos: No primeiro caso, Vling apontou de forma superior um livre; no segundo, Gabito corresponde bem a um cruzamento do lado direito, levando a bola a embater na base interior da barra transversal; no terceiro, com a baliza quase deserta, após saída intempestiva do guarda-redes Jorge, Sandomba só precisou de ter o pé direito desocupado para elevar a contagem; e, no quarto, já com o placo praticamente desmontado, Maninho, de cabeça, fazer o golo.

O que mais dizer? Bom, só um recado à Liga: se efectivamente é candidato aio título, então, tem que se mostrar mais. A não ser que alguns trunfos estejam ainda guardados para confrontos de maior responsabilidade.

Quanto ao juiz da partida, nada em desabono.

FICHA DO JOGO

Árbitro: Justino Faduco, coadjuvado por António da Costa e Júlio Muianga. Quarto árbitro: Bernardino dos Santos

LIGA MUÇULMANA – Binó; Calima, Fanuel, Gabito e Suleimane; Micas, Carlitos (Chico), Alvim e Vling; Sandomba (Alex) e Edgar (Edgar)

FC LICHINGA – Jorge; Maior, Chimbeta, Mavume e Chume; Paúnde, Nando e Sadique (Barbosa); Okocha (Maninho), Wacheka (Anselmo) e Clemente

Acção disciplinar: cartão amarelo para Carlitos

Golos: 1-0, Vling (18 m); 2-0, Gabito (60 m); 3-0, Sandomba (74 m); 4-0, Maninho (92 m).

Alexandre Zandamela