Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

centro de documentação e informação desportiva de moçambique

Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo

18.Mai.09

MOÇAMBOLA-2009 - Ferroviário de Nacala, 0 – MAXAQUENE, 4: Derrota do desespero

NÃO se tratava de um jogo entre aflitos, até porque depois das duas equipas entrarem para este confronto vindo de duas preciosas vitórias augurava-se uma partida renhida, pois ambas formações tinham motivações para brindarem o público para um bom espectáculo de futebol. Mas o desespero esta pesada derrota, já está a subjugar dos “locomotivas” de Nacala.

Maxaquene, em festa, exibe o “canecão”
Com efeito, o Maxaquene entrou deliberadamente a jogar para o ataque, empurrando o seu adversário para a sua zona defensiva e logo ao primeiro minuto poderia ter feito o primeiro golo, quando Hélder Pelembe introduziu o esférico na baliza de Alio, num lance em que foi precedido dum claro fora-de-jogo de Liberty.

O aviso já estava dado e a correlação de forças dentro das quatro linhas era evidente, com maior pendor dos “tricolores” que beneficiaram de inúmeras ocasiões de abrir o marcador, ressaltando aos quatro minutos quando Jumisse teve um cabeceamento a roçar a barra transversal da baliza “locomotiva”.

Mas o golo não tardou a aparecer, num remate de Kito que foi se anichar dentro da baliza contrária, quando estavam decorridos 13 minutos do primeiro tempo, resultado com que se chegou ao intervalo, pese embora o Ferroviário de Nacala tivesse tido algumas oportunidades de chegar ao empate.

No reatamento, o Maxaquene sentiu a pressão do seu opositor que não chegou ao golo de empate por mera casualidade e sentindo esta pressão os comandados de Litos “mataram” o jogo com um golo de Kito que passou por vários adversários e colocou o esférico no lugar certo, fazendo o 2-0, quando eram jogados 63 minutos da partida.

Daí em diante assistiu-se a um Maxaquene infernal nas suas jogadas ofensivas que resultaram na obtenção de mais dois golos por intermédio de Hélder Pelembe, aos 88 minutos, e de Jumisse, que matou definitivamente o jogo, aos 90, para o desespero dos nacalenses que viram frustradas as suas intenções de fazerem um bom resultado, depois de uma vitória na jornada anterior.

Arão Júnior, que dirigiu a partida, sem ter influenciado no resultado final da partida, pecou por algumas decisões menos óbvias para o quilate da sua categoria.

Ficha Técnica

Árbitros: Arão Júnior, coadjuvado por Célio Mugabe e Daniel Viegas

Ferroviário de Nacala: Alio; Mussa, Mariote (Romão), Magido, Matias e Telinho; Phondo, Thamathe, Nelson (Pintado); Ivan (Mambo) e Mauro.

Maxaquene: Nelinho; Nito(Narcisio), Campira, Mustafa I e Kiki; Faria, Jumisse e Liberty(Gitinho); Kito(Steven), Hélder Pelembe e Macamito.

Luís Norberto