Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quarta-feira, 06 DE Dezembro 2017

 

A Selecção Nacional Sub-20 de Futebol, Mambinhas, joga  hojé, no  Arthur Davies Stadium, diante da sua similar do Egipto,  em jogo de estreia do grupo “B” do Torneio da Cosafa,que vai decorrer, em Kitwe, Zâmbia, entre os dias 6 e 16 de Dezembro.  O desafio está marcado para as 14.30 horas.

 

Embora não tenham sido reveladas as razões da alteração do calendário competitivo por parte da organização, entende-se que tal facto foi algo premeditado para permitir que a África do Sul pudesse ganhar algum tempo “espiando” os seus adversários.

 

O combinado nacional que se encontra no Grupo “B”, só jogará com a África do Sul neste sábado (dia 7 de Dezembro), num encontro que irá acontecer no Estádio Nkana. Dois dias depois, os treinados de Arnaldo Ouana, técnico nacional, irão medir forças com a selecção das Maurícias. Sendo este o último jogo referente a fase de grupos.

 

Moçambique que se encontra naquele que é tido como o grupo de “morte” (África do Sul terá que suar as estopinhas para conquistar os três pontos diante da equipa faraónica (Egipto), que participa no torneio na qualidade de convidada.

 

Reagindo em relação a alteração do calendário, Arnaldo Ouana, técnico dos Mambinhas disse ao desafio que todos os adversários são respeitáveis, contudo nada impedirá que o seu conjunto entre na competição para lutar dos objectivos a que se propôs a alcançar.

 

– Percebemos que há uma intenção clara de beneficiar a África do Sul, dando mais tempo para a equipa repousar. Estamos cientes dos adversários que teremos pela frente. Estamos nesta para dar o melhor de nós e conquistar a Taça,anotou o treinador.

 

O timoneiro explicou ainda que apesar de algumas baixas havidas, o seu grupo de trabalho conseguiu reunir os jogadores que poderão ser dignificar o país neste torneio. Ouana disse ainda que os erros do passado, de certo modo, serviram para limar as arestas e construir um conjunto sólido e ganhador, acreditando que já estão criadas as condições para se formar um grupo que seja o garante do futuro da selecção principal.

 

Confira a seguir os 20 atletas seleccionados para representar Moçambique nesta prova.

 

Guarda-redes Victor Gumbe e Ernan Siluane; os defesas Nelson Mendonça, Fernando Chambuco, Alberto Wate, Alberto Matsimbe, Igor Lobo, Mathauze Machiza, Joaquim Macuácua e Jorge Machava; os médios Edilson Tivane, Geny Catamo, Kamo Kamo Cumbane, Alídio Maxavela, Meisel Amade e Orlando Dlhamine; e os avançados Hermenegildo Capena, Ocazias Nhaca, Fabião Seie e Adinan Lourenço.

 

Texto de Raimundo Zandamela, em Kitwe

 

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 11:05
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 18 DE Setembro 2017

 

A Selecção Nacional Feminina de Futebol joga às 14.00 desta segunda-feira, no Luveve Stadium, em Bulawayo, Zimbabwe, diante da sua similar das Maurícias o seu último jogo no Torneio da Cosafa da categoria, que decorre desde o passado dia 13 de Setembro, devendo terminar no dia 24 do mesmo mês. Uma derrota diante do Quénia (5-2) e um empate a duas bolas diante da Suazilândia foi o que o combinado nacional conseguiu produzir até aqui.

 

Por Raimundo Zandamela, em Bulawayo

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 13:36
 O que é? |  O que é? | favorito
Quarta-feira, 13 DE Setembro 2017

 

 

A Selecção Nacional Feminina de Futebol defronta amanhã, no Luveve Stadium, em Bulawayo, Zimbabwe, a sua congénere do Quénia, em partida inaugural da 11ª edição do Torneio da COSAFA que iniciou hoje e deverá terminar no dia 24 do corrente mês.

 

Depois de uma viagem de um dia, as treinadas de Felizarda Lemos realizaram na manhã de hoje o habitual treino de adaptação ao piso, assim como alguns exercícios com vista a recuperarem da fadiga da viagem.
Depois deste jogo, Moçambique só voltará a entrar em cena no dia 16 de Setembro, onde irá jogar diante da Suazilândia, devendo terminar a fase de grupos com as Maurícias, no dia 18 de Setembro.

 

A anteceder essa partida, a equipa das Maurícias, que também encontra-se no mesmo grupo (B) que Moçambique, medirá forças com a Suazilândia (as 10.30 horas) e a África do Sul, que está no Grupo “C”, terá pela frente o Lesoto.

 

Lembrar que em 2015 as raparigas moçambicanas cruzaram-se com a Suazilândia num jogo de carácter particular, tendo em vista a preparação para o torneio da COSAFA. Nesse desafio, Moçambique venceu por 2-0, sendo que no segundo ensaio as meninas da Pérola do Índico levaram de vencida as Ilhas Seychelles, por 7-1, em Nelspruit, África do Sul.

 

– “Reina confiança e optimismo no seio do nosso grupo de trabalho, daí que esperamos dar o melhor de nós com vista a terminar a fase de grupos da melhor forma,anotou a técnica moçambicana.

 

Resultados e próxima jornada

QUARTA-FEIRA

Dia 13/09/2017

Grupo C

Namíbia vs  Botswana (4-0) – Barbourfields Stadium

Grupo A

Zâmbia vs Malawi                  (???) – Barbourfields Stadium

Zimbabwe vs Madagáscar      (???)–  Barbourfields Stadium

 

Próxima jornada

quiant-afeira

14/09/2017

Grupo B

Maurícias vs Suazilândia        (10h:30)–  Luveve Stadium
Quénia vs Moçambique          (14h:00) –  Luveve Stadium

 

 

Por Raimundo Zandamela, em Bulawayo

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 11:26
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 18 DE Maio 2017

 

MOÇAMBIQUEdefrontará o Zimbabwe, as Seychelles e o Madagáscar no Grupo “B” do Torneio de Futebol da COSAFA, a ter lugar de 25 de Junho a 9 de Julho na África do Sul, de acordo com o sorteio realizado ontem.

 

A Selecção Nacional fará a sua estreia no dia 26 de Junho e dois dias depois jogará com as Seychelles e por último frente a Madagáscar.

 

O objectivo dos “Mambas” é terminar o grupo no primeiro lugar, o único que dá acesso aos quartos-de-final. Esperam-se jogos renhidos, sobretudo diante dos “Guerreiros” do Zimbabwe, teoricamente o adversário mais forte. Caso o combinado nacional siga em frente terá à espera a Suazilândia, isento da fase de grupos.

 

O Grupo “A”, por seu turno, é composto por Angola, Tanzânia, Maurícias e Malawi. O vencedor jogará com a África do Sul, também isento da fase de grupos.

 

Igualmente afastados da primeira fase devido às últimas boas prestações, para os quartos-de-final, Botswana e Zâmbia medem forças, numa reedição da final de 2015, enquanto a Namíbia, vencedora da edição2015, jogará com o Lesotho.

 

África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe já venceram o torneio por quatro vezes. Angola soma três títulos e Namíbia um. Moçambique já marcou presença em duas finais, tendo perdido diante da África do Sul (2008) e Namíbia (2015).

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:08
 O que é? |  O que é? | favorito
Quarta-feira, 14 DE Dezembro 2016

 

A SELECÇÃO Nacional de futebol de sub-20 não escapou ontem a mais uma derrota diante da sua congénere da Zâmbia (0-2) no “play-off” de acesso às meias-finais do Torneio da Cosafa, que decorre na província do nordeste sul-africano.

 

Aliás, este resultado foi mais uma confirmação do que já vinha sendo vaticinado a respeito deste encontro, a avaliar pela vantagem dos zambianos nos confrontos directos e o facto de serem concorrentes assíduos à conquista deste torneio, tendo já ganho vários troféus.

 

Com este desfecho, o combinado nacional aguarda pelos jogos para a definição do seu posicionamento na tabela classificativa. Noutro “play-off”, a República Democrática do Congo bateu o Malawi, por 1-0, e segue com a Zâmbia para as meias-finais, que se disputam hoje.

 

Os outros semifinalistas são África do Sul e Angola, que se destacaram nas séries A e C. No encerramento da fase grupos, ontem, os sul-africanos bateram o Botswana, por 1-0, enquanto os angolanos empataram com as Maurícias, por 1-1.

 

Sendo assim, a África do Sul defronta Angola, às 17.30 horas, no Moruleng Stadium. Duas horas depois, a Zâmbia mede forças com a RDCongo, no mesmo recinto.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:37
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 13 DE Dezembro 2016

 

A SELECÇÃO Nacional de futebol de sub-20 defronta esta manhã a sua congénere da Zâmbia no “play-off” de acesso às meias-finais do Torneio da COSAFA, que decorre na África do Sul.

 

O outro “play-off”, também agendado para esta manhã, coloca frente-a-frente a República Democrática de Congo (RDC) e o Malawi.

 

Os “Mambinhas” cruzam outra vez o caminho dos zambianos depois de terem concluído a fase de grupos em segundo, na série D, no qual também estiveram a República Democrática doCongo, que terminou em primeiro e que participa no torneio na condição de convidado, e as Ilhas Comores, último classificado.

 

Segundo o regulamento da competição, os primeiros dois classificados das séries C (Zâmbia e Malawi) e D (RDCongo e Moçambique) vão aos “play-offs” de acesso às meias-finais porque integraram grupos com menos equipas (três). Com quatro equipas cada, as séries A e C apuram directamente os primeiros classificados.

 

A África do Sul e Angola estavam até ontem bem posicionados na luta pela transição nas séries A e C, respectivamente, pois saíram vitoriosos nos primeiros dois jogos. Aliás, a sua sorte terá sido conhecido ainda ontem, com a realização da terceira jornada (última). Com seis pontos cada, África do Sul e Angola tiveram pela frente Botswana e Maurícias, respectivamente. Ainda para a série A, Lesotho defrontou a Suazilândia. Já na C, o Sudão, outro convidado, mediu forças com as Ilhas Seychelles.

 

Salientar que para chegarem àfase dos “play-offs”, os “Mambinhas” somaram por empates os dois jogos correspondentes. As meias-finais disputam-se amanhã, em Moruleng Stadium, no North West Province.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:06
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 08 DE Dezembro 2016

 

A SELECÇÃO Nacional de Futebol de Sub-20 já se encontra na vizinha África do Sul, onde desde ontem decorre o Torneio da COSAFA que junta equipas dos países da Região Austral.

 

Entretanto, os “Mambinhas” só se estreiam no dia 13, defrontando a convidada RD Congo, no Grupo “D”, no qual estão igualmente as ilhas Comores.

 

O combinado nacional terá de provar quanto vale perante os congoleses que, a prior, apresentam-se como favoritos à transição para as meias-finais, sendo que cada um dos quatro grupos apura apenas uma selecção. 

 

Esta é mais uma oportunidade para a rodagem da selecção de sub-20 que, depois de afastada da corrida para o CAN-2017, não tem estado a competir já há bastante tempo.

 

Para o jogo inaugural, ontem, a selecção do Botswana defrontou a sua congénere da Suazilândia em Moruleng Stadium, na Província do Nordeste (North West Province), um dos palcos do torneio.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:03
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 02 DE Junho 2015

NORBERTO.gif

 

JOÃO Chissano não escondeu a tristeza pela perda, pela segunda vez, do troféu do torneio da COSAFA. Porém, o técnico dos “Mambas” faz um balanço razoável, porquanto o combinado nacional deveria, no seu entender, ter feito o melhor frente à Namíbia.

 

Que avaliação faz da nossa participação neste torneio?

 

Fizemos três jogos, ganhámos dois e perdemos o principal. Penso que no seu todo não foi negativa, mas também não foi uma prestação muito boa em termos do que pretendíamos que os jogadores fizessem. Encontrámos um Malawi que trouxe a sua selecção principal e que já está preparada para as frentes que se avizinham. Encontrámos a Namíbia que também trouxe a sua selecção principal, por isso tivemos dificuldades no jogo jogado. A entrega dos jogadores não foi má, mas deveria ter sido melhor se tivéssemos tido um bocadinho mais de experiência.

 

Sem sonhar muito alto neste COSAFA, conseguimos chegar à final e com jovens que ainda procuram ganhar tarimba e espaço na selecção principal. O que se pode dizer desta rapaziada?

 

Eu penso que conseguimos incutir alguma forma de jogar nesta juventude. Apesar de nos sentirmos tristes por termos perdido esta final, não nos podemos esquecer do trabalho que fomos fazendo até chegar a esta final. Ombreámos com várias selecções que estavam melhor preparadas do que nós, inclusive a Namíbia, que fez seis jogos neste COSAFA, pois começou desde a fase de grupos, daí o seu melhor entrosamento. Aliás, é por esta razão que foi superior e mereceu ganhar a final. Trouxe a sua equipa principal, o Malawi e a Zâmbia também. Nós trouxemos uma equipa com seis sub-23 e dois sub-20, mesmo assim sentimos que estes jogadores, apesar de terem chegado à final, têm muito que trabalhar se quiserem chegar a altos patamares. Mas estão a caminho disso e merecem a nossa confiança.

 

E a derrota acaba defraudando as expectativas depois de duas vitórias consecutivas e que abriram caminho para a final com a Namíbia? 

 

Obviamente que estamos tristes porque não conseguimos vencer o jogo, mas há ilações boas tiradas. Em relação à final, dizer que a Namíbia mereceu ganhar este COSAFA pelo que fez ao longo dos 90 minutos. Aliás, não foi nestes 90 minutos que mereceu vencer. Dominou um grupo que parecia não ter possibilidades de vencer. Goleou o Zimbabwe na última jornada da fase preliminar e eliminou, consequentemente, a Zâmbia, nos quartos-de-final, e ficou, a partir daí, mais entrosada. Nós fizemos o terceiro jogo sábado e a Namíbia o sexto. Acho que a grande diferença esteve aí. A Namíbia veio com muita confiança, muito entrosada e com uma equipa ideal da fase de grupos e calculo que a sua vantagem traduziu-se nisso.

 

O facto de o presidente da federação namibiana ter dito que preferia jogar a final com Moçambique foi mesmo uma antecipação da queda dos “Mambas”?

 

A preferência dele é porque fomos nós que lhes tirámos do CAN-Interno. Há dois anos que diziam que estão à procura de uma desforra. Infelizmente, conseguiram-na aqui no COSAFA.

 

Muitos problemas no meio-campo, não é?

 

São problemas de rapidez e da segunda bola. Em dois e três toques o adversário conseguiu chegar à nossa grande área. Temos de ser muito rápidos. Aliás, eu penso que esta é uma característica dos jogadores moçambicanos. Adormecem ligeiramente, principalmente nas transições de defesa para o ataque e em uma fracção de segundos temos um adversário nas nossas costas a criar-nos problemas. Portanto, temos de trabalhar bastante nesse aspecto se quisermos chegar mais longe. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:27
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 01 DE Junho 2015
A SELECÇÃO Nacional de futebol perdeu a oportunidade de erguer pela primeira vez o troféu da Taça COSAFA ao perder com a Namíbia, por 2-0, na final disputada sábado em Moruleng Stadium, Rustenburg, na vizinha África do Sul.


É a segunda vez que os “Mambas” perdem na final. A primeira foi em 2008, diante da África do Sul, por sinal anfitrião do evento, que teve início a 15 deste mês.


Para o apuramento do terceiro lugar, Madagáscar venceu Botswana, por 2-1, surpreendendo a tudo e todos, enquanto uma selecção sem história neste evento. Aliás, o torneio foi marcado por surpresas com a queda das selecções mais cotadas e tidas como favoritas, casos da Zâmbia, a própria África do Sul, o Zimbabwe, este que nem sequer passou da fase preliminar, enquanto os zambianos e sul-africanos entraram, tal como os “Mambas”, a partir dos quartos-de-final. Aliás, a conquista do título pela Namíbia foi um facto inédito, para além de que os namibianos se notabilizaram entanto que selecção que veio da fase preliminar, portanto não era favorita.


PRESSIONAR E DOMINAR


Com uma entrada empolgante, a Namíbia deu-se ao luxo de assumir o protagonismo do jogo e obrigou, logo de início, os “Mambas” a tomarem cautelas defensivas com um jogo bastante fluido e objectivo, e que esteve assente num meio-campo criativo e flancos muito produtivos. Foi assim que, muito cedo, houve necessidade de desdobramento de esforços, sobretudo pelas alas, para anular as frequentes investidas que visavam alimentar a dupla de ataque constituída por Peter Shalulile e Benson Shilongo. Esta dupla criou calafrios, tanto no jogo aéreo, como na exploração de remates fora da área, aproveitando a sua excelente condição física e o seu tecnicismo. Aliás, vendo-se impossibilitados de perfurar o reduto moçambicano, a partir da zona frontal, Ronald Ketjijere e Wangu Gome, os responsáveis pelas iniciativas ofensivas a partir do miolo, optaram por aberturas para os flancos, donde partiam fogosos cruzamentos de Petrus Shitembi e Deon Hotto para a zona de rigor.



Com um meio-campo menos produtivo - Momed Hagy e Ussama não assumiram o papel que lhes cabia de mobilizar as jogadas de ataque com a clarividência necessária para assistir, tanto as alas, bem como Luís e Isac, os homens mais adiantados da turma moçambicana.


Mesmo assim, houve algum esforço e algumas iniciativas que levaram algumas bolas para Luís e Isac, mas estes estavam muito bem vigiados, portanto não tiveram espaço para grandes manobras. Tiveram de recuar para a ir buscar o jogo e só desta forma conseguiram, por poucas vezes, levar algum perigo à baliza defendida por Virgil Vries.


A primeira jogada de vulto dos moçambicanos acabou saindo de um pontapé de canto cobrado por Kito. Ussama apareceu no segundo poste a cabecear para o lado contrário, mas Isac não saltou o suficiente para desviar o esférico.


O jogo foi ganhando interesse com as duas equipas a jogarem abertamente ao ataque e, com um futebol progressivo e directo, os namibianos tentaram, ainda no primeiro quarto da contenda, com remates fora da área, surpreender César Machava, mas os tiros saíram desenquadrados.


O jogo ganhou equilíbrio à entrada do segundo quarto, com os meio-campos de ambas as partes a fluírem com jogadas bem construídas. As duas equipas tentaram dar alguma emoção ao jogo, mas quem se saiu melhor foi a Namíbia, enquanto os “Mambas” não acertavam plenamente nas combinações, perdendo a batalha no esforço visando transpor o último reduto dos namibianos.


A Namíbia foi, à mistura com futebol directo e objectivo, privilegiando a circulação de bola, mas explorando acima de tudo os flancos. E tornou-se muito perigosa à entrada do segundo quarto, a baliza moçambicana na tentativa de encontrar a resposta dos seus “postes”, nomeadamente Shalulile e Shilongo, que não davam tréguas à defensiva moçambicana no jogo aéreo. Aliás, fruto do seu empenho, os namibianos chegaram ao golo aos 35 minutos. Cruzamento do lado esquerdo e a bola chegou a Hotto, que aproveitou a desconcentração da defensiva moçambicana e com muito jeito colocou o esférico no fundo das malhas.


João Chissano, seleccionador nacional, não teve outra opção que procurar conferir mais consistência ao meio-campo pouco produtivo e tirou o capitão Momed Hagy, metendo no seu lugar Gildo, já no último quarto da primeira etapa.



E a resposta dos “Mambas” apareceu já na ponta final da primeira parte, quando Luís foi às alturas antecipar-se do guarda-redes namibiano e viu o esférico a ser desviado já na boca da baliza por um defensor namibiano. E foi o mesmo Luís que fez uma excelente assistência a Isac, mas o desvio do artilheiro moçambicano tomou direcção errada, porque a bola vinha com alguma velocidade, quando faltava apenas um minuto para o fim da etapa inicial, Luís foi ainda a tempo de arrancar um remate, mas que saiu muito alto.


Os “Mambas” tentaram imprimir maior velocidade na segunda parte, mas continuaram a acusar fraca mobilidade no miolo e as iniciativas de jogo de ataque continuaram escassas. Mesmo assim, procuraram os caminhos para a baliza namibiana e Kito obrigou o guarda-redes Vries a uma defesa de recurso no primeiro quarto.


Os “Mambas” cresceram ligeiramente no jogo, tentando explorar igualmente os flancos, mas as suas investidas foram anuladas. Os namibianos souberam controlar os movimentos ofensivos da equipa nacional e anularam muitas vezes as suas jogadas. Voltaram à carga e controlaram novamente o jogo.


E eis que a Selecção Nacional é novamente apanhada em contrapé em mais uma jogada flanqueada e rápida. A bola foi metida para a zona de rigor. César Machava saiu dos postes para o alívio, mas a bola voltou para a posse dos namibianos, tendo Hotto feito uma colocação em jeito e anichar o esférico nas malhas desguarnecidas. Era o segundo da sua autoria aos 75 minutos.



Os “Mambas” tentaram correr atrás de prejuízo e com algumas mutações no xadrez chegaram próximo da baliza namibiana. Diogo ainda tentou fazer o golo de honra, através de um livre, mas Vries defendeu. A Namíbia não parou, continuou na mó de cima e só não conseguiu alargar a vantagem graça às intervenções do guarda-redes César Machava.


O combinado moçambicano lutou que se cansou sem no mínimo conseguir o golo de honra.


FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Hamada Nampiandraza, de Madagáscar, auxiliado por Gilbert Lista, das Seychelles, e Souru Phatsoane, do Lesotho.


MOÇAMBIQUE: César Machava; Norberto (Diogo), Chico, Gerson e Edmilson, Momed Hagy (Gildo), Kito, Ussama e Parkim (Witness), Luís e Isac.


BOTSWANA: Vries, Haoseb, Mwedihanga, Katjiukua e Gebhardt, Shitembi (Stephanus), Ketjijere, Gome e Hotto, Shalulile (Isaacks) e Shilongo (Keimwine).

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Kito e Denzil Haoseb.


SALVADOR NHANTUMBO


Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 09:25
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 03 DE Dezembro 2013

A SELECÇÃO Nacional de Futebol na categoria de Sub-20 participa a partir da sexta-feira no Torneio da COSAFA, que se inicia hoje no Lesotho. É a 22ª edição da prova que, sendo que o nosso país estreia-se sexta-feira, frente à sua congénere de Madagáscar.



 

O embate tem início às 11.00 horas na cidade de Mafeteng. Moçambique faz parte do Grupo “B”, onde, para além da Madagáscar, está a selecção de Angola, que mede forças com os “Mambinhas” no sábado às 19.00 horas na cidade de Maseru, por sinal a capital de Lesotho.



 

A prova é disputada por 14 selecções divididas em quatro grupos. Dois grupos (A e C) são compostos por quatro equipas e no B e D tomam parte três formações. As equipas irão jogar no sistema clássico de todos contra todos numa única volta, passando para a segunda fase (meias-finais) os primeiros dos grupos A e C, sendo que nos grupos B e D, os primeiros vão disputar um “play-off” com os segundos classificados dos grupos A e C, para seguiram às “meias”.



 

Para esta campanha, o seleccionador nacional, Aquimo Rachid, convocou os seguintes jogadores: Hassan e César Machava (guarda-redes), Cleiton Jorge, Norberto Jr., Adson Almeida, Jorge Muianga, Alberto Mafumo, Germinio Eduardo, Osvaldo Sumbe, Naftal Manjate, Alexandre Guambe, Clésio Baúque, Luís Miquissone, Alegre Traquino, José da Silva, Joaquim Victor, Elias Licuco, Daniel Mutambe e Dércio Matimbe.



 

O destaque vai para a convocatória de Clésio que actua nos juniores do Benfica de Lisboa. O antigo jogador do Ferroviário de Maputo vai reforçar o ataque da nossa selecção que, segundo Aquimo Rachid, vai à Lesotho para melhorar a performance em relação à edição de 2011.



 

Para além de Moçambique, Madagáscar e Angola, as restantes 11 selecções que tomam parte deste evento são: África do Sul, Lesotho, Botswana, Comores, Maurícias, Seychelles, Suazilândia, Zâmbia e Quénia, Namíbia e Zimbabwe.A Zâmbia é o actual detentor do troféu e, no seu historial conta com 10 títulos.





Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:02
 O que é? |  O que é? | favorito
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
Posts mais comentados
blogs SAPO