Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 23 DE Março 2017

 

O Sporting da Beira vingou-se das duas derrotas sofridas na Taça de Honra, diante do Estrela Vermelha, vencendo o rival por 1-0, em partida referente à 1.ª jornada do Torneio de Abertura de Sofala, série B.


A vitória dos leões foi muito festejada pelos adeptos, perante os olhares impávidos dos adeptos do Estrela Vermelha, que apesar de ter dominado não conseguiu marcar.


Na outra partida, referente à serie A, o Têxtil de Pùngué, contra todas as expectativas, consentiu um empate (1-1) diante do Matchedje da Beira.


Na mesma serie, Sport Benfica e Aguias, ambos de Dondo, empataram a uma bola, o mesmo resultado com que terminou o FC Beira-Ferroviário (série B).


Em termos de classificação, a série A é liderada pelo Matchedje da Beira e Têxtil de Pùngué, ambos com quatro pontos.


Na serie B, o líder é o Sporting da Beira, com três pontos, contra um ponto do FC Beira e Ferroviário B – ainda sem pontuar, o Estrela Vermelha ocupa a ultima posição.


A próxima jornada está agendada para o próximo fim-de-semana.
 
 
António Mavila, Beira
 
 
Fonte:Abola
publicado por Vaxko Zakarias às 10:42
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 14 DE Fevereiro 2017

 

Regressou após ter levado o Costa do Sol ao segundo lugar no Moçambola 2015, como esperança para recolocar os “canarinhos” no topo do futebol moçambicano. E mais: resgatar a sua mística ganhadora e conquistar o título que foge desde 2007, ano em que João Chissano fez os adeptos do Costa do Sol exultarem de alegria.

 

Com uma equipa reforçadíssima em todos os sectores, onde se espera que Kito e Loló rimem com mais-valia, Nelson Santos arrancou a temporada muito bem. Domingo, no Estádio da Machava, em Maputo, levou o Costa do Sol à conquista da Taça de Honra, primeiro troféu da temporada. Um troféu, sem dúvidas, que funciona como factor motivacional para o clube mais ganhador do país fazer uma época brilhante, na qual, como prometera na apresentação do plantel, conquistando tudo.

 

 “Temos uma equipa muito experiente que sabe lidar com a pressão. É claro que jogamos com uma equipa bem organizada, bem estruturada, com bons jogadores. Mérito também para o treinador Daúdo Razak”, observou, Nelson Santos, na análise do encontro com a Liga Desportiva de Maputo em que a sua equipa venceu por 1-0.

 

Nelson Santos explica que conseguiu simplificar a tarefa e chegar ao golo que levou os “canarinhos” à vitória. O técnico português salienta, por outro lado, que tinha a obrigação de conquistar esta prova para elevar os índices de confiança do grupo.

 

É apenas o início de uma nova era, um novo começo. Iniciámos bem e queremos continuar com esta atitude, com esta mentalidade, com esta dinâmica de vitórias”, frisou.

 

O treinador dos “canarinhos” diz também que “há ainda muito trabalho por se fazer pela frente. Temos um jogo pela frente com a equipa da Liga Desportiva de Maputo na primeira jornada do Moçambola, que será completamente diferente e difícil”, perspectivou.

 

 

Fonte:Opais

publicado por Vaxko Zakarias às 11:30
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 03 DE Março 2016

 

A LIGA Desportiva de Maputo mantém-se na corrida à conquista da Taça de Honra em futebol, depois de vencer ontem o Desportivo por 3-1, em jogo de acerto da segunda jornada.

 

A Liga passou a somar sete pontos, os mesmos que o Costa do Sol e o Ferroviário de Maputo e está a dois do líder, Maxaquene. Para vencer a competição a equipa treinada por Dário Monteiro depende de uma derrota dos “tricolores”, devendo vencer o Costa do Sol no fecho da prova, agendada para o fim-de-semana.

 

Para um jogo de início de época, e numa prova em que as equipas mais do que ganharem procuram aprimorar-se táctica, técnica e fisicamente, o campo do Costa do Sol registou um bom número de espectadores, para um desafio com momentos de bom requinte técnico. Exemplo disso foi o golo apontado por Calton, que deu vantagem ao Desportivo aos 12 minutos. Aliás, toda a jogada ficou marcada pelo bom gesto técnico dos jogadores “alvi-negros”. Desde a forma como Arnaldo tirou um adversário do caminho até ao cruzamento que culmina com um cabeceamento certeiro de Calton. O jovem avançado foi a unidade “alvi-negra” mais esclarecida em campo, tendo sido aposta para jogar entre os centrais da Liga, nomeadamente Chico e Edson, tendo deixado boas indicações para o Moçambola.

 

A jogar num 4x3x3, o Desportivo entrou mais móvel em campo. Além de Calton e Arnaldo, os jovens Jossias e Laque mostravam dinâmica pelo centro e por uma das alas, respectivamente.

 

Um facto comum é que as duas equipas não contaram com alguns jogadores, por opção técnica, casos de Telinho e Momed Hagi. Já do lado do Desportivo, Sidique, que tinha treinado de manhã pelos “Mambas”, foi ausência notável.

 

Com mais ausências em relação aos habituais titulares, a Liga começou por se ressentir. Demorou a entrosar-se, mas a partir dos 20 minutos da primeira parte começou a tomar conta do jogo.

 

Apostando no sistema clássico 4x4x2, confiou o ataque a uma dupla nova de avançados: Mário Sinamunda (ex-Ferroviário da Beira) e Elias II. Coube ao jovem Elias assinar o primeiro sinal de perigo, com um cabeceamento ao poste. Era o aviso para o que viria a acontecer aos 35 minutos. Mário, respondendo bem a um centro do malawiano Joseph, que estreiou-se, bateu o guarda-redes Zé.

 

A igualdade chegou numa altura em que os comandados de Dário Monteiro tinham mais posse de bola e apesar de não criarem oportunidades de golo eram os que mais atacavam, um cenário que permaneceu até ao final do encontro.

 

Na segunda parte ficou vincado que a Liga tem um “banco” bem mais apetrechado. As entradas de Dainho (ex-Costa do Sol), Zicco e Yude (ex-júnior) foram de capital importância, pois vieram acrescentar qualidade, enquanto doutro lado verificou-se o contrário, Quaresma, Fanuel, Ifren e Pablo tiveram muitas dificuldades em entrar no jogo. Espera-se muito trabalho para Uzaras Momed nos próximos dias.

 

Conforme foi referido, o domínio da Liga ganhou maior expressão na segunda parte. Nando, que tinha desperdiçado duas oportunidades claras para marcar, acertou na terceira tentativa, concluindo com categoria após passe de Yude. Estava feito o 2-1 aos 60 minutos e bem em cima dos 90 foi Zicco a dar gosto ao pé. A vitória por 3-1 assenta bem, a avaliar por aquilo que foi a produção das duas equipas.

 

O árbitro Felisberto Timane errou ao não expulsar Dário Khan após entrada violenta, por trás, sobre Elias. O defesa viu apenas o cartão amarelo. De resto, o juiz controlou bem o jogo, embora tenha tido um e outro erro técnico, mas sem influência no resultado final.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Felisberto Timane, auxiliado por Júlio Muianga e Miguel Manhate. Quarto árbitro: Francisco Boaventura

 

LIGA: Artuel; Norberto, Edson (Gito), Chico (Elias I) e Osvaldo; Ussama, Andro (Dainho), Joseph (Yude) e Nando; Mário (Zicco) e Elias II (Kapa).

 

DESPORTIVO: Zé (Elton); Laque, Emídio (Ivo), Dário Khan (Fanuel) e Cândido; Jossias, Danito Parruque (Pablo), Arnaldo (Quaresma), Rachide (Ifren) e Orlando; Calton.

 

 IVO TAVARES

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:12
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 29 DE Fevereiro 2016

 

O FERROVIÁRIO venceu na tarde de sábado o Maxaquene por 2-1, no jogo mais importante da quarta jornada da Taça de Honra a nível da capital do país.

 

Um clássico, diga-se, muito bem disputado e que decidiria, para os “tricolores”, a conquista da prova em caso de vitória.

 

Os “locomotivas” adiaram, com o triunfo, a decisão do título para a quinta e última ronda, que se disputa no próximo fim-de-semana. Neste momento o Maxaquene lidera com nove pontos, mais dois que o Ferroviário. Na última ronda os “tricolores” terão mais uma missão espinhosa, desta feita frente ao Desportivo, enquanto os “locomotivas” medirão forças com o Estrela Vermelha, penúltimo classificado, e que no sábado foi derrotado pelo Costa do Sol por 2-0. Os “canarinhos” somam os mesmos pontos que o Ferroviário (sete), situação que abre espaço para uma derradeira jornada de grandes batalhas. Para já quatro equipas podem chegar ao título, nomeadamente Maxaquene, Costa do Sol, Ferroviário e Liga Desportiva. A Liga, com apenas três jogos realizados, defronta na quarta-feira o Desportivo, em partida em atraso da quarta jornada. Em caso de vitória a Liga terá os mesmos pontos que os “canarinhos” e “locomotivas”.

 

Quem já fez todos os jogos é o Estrela Vermelha. 

  

COLOSSOS BATEM-SE A DOER

 

O Ferroviário e Maxaquene deixaram cair a “pele” no relvado sintético do Costa do Sol, palco dos jogos desta Taça de Honra. As duas formações bateram-se muito bem, com cada uma delas a dominar cada metade dos 90 minutos.

 

Os “locomotivas” entraram fortes, ávidos em resolver o clássico muito cedo, até porque sabiam que outro resultado deitava por terra o sonho de erguer o canecão. Foi neste contexto que o camaronês Miamy inaugurou o activo, logo aos seis minutos, num remate muito forte à entrada da grande área, pela direita, e que não permitiu a reacção do guarda-redes Guirrugo.

 

O jogo ganhou outro ímpeto. O Ferroviário continuou a fazer pressão alta, numa altura em que o Maxaquene, talvez porque o jogo decorria perto da costa, só via “navios”. O segundo não tardou. Surgiu aos 23 minutos, na sequência de um pontapé de canto. Timbe colocou o esférico na cabeça do zambiano Lewis, que desviou do primeiro para o segundo poste, enganando Guirrugo. Pouco depois Jeitoso, de livre, viu o seu tiro a parar nas mãos de Guirrugo.

 

O Maxaquene só teve uma jogada vistosa no primeiro tempo, quando aos 41 minutos Manuelito rematou pouco por cima do alvo. Foi-se ao intervalo com o 2-0 a justificar-se.

 

O Maxaquene entrou com outra postura no segundo tempo. Ganhou mais espaço no meio-campo “locomotiva”, num autêntico cerco à baliza de Germano. A ideia era de pelo menos reduzir a desvantagem ainda nos primeiros 15 minutos. Aos 53 Luckman ganhou espaço na área, mas o seu remate foi detido por Germano. Pouco depois Isac, à entrada da área, fez uma “biqueirada”, mas o guardião “locomotiva” voltou a mostrar bons reflexos, defendo para canto. Talapa ganhou uma segunda bola à entrada da área, mas atirou ao lado. Manuelito, numa jogada individual, rematou cruzado, mas não tirou devidamente as medidas da baliza de Germano e a bola saiu ao lado.

 

A avalanche ofensiva “tricolor” era tão intensa ao ponto de obrigar a defensiva do Ferroviário a distrair-se. Jogava-se o minuto 67 quando Luckman, da zona da meia-lua, depois de uma tabela com um companheiro, ganhou uma brecha no meio de vários adversários para reduzir para o 2-1. O guarda-redes Germano parece ter sido muito mal batido. O remate do nigeriano foi mais em jeito do que em força, mas o guardião “locomotiva” teve “mãos de manteiga”.

 

O Ferroviário respondeu logo a seguir, com Maurício, isolado por Manucho na zona de penalte, a atirar para a barra. O resultado não mais se alterou, o Maxaquene procurou até às últimas consequências o empate, mas não conseguiu.

 

FICHA TÉCNICA

 

FERROVIÁRIO - Germano; Bill, Calima, Jeitoso e Carlitos; Diogo (Hermenegildo), Timbe (Sassi), Chiza, Jair e Lewis; (Manucho) e Miamy (Maurício).

 

MAXAQUENE - Guirrugo; Nito (Talapa), Whisky, Butana e Paíto; Mayunda (Nelson), Mauro (Eduardo), Dangalira (Bruno) e Manuelito; Isac e Luckman

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:49
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 25 DE Fevereiro 2016

 

O NULO no embate entre o Estrela e a Liga assenta como que de uma luva na mão se tratasse. É que as duas formações pouco fizeram para sair do relvado sintético do Costa do Sol com outro resultado. Embora a Liga tenha tido maior ascendente, as oportunidades de golo escassearam. Foi preciso esperar-se o minuto 41 para se ver algo digno de registo, quando o zimbabweano David, na boca da baliza “muçulmana” e com tudo para fazer o 1-0, rematou escandalosamente ao lado.

 

Sem lances vistosos, foi-se ao intervalo. No reatamento, a partida continuou morna, sendo que aos 62 minutos Kito (Liga), rematou com muito perigo ao lado. A Liga começava a subir no terreno, apertando ainda mais ao adversário. Norberto tem uma soberba oportunidade de facturar, oito minutos volvidos, numa recarga após um cruzamento vindo da direita, mas deslumbra-se, permitindo a mancha de Frenk. A sete minutos dos 90, Mauro, numa jogada individual, galgou terreno e à entrada da área atirou para fora. O Estrela perdia mais uma enorme hipótese de sair com os três pontos.

 

FICHA TÉCNICA

 

ESTRELA: Frenk; Kley, Obede, Anselmo, Yannick, Deborah, Alan, Dino (Loló), Nelsinho (Mauro), Betinho (Zequito) e David.

 

LIGA: Milagre; Eusébio (Osvaldo), Nando (Andro), Chico, Liberty (Hagy), Norberto, Kito, Elias I (Edson), Elias II (Sonito) e Telinho (Dainho).

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:49
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 23 DE Fevereiro 2016

 

A PRIMEIRA jornada do Moçambola não podia ser mais aliciante, na medida em que reserva um clássico entre o Maxaquene e o Desportivo.

 

O “derby” de eternos rivais é, a par do confronto União Desportiva do Songo e Liga Desportiva de Maputo, jogo da abertura do Moçambola, o mais aliciante da ronda inaugural. No Songo esperam-se emoções fortes, com um crónico favorito ao título de visita a um terreno sempre muito complicado.

 

Nota ainda para a recepção do campeão nacional, Ferroviário de Maputo, ao terreno do Desportivo de Nacala.

 

O Estrela e o Chingale, que regressam à elite do futebol nacional, batem-se com ENH de Vilankulo e Ferroviário de Nacala, respectivamente.

 

Já o estreante Desportivo do Niassa desloca-se ao campo do Ferroviário da Beira, enquanto o vice-campeão, Costa do Sol recebe o 1.° de Maio de Queliamane, sendo que vários jogadores “canarinhos” (reforços vindos dos quelimanenses) enfrentarão a sua ex-equipa. De realçar que a segunda jornada reserva um clássico: Desportivo-Costa do Sol.

 

 

O sorteio foi o momento mais alto da gala, que ficou antes marcado pela entrega dos prémios aos jogadores que mais se destacaram no Moçambola-2015. Nesse capítulo Alfredo Chirindza foi o primeiro a subir ao pódio para, das mãos do jornalista Renato Caldeira, receber um cheque de 50 mil meticais referente ao “Árbitro Mais Regular”. A seguir foi a vez de Jonas ser premiado como “Melhor Guarda-Redes”, com apenas 10 golos sofridos em 26 jornadas.

 

Nuro Americano, um dos melhores guarda-redes da história do futebol moçambicano, foi quem entregou o prémio de 100 mil meticais. A mesma quantia foi entregue a Lewis, “Melhor Marcador”, com oito golos. Chababe, um dos maiores artilheiros do futebol nacional, foi quem entregou o cheque.

 

O Ferroviário de Nacala foi agraciado com 50 mil meticais ao ficar com o prémio “fair-play” (equipa melhor comportada).

 

Na senda da premiação o ponto mais alto foi atingido quando o Ferroviário de Maputo recebeu 600 mil meticais, com direito há um momento de pirotecnia. Antes o Costa do Sol, vice-campeão, tinha recebido 150 mil meticais.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:30
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 22 DE Fevereiro 2016

 

NUM jogo aparentemente equilibrado e perante duas equipas supostamente do mesmo nível, isto avaliando a exibição e produção do jogo de ambas as partes, o Estrela Vermelha acabou travando o Desportivo com uma grande penalidade que pode ter sido forçada. Mas a verdade é que Rachid foi estorvado por Ivo, aos 65 minutos, tendo Dino convertido com êxito.

 

O Desportivo marcou primeiro e muito cedo (aos quatro minutos), também através de um lance de bola parada. O veterano Dário Khan (ex-Costa do Sol) fez o que melhor sabe, colocando o esférico no ângulo inferior esquerdo da baliza defendida por Frank.

 

Foi um jogo um pouco frouxo, mas com as duas equipas a tentarem exprimir o seu jogo. Privilegiando jogadas de pé para pé, as duas equipas comportaram-se de igual modo, só que o Estrela era mais preciso nos passes, mas menos objectivo, pois as suas jogadas morriam junto à grande área. Aliás, teve que experimentar a sorte de longe, quando Anselmo atirou, a meio do meio campo adversário, pouco por cima do travessão, aos 8 minutos.

 

O Estrela ainda beneficiou de um livre junto ao vértice direito da grande área. Zequito (ex-Ferroviário de Nacala) atirou para a defesa incompleta de Elton, tendo o “capitão” Kley falhado a baliza na emenda. Depois Yannik cruzou rasteiro para Mauro atirar contra um defesa junto à baliza “alvi-negra”, aos 35 minutos. Neste período, as duas equipas jogavam com boa intenção e com ritmo elevado. Mas, as oportunidades continuaram do lado do Estrela Vermelha. Desta vez foi Dani, que isolado no interior da grande área, atirou para as nuvens.

 

A primeira parte terminou com as duas equipas mais preocupadas em explorar o seu fio de jogo. Na segunda, o Estrela foi mais objectivo e atrevido, mas as oportunidades de golo escassearam. Depois do lance do penálti que ditou o empate, o Estrela teve mais uma oportunidade, mas Rachid, mesmo sem opositor dentro da grande área, atirou para fora.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Paulo Jonas, coadjuvado por Ivo Muiambo e Eugénio António. O quarto árbitro foi Dércio Kefas.

 

DESPORTIVO: Elton; Sidique, Alexandre, Dário Khan e Lucky; Jossias, Malate, Henriques e Quaresma; Joca e Bartolomeu. Jogaram ainda Cândido, Ivo, Milton e Kivas.

 

ESTRELA VERMELHA: Frenk; Kley, Obed, Anselmo e Sissoko; David Debrah, Zequito, Loló e Yannik; Dani e Mauro. Jogaram ainda Allan, Gregório, David Shoko, Dino, Rachid e Mandinho.

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Loló e Allan, ambos do Estrela. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:53
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O MAXAQUENE consolidou a liderança na Taça de Honra com a vitória, sábado, sobre o Costa do Sol por 2-0, em partida da 3.ª jornada e que teve como palco o campo dos “canarinhos”. É a terceira vitória dos “tricolores”, que ainda não sentiram o sabor da derrota desde que a prova arrancou no pretérito sábado.

 

No mesmo dia e recinto, o Desportivo foi travado pelo Estrela Vermelha com empate (1-1), em jogo adiado da primeira ronda.

 

A prova prossegue quarta-feira com a realização de jogos complementares da 3.ª jornada. As atenções estarão viradas ao duelo entre o Desportivo e o Ferroviário, a partir das 16.00 horas, no campo do Costa do Sol. Duas horas antes, o Estrela defrontará, no mesmo campo, a Liga Desportiva.

 

Com este desfecho, o Maxaquene lidera com nove pontos, seguido pelo Costa do Sol (quatro), Liga Desportiva (três), Desportivo, Estrela Vermelha e Ferroviário somam apenas um ponto. 

 

“TRICOLORES” PASSEIAM CLASSE 

 

O Maxaquene voltou a passear classe, desta vez frente ao Costa do Sol, depois de derrotar a Liga Desportiva (2-1) e Estrela Vermelha (2-0). O artilheiro Luckman esteve novamente em evidência abrindo o marcador aos 20 minutos. O ponta-de-lança Isac, que curiosamente fez a dupla de ataque com o nigeriano, fechou a conta aos 52 minutos, para o gáudio dos “tricolores”, que de jogo em jogo vão demonstrando uma certa coesão e entrosamento no seu sistema de jogo.

 

As duas equipas acabaram por satisfazer as expectativas em termos de qualidade de jogos e demonstraram, no terreno, que têm conjunto, o que poderá ser comprovado nos próximos tempos. Pautando por um jogo aberto, explorando, no entanto, toda a largura do terreno. As duas equipas exibiram-se a um nível aceitável e à sua altura, aliás, foi pela boa disposição que encararam o jogo com alguma seriedade, com a luta permanente pela posse de bola, o que resultou em constante alternância ofensiva e excelente circulação de bola de ambas as partes. 

 

Porém, o Maxaquene foi mais objectivo e certeiro na sua estratégia ofensiva, servindo-se também pela capacidade individual de alguns dos seus jogadores, com destaque para Luckman, que deu muito trabalho aos defesas. Manuelito, que actuava pelo flanco esquerdo, assistiu com medida e classe à dupla de ataque. Aliás, os dois golos nasceram dos seus pés. Foi ele que serviu Luckman, com um centro colocado para a grande área, tendo o nigeriano atirado de primeira sem hipóteses de defesa para Jonas.

 

Manuelito, sempre encostado à esquerda do ataque “tricolor”, teve uma excelente visão na prossecução da jogada iniciada no meio campo, colocando a bola em posição privilegiada para Isac dominar, galgar alguns passos e atirar a visar. Jonas tentou defender, mas embateu nele e anichou-se no fundo das malhas.

 

Enquanto isso, o Costa do Sol tinha em Lalá o homem mais adiantado. O médio ofensivo Josimar, que regressou à casa depois do desfecho inglório do Davos de Maquis (a equipa angolana a qual representou nos últimos dois anos caiu para a II Divisão), demonstrou bom estado de forma e galvanizou o ataque “canarinho”, perfurando a zona e abrindo espaços para Lalá (ex-Desportivo) finalizar.

 

Mas, o avançado “canarinho” não teve visão com a baliza. Aliás, não se limitou a apenas isso. Foi ele que chamou atenção a Guirrugo, com um remate para a uma defesa espectacular do guarda-redes, aos 27 minutos da primeira parte. Antes, Lalá atirou cruzado pela direita. Guirrugo fez uma defesa incompleta, tendo Parkim chegado tarde para a emenda. Anulou mais um cruzamento com um salto em voo e bloqueio do esférico antes de deitar-se ao chão.

 

O Maxaquene entrou para a segunda parte mais enérgico, com jogadas progressivas direccionadas ao ataque. Luckman voltou a chamar à atenção de Jonas, mas o tiro frontal saiu pouco por cima do travessão e desviado ligeiramente pela mão do “keeper”, aos 62 minutos. Neste período, o Maxaquene já contava com o extremo Massaua (ex-Ferroviário de Nampula), que fez excelentes subidas pela direita, explorando a sua velocidade. Numa delas, convidou Luckman para a linha de fundo cruzar para Mauro atirar contra a figura de Jonas, aos 68 minutos.

 

A reacção do Costa do Sol encontrou barreiras enquanto a luta no meio campo era mais renhida e as saídas apertadas. Assim, a entrada do lateral direito Mustafá (ex-Liga Desportiva) foi, não só, para estancar o avanço “tricolor” pela esquerda, mas para alimentar o jogo flanqueado. Num dos seus cruzamentos levou a bola para a cabeça de Lalá, que atirou defeituosamente da boca da baliza e desperdiçou outra oportunidade quando, na sequência da atrapalhice defensiva, o esférico chegou aos seus pés. Mas não acertou com a baliza, com Jonas pela frente, aos 89 minutos. A anteceder este lance, Rúben obrigou Guirrugo a uma palmada para canto na transformação de um livre.

 

E, com este desfecho, o jogo terminou para a felicidade dos “tricolores”.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Simões Guambe, auxiliado por Carlos Guambe e Joaquim Sambo. O quarto árbitro foi Raúl Langa.

 

MAXAQUENE: Guirrugo; Butana, Bernardo, Nito e Bruno; Whisky, Manuelito, Dangalira e Mayunda; Luckman e Isac. Jogaram ainda Massaua, Talapa, Mauro, Nelson, Eduardo e Fachy.

 

COSTA DO SOL: Jonas; Manucho, Aguiar, Manuelito e Dito; Chimango; Parkim, Josimar, Rúben e Nelson; Lalá. Jogaram ainda Mustafá, Rodrigues, Onélio e Pai.

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Butana e Manuelito (Maxaquene); Manucho e Manuelito (Costa do Sol).

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:23
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 18 DE Fevereiro 2016

 

A LIGA Desportiva e Costa do Sol estiveram em grande nível na tarde de ontem, ao traduzir em vitórias os seus embates diante do Ferroviário e do Desportivo, respectivamente por 2-0 e 3-1, em partidas da segunda jornada da Taça de Honra, a nível da cidade de Maputo.

 

Mais do que vencer, as duas formações convenceram com um futebol vistoso, o que abre boas perspectivas para a temporada 2016 que se avizinha.

 

EFICÁCIA “MUÇULMANA”

 

A Liga venceu graças a eficácia, num jogo que começou com uma grande penalidade para os “locomotivas” a castigar uma falta à entrada área sobre o capitão Luís, logo aos cinco minutos. Chamado a cobrar, Mambucho chutou o esférico ao lado.

 

Seis minutos volvidos, o Ferroviário voltou a estar perto do golo, num cruzamento de Elísio, com Luís a aparecer sozinho na boca da baliza a desviar a bola ao lado do alvo.

 

A Liga só criou perigo no decurso do minuto 17, quando Sonito numa jogada individual ganhou espaço do meio para a direita, tendo feito um portentoso remate à entrada da área para uma enorme defesa de germano.

 

Os “muçulmanos” encontravam-se com o jogo, começam a carregar, sendo que o Ferroviário via-se sem soluções. O 1-0 para a equipa comandada por Dário Monteiro surgiu à beira do intervalo, por intermédio de Dainho, numa jogada aparentemente inofensiva, na qual a defesa do Ferroviário ficou a dormir.

 

Foi-se ao intervalo, o reatamento arranca com um ataque dos “locomotivas”, com Paulo a rematar para uma defesa apertada de Joaquim. Na resposta, os comandados de Dário  ampliaram o resultado, com Bhéu a aproveitar uma fífia de Germano, para fazer o 2-0.

 

O resultado não mais se alterou, a Liga venceu justamente. Com o triunfo, a Liga passou a somar três pontos, mais dois que o Ferroviário.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:32
 O que é? |  O que é? | favorito

 

No duelo das aves, foi mais forte os “canários”, que impuseram uma vitória de 3-1 ao Desportivo. Depois de um início dominador do Costa do Sol, com jogadas de ataque bem elaboradas, o primeiro golo só surgiu aos 19 minutos, por intermédio de Josimar que correspondeu de melhor forma um passe bem tirado por Lalá.

 

O Desportivo teve a oportunidade de empatar logo a seguir, mas Joca deslumbrou na área quando estava sozinho perante Gervásio, dominando mal o esférico que ficou nas mãos do guardião “canarinho”. À beira do intervalo, Rúben fez o 2-0 de cabeça, na recarga de um remate seu que bateu na trave. No segundo tempo, Lalá ampliou para o 3-0, ao 53 minutos, antes de Orlando aproveitar um franco de Gervásio para reduzir a desvantagem, fixando o resultado final em 3-1.

 

O Costa do Sol passa a somar quatro pontos e o Desportivo ainda não pontuou.

 

FICHA TÉCNICA

 

FERROVIÁRIO: Germano; Calima, Elisio, Timbe, Bill, Paulo, Gito, Mambucho, Carlitos (Sassi), Diogo (Jair) e Luís (Maurício).

 

LIGA: Joaquim; Bhéu, Chico (Norberto), Elias, Eusébio (Osvaldo), Ussama (Hagy), Geraldo, Telinho (Macamo), Dainho (Nando), Andro e Sonito (Liberty).

 

FICHA TÉCNICA

 

DESPORTIVO: Helvêncio; Ivo, Dário, Laque, Orlando, Jossias, Henriques (Iqbal), Sabito (Bartolomeu), Cândido, Malate (Milton) e Joca.

 

COSTA DO SOL: Gervásio, Aguiar, Gerson (Manuelito), Pai (Cosme), Manucho, Nelson (Onélio), Chimango, Rúben (Rodrigues), Josimar (Mustafa), Parkim (Dito) e Lalá.

 

Hoje

 

Campo do Costa do sol

 

15.30 horas - Estrela Vermelha-Maxaquene

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:12
 O que é? |  O que é? | favorito
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO