Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 17 DE Agosto 2015

FERR. maputo costa do sol.gif

 

UM “clássico” que peca pela ausência de golos. Sim senhor! Tivemos uma tarde de futebol de luxo. A qualidade de exibição extrapolou os limites de um jogo de futebol para um espectáculo para o qual os artistas deram o máximo do seu charme, mas pecaram pelo facto de isso não ter passado de uma simples ostentação. Houve muita criatividade e as oportunidades emergiram de ambas as partes. As bancadas “explodiram”, mas não passou disso.

 

Entretanto, o jogo foi caracterizado por uma primeira parte equilibrada e que se resume em dois lances notáveis. Primeiro foi o Costa do Sol que se deu ao luxo de chamar aos “locomotivas” sobre a necessidade de uma maior concentração no eixo da sua defesa, com Chimango a atirar quase a roçar o poste aos 13 minutos. A assistência foi de Jójó.

 

Este lance surgiu numa altura em que as duas equipas procuravam assentar o seu jogo, tendo o Ferroviário dado a indicação de que pretendia fazer mais e melhor entanto que anfitrião, mas a encontrar uma resposta muito eficaz do “canário”. Aliás, o Costa do Sol não teve limitações, jogou com a mesma intensidade que o adversário e assumiu, sendo que a alternância ofensiva manteve-se até Lewis cometer o maior disparate, ao desenhar mal o “chapéu” a César Machava, que saiu em apuros para fechar o ângulo da baliza. Diogo rasgou pela diagonal do lado direito para a metade do terreno do adversário, projectando o esférico para um dos colegas do ataque, tendo este acusado falta de tecnicismo perante o guarda-redes “canarinho”. Estes foram os únicos lances mais notáveis da primeira parte.

 

A segunda parte começa com um Ferroviário mais activo a encurralar logo de início o “canário”, que experimentou muitas dificuldades para sair a jogar. E, fruto disso, os “locomotivas” arrancaram lances de realce. Primeiro na sequência de um livre batido por Jeitoso para uma defesa incompleta de César Machava aos 63 minutos. Depois, de seguida, Jair teve o guarda-redes do Costa do Sol pela frente, mas César Machava saiu-se bem na cobertura do lance e conseguiu fechar o ângulo interceptando a colocação do meio-campista “locomotiva”.

 

Feito isso, Manucho cabeceou pouco desenquadrado com a baliza e foi a seguir a este lance estorvado na tentativa de se desenvencilhar do aperto da defensiva. Ainda conseguiu empurrar o esférico mas César Machava foi à altura de desviar a bola da trajectória da baliza. Aliás, a entrada do artilheiro Manucho na etapa crucial da contenta trouxe mais dinâmica ao jogo ofensivo dos “locomotivas” e, muito batalhador, deu muito trabalho ao “capitão” Dário Khan e Gerson, os “centrais” titularíssimos do “canário”.

 

O Costa do Sol respondeu com um livre mal tirado por Dário Khan aos 78 minutos na sequência de um contra-ataque rápido que culminou com uma falta um pouco à esquerda do ataque “canarinho”. Feito isto, Lineker obrigou Lionel a uma palmada para canto, em salto, aos 83 minutos, numa colocação de mestria fora da grande área. Estas incursões justificavam o renascer do Costa do Sol, que esteve por algum tempo à nora.

 

Mesmo assim o Ferroviário não adormeceu. Esteve próximo do golo, com Manucho a atirar ao lado junto à pequena área, correspondendo à solicitação de Chiza já na caminhada para a final. Nesta fase o Costa do Sol jogava mais em contra-ataque, enquanto o Ferroviário procurava a todo custo chegar ao golo, mas sem sucesso. E desta forma o empate acabou sendo o resultado mais justo perante o equilíbrio, embora o Ferroviário tenha dado mais litro na qualidade de dono de casa.

 

A equipa de arbitragem, liderada por Arlindo Silvano, fez um excelente trabalho, mas bem facilitado pelos protagonistas, que se portaram bem do ponto de vista disciplinar. 

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Arlindo Nuvunga, auxiliado por Ivo Muiambo e Carlos Guambe. O quarto árbitro foi Farisse Chirindza.   

FER. MAPUTO - Lionel; Chiza, Chico, Jeitoso e Edmilson; Timbe, Diogo, Sassi e Jair; Maurício e Lewis.

 

COSTA DO SOL – César Machava; João Mazive, Dário Khan, Gerson e Dito; Manuelito, Mfiki, Chimango e Parkim; Lineker e Jójó.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:07
 O que é? |  O que é? | favorito
Sexta-feira, 08 DE Maio 2015

MOCA.png

 

OS amantes de futebol poderão deliciar-se de mais um prato apetecível, este fim-de-semana, com o duelo entre o Ferroviário e Desportivo, ambos de Maputo, a acontecer domingo , no Estádio da Machava.

 

Fora do embate em si que, pela história, nos reserva momentos aliciantes, o desafio ganha mais interesse pelas contas que ambos apresentam as estas alturas.

 

Os “locomotivas”, no último lugar do pódio, querem recuperar o trono perdido, há semanas, enquanto os “alvi-negros” pretendem sair da zona de despromoção. O Ferroviário consentiu o segundo empate consecutivo, na sua deslocação ao terreno do HCB, e parte para este encontro apostado em regressar às vitórias.

 

Por outro lado, a vitória do Desportivo sobre o Ferroviário de Nacala, no pretérito fim-de-semana, curiosamente na estreia do novo timoneiro, Dário Monteiro, um dos filhos da casa, que deu força anímica que permitiu os “alvi-negros” imporem-se no mais esperado embate da jornada. 

   

Nas mesmas circunstâncias e curiosamente com os mesmos pontos que o Ferroviário, está o Maxaquene, que amanhã recebe o Chibuto, que luta para melhorar a classificação. Os “tricolores”, travados também com um empate em Nacala, pelo Desportivo local, têm igualmente a liderança na mira e só a vitória pode os catapultar para o topo. Mas, como referimos, os gazenses procuram sair da zona perigosa e estão bem motivados com a recente goleada infringida ao Ferroviário de Quelimane.

 

Preocupada está também a Liga Desportiva de Maputo, actual líder da prova, que vai ao reduto dos “locomotivas” de Quelimane. Os quelimanenses têm oferecido resistência em casa, mas a Liga, que vem duma vitória frente ao Ferroviário de Nampula, não vai poupar esforços com o objectivo de manter-se impune no comando.

 

Inspirado e a espreitar os lugares cimeiros está o Costa do Sol (quarto classificado), que vem de duas vitórias consecutivas, a última diante da ENH. Este combinado recebe o 1º de Maio de Quelimane e o factor casa pode novamente abrir espaço para a concretização dos seus objectivos. Mas deve estar precavido, pois terá pela frente uma equipa atrevida e que joga de forma destemida. Esta travou dois colossos nas duas últimas jornadas, nomeadamente os Ferroviários de Maputo e da Beira.

 

Igualado ao Costa do Sol, está o Desportivo de Nacala, que também já sonha com o pódio. E o duelo com o conterrâneo Ferroviário pode ser decisivo. Mas a rivalidade entre ambos pode limitar as aspirações dos “canarinhos”, razão pela qual se tratar de um duelo com um desfecho imprevisível.

 

A nona jornada tem mais um embate extremamente atractivo. O Ferroviário da Beira recebe o HCB apostado em quebrar a crise de resultados que enfrenta e que culminaram com o afastamento da equipa técnica liderada por Lucas Barrarijo. O “lanterna vermelha”, o Ferroviário da Beira, terá pela frente um HCB com objectivos supremos e que procura igualmente acertar o passo.

 

Por último, a ENH recebe o Ferroviário de Nampula para mais uma missão espinhosa nos seus esforços para sair da cauda. O factor casa pode não ser determinante para a turma de Vilankulo perante uma equipa que leva vantagem pela experiência e qualidade de jogadores que possui.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:12
 O que é? |  O que é? | favorito
Quarta-feira, 01 DE Abril 2015

REINILDO.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SIM, a vitória dos “locomotivas” do Chiveve sobre o Maxaquene, na tarde de ontem, no Estádio da Machava, é simplesmente penalizadora para a turma “tricolor” que, pelo menos, merecia um empate por aquilo que fez ao longo dos 90 minutos.

 

Aliás, este embate foi equilibrado a todos os níveis: em número de ataques, de jogadas de golo iminente e também em passes certeiros até nas defesas proporcionadas pelos guarda-redes. Nenhuma das duas equipas pode reivindicar o domínio do jogo.

 

O jogo começou a um ritmo lento, com as duas equipas a procurarem explorar as fragilidades mútuas. Havia muita disputa de bola nas alas, e pouca no centro do terreno, daí que os laterais e extremos tenham desempenhado um papel importante nos planos defensivo e ofensivo.

 

O Maxaquene tinha um Moniz endiabrado na direita, a solicitar amiúde os seus companheiros mais adiantados, Isac e Luckman, tudo com o apoio de Wisky e Rachid. Já os “locomotivas” tinham os irrequietos Nelito e Gildo no lado direito do ataque, e, na esquerda, Reinildo, com uma grande colaboração do capitão Maninho, que por sua vez era alimentado por Paíto e Fabrice.

 

O desafio estava animado, até porque tinha tudo para tal. O Maxaquene, com o seu futebol directo, ganhou a bola no meio-campo e, a partir desta zona, Isac, isolado, galgou terreno até á meia-lua, onde ao invés de assistir a Rachid optou por um remate para a figura de Bruno.

 

Instantes depois o Ferroviário dá réplica, com Nelito, num bom pormenor técnico na direita, serve a Fabrice de “bandeja”, mas este, na zona frontal, atira para as nuvens.

 

Aos 37 minutos, Luckman chegou atrasado para responder ao centro de Moniz. Pouco antes do intervalo, há um canto que é cobrado de forma curta para os “locomotivas”, Nelito combina com Gildo que rematou forte tendo o esférico saído caprichosamente por cima.

 

Foi-se ao intervalo com o nulo. No segundo tempo, o equilíbrio continuou, num jogo bastante viril sobretudo na etapa inicial. O primeiro grande momento surge aos 59 minutos, quando Moniz desferiu um portentoso remate do vértice da grande área que é devolvido pela barra.

 

Na resposta, Reinildo apareceu isolado perante Simplex, atirando directamente para as mãos do guardião malawiano do Maxaquene

 

O golo surgiu aos 74 minutos, quando Dayo, acabado de entrar, surge livre de marcação na área para responder a um cruzamento bem tirado pelo “capitão” Maninho. Simplex estava desamparado e nada pode fazer para evitar aquele que seria o único remate certeiro do encontro.

 

O Maxaquene foi atrás do prejuízo, mas foi o Ferroviário da Beira que quase dilatava o “scorepor Maninho, que, com tudo para visar com êxito a baliza tricolor”, viu o seu remate ao lado, com Simplex praticamente batido.

 

Samuel Chirindza teve um desempenho razoável. Devia ter ajuizado algumas faltas que deixou passar e num dos lances apitou uma falta a favor do Ferroviário quando podia deixar a jogada seguir no contexto da lei de vantagem.

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:32
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 23 DE Março 2015

Fer. Maputo-Maxaquene                                           (0-2)

Desp. Maputo-Desp. Nacala                                     (0-2)

Fer. Beira-Fer. Quelimane                                         (1-0)

Costa do Sol-Fer. Nampula                                       (1-0)

1º Maio-Liga Desportiva                                           (0-1)

HCB-Chibuto                                                            (1-0)

Fer. Nacala-ENH                                                       (2-1)

 

                                                J          V         E         D         B         P

1º DESP. NACALA                   2          2          0         0          3-0       6

2º Maxaquene                        2          2          0          0          3-0       6

3.° Costa do Sol                     2          1          1          0          1-0       4

4° Liga                                   2          1          1          0          1-0       4

5° Fer. Nampula                     2          1          0          1          2-1       3

6.° Fer. Nacala                       2          1          0          1          2-2       3

7.° HCB                                 2          1          0          1          1-1       3

8.º Desportivo                       2          1          0          1          1-2       3

9.° Fer. Beira                          2          1          0          1          1-2       3

10º Fer. Maputo                     2          1          0          1          1-2       3

11.° Chibuto                          2          0          1          1          0-1       1

12.° 1.° de Maio                     2          0          1          1          0-1       1

13.° Fer. Quelimane               2          0          0          2          0-2       0

14.° ENH                               2          0          0          2          1-3       0

 

PRÓXIMA JORNADA:Maxaquene-Fer. Beira; Liga-HCB; Fer. Nacala-Fer. Maputo; Chibuto-Desportivo; Fer. Quelimane-Costa do Sol; Fer. Nampula-1º Maio Quelimane; ENH-Desportivo de Nacala.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

publicado por Vaxko Zakarias às 10:43
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 02 DE Março 2015

MAKDA.png

 

FOI um sorteio puro. Podíamos calhar com qualquer um dos 13 adversários, o futebol é assim. Encontrámo-nos logo na primeira jornada com o Costa do Sol, que é um gigante do futebol moçambicano, e de peito aberto enfrentaremos este adversário dentro do campo como um qualquer.

 

Esperamos entrar com o pé direito. É nossa esperança também revalidar o título. A Liga em cinco anos foi quatro vezes campeã nacional. O objectivo da Liga, onde entra, é sempre vencer, mesmo sabendo que há muitas equipas que irão lutar por este título.

 

Tenho de agradecer ao Standard Bank (o maior patrocinador do Moçambola) por este cheque gigante de 600 mil meticais. Dizer que é um valor que será devidamente aplicado e fará diferença para nós’’.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:43
 O que é? |  O que é? | favorito

PASCOA.png

 

ESTE ano o Ferroviário da Beira espera ganhar o título. Este é um objectivo bem claro. Vamos lutar, entramos sempre para ganhar. É óbvio que neste querer há muitos outros, mas o Ferroviário vai fazer de tudo para ganhar este campeonato.

 

O sorteio agrada-nos, na primeira ronda temos o Ferroviário de Nampula, depois vamos jogar com o de Quelimane, enfim, vamos esperar para ver o que dá. Todavia, tenho a lamentar as condições de hospedagem das equipas das províncias na cidade de Maputo, pois a Vila Olímpica do Zimpeto tem muito que ser melhorada.

 

As equipas de Maputo quando vão às províncias são bem acomodadas. Aqui temos o Zimpeto, que não reúne melhores condições para alojar atletas. Tem problemas de água, ar condicionado, televisão, coisas que são básicas para acolher os praticantes do desporto”.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:40
 O que é? |  O que é? | favorito

PEDRO.png

 

‘’O SORTEIO é sempre sorteio. Quem calha com um determinado adversário tem de jogar. Não há que dizer que é bom ou é mau. É sempre bom porque na verdade vamos jogar no sistema de todos-contra-todos.

 

Nesta edição terão um adversário de sempre, que lutou para ganhar. Queremos lutar pelos lugares cimeiros, se for para ganhar o título, melhor para nós, num ano em que poderemos jogar no nosso campo em Bobole”.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:22
 O que é? |  O que é? | favorito

MUNIR.png

 

AUGURAMOS continuar nesta prova em 2016, neste caso temos de conseguir a manutenção. Não é fácil, há muitas equipas com o mesmo propósito. Teremos de trabalhar muito. O sorteio, penso que que nos beneficiou, pois começamos em casa. É um passo para nós. Vamos fazer tudo que for possível para conseguir os primeiros três pontos logo nesta partida caseira com HCB”.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:19
 O que é? |  O que é? | favorito

RAUL.png

 

OS representantes das equipas que tomarão parte do Moçambola-2015 ficaram muito satisfeitos com o sorteio que teve lugar na noite de sexta-feira em Maputo, numa Gala colorida e cheia de glamour.

Os delegados são de opinião que numa prova de regularidade como o Moçambola não há escolhas, pois se joga no sistema de todos-contra-todos, ou seja, qualquer adversário pode calhar, quer no início, no meio ou no fim da competição.

 

Os que jogam em casa na primeira jornada afirmam que é um privilégio, atendendo e considerando que há fortes possibilidades de somar os primeiros três pontos, o que seria motivação extra para o resto do campeonato. Recorde-se que o sorteio ditou Liga Desportiva-Costa do Sol como o jogo grande da primeira jornada, sendo que a cerimónia da abertura terá lugar em Vilankulo, onde o Desportivo de Maputo vai apadrinhar a estreia da ENH.

 

É IMPORTANTE COMEÇAR BEM - JOÃO RAÚL, COSTA DO SOL

NESTE tipo de provas de regularidade é importante começar bem. E começar bem é ganhar. Vamos jogar com o campeão nacional em título, que por esse estatuto teve de participar em provas internacionais, o que quer dizer que se preparou mais do que nós na pré-época. Mas o futebol não tem lógica, tudo pode acontecer. Só pelo facto de sabermos que jogamos com o campeão em termos anímicos e com a aspiração de querer começar bem, penso que osorteio nos calhou á contento. Este ano a nossa meta é aparecer com uma equipa jovem, renovada, mas com a meta de lutar pelo título. Aliás, somos crónicos candidatos à conquista do Moçambola’’.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:11
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 26 DE Janeiro 2015

 

 

TODOS os clubes que participarão na edição-2015 do Campeonato Nacional de futebol, Moçambola-2015, já estão a trabalhar tendo em vista a sua presença na maior e mais importante competição futebolística nacional.

 

Ao todo são 14 clubes que participarão nesta competição, a saber: Liga Desportiva, por sinal campeã em título; Ferroviário de Nampula (vice), Ferroviário da Beira, Desportivo de Maputo, HCB, Maxaquene, Chibuto, Costa do Sol, Desportivo de Nacala, Ferroviário de Quelimane, Ferroviário de Maputo, Ferroviário de Nacala, 1.º Maio de Quelimane e ENH de Inhambane, estes três últimos recém-promovidos.

 

São estas formações que irão lutar pelo título e pela manutenção na prova máxima do nosso futebol, que a cada ano tende a ser mais emotiva.

 

 

O Ferroviário da Beira foi o primeiro a abrir as “oficinas”, tendo-se apresentado aos sócios e simpatizantes a 7 do mês em curso. Depois disso começou a trabalhar em Chiveve e, a seguir, rumou à África do Sul, onde se encontra até hoje, em estágio pré-competitivo.

 

 

 

 

Há razões para a abertura madrugadora das “oficinas” do clube de Chiveve. Os “locomotivas” participam nas Afrotaças nos meados do próximo mês e no dia 8 de Fevereiro disputam a Supertaça com a Liga Desportiva, no Estádio da Machava.

 

Os beirenses mantiveram quase toda a equipa do ano passado e fizeram poucas contratações para a nova época, o que confere maior coesão do grupo.

 

O segundo a abrir as oficinas foi a Liga Desportiva, campeã nacional. Tudo aconteceu no dia 9. Há muitas caras novas no seio dos “muçulmanos”, entre nacionais e estrangeiros, onde se destacam um argentino e um paraguaio. Salienta-se ainda o regresso de Litos ao comando técnico.

 

Os motivos da abertura prematura são os mesmos que os do Ferroviário da Beira: Supertaça e Afrotaças.

 

O terceiro foi o Maxaquene, a 12 deste mês. Os “tricolores”, que voltaram a confiar em Chiquinho Conde, estão a iniciar os trabalhos. Cerca de 30 jogadores tentam a sua sorte no plantel. Alguns fizeram parte da equipa no ano passado e outros são novatos e regressados. A palavra de ordem é lutar pelo título.

 

O recém-promovido ENH de Inhambane foi quem se seguiu, tendo voltado a apostar em Eurico da Conceição como técnico, para além de ter contratado muitos dispensados do Maxaquene e outras equipas da capital do país.

 

A equipa-base do ano passado não sofreu muitas alterações pelo que o representante de Inhambane terá algo a dizer no Moçambola.

 

Neste momento, os “hidrocarbonetos” estão de viagem para a África do Sul depois de terem estado em Maputo, por cinco dias, onde fizeram alguns jogos de controlo com o Desportivo e Maxaquene, no fim-de-semana.

 

 

Seguiu-se o Ferroviário de Nampula, no dia 14. Também há muitas caras novas à disposição do português Rogério Gonçalves. A palavra de ordem é, no mínimo, conservar o segundo lugar, sendo que o título é prioritário.

 

O seu homónimo de Nacala, que ascendeu este ano para a prova-mor do futebol nacional, foi o seguinte. O seu técnico é o jovem Sérgio Faife, talvez a maior estrela da equipa e, acima de tudo, o grande reforço. Não foi por acaso que foi recebido como herói na cidade portuária, tendo confessado que nunca tinha imaginado uma recepção idêntica na sua vida.

 

Com toda a razão, Faife teve uma recepção calorosa, milhares de adeptos encheram as bancadas do campo do Ferroviário de Nacala, depois de o terem esperado por longas horas no aeroporto, para o receber, num gesto que fica indelevelmente marcado na memória de qualquer que seja.

 

Garantir a manutenção o mais cedo possível é o que a direcção “locomotiva” pede ao antigo internacional moçambicano.

 

Pouco antes, o Ferroviário e o 1.º Maio, ambos de Quelimane, haviam começado com os trabalhos. O 1.º Maio tem como técnico Zulu, muito conhecido nas bandas de Quelimane, e promete não descer de divisão. Sem muitos recursos humanos (jogadores) e muito menos financeiros, esta formação acredita que o trabalho supera todo tipo de dificuldades.

 

No segundo ano consecutivo no Moçambola, o Ferroviário de Quelimane continua com Nacir Armando e promete ter a permanência garantida muito mais cedo que no ano passado que teve de ir até as últimas consequências.

 

O Costa do Sol e o Desportivo de Maputo começaram a trabalhar na segunda-feira da semana passada. Ambos têm muitas caras novas, com alguns regressados à mistura, sobretudo, nos “alvi-negros”.

 

As duas colectividades elegem o título como alvo para 2015. O Costa do Sol não vence desde 2007 e o Desportivo desde 2006. O facto curioso é que ambos fizeram a “dobradinha” no último ano em que conseguiram ganhar o Moçambola.

 

A HCB abriu as “oficinas” na terça-feira, com a equipa a ser comandada pelo conhecido e mediático treinador Artur Semedo. Os “hidroeléctricos” querem o título, mas sabem que não será fácil. No mercado contrataram alguns jogadores interessantes, mas perderam muitas das suas pedras basilares para outros clubes.

 

No lote dos grandes, o último a se mostrar publicamente foi o Ferroviário de Maputo. Com muitos reforços, doze ao todo, os “locomotivas” querem fazer do Moçambola-2015 uma vingança da edição passada no qual só conseguiram a manutenção por um triz.

 

Tudo aconteceu na manhã da última terça-feira, e confirmou-se a continuidade de Vítor Pontes como técnico, não obstante o fracasso de 2014. No seio dos “locomotivas” só se fala do título.

 

O Desportivo de Nacala foi o último a abrir as “oficinas”, tendo o feito na quarta-feira, com a equipa sob o comando de Arnaldo Ouana. O antigo ponta-de-lança tem a missão de, no mínimo, repetir a classificação conseguida no ano passado sob as ordens do contestado Akil Marcelino.

 

Aliás, Arnaldo Ouana não terá outra saída perante os exigentes adeptos dos “canarinhos” de Nacala que não toleram maus resultados.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:51
 O que é? |  O que é? | favorito
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO