Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 03 DE Agosto 2017

 

Elton Ubisse, que na última época esteve ao serviço de Ferroviário de Maputo, foi determinante na noite de hoje, para que o Ferroviário da Beira erguesse o troféu nacional, duas épocas depois. No quinto jogo do "play-off" da final,  os  "locomotivas" do Chiveve venceram por 69-58, depois de uma derrota ontem, segunda-feira, que igualara a eliminatória.

 

Com 27 pontos, Ubisse foi o "cestinha" de uma partida em que a sua equipa esteve sempre em vantagem: (15-18), (28-30), (36-56), (58-69).

 

Canivete foi quem abriu as hostilidades, com dois lançamentos livres (0-2). O Ferroviário de Maputo cometeu dois "turnovers" e cedeu um afundanço de Canivete (2-4). Milagre mandou parar o jogo. Os campeões nacionais continuavam com dificuldades e viram Nurmamade a lançar uma "bomba" (2-7).

 

Com a entrada de Baggio, os campeões nacionais reduziram significativamente (10-13). Mas foi o Ferroviário da Beira a vencer o primeiro período (15-18), numa primeira etapa em que Elton Ubisse foi bastante eficaz, assinalando quatro dos cinco lançamentos consecutivos à média distância.

 

No segundo período, houve mais disputa e rotação, mas sem lançamentos convertidos. Ainda assim, o Ferroviário de Maputo conseguiu passar para a frente, com um triplo de Álvaro Maso (20-18), à entrada da metade do período. Contudo, pela primeira vez, o encontro esteve empatado (28-28), por meio de um triplo de Elvas "Stam" Honwana, faltando dois minutos e 29 segundos para o intervalo. Ivan Machava depois deu vantagem à sua equipa (28-30). E foi assim que as duas formações foram ao intervalo.

 

 

O terceiro período começa mesmo com um triplo "limpinho" de Stam (28-33). Os "locomotivas" do Chiveve criaram rapidamente a maior diferença pontual do jogo, até aquele momento (28-41). O público ficou eufórico. Não se imaginaria que a vantagem pudesse chegar aos 16 pontos (29-44). E pode ser naquele instante que o jogo ficou definido.

 

Com um público insuportável, o Ferroviário de Maputo não conseguia fazer o seu jogo. Milagre Macome chegou a tirar Custódio Muchate, para a entrada de Carlos Chirindza, que se estreava neste "play-off" da final, mas os anfitriões não desaceleraram (28-48). Elton Ubisse esteve mais uma vez inspirado e puxou a sua equipa a terminar o terceiro período com uma confortável vantagem de 20 pontos (36-56). Nurmamade era um desequilibrador sem oposição à altura.

 

Só havia 10 minutos para o Ferroviário de Maputo tentar buscar os 20 pontos e revalidar o título, daí que defendeu a todo campo, desde o início da última etapa. Nasir Salé viu os seus pupilos ansiosos em resolver o encontro e pediu um desconto de tempo, quando ainda tinha sete minutos e 17 segundos pela frente. Mas o Ferroviário de Maputo reduzira para 15 pontos (41-56). Alguma tensão tomou conta do pavilhão.

 

A pressão alta dos "locomotivas" da capital estava a surtir efeito (43-56). O jogo entrou para uma fase bastante emocionante. Com três minutos e 36 segundos (51-62). O marcador oscilava, mas com uma clara aproximação do Ferroviário de Maputo (56-62), a dois minutos e 37 segundos. Nasir Salé não se fez de rogado e pediu um desconto de tempo. Os seus pupilos perceberam o que ele pretendia e conseguiram 10 pontos de vantagem (56-66) a um minuto e 29 segundos do título.

 

No pavilhão já se cantava vitória e ninguém conseguia permanecer sentado. "Ferro, Ferro, Ferro..." é o que se ouvia na nova catedral. Custódio Muchate é desqualificado a um minuto e oito segundos do fim. Loucura no pavilhão. Stam ainda fez dois lançamentos livres com sucesso. Com 15 segundos para o fim (59-69) os técnicos abraçaram-se, numa clara demonstração de "fair-play", confirmando uma clara vitória (58-69) dos anfitriões.

 

Sem os lesionados Pio Matos e o espanhol Sérgio, o Ferroviário de Maputo teve que se contentar com os 100 mil meticais, troféu e medalhas, bem como os títulos de Melhor Marcador e Melhor Triplista de Álvaro Maso.

 

Na qualidade de campeão, o Ferroviário da Beira ficou com 200 mil meticais. Os seus atletas, Ismael Nurmamade e Octávio Magoliço, foram MVP e Melhor Ressaltador, respectivamente.

 

Deanof Potompuanha/António Gombe

 

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 10:19
 O que é? |  O que é? | favorito
Quarta-feira, 02 DE Agosto 2017

 

O FERROVIÁRIO da Beira conquistou ontem à noite o título de campeão nacional de basquetebol em seniores masculinos ao vencer o seu homónimo de Maputo por 69-58 na quinta e última partida do “play off” de atribuição do título da liga moçambicana da modalidade que decorriam na capital de Sofala.

 

Com o seu pavilhão completamente cheio a apoiar o clube da casa, o Ferroviário da Beira entrou bem para o jogo, vencendo o primeiro período por 18-15. Mas perdeu o segundo por 12-13. Ainda assim, chegou ao intervalo a vencer por dois pontos, 30-28.

 

No terceiro período, os donos da casa foram “demolidores”, ganhando por 26-8, mas no quarto e último os visitantes reagiram vencendo por 22-13 ainda assim os pontos marcados no terceiro acabaram fazendo a diferença a favor dos da casa, o que os levou à vitória final por 69-58.

 

No final do desafio, os novos campeões nacionais, que assim destronam o seu adversário de ontem, receberam, através de André Velasco e Armando Baptista, a taça respectiva das mãos de António Gonçalves, representante de uma das empresas patrocinadoras do evento.

 

Além desta taça, os novos campeões nacionais viram dois dos seus atletas distinguidos, nomeadamente Ismael Nurmamad, melhor jogador, e Octávio Magoliço, melhor ressaltador.

 

O espanhol Álvaro Maso, do Ferroviário de Maputo, ficou com dois troféus individuais, o de melhor marcador e melhor triplista.

 

Foram igualmente distribuídas medalhas aos atletas das duas equipas num ambiente de muita festa no renovado Pavilhão do Ferroviário da Beira, que desta forma teve uma “inauguração” auspiciosa com o triunfo da equipa da casa.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:16
 O que é? |  O que é? | favorito

 

«Esta vitória é merecida. Do nosso grupo de trabalho, especialmente dos jogadores, que muito fizeram para conquistar este título, ao staff técnico e à direcção.

 

 Queremos dedicar esta vitória à nossa província, a este público, que bem merece, que nos apoiou e às nossas famílias. Como havia dito, o importante é como começamos e não como terminamos. O que contou para este título foi muito trabalho e coesão do grupo»Nasir Salé, treinador do Ferroviário da Beira. 

 

Deanof Potompuanha/António Gombe

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 12:04
 O que é? |  O que é? | favorito

 

«Sabíamos que íamos encontrar um ambiente muito difícil. Fizemos o nosso trabalho, mas também o público da Beira é extremamente forte. 

 

O Ferroviário da Beira esteve bem, e temos que dar os parabéns», Milagre Macome, treinador do Ferroviário de Maputo.

 

Deanof Potompuanha/António Gombe

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 12:00
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 07 DE Julho 2015

FESTA.jpg

 

O TREINADOR e os jogadores do Desportivo, que se sagraram campeões nacionais de basquetebol, sexta-feira, após vitória por 69-50 sobre o Ferroviário, apontam o trabalho árduo e a perseverança como tendo sido os segredos do sucesso, numa competição que tem sido dominada pelo Maxaquene e Ferroviários de Maputo e da Beira nos últimos anos.

 

Os atletas dividem louros com o técnico Bernardo Matsimbe, que para eles foi o grande obreiro da conquista. O Desportivo venceu três dos quatro jogos da final do “play-off’’, a melhor de cinco embates, contra um do seu adversário.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:48
 O que é? |  O que é? | favorito

TREINADOR-inn.jpg

 

QUERIA antes de tudo dedicar esta vitória a uma pessoa muito especial para mim, que é o meu mestre Nazir Salé. Foi a pessoa que me levou ao basquetebol, ensinou-me cada passo da modalidade. Hoje, se falo de basquetebol, é por causa dele.

 

Aprendi muito e continuo a aprender com ele. Sinto que ainda não tenho muitos conhecimentos da modalidade. Queria dedicar este título, por outro lado, à minha família e à Direcção do clube, que me confiou esta dura batalha, aos jogadores, que acreditaram que eram capazes, aceitaram trabalhar e colaborar comigo. Colocaram em mente que com o trabalho é possível alcançar os resultados desejados. Este foi um campeonato duro, muito competitivo, tenho uma equipa jovem e unida.

 

Trabalho com ela desde o Campeonato da Cidade de Maputo, utilizei os mesmos jogadores desde aquela competição até aqui. De uma forma geral, o trunfo para ganhar o campeonato foi o trabalho e disciplina”, sublinhou.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:43
 O que é? |  O que é? | favorito

JUNIOR-in.jpg

 

FIZEMOS tudo para sairmos vitoriosos desta prova. Tivemos de trabalhar de forma incansável. A nossa alternativa ao trabalho foi o próprio trabalho. O segredo da vitória foi, sem dúvidas, o trabalho.

Fomos atrás do nosso sonho e acabámos tendo sucesso, felizmente. Queria dedicar esta vitória aos meus pais e irmãos, ou seja, à família em geral. Por agora, a emoção é maior. Estou muito satisfeito por ter ganho também dois prémios individuais, o do MVP e de melhor marcador da competição”, realçou.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:39
 O que é? |  O que é? | favorito

 

PAULO-inn.jpg

 

TENHO de, em primeiro lugar, elogiar os meus colegas pelo contributo que me deram para conseguir este título de melhor marcador de triplos. Trabalhámos muito e acreditámos na filosofia do treinador. Saber como atacar e como defender.

 

Deu-nos boas aulas de basquetebol, por isso que nos superámos. Dizia-nos, por exemplo, que se não tivéssemos como correr, devíamos andar, e se não tivéssemos como andar, tínhamos de gatinhar. Foi uma grande lição, que certamente ficará na memória de todos nós.

 

Fizemos a nossa parte e as coisas saíram como queríamos, o lado psicológico foi certamente o mais forte”.

 

Fonte:Jornal Noticias 

publicado por Vaxko Zakarias às 10:33
 O que é? |  O que é? | favorito

NELSON-inn.jpg

 

FOI uma grande prova e, acima de tudo, uma final muito quente, com as duas equipas a jogarem de igual para igual.

 

A nossa vitória é prova de humildade e muito treino. Preparámos cada detalhe para encararmos esta final, que, como puderam testemunhar, foi dura.

 

Agora é levantarmos a cabeça e olharmos para os desafios que se aproximam. Temos competições africanas e para o ano haverá mais provas internas”, observou.

 

Fonte:Jornal Noticias 

publicado por Vaxko Zakarias às 10:30
 O que é? |  O que é? | favorito

SERGIO-inn.jpg

 

FOI muito emocionante ganhar esta prova. Foi um ano muito duro e de muito trabalho, no qual ganhámos para além do “Nacional”, o Campeonato da Cidade de Maputo. O trabalho falou mais alto e com ajuda do novo treinador conseguimos os objectivos, que há muitos anos perseguíamos.

 

O segredo da vitória foi a nossa perseverança. Somos jovens ambiciosos e que demos tudo para a vitória.

 

Temos de dar mérito ao nosso adversário, que tudo fez para sair vitorioso, isso deu mais eco ao espectáculo”.

 

Fonte:Jornal Noticias 

publicado por Vaxko Zakarias às 10:08
 O que é? |  O que é? | favorito
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO