Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 24 DE Setembro 2015

 

O MINISTRO da Juventude e Desportos, Alberto Nkutumula, recebe hoje, pelas 15:00 horas, a delegação moçambicana que participou na XI Edição dos Jogos Africanos, que tiveram lugar em Brazzaville, República do Congo.

 

A cerimónia terá lugar numa das estâncias turísticas da capital do país e contará com a presença de atletas, técnicos, dirigentes das diversas modalidades e dos demais integrantes da comitiva. Refira-se que nesta edição dos Jogos Africanos, Moçambique conquistou seis medalhas, sendo uma de ouro, duas de prata e três de bronze nas seguintes modalidades: Medalha de ouro – Edmilsa Governo (atletismo adaptado); Medalha de prata – Maria Muchavo (atletismo adaptado), Leocádia Manhiça e Joaquina Roque (vólei de praia em femininos) Medalha de bronze – Edson Madeira (judo), Rady Gramane (boxe) e Denise das Dívidas (atletismo adaptado).

 

Apesar de ter conquistado menos medalhas em relação à edição de 2011, que teve lugar em Maputo, Moçambique pode melhorar a 24ª posição de há quatro anos, fruto da medalha de ouro conquistada por Edmilsa Governo.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:48
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 21 DE Setembro 2015

 

É já esta noite que se vai dar o ponto final aos Jogos Africanos Congo-Brazzaville 2015, com a cerimónia habitual de desfile das delegações ainda presentes no evento. Pela maneira como os ensaios foram decorrendo ao longo da semana, tudo indica que será uma cerimónia memorável, com a intervenção do Chefe de Estado congolês, Denis Sassou Nguesso, que certamente irá desejar boa viagem a todos aqui presentes.

 

Muita música, actividades culturais tradicionais e fogo-de-artifício irão colorir a festa da olimpíada africana no majestoso coberto Estádio de Brazzaville, construído para acolher o evento e não só, com capacidade para 60 mil espectadores em três anéis. Moçambique vai estar presente com a delegação que ainda se encontra aqui em Brazzaville, com destaque para alguns atletas medalhados do atletismo adaptado, para além das duas selecções de basquetebol, dirigentes, pessoal de apoio e jornalistas. Contudo, a maior preocupação das delegações é saber em que lugares ficaram na classificação geral, uma vez que a base de dados, onde deviam ter sido lançadas as medalhas de cada país e modalidade, em nenhum momento existiu e muito menos a sala de Imprensa, onde os jornalistas pudessem realizar o seu trabalho sem se acotovelarem com as restantes pessoas que para aqui se deslocaram.

 

Aliás, os jornalistas moçambicanos contactaram ainda ontem a Direcção do Comité Organizador destes jogos (COJA), junto da sua sede, no sentido de obterem dados sobre o posicionamento do país na classificação geral de medalhas, mas não lhes foi satisfeita a sua vontade.

 

Há informações segundo as quais membros do COJA tentam, junto de cada delegação, encontrar dados sobre as medalhas que cada uma conseguiu ao longo das provas. Trata-se de um trabalho aturado que provavelmente levará o seu tempo e algumas delegações correm inclusivamente o risco de deixarem Brazzaville sem saberem em que lugar ficaram.

 

Entretanto, África do Sul, Egipto, Argélia, Tunísia são algumas nações que puxam para si a vitória global dos jogos, mas tudo ainda continua no segredo dos deuses. Destacar que Moçambique conquistou nestes jogos seis medalhas, sendo uma de ouro, três de prata e duas de bronze.

 

SALOMÉ MUGABE LANÇA MUITO CURTO

 

SALOMÉ Mugabe, que chegou a estes jogos depois de uma polémica porque as suas marcas eram muito duvidosas, terminou o lançamento de peso em quarto lugar.

 

A moçambicana só lançou o peso para uma distância de 13,74 metros, longe da polémica marca de 14,46 que a trouxe para Brazzaville, e ainda muito distante da registada pela vencedora, uma camaronesa, com 16,86 metros. Pelo que, nas próximas ocasiões, Moçambique deveria verificar muito bem as marcas dos seus atletas para não passar vergonha neste tipo de eventos.

 

GIL CARVALHO, em Brazzaville

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:13
 O que é? |  O que é? | favorito

 

AS delegações participantes nesta XI edição dos Jogos Africanos deixam Brazzaville bastante frustradas. Os motivos? É que ninguém sabe em que posição ficou no quadro do medalheiro geral e nem onde será a próxima edição desta que é a olimpíada africana. Sinceramente que ninguém estava à espera, depois destes longos dias de sofrimento, sair daqui de Brazzaville sem saber em que lugar ficou na classificação geral e muito menos o vencedor da prova e quem será o anfitrião dos próximos jogos.

 

É deveras frustrante para os chefes das delegações que todos os dias se deslocam à Comissão Organizadora dos Jogos Africanos (COJA) ou contactam a direcção deste organismo para, no mínimo, terem a ideia do seu posicionamento na classificação geral, nem que seja a título provisório.

 

Os jornalistas que acompanham as respectivas comitivas também já não sabem o que enviar para os respectivos órgãos de comunicação social acerca do assunto. Ainda no sábado, no período da manhã, antes da cerimônia de encerramento, à noite, muitos foram dar à sede do COJA à procura de informações. Mas também saíram de lá frustrados e exaltados, inclusivamente a mandarem bocas.

 

Entretanto, um dos membros do COJA, com quem dialogámos, disse-nos, por exemplo, para contabilizarmos as nossas medalhas, metermos nas malas e chegado o dia da viagem seguirmos o nosso caminho de regresso à casa, porque o quadro de medalhas não existe e talvez nem existirá daqui a um ano.

 

Este pronunciamento e tantos outros deixam claro que estes Jogos foram péssimos a nível de organização. A mesma fonte explicou que em nenhum momento foi criado um banco de dados para o lançamento das medalhas que fossem conquistadas ao longo da prova. E que tudo era feito manualmente, e alguns registos se foram perdendo com o tempo. Aliás, essa explicação não nos surpreendeu, uma vez que mesmo as acreditações ocorreram em dois momentos, primeiro manualmente e depois via electrónica.

 

O local de imprensa, com um edifício enorme de três pisos, construído para servir aos jornalistas, nunca chegou a funcionar. As salas em nenhum momento abriram as suas portas e sempre nos disseram que o material electrónico estava a caminho. Pelo que estes Jogos vão ficar na memória de todos que aqui estiveram pelo seu lado negativo na organização e pelo lado positivo nas infra-estruturas de ponta construídas para o efeito.

 

TÍTULOS DE BÁSQUETE PARA ANGOLA E MALI

 

AS selecções de Angola, em masculinos, e do Mali, em femininos, conquistaram, na noite de sexta-feira, o torneio de basquetebol destes Jogos. O Mali, que foi carrasco de Moçambique logo na primeira jornada da fase de grupos, foi paulatinamente dominando a primeira fase ao fim da qual terminou em primeiro lugar.

 

Na segunda fase, o do "mata-mata", ou seja a eliminar, o Mali foi impondo o seu poderio, chegando a final com todo o mérito.

Enquanto a Nigéria, que ta

mbém esteve no grupo de Moçambique na fase preliminar, e saiu vitorioso, foi demonstrando algumas fragilidades na etapa subsequente, vencendo, em algumas vezes, sem convencer, e acabou chegando à final também com algum mérito.

 

Porém, tal como Moçambique, a Nigéria está a renovar a sua equipa, e apareceu com muitas caras jovens e desde já se adivinhavam dificuldades diante do Mali, que tem uma equipa bastante coesa e equilibrada.

 

O Mali, com o apoio do seu público que ocupava maior parte das cadeiras do pavilhão, acabou vencendo com muita naturalidade, por 73-57, depois do 17-10, 30-26 e 51-43 nos três primeiros períodos. Em terceiro lugar, portanto com medalha de bronze, ficaram as angolanas, que bateram o Senegal no encontro de apuramento desta posição.

 

Já em masculinos, Angola entrou demolidora frente ao Egipto. Aproveitando-se da habilidade e técnica dos seus jogadores - excelentes lançadores de triplos - os angolanos foram enchendo o saco ao ponto estarem a ganhar aos seis minutos do primeiro período por 16-0, altura em que os egípcios conseguiram os dois primeiros pontos.

 

O primeiro período terminou com Angola a vencer, por 24-8. Porém, foi a partir do segundo período que os egípcios se impuseram com toda força. Colocaram em campo todos os seus jogadores mais possantes e altos. Bloquearam todas as linhas de passe e de lançamento. Pressionaram em baixo da tabela, tanto na ofensiva, como na defensiva. E daí em diante foram reduzindo a desvantagem até 10 pontos de diferença (39-29) no intervalo.

 

Mas os angolanos reencontraram-se e controlaram os dois últimos períodos, acabando por conquistar o torneio com uma vitória de 10 pontos de vantagem (83-73). Assim, Angola, em masculinos, e Mali, em femininos, saem destes Jogos com ouro no basquetebol. Recorde-se que Moçambique terminou a competição em quinto lugar, em masculinos, e em sexto, em femininos.

 

SENEGAL E GANA DOURADOS NO FUTEBOL

 

O SENEGAL, em masculinos, e o Gana, em femininos, ficaram com o ouro no futebol. Tanto o Senegal como o Gana venceram pelo mesmo "score" de 1-0 nas respectivas finais frente ao Burquina Faso e Camarões, respectivamente.

 

Entretanto, apesar da equipa da casa, em masculinos, ter ficado fora ainda cedo deste torneio, ao perder com o Zimbabwe, por 1-0, o público continuou a acorrer em massa aos campos de jogos.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:39
 O que é? |  O que é? | favorito
Sexta-feira, 18 DE Setembro 2015

 

A atleta Denise das Dividas conquistou na manhã de ontem medalha de prata na final de 400 metros T-13.

 

Denise,que fez 1.01.20minuto atrás duma argelina que fez 59.62segundo, conquistou a sexta medalha para Moçambique depois do ouro de Edmilsa Governo, prata de Maria Muchavo, da dupla de vólei de praia (Dércio/Carlitos), bronze de Edson Madeira e Rady Gramane.

 

Atanásio Zandamela, em Brazzaville

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 11:48
 O que é? |  O que é? | favorito

 

MOÇAMBIQUE conquistou mais uma medalha na manhã de ontem, através da corredora Denise das Dívidas, no atletismo adaptado, que cortou a meta em segundo lugar na prova dos 400 metros, na categoria T13.

 

A moçambicana percorreu a distância em 1.01.20 minutos contra 59.62 segundos de uma argelina que chegou em primeiro lugar.

 

Com esta medalha, o país já soma seis, sendo uma de ouro, três de prata, e duas de bronze.

 

A de ouro foi conseguida pela paraolímpica Edmilsa Governo, nos 200 metros, nos T12. Ainda nos 200 metros (T12), Maria Muchavo, conseguiu prata.

 

A outra medalha de prata, portanto a terceira, foi conseguida pela dupla masculina de vólei de praia, que perdeu na final com Angola.

 

As medalhas de bronze foram amealhadas por Edson Madeira no judo e pela pugilista Rady Gramane.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:07
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O HINO Nacional, finalmente, foi tocado no majestoso Estádio de Brazzaville, enquanto a bandeira subia até ao topo do mastro. Todos ficaram em sentido para render homenagem às atletas paraolímpicos Edmilsa Governo e Maria Muchavo, que conquistaram respectivamente as medalhas de ouro e de prata, e cujas premiações só aconteceram ao princípio da tarde de ontem.

 

Lia-se no rosto das duas atletas a alegria que sentiam naquele momento, e esboçavam um sorriso de quem transmite a mensagem de missão cumprida. Havia razão para muita satisfação, uma vez que foram elas, principalmente a Governo, que carregou o país nas costas ao amealhar a medalha de maior quilate para toda a comitiva moçambicana.

 

GUILDO EM QUARTO NOS 400 METROS

 

GUILDO Azarias terminou em quarto lugar na final dos 400 metros, categoria T13. Correndo na quinta pista, o moçambicano fez a distância em 51.48 segundos, numa prova ganha por um namibiano, com 48.49.

 

Guildo Azarias qualificou-se para esta final em segundo lugar na segunda série com o registo de 51.66 segundos, pelo que melhorou a sua marca na prova de ontem.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:59
 O que é? |  O que é? | favorito

 

PITA Rondão qualificou-se ontem para a final dos 400 metros, na categoria T11. Com o registo de 53.78 segundos, Rondão só foi batido por um queniano que terminou com 53.19, numa prova em que tomaram parte quatro atletas.

 

Enquanto isso, Celso Simbine, na mesma especialidade, mas na série B, ficou em terceiro lugar, portanto fora da final, com 55.15 segundos, contra 51.63 dum namibiano, que chegou em primeiro.

 

GIL CARVALHO, em Brazzaville

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:53
 O que é? |  O que é? | favorito

11933410_291512297709922_2769638263047834501_n.jpg

 

AS selecções nacionais de basquetebol masculino e feminino terminaram o seu torneio em quinto e sexto lugares, respectivamente. Nas classificativas, Moçambique, em masculinos, bateu o Congo, portanto o anfitrião, por 79-69.

 

Recorde-se que os moçambicanos ficaram em terceiro lugar na primeira fase, a de grupos, pelo que não conseguiram qualificar-se para a etapa seguinte, uma vez que seguiam em diante os primeiros dois de cada série.

 

Já em femininos, depois de derrotar a Costa do Marfim na tarde de quarta-feira, por 90-56, Moçambique perdeu ontem com os Camarões, 70-69, e foi relegado ao sexto lugar. Salientar que Moçambique havia perdido com este mesmo Camarões na fase de grupos, por 60-49.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:48
 O que é? |  O que é? | favorito
Quinta-feira, 17 DE Setembro 2015

 

KURT Couto foi a grande decepção no dia de ontem ao ficar em quinto lugar na final dos 400 metros barreiras nos Jogos Africanos Congo-Brazzaville 2015. Couto percorreu a distância em 49.55 segundos, muito longe do vencedor, um argelino, que cortou a meta com o registo de 48.67.

 

Aliás, os argelinos foram os carrascos do moçambicano, pois o segundo lugar também ficou na posse dum argelino com 49.27. Em terceiro e quarto posicionaram-se um tunisino e um queniano, com 49.32 e 49.43 segundos, respectivamente.

 

Para um atleta que chegou em Brazzaville proveniente dos Campeonatos do Mundo, em Beijing, China, e com os mínimos de presença dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro do próximo ano garantidos, se esperava mais dele, que inclusivamente entrou para esta competição com o melhor tempo em relação a todos os seus adversários.

 

Pelo que Kurt couto acabou, mais uma vez, por decepcionar a todos os seus fãs, uma vez que era, para além dos paraolímpicos, o atleta de quem se esperava uma medalha.

 

Kurt Couto decepcionou na final dos 400 metros barreiras, sua especialidade de eleição

 

MAMBA ÚLTIMO NA FINAL DOS 800 METROS

 

 

ALBERTO Mamba foi último classificado na final dos 800 metros realizada na noite de ontem. O corredor moçambicano não resistiu à velocidade dos seus adversários, que começaram a acelerar à entrada dos 100 metros.

 

Aliás, estas provas de meio-fundo já começam a tornar-se de velocidade. Pelo que é necessário que os nossos atletas também se adaptem a esta nova realidade. Até porque a prova foi ganha por um corredor da zona, mais precisamente do Botswana.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:19
 O que é? |  O que é? | favorito

 

A SELECÇÃO Nacional de basquetebol feminino foi na noite de terça-feira afastada dos lugares que dão acesso ao pódio, ao perder com o Senegal, por 46-65. Depois de ter ficado em quarto lugar no grupo A, atrás da Nigéria, Mali e Camarões, Moçambique cruzou-se, nos quartos-de-final, com o Senegal, primeiro do grupo B, tendo ficado logo em terra.

 

A derrota das moçambicanas, a avaliar pela sua prestação na primeira fase do torneio, já era previsível, uma vez que defrontava uma poderosa selecção, que inclusivamente tinha relegado Angola para o segundo lugar, outra candidata à medalha de ouro.

 

Mesmo melhorando paulatinamente a sua prestação, Moçambique não teve pernas para acompanhar a velocidade das senegalesas, perdendo no primeiro período, por 15-20, e no segundo, por 29-35. O jogo ganhou mais ritmo nos dois últimos períodos, mas Moçambique não conseguiu impor-se e acabou superado, por 37-46, no terceiro período, e por 46-65, no final.

 

Moçambique ainda vai disputar um jogo das classificativas que vai ditar o seu lugar na tabela. Entretanto, estes resultados já começam a preocupar a todos os amantes do basquetebol nacional, uma vez que é esta mesma selecção que vai disputar, este mês, com os mesmos adversários, o Campeonato Africano (Afrobasket) nos Camarões.

 

Selecção feminina de basquetebol não resistiu perante as senegalesas 

 

MABASSO ELIMINADO

 

 

EDUARDO Mabasso foi ontem eliminado do torneio do taekwondo na divisão de menos de 80 kgs. O moçambicano não resistiu ao ataque dum atleta da República Centro Africana, com quem perdeu por 5-8. Entretanto, hoje entram em prova os irmãos Muianga, Ernesto e Frederico, nos menos de 54 e 58 kgs, respectivamente.

 

GIL CARVALHO, em Brazzaville

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

publicado por Vaxko Zakarias às 09:11
 O que é? |  O que é? | favorito
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
17
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO