Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quarta-feira, 26 DE Outubro 2016

 

PASSAVAM precisamente 30 minutos depois da 1.00 hora da madrugada desta terça-feira quando a aeronave que trazia de regresso à casa os novos campeões nacionais de futebol aterrou no Aeroporto Internacional da Beira, onde uma imensa multidão os aguardava desde as 18/19 horas do dia anterior.

 

O estado do tempo na cidade de Maputo, em particular, e em outros pontos da região sul era a explicação sobre o atraso do avião da companhia de bandeira.

 

Foi assim que a hora da chegada da equipa passou por algumas indefinições, até que ficou assente que seria à meia-noite. Mas isso voltou a não acontecer. Mesmo assim, tal estava longe de poder demover os dirigentes, sócios e simpatizantes, que continuavam a aguardar religiosamente pelos novos heróis do Chiveve.

 

 

A espera já ia bem longa quando foi amainada com a chegada da governadora Helena Taipo. Mesmo assim, ainda passaram bons minutos até que o aparelho trazendo os jogadores do Ferroviário da Beira “bateu” na pista do aeroporto. Era 1.30 hora, mais coisa menos coisa.

 

Aí foi a apoteose. Os atletas desceram do avião e percorreram alguns metros até ao local onde os esperavam a governadora de Sofala, Maria Helena Taipo e esposo; o membro da Comissão Política de assistência a Sofala, Eneas Comiche; o primeiro-secretário da Frelimo em Sofala, Paulo Majacunene; o administrador da Beira, João Oliveira; o representante do presidente do Conselho Municipal da Beira, o vereador Jose Manuel; e outros dirigentes a vários níveis.

 

Mas como o momento era efectivamente de festa, o protocolo foi quebrado. O grosso dos jovens entusiastas presentes não esperou, por isso juntando-se aos atletas para os cumprimentar, abraçar, beijar e levá-los ao colo, como foi com Moniz, o autor do golo no Songo.

 

A muito custo, o protocolo oficial foi sendo cumprido, com a governadora de Sofala a dirigir algumas palavras de muito apreço pelo feito aos jogadores, até à saída do recinto aeroportuário onde os cumprimentou um a um.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:46
 O que é? |  O que é? | favorito
Terça-feira, 25 DE Outubro 2016

Ano

 

Campeão

Vice

1975

não realizado

1976


Textáfrica


Desportivo

1977


Desportivode Maputo


Textáfrica

1978


Desportivode Maputo


Costa do Sol

1979


Costa do Sol


Maxaquene

1980


Costa do Sol


Textáfrica

1981


Têxtil do Púnguè


Ferroviáriode Maputo

1982


Ferroviáriode Maputo

 

1983


Desportivode Maputo

 

1984


Maxaquene


Desportivo

1985


Maxaquene

 

1986


Maxaquene

 

1987


Matchedje


Maxaquene

1988


Desportivo

 

1989


Ferroviáriode Maputo


Desportivo

1990


Matchedje


Costa do Sol

1991


Costa do Sol


Ferroviáriode Maputo

1992


Costa do Sol


Ferroviáriode Maputo

1993


Costa do Sol


Ferroviáriode Maputo

1994


Costa do Sol


Maxaquene

1995


Desportivode Maputo

 

1996


Ferroviáriode Maputo

 

1997


Ferroviáriode Maputo


Costa do Sol

1998


Costa do Sol


Ferroviário de Beira

1998-1999


Ferroviáriode Maputo


Costa do Sol

1999-2000


Costa do Sol


Ferroviáriode Maputo

2000-2001


Costa do Sol


Ferroviáriode Maputo

2002


Ferroviáriode Maputo


Maxaquene

2003


Maxaquene


Costa do Sol

2004


Ferroviáriode Nampula


Desportivode Maputo

2005


Ferroviáriode Maputo


Costa do Sol

2006


Desportivode Maputo


Ferroviário

2007


Costa do Sol


Desportivode Maputo

2008


Ferroviáriode Maputo


Atlético Muçulmano

2009


Ferroviáriode Maputo


Desportivode Maputo

2010


Liga Muçulmana


Maxaquene

2011


LigaDesportiva


Maxaquene

2012


Maxaquene


Ferroviário de Beira

2013


LigaDesportiva


Ferroviário de Beira

2014


Liga Desportiva


Ferroviário de Nampula

2015


Ferroviáriode Maputo


Costa do Sol

2016

 

 

       

 

 

 

ELISEU BENTO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:23
 O que é? |  O que é? | favorito

 

COM a conquista do Moçambola-2016 domingo, no Songo, o Ferroviário da Beira tornou-se no décimo clube a entrar no restrito grupo dos campeões nacionais, sendo o segundo de Sofala que chega ao topo, depois do Têxtil de Púnguè, em 1981.

 

O primeiro campeão nacional foi o Textáfrica, em 1976, na altura treinado pelo recém-regressado de Portugal, Mário Coluna. Este foi o único título dos “fabris”. Seguiram-se Desportivo de Maputo (cinco títulos), Costa do Sol (nove), Têxtil de Púnguè (um), Ferroviário de Maputo (10), Maxaquene (cinco), Matchedje (dois), Ferroviário de Nampula (um) e Liga Desportiva de Maputo (quatro).

 

O Ferroviário de Maputo é a equipa mais gloriosa, com um total de 10, o último conseguido no ano passado. O Costa do Sol, com nove, é a segunda mais vencedora.

 

O Ferroviário da Beira é apenas a quarta equipa de fora da capital do país a conseguir atingir esta proeza, depois do Textáfrica, Têxtil de Púnguè e Ferroviário de Nampula. De 1981 até 2016, a província de Sofala teve de esperar 35 anos para ter de novo um campeão.

 

Refira-se que, para conquistar o Moçambola-2016 de forma virtual, os “locomotivas” do Chiveve foram à Songo bater a União Desportiva local por 1-0, no jogo de cartaz da 29.ª jornada.

 

Com o triunfo, o Ferroviário da Beira passou a somar 58 pontos, mais seis que os “hidroelétricos” que tudo tiveram para vencer o troféu, mas uma derrocada de quatro derrotas consecutivas acabou com o sonho.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:20
 O que é? |  O que é? | favorito
Segunda-feira, 24 DE Outubro 2016

 

O FERROVIÁRIO da Beira é o virtual campeão nacional de futebol, proeza conseguida ontem após vitória sobre a União Desportiva do Songo por 1-0, em partida de cartaz da 29.ª jornada, a penúltima do Moçambola.

 

É um inédito título para os “locomotivas” do Chiveve, que a dada altura da prova chegaram a estar longe do canecão, quando os “hidroelétricos” tinham uma significativa vantagem que entretanto começou a ser desfeita na 26.ª ronda pelo Estrela Vermelha de Maputo, que ganhou ao representante do Songo por 1-0, ao que se seguiram mais três desaires pelos mesmos números, diante do Maxaquene, Costa do Sol e ontem Ferroviário Beira.

 

Depois do triunfo, houve uma festa rija por parte dos beirenses no Songo, para onde a direcção do clube levou um comboio cheio de adeptos para apoiarem a equipa, que teve uma exibição segura.

 

O Ferroviário da Beira soma neste momento 58 pontos, mais seis que a UD Songo, a uma jornada do fim da prova. Portanto, a última ronda será de consagração para a turma de Sofala, que recebe a Liga Desportiva de Maputo.

 

Enquanto isso, o 1.º de Maio de Quelimane garantiu a manutenção na prova ao bater o Estrela Vermelha de Maputo por 2-0, naquele que foi o último suspiro pela permanência.

 

Com efeito, o 1.º Maio passou a somar 32 pontos, mais cinco que os “alaranjados”, que desta forma regressam aos “quarteirões”. O Estrela foi a última equipa a descer de divisão, acompanhando os há muito despromovidos Desportivos de Maputo e do Niassa.

 

Entretanto, o Moçambola-2017 terá um ilustre regressado, o Textáfrica de Chimoio, que foi à Beira bater o Sporting por 1-0, no jogo da segunda “mão” da finalíssima da Poule Regional Centro. Os “fabris”’ haviam igualmente ganho há uma semana em Chimoio, por 2-0. O Textáfrica, primeiro campeão nacional, volta ao Moçambola sete anos depois da última aparição.

 

A próxima jornada (última) servirá apenas par o cumprimento do calendário, pois todas as contas já estão arrumadas, desde o título até à manutenção.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:23
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O FERROVIÁRIO da Beira festejou ontem por antecipação e no campo da União Desportiva do Songo a conquista histórica do Campeonato Nacional de Futebol, ao vencer a equipa local por uma bola a zero.

 

Dizemos conquista histórica por ser a primeira vez que tal acontece, ainda por cima a uma jornada do fim da prova, na qual vai defrontar no próximo domingo, na sua consagração, a Liga Desportiva, na Beira.

 

Logo depois do apito final, um minuto depois dos seis de compensação dados pelo árbitro Celso Amaral, foi a explosão de alegria, com os jogadores, equipa técnica, dirigentes e centenas de adeptos que acompanharam a equipa a invadirem o relvado cantando e dançando pela vitória e pela conquista do Moçambola.

 

Na tribuna de honra os dirigentes do Ferroviário, liderados pelo respectivo presidente, Boaventura Mahave, não cabiam em si de contentes, vendo-se envolvidos em inúmeros abraços e palmadas de felicitações de outros dirigentes presentes.

 

A festa “locomotiva” estendeu-se para além das quatro linhas e por algumas das artérias da pacata vila do Songo, perante o desalento dos donos da casa.

 

Do outro lado da bancada era desilusão completa. Artur Semedo e seus colegas da equipa técnica permaneceram no banco muito para além do fim do jogo e quando dentro do estádio já praticamente ninguém estava.

 

Já fora do recinto, e na presença de um forte aparato policial, os adeptos também não arredavam pé, permanecendo incrédulos e provocando mesmo alguma agitação. Ao que tudo indicava queriam pedir contas ao treinador.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:10
 O que é? |  O que é? | favorito

 

A equipa da casa entrou a pressionar e podia ter marcado logo aos seis minutos, quando Soarito saiu em falso e teve que ser Amorim a salvar, numa altura em que todo o banco do Songo já estava de pé, pronto a festejar.

 

A pressão continuou resultando em pelo menos dois pontapés de canto, mas sem qualquer efeito prático, pois a defesa “locomotiva”, superiormente comandada por Cufa, aliviava tudo.

 

A resposta do Ferroviário só viria a surgir aos 11 minutos, quando num contra-ataque Dayo isolou-se, fintou o guarda-redes Swini mas no momento do remate permitiu a intervenção de um contrário.

 

No contra-golpe, Luís, muito policiado neste jogo, quase marcava, mas não teve a destreza necessária para bater Soarito.

 

Aos 29 minutos surgiu o golo do Ferroviário por intermédio de Moniz, que acabara de entrar para o lugar do lesionado Mfiki num lance de contra-ataque.

 

O Songo ressentiu-se disso e acelerou à busca do empate de todas as formas mas a postura defensiva do adversário não permitiu veleidades até ao intervalo.

 

O segundo tempo começou com a equipa da casa novamente ao ataque e à procura, “por terra, ar e mar”, o golo do empate, mas o “patrão” Cufa comandava os seus colegas para este importante triunfo.

 

Aos 76 minutos Tony teve também o golo nos pés, mas desta vez Soarito afastou a bola para canto.

 

O Songo tanto atacou que em determinados momentos desguarneceu a sua baliza e podia ter sofrido o segundo, o que não aconteceu por alguma imperícia dos avançados “locomotivas”.

 

O jogo viria a terminar com a vitória da equipa visitante, que conseguiu manter o resultado mesmo perante os seis minutos de compensação que o árbitro deu.

 

No cômputo geral, diríamos que o Ferroviário ganhou bem este jogo porque soube marcar e defender-se, mas pelo que fez o Songo podia ter conseguido outro resultado, o que não seria de modo algum um escândalo.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Celso Amaral, coadjuvado por Arsénio Marrengula e Lúcio Namarrói

UD SONGO: Swini; Sataca Jr, Mano, Mucuapele, Tony, Tchitcho (Jacob), Kambala, Cremildo, Banda (Lanito), Chereque (Bongane) e Luís.

FER. BEIRA: Soarito; Hagy, Amorim, Cufa, Edson, Dayo, Fabrice, Thomas, Maninho, Mfiki (Moniz e depois Mussa) e Nelito (Ricardo).

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartões amarelos para Soarito, Amorim, Hagy, Fabrice e Thomas, do Ferroviário, e Cambala, da UD Songo

 

ELISEU BENTO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:02
 O que é? |  O que é? | favorito

DOIS golos monumentais e espectaculares apontados na etapa complementar garantiram a manutenção dos “operários” no Moçambola. Aos vinte minutos da segunda parte, num lance de ataque desenvolvido na pequena área, Mamudo abriu o activo, levando ao êxtase os adeptos, que ovacionaram a astúcia com que o autor conseguiu o tento. Jogava-se fulgurantemente de parte-a-parte.

 

Mamudo recepciona o esférico, galga terreno, deixando para trás dois defesas e o terceiro derruba-o, mas teve capacidade para se reerguer e controlar o esférico para depois “fuzilar” para dentro das malhas defendidas por Frank.

 

Já no período de compensação Rasta deu a machadada final, fazendo o dois-a-zero, para o gáudio dos espectadores, que festejaram de forma efusiva a manutenção dos “operários” no Moçambola da próxima época. Quando Aníbal Armando apitou pela última vez no campo dos “locomotivas” de Quelimane o público afecto ao 1.º de Maio invadiu o campo, numa festa rija e pomposa.

 

O resultado foi justo, em função do sentido de oportunidade que cada equipa teve. Ainda assim os locais não conseguiram converter em golo um penalte. Passe falhou escandalosamente o castigo máximo.

 

ÁRBITRO: Aníbal Armando, coadjuvado por Teófilo Mungói e Joaquim Meirinho Ramujane Ramujane foi o quarto árbitro

1.º DE MAIO: Aguinaldo, Joaquim, Fred, Passe, Maikel, Issufo, Mamudo (Sabir), Ambalilo (Sabir), Dilo, Rasta e Nono (Danito).

ESTRELA VERMELHA: Frank, Allam, Machava, Hilário, Kikito, Kley (Matinde), Lolo, Gregório (Chorão), Zezito, Rachid e Zandamela.

 

JOCAS ACHAR

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:53
 O que é? |  O que é? | favorito

O NULO registado ontem entre o ENH de Vilankulo e o Ferroviário de Maputo, no reduto da primeira equipa, reflecte o que se passou nas quatro linhas, já que os intervenientes não fizeram mais do que um jogo de cumprimento de calendário, uma vez que ambas equipas praticamente definiram o seu posicionamento na pauta da classificação geral do Moçambola, edição 2016.

 

Entretanto, foram os anfitriões que nos primeiros minutos deram nas vistas, onde Paulo e Gimmy flanqueavam as jogadas, procurando meter Chijioke em cunha.

 

Mesmo sem muitas ambições, actuando mais com cautelas, os “locomotivas”, que estão a fazer uma ponta final bastante pálida, conseguiram controlar o jogo a partir do meio-campo, onde Sassi vigiava Amaras, o principal distribuidor do jogo do ENH.

 

Até porque o Ferroviário saindo esporadicamente tentou ameaçar os donos da casa e nesse momento Gito não foi suficientemente matreiro para introduzir a bola quando a defesa local, incluindo o guarda-redes Acácio, pararam alegadamente por um hipotético apito do árbitro, quando na verdade o sopro vinha das bancadas.

 

Na segunda parte os donos da casa quiseram dar ar da sua graça, pressionando e fazendo a bola rodar por diversas vezes na área de César Machava, que substituiu Germano, expulso por defender a bola fora da sua área. Chijioke, Eurico e Filipe tiveram ocasiões para marcar, mas César Machava foi buscar o esférico nas alturas, exibindo-se muito bem, tendo o jogo terminado sem abertura de marcador, um resultado considerado justo.Simões Guambe, árbitro do jogo, realizou um trabalho aceitável.

 

FICHA TÉCNICA.

 

ÁRBITRO: Simões Guambe, auxiliado por Inocêncio Virgílio e Baltazar Nhacumbe Quarto árbitro foi Pedro Fernando

ENH:Acácio; Vasil, Filipe, Campira e Sergito, Barnabas, Abilio, Gimmy (Tony), Paulo, Eurico, Amaras, (Moses) e Chijioke.

FERROVIÁRIO DO MAPUTO:Germano; Mambucho, Chico, Pauluane, Manucho (César Machava), Timbe, Sassi, Henrik, Mário, Edmilson e Gito (Calima).

DISCIPLINA: Amarelos para Mambucho (Ferroviário), Campira e Vasil (ENH).

 

VICTORINO XAVIER

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:49
 O que é? |  O que é? | favorito

NUM duelo entre duas equipas rivais, a eficácia valeu mais do que o domínio da equipa que mais teve maior controlo do jogo, principalmente na primeira parte, período em que o Desportivo de Nacala teve várias oportunidades de marcar, mas contra a corrente do jogo o Ferroviário, por intermédio de Chelito, fez o primeiro golo, aos 33 minutos.

 

Antes, aos quatro minutos, Adebayor teve o golo nos pés, mas atrapalhou-se no momento do remate. Aos dez minutos Daudo, frente-a-frente com Victor, atirou forte para a defesa do guardião “locomotiva” para canto.

 

Mesmo com a desvantagem no marcador o Desportivo foi a melhor equipa em campo nos primeiros 45 minutos, pecando apenas no aspecto da concretização, principalmente por Adebayor, que aos 42 minutos desperdiça mais uma ocasião de marcar.

 

Recolhidas ao intervalo, o Ferroviário apareceu mais atrevido e em relação à primeira parte foi mais equipa, mas seria o Desportivo a igualar por intermédio de Daudo na marcação de uma grande penalidade, na recarga, depois de uma defesa de Victor. Um penalte, quanto a nós, muito forçado pelo árbitro.

 

O Ferroviário ripostou com um remate de Marufo aos 66 minutos, numa altura em que a partida estava sob seu controlo, e como corolário desse domínio aos 83 Zainal desfaz a igualdade no marcador a favor dos “locomotivas”, que foram mais eficazes que os “canarinhos”, num autêntico “frango” de Brayd.

Numa partida em que o resultado foi justo, Inácio Sitoe, pese embora se tenha equivocado na marcação da grande penalidade, realizou um trabalho aceitável.

 

FICHA TÉCNICA:

ÁRBITRO: Inácio Sitoe, auxiliado por Raimundo Artur e Amisse Abacar

DESPORTIVO DE NACALA: Brayd; Tawanda, Rasta, Isaías, Miter, Délcio, Zinho (Kikito), Daudo, Bento (Scander) Djofer e Adebayor (Binó).

FERROVIÁRIO DE NACALA – Víctor; Rodjas (Vovote), Silva, Ibraimo e Zainal, Ricthas (Tony), Essiene, Quaresma (Megas) e Chelito, Marufo e Sandi.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Amarelo para Délcio, do Desportivo, e Zainal, do Ferroviário.

 

QUADRO DE RESULTADOS E CLASSIFICAÇÃO ACTUAL

 

Desportivo de Nacala-Ferroviário de Nacala (1-1)

Chibuto-Chingale (4-0)

 ENH-Ferroviário de Maputo (0-0)

Desportivo de Maputo-Ferroviário de Nampula (0-2)

 1.º Maio-Estrela Vermelha (2-0)

 Desportivo do Niassa-Maxaquene (1-0)

 Liga Desportiva-Costa do Sol (2-0)

UD Songo-Ferroviário da Beira (0-1)

 

                                                               J          V         E          D         BM      BS      P    

                                                                                                                                     

 

UD Songo                                           29        15        7          7          30        14        52

Liga Desportiva                                  29        15        5          9          36        19        50

Chibuto                                               29        13        11        5          34        12        50

Ferroviário de Maputo                        29        12        10        9          25        17        46

Ferroviário de Nampula                      29        11        11        6          32        21        44

Maxaquene                                          29        11        9           9          28        26        42

Ferroviário de Nacala                          29        10        12        7          22        23        42

Desportivo de Nacala                         29        9          10        10        37        27        37

ENH                                                       29        9          10        10        22        26        37

Costa do Sol                                       29        9           8          12        30        33        35

Chingale                                              29        9           6          14        19        36        33

1.° Maio de Quelimane                       29        7          10        12        30        36        32

Estrela Vermelha                                 29        5          12        12        26        35        27

Desportivo de Maputo                        29        2          13        14        15        33        19

Desportivo do Niassa                          29        3          7         17        11        42        16

 

PRÓXIMA JORNADA(30.ª): Chingale-Desp. Nacala; Costa do Sol-Desp. Niassa, Fer. Nampula-ENH, Fer. Beira-Liga Desportiva, Fer. Nacala-UD Songo, Fer. Maputo-Chibuto, Maxaquene-1.º de Maio.

 

LUÍS NORBERTO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:45
 O que é? |  O que é? | favorito

 

ENTRETANTO, a família Sidat promete processar judicialmente ao técnico da UD Songo, Artur Semedo, por forma que prove em juízo a sua intervenção no fracasso dos “hidroeléctricos”.

 

Os Sidat acrescentam ainda que para além de demandar Semedo em juízo irão responder às reacções do técnico nos orgão de comunicação social. Eles dizem não perceber qual foi a sua intervenção nos quatro desaires consecutivos da UD Songo que determinaram a perda do título para o Ferroviário da Beira.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:40
 O que é? |  O que é? | favorito
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO