Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Sexta-feira, 11 DE Novembro 2016

 

A TENISTA moçambicana Marieta Nhamitambo não resistiu ao primeiro teste no Campeonato Africano de seniores da modalidade, evento que decorre desde segunda-feira e termina este fim-de-semana em Nairobi, no Quénia.

 

A campeã nacional foi eliminada na sua estreia (oitavos-de-final) pela cabeça-de-série feminina, a tunisina Chiraz Bechri, pelos parciais de 6/1 e 6/0.

 

Marieta também não escapou ao afastamento precoce em pares, ao lado da costa marfinense Adomon Marie Ange Sai, pela dupla congolesa Magali Ikelenge Ilumbe/Nancy Onia, por 6/0 e 6/2. A campeã nacional aguarda, assim, pelas classificativas que definirão o seu posicionamento na tabela. 

 

Salientar que a campeã nacional é a única atleta que representa o país no evento. O campeão em título, Josefa Simão, que devia estar na sua companhia, não seguiu viagem devido a compromissos académicos. Este foi o mesmo motivo que impediu Simão de participar no Torneio de Mestres, que teve seu epílogo no passado sábado e que apura o melhor tenista do ano, abrindo espaço para que o antigo campeão nacional, Jonas Alberto, conquistasse a prova.

 

Enquanto isto, o árbitro internacional Stélio Carlos faz parte do corpo de árbitros que supervisionam o “Africano” de ténis. Stélio, que mereceu a distinção, este ano, da Federação Internacional de Ténis (CAT) como árbitro internacional, vem supervisionando alguns torneios regionais. E, na sequência disso, foi, em Junho último, destacado para a formação em Wimbledon, na Inglaterra, como árbitro de cadeira.

 

Stélio Carlos vai formar, em Angola, árbitros que vão orientar os Jogos do SCSA, que se realizam próximo mês, em Luanda. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:42
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O ÚLTIMO domingo foi bastante animado para os amantes do desporto motorizado na cidade de Maputo, estes que desfrutaram de momentos espectaculares com a disputa da quinta (última) prova do Campeonato de “Drag Racing” e que marcou o fim da época.

 

Em causa estavam os títulos das diversas categorias nesta prova de velocidade em que ganha o piloto com o melhor tempo ao segundo nas distâncias de 400 ou 1000 metros.

 

O piloto Faudo Sidique destacou-se nos carros com tracção à frente (FWD normal aspirado com nitrogénio). Aliás, foi o único inscrito no campeonato, portanto com direito a pontuar entre os demais pilotos que participaram nas provas.

 

Já os irmãos Danilo e Dário Serage se juntaram na classe FWD normal aspirado, com o primeiro a sagrar-se campeão, numa categoria em que foram únicos inscritos.

 

Nos carros com tracção atrás (BWD normal aspirado de quatro cilindros), a proeza foi cometida por Farid Cassamo, também único inscrito no campeonato. Cassamo foi também campeão na classe dos BWD turbo de seis cilindros e teve como principal opositor Ricardo Domingues.

 

Nos carros com tracção às quatro rodas (AWD turbo de quatro cilindros) o campeão é Orlando Settimelli. Daniel Ricolino e Dário Serage ocuparam os lugares subsequentes.

 

Por último, António Manuel conquistou a prova de motas de quatro rodas (acima de mil centímetros cúbicos), na qual foi único inscrito.  

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:35
 O que é? |  O que é? | favorito

 

OS filiados (clubes) estão de costas voltadas com a actua Direcção da Associação de Futebol da Cidade de Maputo (AFCM), encabeçada por Filipe Budula, que o acusa de má gestão. Aliás, o presidente da AFCM é ainda citado como estando a desencadear uma campanha para afastar os membros da sua Direcção alegadamente porque contestam a sua postura, como aconteceu recentemente com o secretário-geral, Orlando Chamusse.

 

De acordo com uma carta que o “Notícias” teve acesso, a situação agravou-se em princípios de 2016, quando os filiados não aprovaram as contas do exercício de 2015 e o orçamento deste ano em assembleia-geral realizada em Fevereiro último. Foi no culminar dessa reunião magna que os filiados exigiram que as contas fossem auditadas por um auditor independente, o que veio a acontecer a 13 de Maio último.

 

De acordo a mesma carta, o relatório de auditoria veio a confirmar as reais preocupações dos filiados quanto a uma gestão austera, equilibrada e, acima de tudo, transparente dos fundos da AFCM por parte da Direcção. Os filiados apresentam ainda a sua indignação com o facto de a Direcção da AFCM só ter convocado a nova assembleia 119 dias depois de ter recebido o relatório da auditoria independente a pedido dos filiados, quando o devia ter feito num prazo não superior a 30 dias após a recepçao do mesmo.

 

O clima de desentendimento foi, segundo o mesmo documento, a razão do afastamento, há sensivelmente um ano, do vice-presidente de Administração e Finanças, Dr. João Américo Malemba. Apesar de as alegações sobre o seu afastamento serem relacionadas com o facto de não gozar de boa saúde, os filiados entendem que Malemba se tenha retirado por incompatibilidades com os procedimentos do presidente da Direcção. A maior indignação dos filiados foi a substituição de Malemba por Stélio Filipe, curiosamente filho de Filipe Budula, que ocupa o cargo de 1.º vogal da Direcção. 

 

Aliás, muitos problemas são levantados na carta, nomeadamente empréstimos de dinheiro e distribuição de comissões aos membros da Direcção em caso de angariação de fundos para a instituição, violando gravemente os estatutos que regem o funcionamento da AFCM. Constam das acusações também o empréstimo de valores monetários à Liga Nacional de Futebol Feminino em 2015 e este ano, bem como o uso particular, pelo presidente de Direcção, da viatura adquirida por fundos da AFCM e cuja assistência (combustíveis e manutenção) é também coberta pela agremiação.  

 

Em virtude destes e outros factos, porém refutados pelo presidente da AFCM, Filipe Budula, os filiados exigem que sejam realizadas até o dia 20 do mês em curso as eleições para novos corpos gerentes e apresentado o relatório de contas de 2016.

 

Salientar que a AFCM se reuniu, a 29 de Setembro último, em mais uma assembleia, tendo os filiados aprovado, depois de algumas correções, o relatório de contas de 2015. Os mesmos manifestaram profundas preocupações quanto às contas que lhe foram apresentadas referentes ao período que vai de Janeiro a Junho do ano em curso.

 

Os sócios não aprovaram, porém, o orçamento de 2016, tendo ainda constatado, durante o encontro, graves desinteligências entre membros da direcção, bem como a forma inaceitável como Filipe Budula respondeu às várias questões colocadas por alguns filiados.

 

Porque o mandato da actual Direcção termina este ano os sócios exigem que seja convocada, para o dia 20 de Novembro corrente, a assembleia para a eleição da nova Direcção e apresentação do relatório de actividades e contas de 2016.

 

Aliás, a época desportiva da AFCM terminou ontem, 10 de Novembro, e espera-se, com a realização do escrutínio, que a Direcção que for eleita tenha as condições criadas para apresentar, até 10 de Dezembro, o orçamento e programa de actividades para 2016/2017, atendendo que a época abre oficialmente a 1 de Dezembro.  

 

QUE MOSTREM A CARA

 

 

O presidente da AFCM, Filipe Budula, disse ontem, em conversa com a nossa Reportagem, que não respondia a acusações de pessoas não identificadas e convidou as mesmas a mostrarem a cara.

Não vou responder a pessoas que não se identificam. Sei o que está acontecer e quem são essas pessoas. A verdade é que elas vêm fazendo a campanha visando desacreditar a esta Direcção há já bastante tempo”, comentou.

 

Quanto às acusações que pesam sobre si, com destaque para a má gestão de fundos da AFCM, Budula indagou-se: por que razão as mesmas pessoas que mandataram uma auditoria independente não aceitam os resultados apresentados na última assembleia?

 

Chumbaram o nosso relatório de contas e recusam-se, por outro lado, a aceitar o relatório da auditoria externa que foram elas próprias que exigiram que fosse feita. O que eles querem é o meu lugar”, disse Budula, sem no entanto avançar dados sobre a sua recandidatura.

 

Salientar que em virtude das desinteligências no seio da Direcção da AFCM Filipe Budula demitiu há dias o secretário-geral, Orlando Chamusse. 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:15
 O que é? |  O que é? | favorito

 

ESTOU muito satisfeito por ter conseguido esta vitória. Era um dos meus objectivos. Penso que alcancei com todo mérito, pois preparei-me intensamente para que hoje (ontem) cortasse a meta em primeiro lugar”, comentou Nomvula Ntshalintshai.

 

A atleta suázi afirmou ainda sentiu-se bem ao longo da prova e diz que apesar de ter sentido a pressão das concorrentes sempre esteve confiante e segura na vitória. “Gosto de desafios e de ter adversárias fortes. De certa forma ajudou-me a imprimir maior velocidade. Graças a Deus consegui controlar a corrida e na recta final tive a sensação que esta vitória já não fugia”,  afirmou.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:10
 O que é? |  O que é? | favorito

 

AO contrário do que muitos podem pensar, não foi uma prova fácil. Tive que me esforçar bastante para cortar a meta em primeiro lugar. Os meus opositores deram muita luta”, considerou Abdenico Mashaba.

 

O grande vencedor afirmou que o clima foi favorável. “Já participei em várias provas em Moçambique e sempre corri sob um calor intenso, mas hoje (ontem) estava fresco, portanto foi bastante favorável. Senti-me à vontade do princípio ao fim da corrida”, comentou, ajuntando que participará nas corridas Millennium bim e São Silvestre. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:05
 O que é? |  O que é? | favorito

 

ABDENICO Mashaba, da África do Sul, e Nomvula Ntshalintshai, da Suazilândia, foram os vencedores da Corrida 10 de Novembro, que decorreu na manhã de ontem, alusiva aos 129.º aniversário da cidade de Maputo.

 

Os dois ganharam a prova dos federados com alguma à-vontade, na medida em que cortaram a meta com uma vantagem considerável em relação aos segundos classificados. Abdenico, atleta já bem conhecido no seio do atletismo nacional, visto que tem participado em outras provas, casos da Corrida São Silvestre e Millennium bim, cortou a meta com o tempo de 29,47,34 minutos, enquanto Nomvula fê-lo com a marca de 37,14,19 minutos.

 

Conforme se previa, assistiu-se a uma prova bem corrida e disputada. O clima fresco que se fez sentir na capital (sem sol) ajudou para que os corredores fizessem uma corrida rápida, algo que se sentiu logo na partida na Avenida 10 de Novembro, defronte ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.

 

 Abdenico teve até a meio da prova a forte concorrência dos moçambicanos Alberto Mamba (30,03,56 minutos) e Tonderai António (30,16,80), segundo e terceiro classificados, respectivamente, mas na 24 de Julho, ao passar pela Assembleia da República, começou a ganhar terreno. Cada passo que dava  o sul-africano ia se destacando na frente e já na descida da Avenida Albert Luthuli estava bem destacado na frente do pelotão. Uma vantagem que segurou na Avenida 25 de Setembro até cortar a meta na Praça da Independência.

 

O mesmo aconteceu com a atleta da Suazilândia que apresentou uma maior frescura física, tendo superado as moçambicanas Zeferina Marinho (38,39,87 minutos) e Naira Zuguene (43,20,34 minutos), segunda e terceira classificadas, respectivamente.

 

Além dos troféus os vencedores foram agraciados com 10 mil meticais.

 

Já na vertente dos populares o grande vencedor foi Constantino Fondo, com o tempo de 34,29,33 minutos. Em femininos a prova foi dominada por Olga Sofia, com a marca de 46,35,98 minutos.

 

No atletismo adaptado Hilário Xavela cortou a meta em primeiro com o tempo de 12,48 minutos, enquanto em femininos Maria Muchavo não deixou os seus créditos em mãos alheias, tendo ganho com 13,08 minutos.

 

Nos cadeirantes Abdul Carimo venceu de forma destacada, estabelecendo a marca de 11,55,22 minutos, enquanto em femininos Sandra Armando foi a mais rápida, com 22,19,77 minutos.

 

Em veteranos a prova foi ganha em masculinos pelo suázi Mxoilize Dludlu, com o tempo de 36,34,33 minutos, enquanto em femininos ficou na posse de Victoria Joaquim, com a marca de 45,19,79 minutos.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:54
 O que é? |  O que é? | favorito
Novembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
19
20
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO