Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 11 DE Agosto 2016

 

O NADADOR Igor Mogne bateu, na terça-feira, o recorde nacional absoluto dos 100 metros livres, ao fixar o tempo de 50.65 segundos na primeira eliminatória do torneio de natação dos Jogos Olímpicos-Rio 2016.

 

Curiosamente, o anterior recorde (51.26) pertencia a este mesmo atleta, que tinha sido estabelecido a 11 de Março último durante uma prova efectuada ao serviço do Sporting de Portugal, seu actual clube.

 

Mesmo tendo feito a distância em menos 61 décimos e se ter classificado em primeiro na sua série, o nadador moçambicano não conseguiu passar para as meias-finais, visto que o seu tempo acabou sendo inferior comparativamente ao das outras séries, que acabaram se fixando, em média, em 48 segundos.

 

Só este ano Igor melhorou o seu tempo na especialidade de 100 metros livres por três vezes. Primeiro, em Fevereiro, nos “Nacionais” de Verão, tinha melhorado a sua marcada, na altura fixada em 53,30 segundos.

 

Igor Mogne, com 20 anos de idade, feitos no dia 1 de Agosto, é a grande esperança da natação nacional para os próximos torneios internacionais, sendo de destacar os próximos Jogos Olímpicos-Tóquio 2020.

 

Aliás, Igor foi o “rei” do último Campeonato Nacional de Verão disputado em Fevereiro, tendo vencido 11 provas das 15 em que participou ao serviço dos Golfinhos de Maputo. O nadador venceu as seguintes provas: 200 metros livres (1,58, 85 minutos) 50 metros costas (28,40 segundos), 400 metros livres (4,14, 41 minutos), 200 metros mariposa (2,18, 94 minutos), 100 metros costas (1, 03, 06 segundos) 50 metros mariposa (25,81 segundos) 50 metros livres (23,92 segundos) e dos 100 metros livres (53, 30 segundos).

 

Igor conta ainda com os recordes nacionais nos 800 metros livres (8. 39, 47 minutos); 1500 metros (16. 52, 85 minutos) e 50 metros bruços (32, 07 segundos).

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:01
 O que é? |  O que é? | favorito

 

À MEDIDA que os treinos da Selecção Nacional de Futsal prossegue, o grupo vai ficando composto com a integração de fora da capital do país, convocados para trabalharem com vista à sua participação no Mundial, que decorrerá de 10 de Setembro a 2 de Outubro, na Colômbia.

 

Esta semana, o seleccionador passou a contar com os três atletas da cidade de Chimoio, província de Manica, convocados para integrar a pré-convocatória de 27 atletas, são eles: Calton, Lamarques, Nonó e Wilde, todos da Liga de Chimoio. Sublinhe-se que na semana, Ivan e Mauro, do UZAMAC da Beira, já estavam às ordens do seleccionador nacional, Naymo Abdul. Para o grupo ficar completo, falta juntar-se à equipa nacional Pai e Ricardinho, atletas que actuam no Benguela FC, Angola, e Belenenses, de Portugal, sendo que este último foi unidade crucial para o apuramento de Moçambique ao Mundial.

 

Depois de na semana passada o modelo de preparação se ter cingido mais à preparação física, esta semana afina-se os aspectos táctico-técnico e físico com treinos diários no pavilhão do Iquebal e da UEM.

 

No quadro da preparação, refira-se que a Selecção Nacional tem dois jogos marcados para a próxima semana, quinta e sexta-feiras, em Lisboa, diante de Portugal e Costa Rica, duas equipas que estarão também no Mundial da Colômbia.

 

Moçambique parte no dia 6 de Setembro para a Colômbia, mais concretamente para a cidade de Bucaramanga, onde fará o primeiro jogo da fase de grupos diante da Austrália, no dia 11 de Setembro. Ucrânia (14) e Brasil (17) são os outros adversários de Moçambique. 

 

EIS A PRÉ-CONVOCATÓRIA

 

IQUEBAL - Dino, Nelson, Manucho, Magú, Caló e Idelson;

PETROMOC - Carlão, Favito, Zira, Mingos, Edson e Custa;

LIGA DE MAPUTO - Bobo, Mário, Docas e Babito;

LIGA DE CHIMOIO - Calton, Lamarques, Nonó e Wilde;

ESTRELA VERMELHA - Tony e Dany; 

UZAMAC FC DA BEIRA - Ivan e Mauro; 

PAPELARIA REX - Igor

PC FUTSAL DE BENGUELA - Pai

BELENENSES - Ricardinho

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:55
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O CORPO directivo da Federação Moçambicana de Patinagem, presidido por Nicolau Manjate, recentemente reeconduzido para um mandato de quatro anos, toma posse no dia 19 de Agosto próximo.

 

Nicolau Manjate e seu elenco, praticamente o mesmo que conduziu os destinos da modalidade nos últimos quatro anos (2011-2015), tem como principal objectivo dar continuidade ao trabalho de massificação e revitalização da formação, que vinha desenvolvendo em coordenação com a Associação de Maputo, de Quelimane , Núcleo de Nampula e os clubes, bem como fomentar mais intercâmbios com África do Sul e Angola, a fim de dar mais andamento competitivo à Selecção Nacional e aos clubes.

 

Recorde-se que Nicolau Manjate foi eleito, por unanimidade, no dia de 22 de Julho passsado, após a desistência de Carlos de Sousa (Cazé), que tinha surgido em Fevereiro como candidato a ocupar a cadeira de dirigente máximo da patinagem. 

 

EIS O ELENCO DA FMP

 

Mesa da Assembleia-Geral

 

Presidente: Lucas Chachine

Vice-presidente: Panachande Idrisse

Secretário: Amorim mBila

 

Direcção executiva

 

Presidente: Nicolau Manjate

Vice-presidente: Abdul Azize

Secretário-Geral: Sandro dos Santos

Tesoureiro: Gilberto Nfuzamo

Vogais: Bruno Pimentel, Rui Pereira e Luís Simão

 

Conselho Fiscal

 

Presidente: Carlos Laisse

Secretário: Bruno Couto

Vogal: Lavínia Macul

 

Conselho jurisdicional

 

Presidente: Arlindo Carimo

Vogal: Amílcar Manhique

 

Conselho de disciplina

 

Presidente: Joaquim Uamusse

Vogal: Mercê Mungoi

 

Comissão de árbitros

 

Presidente: Ricardo Gil

Vogais: Ernestino Gabriel e Justino Miguel

 

Comissão técnica

 

Secretário técnico: Pedro Pimentel

Vogais: Pedro Tivane, Afonso Gordandas e Henrique Gamito.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:35
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O FERROVIÁRIO da Beira venceu, na noite de ontem, o seu homónimo de Maputo, por 73-64, no terceiro embate da final do "Nacional" de Basquetebol Sénior Masculino que se disputa num play-off a melhor de cinco jogos.

 

Com este triunfo, os beirenses passam a ter uma vantagem de 2-1, o que lhe confere o direito ao título em caso de nova vitória esta noite. Já a formação da capital do país é obrigada a ganhar para empatar a final e adiando a decisão do título para quinto e último encontro.


Num jogo viril, sobretudo no último período, as duas formações entraram com algum receio, mais calculistas, arriscavam menos, ensaiando as jogadas com todo o cuidado. O Ferroviário de Maputo tentou explorar o jogo exterior dado que a turma da Beira defendia-se à zona, mas foi infeliz. Apenas uma, das várias tentativas, é que surtiu efeito.

 

Porém, a turma da capital estava a essas alturas melhor no jogo, embora falhasse na finalização e nalguns lances de forma inacreditável. Os beirenses, como sempre, confiaram no seu colectivo, apesar de terem um Jimmy Williams capaz de, individualmente, desatar o nó e tudo o que fazem parece estar devidamente sincronizado, daí a solidariedade  sempre que os planos não dessem certo. E porque a união é que faz a força, como alerta o velho ditado, os "locomotivas" do Chiveve sairam da primeira etapa com vantagem de quatro pontos, 17-13.

 

No segundo período, o Ferroviário da Beira deu uma verdadeira lição de basquetebol ao adversário. Nazir Salé deu-se ao luxo de poupar a sua estrela-mor, Jimmy Williams, deixando a equipa sob o comando de um inspirado Octávio Magoliço que quer no jogo exterior, quer no interior só somava pontos. Por outro lado, o técnico dos beirenses lançou Fernando Manjate e Ismael Nurmamade para darem consistência que a equipa não tinha no primeiro período com Jimmy Williams e Armando Baptista.

 

O Ferroviário de Maputo quase que não existiu naqueles 10 minutos que foram determinantes no resultado final. Augusto Matos e o espanhol Bojan Sekicki tentaram rematar contra a maré, mas debalde, a equipa não estava articulada, cometia erros no capítulo defensivo e continuava com problemas de finalização. Como corolário, os "locomotivas" da Beira dilataram a vantagem para 18 pontos, 37-19.


No terceiro quarto entrou melhor a turma da capital do país, conseguindo pontos de rajada. A situação enervou os beirenses que começavam a ter dificuldades para assentar o seu jogo. Nazir Salé viu-se obrigado a lançar a sua "jóia", Jimmy Williams, que rapidamente travou a avalanche da equipa de Maputo. Mais do que isso, o nigeriano foi um carrasco para a formação comandada por Milagre Macome. Só nesta etapa fez 11 pontos e muitas assistências que colocaram os beirenses com uma vitória parcial de 14 pontos, 59-45.


O resultado deixava o Ferroviário de Maputo com uma missão hercúlea para o último período, etapa marcada por muitas contestações de parte a parte das decisões da arbitragem. A formação da capital apertou, reduziu e o jogo ficou  frenético. Vibra-se nas bancadas e na quadra os atletas disputam os lances como se fossem os últimos das suas vidas.

 

 O desafio foi interrompido a um minuto e 30 segundos do fim, com seis pontos de diferença (66-60), beirenses no comando, mas a incerteza quanto ao desfecho continua. Um triplo de Elton Ubisse (a um minuto e 10 segundos do fim) para os "locomotivas" de Maputo relança o despique, mas logo a seguir Jimmy conseguiu três pontos que praticamente "mataram" o jogo, faltavam 46 segundos e são sete pontos de diferença, posteriormente aumentados para nove (73-64).

 

O Ferroviário da Beira vencia desta forma o segundo jogo dos três já realizados referentes à esta final. Hoje, caso vença, sagra-se campeão nacional pela terceira vez na sua história, depois dos êxitos de 2012 e 2014. 

  
FICHA TÉCNICA


ÁRBITROS: Sélio Chiau, Guideon Matsinhe e Guilherme Júnior.

 

FER. BEIRA: Fernando Manjate; Armando Baptista, David Canivete, Policardo Zambeze, Ismael Nurmamade, Octávio Magoliço, Eurice Alua, Alves Houana, Abel Mubetene, Jimmy Williams, Carlos Jr., e Chukwinike Okosa.

 

FER. MAPUTO: Manuel Uamusse; Edson Monjane, Luís de Barros, Elton Ubisse, Ermelindo Novela, Cubrilo Miroslaw, Francisco Macaringue, Custódio Muchate, Bojan Sekicki, Augusto Matos e Samora Mucavel.

 

"POLITÉCNICOS" AGARRAM TERCEIRO POSTO

 

No primeiro embate da noite, a Politécnica derrotou o Desportivo, por 79-72, ficando em terceiro lugar, isto depois da vitória no domingo neste play-off a melhor de três partidas. No geral, os "universitários" ganharam por 2-1, visto que os "alvi-negros" venceram o segundo embate. Mas, mais que do triunfar noplay-off a Politécnica atirou o Desportivo, campeão em título, para fora do pódio. A maior façanha dos "politécnicos" é, contudo, o facto de ficarem em terceiro lugar num campeonato nacional pela primeira vez na sua história.

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:29
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
20
21
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO