Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 13 DE Junho 2016

 

"Foi um bom jogo. Tínhamos tudo controlado, contra um adversário que joga à moda inglesa. Criámos muitas situações claras de golo e não concretizámos por nos ter faltado muita calma.

 

Eles, na única clara que tiveram, concretizaram e não são culpados. Temos que aceitar o resultado. O adversário está de parabéns pela vitória",

Arnaldo Ouana, seleccionador de Moçambique

 

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 11:04
 O que é? |  O que é? | favorito

 

Os jogos referentes aos oitavos-de-final da Taça de Moçambique em futebol foram marcados com a não realização de duas partidas na zona centro do país, designadamente o Textáfrica-Chingalee UD. Songo-Sporting da Beira.

 

O Chingale de Tete e o Sporting da Beira justificaram as ausências devido à tensão político-militar que se vive naquela zona.

 

As formações do Sporting da Beira e do Chingale de Tete averbaram respectivamente, faltas de comparência, em virtude de não terem viajado a Tete e Chimoio, a fim de medirem forças com as equipas da União Desportiva de Songo e do Textáfrica, em partidas referentes a única eliminatória da fase zonal (oitavos-de-final) da Taça de Moçambique.

 

A falta de segurança na Estrada Nacional Número 1 (EN1) devido à tensão político-militar na zona central do país, é apontada como sendo a causa principal que condicionou o deslocamento destas duas equipas. Como forma de salvaguardar a integridade física dos atletas e a segurança dos mesmos obrigou com que os clubes pautassem pela falta de comparência.

 

Aliás, os clubes através de uma carta emitida à Federação Moçambicana de Futebol (FMF), entidade que tutela a prova, explicaram as razões acima referidas.

 

Resultados da Taça de Moçambique

 

Sábado

Fer. Maputo-1.º Maio de Maputo                          (4-1)

 

Domingo

Chibuto-Maxaquene                                               (0-1)

Desportivo-ENH                                                      (2-3)

Incomáti-Costa do Sol                                             (1-3)

Fer. Beira-Fer. Quelimane                                      (1-0)

Águias Especiais-Fer. Nampula                             (0-2)

Textáfrica-*Chingale                                              (*Falta de comparência)

UD. Songo-*Sporting da Beira                               (*Falta de comparência)     

Academia Militar-Liga Desportiva de Pemba      (3-0)

 

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 10:58
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O Ferroviário, em femininos, venceu o Costa do Sol por 46-44 no quinto e o último jogo de “Play-off” da final do Campeonato de Basquetebol da cidade de Maputo, tornando-se tricampeã da capital moçambicana. A equipa de Leonel Manhique venceu por 3-2.

 

Foi um título conquistado com raça. Basta recordar que as “locomotivas” iniciaram com uma vantagem de 2-0 nesta primeira final de “Play-off” à melhor de cinco jogos. Na primeira partida a equipa de Leonel Manhique venceu por 67-55, para depois voltar a vencer (58-42). No terceiro jogo foi travada pelo seu adversário de ontem, ao perder por 43-66 e depois por 47-54. Com o “Play-off” empatado, recorreu-se ao último encontro, com uma vitória mínima (46-44), mas suficiente para revalidar o título, mais uma vez.

 

O último jogo do “Play-off” foi muito aguerrido. As duas equipas estiveram muito pressionantes, mas foi o Ferroviário que demonstrou maior agressividade. As “locomotivas” forçaram o seu adversário a cometer muitos erros e faltas.

 

Deolinda Ngulela viu a sua equipa sem soluções e fez-se à quadra, ao mesmo instante que entrou Onélia na equipa do Ferroviário. As duas jogadoras já nos habituaram a despiques interessantes, uma tentar anular a outra. E foi o que se verificou.

 

O primeiro ponto das “carrinhas” foi marcado a três minutos do fim do primeiro período, num lançamento livre de Deolinda Gimo (1-8). Um triplo de Dulce (1-11) aqueceu o pavilhão semi-coberto do Desportivo, que registava 20 graus centígrados.

 

O Costa do Sol tentou recuperar o “score”, com mais quatro pontos, repartidos por igual número, entre Gimo e Sandra, terminando o primeiro período a perder por seis pontos (5-11).

 

Ngulela abriu o segundo período com um triplo (8-11) e a outra Deolinda, a Gimo, imitou a sua treinadora, igualando a partida (11-11). Em ascensão, as “canarinhas” continuaram a apostar no jogo exterior, e Sheila colocou o Costa do Sol pela primeira vez na frente, com um triplo (16-14). Mas rapidamente Vilma igualou, para depois Ingvild colocar novamente a sua equipa em vantagem. Depois de três tentativas Dulce acertou um triplo, distanciando-se por quatro pontos (21-16). Elisabeth voltaria a igualar a partida (21-21), com um triplo. As lideradas por Ngulela não pontuava nesta fase de jogo. Perdiam por 25-31, mas um triplo de Sheila (28-31) reanimou o jogo. Ainda assim, o Ferroviário voltou a vencer por seis pontos (29-35).

 

Nos últimos 10 minutos, o Costa do Sol voltou a cometer muitas faltas e foi perdulário debaixo da tabela. O Ferroviário continuou embalado. Quando faltavam sete minutos e 19 segundos para o fim, as “locomotivas” venciam por 37-33, mas um minuto depois o jogo estava empatado (37-37).

 

Os últimos três minutos do tamanho bastante intensos e equilibrados. O “score” sempre teve diferença mínima: 39-41; 40-41; 40-42; 42-43. Mas a um minuto do fim do jogo o Ferroviário vencia por 45-42.

 

As emoções exaltaram-se. Não era para menos, o Costa do Sol voltou a colocar-se em igualdade (44-44). Tínhamos apenas 53 segundos e um centésimo por disputar. A reposição pertenceu a Onélia, mas a jogada não teve continuidade. Era o Costa do Sol a armar o jogo, Ingvild rouba a bola e parte decidida para a tabela, mas na hora de lançar sofre falta de Deolinda Ngulela. Com o jogo empatado, Ingvild tinha nos lances livres a soberba possibilidade de decidir o encontro. A extremo do Ferroviário converteu os dois lançamentos (46-44) e a sua equipa ainda teve direito de reposição de bola, feita por Anabela Cossa, quando faltavam apenas 11 segundos. O Ferroviário só teve que gerir o tempo, batendo a bola, tentando esgotar os já menos de 10 segundos. Quando o Costa do Sol ganhou a bola já não havia tempo para o ataque. O Ferroviário revalidou o título efusivamente festejado.

 

RESULTADOS DO “PLAY-OFF

 

JOGO 1

Ferroviário-Costa do Sol (67-55)

 

JOGO 2

Ferroviário-Costa do Sol (58-42)

 

JOGO 3

Ferroviário-Costa do Sol (43-66)

 

JOGO 4

Ferroviário-Costa do Sol (47-54)

 

JOGO 5

Ferroviário-Costa do Sol (44-46)

 

 

Fonte:Desafio

publicado por Vaxko Zakarias às 10:11
 O que é? |  O que é? | favorito
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO