Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 18 DE Abril 2016

 

O FERROVIÁRIO da Beira, um dos candidatos ao título, sucumbiu ontem, em casa, frente ao Clube de Chibuto, ao perder, por 2-1, numa das partidas mais aguardadas da quinta jornada do Moçambola-2016.

 

A Liga Desportiva de Maputo, por seu turno, bateu o Desportivo também de Maputo, por 2-1, e isolou-se no comando da classificação com 13 pontos, mais dois que a União Desportiva do Songo, que recebeu e venceu a sensacional formação da ENH de Vilankulo, por 2-0. O Maxaquene derrotou o Chingale, por 2-1.

 

O Ferroviário de Nampula foi a Nacala bater o seu homónimo local, por 1-0. Desfecho idêntico foi conseguido pelo Desportivo do Niassa na recepção ao 1.º de Maio de Quelimane. O Ferroviário de Maputo empatou com o Estrela Vermelha a um tento. O Costa do Sol também não foi para além de uma igualdade diante do Desportivo de Nacala, mas a dois golos. Na próxima ronda, a sexta, destaque vai para o Ferroviário-Maxaquene.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:17
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O LANCE que ditou o triunfo da Liga Desportiva sobre o Desportivo, ambos de Maputo, levanta dúvidas quanto a sua validade, isto porque a posição em que se encontrava Eusébio, acima de tudo o autor do golo da vitória, Elias II, solicitado através dum cruzamento batido pela esquerda, pode ter sido irregular.

 

O próprio Eusébio ficou preso no terreno, fez uma pausa enquanto meditava. E o árbitro da partida, muito próximo do lance, esperou, por seu turno, que o seu primeiro auxiliar lhe desse sinal. Porém, ambos ficaram indiferentes e Eusébio não fez mais nada que endossar o esférico para Elias II finalizar, à passagem do minuto 71.

 

A Liga fazia desse modo a reviravolta, que teve mérito pelo seu desempenho na segunda parte, numa altura em que o Desportivo já acusava desgaste físico e já havia perdido aquela força e vivacidade que o caracterizaram na etapa inicial da contenda. Os “alvi-negros” deram-se ao luxo de manietar o adversário, com jogadas de alto pormenor técnico e táctico, construídas com rigor, daí a facilidade com que chegaram ao último reduto da Liga, perfurando a grande área, sobretudo pela esquerda, donde o talentoso Infren deu muito que fazer à defensiva caseira. Do lado contrário, Orlando, que tinha Sidique nas costas, teve o papel preponderante nas combinações com Jojó, que se desdobrava a toda largura da grande área à procura de espaço para atacar a baliza defendida por Joaquim. E inicialmente teve o grande apoio de Joca.

 

Foi assim que o Desportivo estremeceu, muito cedo, a defensiva da casa, primeiro através do próprio Jojó, que, da linha limite da grande área, viu o seu remate a ser desviado da trajectória de golo ao tabelar num contrário e projectar-se pouco por cima do travessão. Feito isto, Joca atirou quase o esférico a bater no travessão.

 

Mas a jogada de golo nasceu de uma jogada bem articulada e resultante de uma excelente combinação, pela esquerda do ataque, entre Infren e Jojó. Depois da primeira tabelinha, na segunda, Jojó fez a melhor colocação no interior da grande área para o 1-0. Golo que justificou a supremacia dos “alvi-negros” dentro das quatro linhas.

 

A Liga, com seu jogo largo e projectado para os flancos, com algumas tentativas de penetração pelo corredor central, onde Liberty tomava as iniciativas para colocar Telinho em vantagem sobre os “centrais” e que tinha ainda o apoio de Geraldo, procurou desequilibrar a defensiva “alvi-negra”. Mas esta demonstrou prontidão, enquanto na posição de “trinco”, Henrique fez o papel que lhe cabia, fazendo a cortina e destruindo as jogadas projectadas a partir da segunda metade da equipa visitante. E nessa missão teve o grande apoio do experiente Danito Parruque, que ainda teve o papel de projectar as saídas “alvi-negras” para o ataque, a partir do miolo.

 

Por outro lado, o Desportivo continuou na mó de cima, com Infren a rasgar a área um pouco pela esquerda, rematando para a defesa apertada de Joaquim, aos 32 minutos. O Desportivo demonstrava melhor capacidade táctica, aliada à perfeição na articulação e controlo da posse de bola, a explorar melhor os espaços vazios, tendo ainda Infren e Jojó os jogadores mais atrevidos no ataque. Mas os “alivi-negros” foram encontrados de surpresa num contra-ataque rápido. Geraldo, vendo apenas Fanuel na retaguarda, colocou o esférico em Nando, que, ante a saída em apuros de Zé, não conseguiu evitar o guarda-redes do Desportivo, que se arrastou com os pés e desviou o esférico da direcção da baliza, aos 37 minutos.

 

O golo do empate da Liga surge aos 51 minutos, com Nando a aproveitar a oferta da defensiva do Desportivo, na tentativa de desviar o cruzamento de Andro pela esquerda. A bola parou no meio-campista da Liga, que dominou o esférico com o pé antes de fuzilar. O domínio do Desportivo parou por aqui. Dois minutos depois, Telinho viu o seu remate a ser travado pelo travessão. E foi secundado com desvio de cabeça de Elias II a sair poucos centímetros por cima da barra. O Desportivo reagiu com o remate fraco de Infren para as mãos de Joaquim e este lance antecedeu o golo de Elias II, aos 71 minutos, naquele lance polémico.

 

A Liga já dominava a partida e, fruto disso, Telinho voltou à carga noutro contra-ataque que Zé travou com o corpo, aos 76 minutos. O Desportivo foi atrás de prejuízo, mas sem lograr os seus intentos, porque já estava um pouco desnorteada e perdia a posse de bola nas suas tentativas de saída. Danito Parruque ainda foi às alturas cabecear, mas houve um pequeno desvio e a bola saiu quase a roçar a base do poste, aos 81 minutos. E a fechar, Elias II chamou novamente Zé à prova e este, em voo, negou-lhe o golo com uma defesa apertada, aos 85 minutos. A sensivelmente quatro minutos dos 90 regulamentares, a Liga ficou reduzida a 10 unidades, com a expulsão de Elias I, com vermelho directo, depois de uma entrada violenta sobre Orlando. Mas isso não ajudou em nada o Desportivo, pois a partida terminou com 2-1 a favor da Liga.

 

O árbitro da partida, Celso Alvação, pode ter culpa no lance polémico, mas maior dose vai para João Paulo, pois a jogada nasceu da sua área de jurisdição. Depois os dois quiseram corrigir-se fazendo o pior nalguns lances que consideraram irregulares quando não. 

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Celso Alvação, auxiliado por João Paulo e José Mhula. O quarto árbitro foi Felisberto José.

 

LIGA DESPORTIVA - Joaquim; Norberto (Chico), Elias I, Bheu e Eusébio; Momed Hagi, Nando (Daínho), Liberty, Geraldo (Elias II) e Andro; Telinho.

 

DESPORTIVO – Zé; Sidique, Chris, Fanuel e Laque; Henriques (Jossias), Orlando (Arnaldo), Danito Parruque e Infren; Joca (Calton) e Jojó.

 

DISCIPLINA: vermelho directo para Elias I (teve ainda amarelo) e amarelos para Bheu e Geraldo, todos da Liga; e Henrique.

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:57
 O que é? |  O que é? | favorito

 

É ISSO mesmo. Parece ter sido um jogo em que Lucas Barrarijo, treinador do Chibuto, teve que se assumir como um herói perante as pessoas (quem diria?) algumas das quais o “viram a nascer” para dizer que, apesar de ser “filho da terra”, é um profissional de futebol.

 

De facto, foi do primeiro ao último minuto que Barrarijo quase não sentou no banco dando sempre indicações aos seus jogadores, porque queria sair da Beira com os três pontos.

 

Saiu o Chibuto, mas foi o Ferroviário que tomou as rédeas do jogo e procurou desde logo ser o mandante em campo, sem, contudo, ser muito objectivo nas suas incursões, enquanto os “guerreiros” de Gaza, esses, tentavam produzir o seu fio de jogo a partir de jogadas de pé para pé, mas também a faltar clarividência ofensiva.

 

Com Thomas Nyirenda a ser uma pedra influente na manobra atacante, os “locomotivas” sempre criavam calafrios no reduto do Chibuto, mas Tsepo e Nelito a não conseguirem desfeitear o guardião contrário, não obstante as oportunidades de golo criadas sobretudo a partir de jogadas feitas por Gildo, um outro grande construtor de jogadas de perigo.

 

Aos 18 minutos, Chibuto chega ao golo por intermédio de Chawa, naquele que foi contra-corrente do jogo, porque o Ferroviário da Beira era quem estava a comandar o jogo. Chicualacuala em cavalgada ofensiva pela ala esquerda entra na área e Paito trava-o em falta e o juiz Celestino Gimo assinalou prontamente o livre. Chamado a cobrar, Cedric cruza para o desvio de Chawa para o balde de água fria no caldeirão.

 

Depois disso, os treinados de Wedson Nyirenda reagiram à procura de golo de empate, tendo aparecido aos 31 minutos por intermédio de Tsepo a responder positivamente o cruzamento de Gildo. Com o empate a um golo foi-se ao intervalo.

 

Na etapa conclusiva, Chibuto entrou praticamente a marcar por intermédio de Cedric aos 54 minutos, na conclusão de um livre mesmo na entrada da grande área do Ferroviário, com largas culpas para a defensiva beirense que ficou a “ver o navio” a passar.

 

Posto isto, o Ferroviário da Beira foi mais adulto que o seu adversário procurando a todo o custo o golo da igualdade e, quiçá, o da vitória, o que não aconteceu até ao apito final do juiz, averbando desde modo a segunda derrota consecutiva.

 

Celestino Gimo, apesar de algumas falhas, esteve bem juntamente com a sua equipa.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO:Celestino Gimo, auxiliado por Osvaldo de Jesus e Manuel Nelson. Adérito do Rosário foi o quarto árbitro.

 

FER. BEIRA: Soarito; Eminem, Cufa, Edson e Moniz; Thomas Nyirenda, Paito (Belito), Fabrice e Gildo; Nelito (Dayo) e Tsepo (Mfiki).

 

CHIBUTO FC: Zacarias; Abas, Cambula, Tchocolo (Jeje), Jossefe (Micheque); Chicualacuala, Chawa, Obel, Nhabanga; Narciso e Cedric.

 

Amarelos para Fabrice e Paito (Ferroviário) e Narciso (Chibuto).

 

LAITON SIFA

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:45
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O  MAXAQUENE venceu o Chingale, por 2-1, num jogo dividido, no qual a equipa da casa demonstrou que já consegue jogar mesmo sem contar com o seu artilheiro Isac, que está a braços com uma lesão.

 

Jogando perante o seu público, o Maxaquene evocou a si as despesas do jogo, mas o Chingale não cruzou os braços. Aliás, a equipa de Tete chegou a Maputo precavida e com a intenção de discutir o resultado. Os “tricolores” tinham o nigeriano Luckman como única referência ofensiva. E foi a parir de si que, aos 10 minutos, se fabricou o primeiro golo dos “maxacas”. Luckman ganhou a bola perante a oposição de dois contrários na esquerda, penetrando a área “canarinha” para depois rematar para a defesa incompleta de Daúda, que afastou o esférico para o lado contrário donde vinha Butana, sem oposição, atirou sem hipóteses de defesa para o guardião ganês do Chingale. Os tetenses não acusaram o golo e minutos depois quase chegavam ao empate. Kelo rasgou a área “tricolor” pela direita fazendo um centro que culminou com um remate de Osvaldo para o poste.

 

O Chingale crescia, mas o Maxaquene era o mais adulto. Luckman deu réplica ao perigo do Chingale, num contra-ataque que culminou com o seu remate, de cá do meio da rua, ao lado. Os “canarinhos” voltaram a estar perto do empate quando, num lance aparentemente inofensivo, Makako centrou para o “capitão” Charly, que, de calcanhar, rematou contra a barra. O desafio ganhava mais intensidade, o intervalo aproximava-se, mas havia espaço para mais. Paito, aos 39 minutos, ganhou uma bola pela esquerda e, de longe, rematou forte ao lado. Era o aviso à navegação. O 2-0 surgiu pouco depois, aos 42 minutos, por Nito, que apareceu no primeiro poste responder de cabeça a uma solicitação de Manuelito, na cobrança de um livre. Foi-se ao intervalo com a vantagem dos “tricolores” a justificar-se.

 

No reatamento, Chingale apareceu mais atrevido, encostou o Maxaquene ao seu último reduto, o que fez com que os “tricolores” se limitassem a atacar através de contra-ataques, que, amiúde, geravam muito perigo à baliza de Daúda. Os tetenses, por sua vez, eram perdulários, daí que o caminho para a baliza de Guirrugo parecia cada vez mais distante. Mas houve espaço para a redução da desvantagem, por Chana, na cobrança de um penálti sobre o minuto 90 a castigar a uma falta de Guirrugo sobre um avançado “canarinho” e o consequente cartão vermelho para o guarda-redes do Maxaquene, que deixou o seu lugar para Okan. Não sobrava muito tempo e o 2-1 prevaleceu, num bom jogo, mas mal ajuizado por António Domingos e sua equipa.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: António Domingos, auxiliado por Amisse Djuma e Amisse Bacar. O quarto árbitro foi Ema Novo.

 

MAXAQUENE - Guirrugo; Nito, Paito, Butana, Bernardo; Dangalira, Mayunda (Tobias), Bruno, Manuelito (Manuelito); Okan e Luckman (Nelson).

 

CHINGALE - Daúda; Makako, Mohamed, Osvaldo, Júnior, Charly, Henry, Kelo (Nuro) Inocent; Supa (Fredy) e Chana.

 

DISCIPLINA: cartões amarelos para Júnior, Kelo (Chingale) e Luckman (Maxaque). Cartão vermelho directo para o guarda-redes Guirrugo.

 

QUADRO DE RESULTADOS

 

E CLASSIFICAÇÃO ACTUAL

 

Liga Desportiva-Desportivo de Maputo                     (2-1)

 UD Songo-ENH                                                    (2-0)

Costa do Sol-Desportivo Nacala                                (2-2)

Maxaquene-Chingale                                               (2-1)

Estrela Vermelha-Ferroviário Maputo                          (1-1)

Ferroviário Beira-Chibuto                                           (1-2)

Ferroviário Nacala-Ferroviário Nampula                         (0-1)

Desportivo Niassa-1.º Maio de Quelimane                     (1-0)

 

                                                J           V         E         D         G         P

 

LIGA DESPORTIVA                     5           4          1         0        7-2       13

UD Songo                                6          3          2          1          7-2       11

ENH                                        5          3          1          1          6-5       10

Fer. Maputo                             5          3          1          1          7-3       10

Maxaquene                              5          2          2          1          8-6       8

Fer. Beira                                 5          2          1          2          5-4       7

Fer. Nampula                           5          2          1          2          4-3        7

Clube do Chibuto                     5          1          4          0          3-2        7

Costa do Sol                           5          1          3          1          10-10     6

Desp. Nacala                           6          1          3          2          6-8        6

Estrela Vermelha                      5          0          5          0          3-3        5

Chingale                                  5          1          2          2          7-9       5

Desp. Niassa                            5          1          2          2          2-5       5         

Desp. Maputo                          5          1          0          4          6-10     3

Fer. Nacala                               5          0          2          3          2-6       2

1.º Maio Quelimane                  5          0          2          3          4-10     2

 

Próxima jornada (6.ª):Fer. Maputo-Maxaquene; ENH-Liga Desportiva; Chingale-Costa do Sol; Chibuto-UD Songo; Desp. Nacala-Fer. Beira; Desp. Maputo-Desp. Niassa; Fer. Nampula-Estrela Vermelha; e 1.º Maio Quelimane-Fer. Nacala.

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:28
 O que é? |  O que é? | favorito

 

A SELECÇÃO Nacional de futsal está praticamente apurada para as meias-finais do Campeonato Africano de Futsal, que decorre na vizinha África do Sul, ao vencer a Tunísia, por 4-1, em jogo da segunda jornada do Grupo A.

 

A equipa moçambicana passou a somar seis pontos e só um milagre pode afastá-lo das meias-finais. No jogo de amanhã, diante da Zâmbia, precisa apenas de um ponto para assegurar a passagem, mas até pode garantir o apuramento mesmo perdendo desde que noutro jogo entre África do Sul e Tunísia se registe um empate ou os tunisinos vençam. Mas importa dizer que mesmo se a equipa sul-africana vencer precisaria de superar a vantagem de Moçambique no “goal-average” que neste momento é maior. A equipa moçambicana marcou 11 golos e sofreu cinco em dois jogos, enquanto a África do Sul, que goleou a Zâmbia, por 3-0, marcou e sofreu sete golos nos dois jogos disputados.

 

Além de se apurar para as meias-finais, o que lhe permite continuar a lutar por um dos primeiros três lugares que dão acesso ao Mundial, a equipa nacional pode terminar em primeiro evitando um confronto com a melhor equipa do Grupo A, o Egipto, que em princípio deve terminar como primeiro do Grupo B.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:45
 O que é? |  O que é? | favorito

 

A primeira parte decorreu a um ritmo electrizante com as duas equipas a procurarem chegar ao golo. A equipa nacional foi a primeira a chegar com perigo à baliza defendida por Ahmed, que parou por duas vezes a tentativa de golo, em ambas ocasiões por Ziraldo.

 

Os tunisinos respondiam através de remates de longe, a que Nelson defendeu com categoria. Aliás, esteve em grande nos primeiros minutos, mas quis o destino que estivesse no lance mais infeliz da primeira parte, que viria dar o golo da Tunísia apontado por Feker, aos 18 minutos. Nelson saiu dos postes, em contra-ataque, mas demorou a decidir pelo passe e foi antecipado, a bola sobrou para Feker que, de primeira, ainda na zona do meio-campo, rematou certeiro. A reacção da equipa nacional não tardou, já que logo que saiu a jogar marcou o golo do empate por intermédio de Dino. A Selecção Nacional poderia ter saído a vencer na sequência de uma jogada de contra-ataque de dois contra um. Carlão não foi capaz de fazer o passe para Ziraldo, que estava bem posicionado para atirar a “matar”.

 

Moçambique veio para a segunda parte a todo gás, tal como tinha terminado a primeira. Subia para o ataque com perigo, mas faltava acertar no último passe. Foi numa jogada de insistência que chegou ao 2-1. Caló, de rompante, apareceu a rematar com força e colocação. Em vantagem, o combinado nacional passou a jogar mais a vontade. Dino, Carlão, Ricardo, Ziraldo, Lamarques e Caló, jogadores mais utilizados, começaram a dar o seu “show” e, com toda justiça, Moçambique chegou aos 3-1, quando estavam jogados 14 minutos. A Tunísia, visivelmente cansada, não tinha muitos argumentos, no entanto, tinha conseguido criar uma situação de golo desperdiçada por Trabelsi. Mas foi a equipa moçambicana a marcar por Caló a um minuto do fim e selou o triunfo para a turma nacional.

 

O jogo terminou em festa nas bancadas com mais de duas dezenas de adeptos moçambicanos a erguerem a bandeira nacional. O pavilhão do Ellis Park tornou-se por alguns minutos um espaço de festa moçambicana.

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: José Francisco e Eyebe Messoa. Terceiro árbitro: Khalid Hnich.

 

CINCOS INICIAIS

 

MOÇAMBIQUE - Nelson; Dino, Favito, Ziraldo e Carlão.

 

TUNÍSIA - Ahmed; Marouani, Mezni, Trabelsi e Hourri.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:40
 O que é? |  O que é? | favorito

 

Depois da derrota na primeira jornada do grupo B, por 5-2, frente ao Marrocos, a selecção angolana está obrigada a vencer o Egipto em jogo marcado para as 18:00 horas, no Eliis Park Stadium

 

A equipa angolana ocupa o último lugar sem qualquer ponto, enquanto Marrocos lidera isolada com três. Líbia e Egipto partilham o segundo lugar com um ponto, mercê do empate entre ambos na ronda inaugural.

 

Líbia, campeã africana, bate-se hoje no fecho da segunda jornada com Marrocos e sabe que não pode perder pontos sob o risco de comprometer a passagem para as meias-finais.

 

De referir que a selecção marroquina é a única que pode assegurar o apuramento para as “meias”, caso vença os líbios.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:35
 O que é? |  O que é? | favorito

GRUPO A

 

África do Sul-Moçambique (4-7)

Zâmbia-Tunísia (4-2)

 

GRUPO B

 

Egipto-Líbia (0-0)

Angola-Marrocos (2-5)

 

Resultados ontem

 

GRUPO A

 

África do Sul-Zâmbia (3-0)

Tunísia-Moçambique (1-4)

 

Hoje

 

GRUPO B

 

18.00 h - Egipto-Angola

21.00 h - Marrocos-Líbia

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:22
 O que é? |  O que é? | favorito

GRUPO A

                                                         J          V            E            D            G        P

 

Moçambique                               2         2          0          0          7-4     6

África do Sul                               2         1          0          1          7-7     3

Zâmbia               2         1          0          1          4-5     3

Tunísia               2         0          0          2          3-8     0

 

GRUPO B

                                                 J           V         E          D         G      P

 

Marrocos                                     1           1         0          0         5-2    3

Líbia                                           1           0         1          0          0-0   1

Egipto                                         1           0         1          0          0-0   1

Angola                                        1           0          0         1           2-5   0

 

 

IVO TAVARES, em Joanesburgo

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:08
 O que é? |  O que é? | favorito
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
23
24
25
29
30
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO