Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Sexta-feira, 01 DE Abril 2016

 

A TERCEIRA edição da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF) contará com mais duas equipas, comparativamente às duas edições anteriores, passando de oito para dez formações.

 

A prova arranca em Julho e, segundo o presidente LNFF, Augusto Jamine, a mesma conhecerá muitas melhorias este ano, quer em termos competitivos, assim como logísticos.

 

Com efeito, segundo Jamine, o sorteio para a competição irá acontecer em Junho, sendo que a Assembleia-Geral do organismo terá lugar nos meados deste mês. A referida AG irá definir os moldes de disputa da prova, que em princípio deverá prolongar-se até Outubro.

 

Jamine faz o balanço da segunda edição da Liga Feminina, uma vez mais ganha pelo Costa do Sol, contanto que as equipas se bateram muito bem. Segundo ele, houve menos faltas de comparência e, de uma forma geral, menos problemas.

 

Para a terceira edição da LNFF o dirigente daquela instituição diz que são necessários 25 milhões de meticais, ou seja, uma assinalável subida em relação à edição 2015, que rondou à volta dos 20 milhões.

 

O presidente da LNFF garante igualmente o aumento no número de patrocinadores na edição deste ano, o que contribuirá para a sustentabilidade da prova.

 

Com o aumento de mais duas equipas, apenas uma que participou na edição do ano passado é que deverá descer de divisão, em princípio o último classificado.

 

Refira-se que a LNFF é disputada no sistema clássico de todos-contra-todos em duas voltas.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:29
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

 

O TREINADOR da União Desportiva do Songo (UDS), Artur Semedo, ameaça abandonar o futebol devido à existência na modalidade daqueles que, segundo ele, actuam por conta dos outros para prejudicar os que trabalham honestamente, em alusão aos árbitros.

 

Semedo falava pouco depois do nulo, na tarde da quarta-feira, entre a sua equipa e a Liga Desportiva de Maputo, em Songo, uma partida em que o representante de Tete marcou, mas o árbitro não validou o golo por um pretenso fora-de-jogo.

 

No fim do jogo Artur Semedo estava agastado com a actuação da equipa da arbitragem, tendo realçado que “é vergonhoso o que se assistiu hoje (quarta-feira) aqui. Todos os dias eu e a minha equipa trabalhamos debaixo do Sol abrasador do Songo, para depois alguém nos fazer coisas como esta”, disse.

 

Acrescentou que “todos sabem e conhecem a qualidade do futebol praticado pelas equipas por onde passei, mas o nosso futebol continua com pessoas que trabalham a mando dos outros. É frustrante o que os árbitros têm feito à minha equipa”, desabafou.

 

A concluir, Semedo prometeu deixar o futebol dentro em breve para abraçar outras actividades. “A qualquer momento vou abandonar isto e fazer outras coisas. Aliás, tenho muita coisa a fazer na vida”, atirou.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:11
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O MOÇAMBOLA retoma este fim-de-semana depois do interregno para dar lugar aos compromissos da Selecção Nacional, com a efetivação da terceira jornada, na qual o Desportivo tem uma difícil deslocação à Beira para defrontar no domingo o Ferroviário local.

 

Os “alvi-negros”, sem qualquer ponto em dois jogos até aqui disputados, não terão vida fácil em Chiveve, pois vão medir forças com uma das melhores equipas desta competição e que este ano decidiu lutar abertamente pelo título.

 

A equipa comandada por Uzaras Momed está sob pressão, depois de perder com o Maxaquene e com o Costa do Sol na primeira e segunda rondas, respectivamente.

 

O Ferroviário da Beira, por sua vez, soma quatro pontos, uma vitória e um empate, pelo que esta é uma oportunidade para os “locomotivas” atingirem os sete pontos, o que manter-lhes-ia no pelotão da frente.

 

Em Maputo o Maxaquene recebe o Chibuto, num duelo que tem sido emotivo nos últimos anos. Os “tricolores” querem se redimir da derrota na ronda anterior frente ao ENH de Vilankulo, pelo que estarão de olho na vitória frente aos “guerreiros”, que em dois jogos realizados somam dois pontos frutos de outros tantos nulos.

 

O embate terá lugar no domingo à tarde no Estádio Nacional do Zimpeto.

 

O Costa do Sol, reanimado depois da vitória frente ao Desportivo na segunda ronda, recebe amanhã no seu relvado sintético o ENH de Vilankulo. Partida interessante, pois coloca frente-a-frente duas equipas com quatro pontos, pelo que ninguém irá facilitar. Os “hidrocarbonetos” estão igualmente motivados, pois na ronda anterior tombaram um gigante, o Maxaquene, daí que haja alguma confiança para este desafio.

 

Outra difícil deslocação é a que tem o Ferroviário de Maputo, campeão em título, a Nacala, onde irá jogar com o seu homónimo local. Nacala tem sido um reduto difícil para qualquer equipa que para lá se desloca, principalmente quando o adversário é o Ferroviário local, pelo que os campeões nacionais não terão vida fácil no domingo, apesar de se terem estreado de forma demolidora na quarta-feira frente ao Desportivo daquele ponto do país, na Machava, a quem impuseram uma goleada por 3-0.

 

No Songo a União Desportiva local recebe a aguerrida equipa do 1.º de Maio de Quelimane, que nesta prova já tirou pontos a dois candidatos ao título, nomeadamente o Costa do Sol e o Ferroviário da Beira.

 

Nesta partida, que terá lugar na tarde de domingo no Estádio 27 de Novembro, a União Desportiva é favorita teoricamente, mas os “operários” não costumam facilitar, pelo que o prognóstico é difícil.

 

Em Nampula o Ferroviário local recebe o regressado Chingale. É o reencontro entre duas equipas que se conhecem muito bem, com vários duelos no Moçambola. O factor casa pode pender a favor dos “locomotivas”.

 

Na capital do país o Estrela Vermelha joga amanhã contra o Desportivo de Nacala. É uma desafio entre duas equipas do mesmo “campeonato” e que procuraram dar o ar da sua graça. O Desportivo de Nacala ainda está com sequelas da goleada sofrida na quarta-feira, frente ao Ferroviário de Maputo, na Machava, e nesta partida certamente que irá dar tudo para sair com um resultado que lhe interessa.

 

Os “alaranjados”, por sua vez, sabem que os pontos para a manutenção são conseguidos frente a adversários como o Desportivo de Nacala, pelo que na tarde de domingo pode se esperar uma partida interessante no campo do Costa do Sol.

 

Ainda no domingo, na Matola “C”, a Liga Desportiva de Maputo recebe o estreante Desportivo do Niassa, numa partida em que os “muçulmanos” são claramente favoritos. Ambas equipas somam um ponto, mas a Liga apenas efectuou um jogo até ao momento, devido à sua participação nas Afrotaças.

 

Todos os jogos desta que é a terceira jornada têm início às 15.30 horas, à excepção da U. D Songo-1.º de Maio, que começa às 15.00 horas. Costa do Sol-ENH é o único agendando para amanhã.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:52
 O que é? |  O que é? | favorito

 

A SELECÇÃO Nacional de Judo corre o risco de não participar, a partir do dia 2 de Abril, no Campeonato Africano da modalidade, que serve de qualificação para os Jogos Olímpicos-Rio Janeiro-2016, por falta de fundos.

 

A equipa nacional de judo não dispõe neste momento de dinheiro para cobrir as despesas de participação no Africano a decorrer em Marrocos, uma situação que causa grande preocupação à Federação Moçambicana da modalidade. O secretário-geral, Nilton Mujovo, mostrou a sua preocupação por a selecção correr o risco de falhar a participação no maior evento continental.

 

Até aqui ainda não temos verbas que nos permitam participar na prova. É muito importante que os nossos judocas estejam presentes, porque caso consigam amealhar pontos no “Africano” podem qualificar-se para os Jogos Olímpicos”, explicou.

 

De referir que a Selecção Nacional é composta por quatro judocas, nomeadamente Marlon Acácio – 81kg, Edson Madeira – 73kg, Neuso Sigauque - 60kg e Bruno Luzia – 66kg. 

 

Os Jogos Olímpicos decorrem na cidade brasileira do Rio de Janeiro de 5 a 21 de Agosto próximo. O último judoca nacional a marcar presença foi Neuso Sigauque, em Londres-2012.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:21
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O FERROVIÁRIO de Maputo estreou-se ontem no Moçambola-2016 goleando, no Estádio da Machava, o Desportivo de Nacala por 3-0, em partida atrasada referente à primeira jornada.

 

Noutro jogo também em atraso e referente à mesma ronda a Liga Desportiva de Maputo foi travada também na estreia, em Tete, pela União Desportiva do Songo, com um empate sem abertura de contagem. Este empate tem sabor de vitória para a equipa do Songo, que passou a liderar a prova isolada com cinco pontos, tendo como directos perseguidores o Costa do Sol, ENH e Ferroviário, todos com quatro pontos. 

 

O Moçambola prossegue no fim-de-semana que se aproxima com a realização da terceira jornada, na qual o destaque vai para o embate entre o Ferroviário da Beira e Desportivo de Maputo no Chiveve.

 

FER. MAPUTO, 3 - DESP. NACALA, 0 - Ressuscitou e arrasou…!

 

O FERROVIÁRIO de Maputo teve de repensar no seu jogo para dar a volta a um cenário que o vulgarizou durante uma primeira parte improdutiva e ao fim da qual o Desportivo de Nacala merecia ter saído a vencer pelo menos por uma bola.

 

Os nacalenses acabaram pagando a factura cara pelos desperdícios nalguns lances com selo de golo, todos registados na etapa inicial da contenda, resultantes de uma actuação ousada e excepcional e aproveitando-se do mau momento em que os “locomotivas” atravessaram quase em todos sectores, nomeadamente desinteligências do eixo central à defensiva, uma fraca mobilidade no meio-campo e clarividência no sistema ofensivo.

 

Detalhadamente, dizer que Calima e Jeitoso, que faziam a dupla de “centrais”, foram muitas vezes encontrados em contrapé, enquanto os laterais Elísio e Edmilson não conseguissem travar a progressão dos nacalenses pelos corredores direito e esquerdo, respectivamente. Por via disso, Romão e Adebayor, que faziam a dupla de ataque, apareceram em posições privilegiadas de atirar, muitas vezes solicitados por Ramudua, que fazia a ala direita, mas sem atinar com a baliza.  

 

Já no miolo os “locomotivas” não tinham mobilidade suficiente para catapultar o ataque. Talvez a opção por dois médios defensivos, nomeadamente Timbe e Sassi, tenha influenciado para isso, enquanto Diogo e Jair acusassem algumas dificuldades para fazer a diagonal pelas alas esquerda e direita, face à pressão que os nacalenses empreendiam à entrada do seu último reduto, com uma defesa que se revelou tão compacta até à altura que sofreu o primeiro golo. Assim, nem o “capitão” Luís, muito menos o apático Miamy, tiveram espaço de manobra na frente do ataque. Perdiam-se entre a defensiva nacalense e muito menos conseguiam segurar o esférico nalgumas tentativas ensaiadas com apoio de Diogo e Jair, também indolentes. Aliás, as jogadas do Ferroviário morriam à entrada da segunda metade dos nacalenses. 

 

Portanto, o favoritismo do Ferroviário acabou sendo reduzido ao fracasso e foi por algum tempo vulgarizado perante a capacidade técnica e táctica dos nacalenses, que, com colocações rápidas e projectadas em profundidade para as pedras mais soltas, surpreenderam os “locomotivas”.

 

Foi perante estas fragilidades que o Desportivo se notabilizou, aparecendo de forma subtil próximo à baliza defendida por Germano, com passes mais precisos e rápidos. E por sinal os nacalenses foram os primeiros a dar o aviso à navegação, quando Ramudua centrou de direita para o isolamento de Romão, mas sem ângulo suficiente para enganar Germano, aos 22 minutos. 

 

Foi o princípio da tremedeira no reduto “locomotiva”, uma vez que, de seguida, Adebayor não acertou na tentativa de remate de primeira, depois de desenhar um belo “chapéu” a Jeitoso. A bola foi para as nuvens.

 

O Ferroviário só reagiu já no último quarto da primeira metade, primeiro quando Luís, junto da linha limite da pequena área, pela direita, e depois de tirar um pela frente, fez passe atrasado para Jair atirar. Mas não o fez e sua tentativa de colocar a bola para Miamy foi anulada. Porém, teve nota assinalável naquele remate devolvido pelo poste, aos 44 minutos. Os quatro minutos de compensação ainda deram susto aos “locomotivas”, numa altura que engendravam algumas saídas acertadas. Mas por duas vezes quase foram encontradas em contra-pé em contra-ataques rápidos. Para além daquele tiro bem direccionado de Ramudua, que provocou susto. A bola quase beijou o travessão.

 

A segunda parte arranca com o protagonismo “locomotiva”, que ia sendo fortalecido pelas alterações feitas no xadrez. Mas antes disso Miamy, após uma combinação entre Luís e Jair, foi projectado para a finalização e ofereceu o esférico ao guarda-redes Brayd. Logo de seguida aconteceu o golo que iria desnortear os nacalenses. Diogo foi chamado a cobrar um pontapé de canto e a bola foi pra si devolvida, tendo cruzado novamente para Jeitoso saltar alto e colocar a bola de cabeça no fundo das malhas.

 

Era o 1-0, aos 50 minutos, que mudou a história do jogo a favor dos “locomotivas”. Os nacalenses ficaram desnorteados e foram empurrados para o seu reduto. Mas reagiram de vez em quando. Ramudua veio de novo à carga, solicitando a intervenção de Adebayor, com um centro para o remate. Simulou que deixava a bola para um companheiro que nem viu e a bola rasgou a boca da baliza aos 65 minutos.

 

E o Ferroviário não brincou com serviço. Edmilson subiu pelo corredor esquerdo. Já no meio-campo nacalense cruzou com mestria para Luís cabecear para defesa incompleta de Brayd. Sassi fez a emenda para 2-0, aos 70 minutos. Os nacalenses tentaram redimir-se, com Adebayor a fazer o esférico beijar o travessão depois de tirar dois pela frente, aos 74 minutos.

 

Daqui, a equipa da casa relaxou o suficiente, enquanto o adversário, já totalmente desnorteado, ia atrás do prejuízo. Mas não conseguiu, porque Luís matou o jogo naquele lance que o baixinho Gito, lançado para o ataque na segunda parte, mostrou serviço. Rasgou o meio-campo nacalense um pouco pela direita e centrou para o “capitão” fazer o 3-0, para o fim do sonho nortenho.

 

José Maria Rachide, um árbitro por excelência, deixou a equipa jogar e foi mais pedagógico do que repressivo. 

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: José Maria Rachide, auxiliado por Domingos Machava e Carlos Manuel. O quarto árbitro foi Ema Novo.

 

FERROVIÁRIO DE MAPUTO – Germano; Elísio, Calima, Jeitoso e Edmilson; Timbe, Diogo (Muandro), Sassi e Jair; Luís (Eric) e Miamy (Gito).

 

DESPORTIVO DE NACALA – Brayd; Tawanda, Rasta, Tawinha e Mitter; Délcio, Ramudua, Bello (Zidane) e Daúdo (); Romão (Cota Ndenga) e Adebayor.

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:19
 O que é? |  O que é? | favorito
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
23
24
25
29
30
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO