Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 12 DE Maio 2015

judo12-05-15.jpg

 

A selecção nacional de judo conquistou 14 medalhas – oito de ouro, três de prata e três de bronze – no campeonato da modalidade, que decorreu no passado sábado, na cidade sul-africana de Joanesburgo.

Fizeram parte da competição 20 judocas moçambicanos, nos escalões benjamins, cadetes, juniores e seniores. A competição foi pontuável para o ranking e contou com a participação de seis países, nomeadamente, Zimbabwe, África do Sul, Zâmbia e Congo.

 MEDALHADOS

No escalão benjamins, os judocas moçambicanos não conseguiram conquistar nenhuma medalha de ouro. Diogo Luís e Jene Munene conquistaram medalhas de prata. Gavela Maculuve conquistou o bronze e Paulo Júnior não conseguiu nenhuma medalha.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:01
 O que é? |  O que é? | favorito

MASCULINO.gif

 

O VOLEIBOL moçambicano está de parabéns, depois do apuramento das equipas masculina e feminina de vólei de praia terem carimbado o apuramento para os Jogos Africanos, eis que as selecções nacionais de salão também se qualificaram para o mega evento a decorrer em Brazzaville, em Setembro.

 

As formações nacionais de vólei de salão obtiveram o bilhete para Brazzaville graças a uma campanha bem conseguida no Botswana, com maior destaque para os masculinos que se qualificaram em primeiro nas eliminatórias da Zona VI, após baterem a equipa da casa, por 3-0. Antes tinham ganho ao Zimbabwe, por 3-1.

 

Já a turma feminina apurou-se como segunda melhor da Zona VI ao perder na final com o Botswana, por 3-0. No primeiro jogo, o combinado nacional tinha derrotado a Zâmbia, por 3-0, triunfo que lhe valeu a presença em Brazzaville.

 

De referir que as esperanças de uma medalha nos Jogos Africanos estão depositadas na equipas de vólei de praia que tem demonstrado potencial para ombrear com as melhores combinados do continente.

 

Quanto às selecções de voleibol de salão, embora na Zona VI, os resultados sejam dos melhores tanto a nível de países como de clubes (Autoridade Tributária é tricampeã africana), advinha-se dificuldades acrescidas quando tiver que ombrear com equipas do norte de África, casos do Egipto, Tunísia e Argélia, assíduas presenças nos lugares do pódio e até em campeonatos do Mundo.

 

Nas próximas semanas, as selecções nacionais devem iniciar a preparação para a mega competição. 

 

FEMININO.gif

publicado por Vaxko Zakarias às 10:27
 O que é? |  O que é? | favorito

BASKET.gif

 

O DESPORTIVO apurou-se para a final do Campeonato de Basquetebol da Cidade de Maputo, em seniores masculinos, ao vencer a A Politécnica, por 67-53, no terceiro e derradeiro embate dos “play-off” das meias-finais.

 

Os “alvi-negros”, desta vez, provaram em campo o seu favoritismo e no primeiro período já venciam, por 27-14. Com o base Pio Matos Jr. a comandar, o Desportivo saiu para o intervalo a vencer, por 41-28. Embora no basquetebol a diferença de 13 pontos seja recuperável, não se acreditava muito nesse cenário, por aquilo que era o desenrolar do jogo. Os comandados de Bernardo Matsinhe eram de longe superiores aos de Carlos Niquice o que viria a confirmar-se no terceiro e quarto períodos.

 

No final, o marcador assinalava 67-53, uma vantagem de 14 pontos meritório para a equipa que mais procurou a vitória.

 

A Politécnica esteve longe de ser aquela equipa que se apresentou no segundo jogo dos “play-off” que foi capaz de surpreender a equipa “alvi-negra”.

 

A primeira final do “play-off” a melhor de três, que será entre o Desportivo e o Ferroviário, está marcada para sexta-feira (20.15 horas) no pavilhão da primeira formação.

 

FERROVIÁRIO DÁ PASSO DE GIGANTE

 

O Ferroviário somou a 13.ª vitória consecutiva na mesma competição, em seniores femininos, mercê de uma vitória sobre A Politécnica, por 63-48.

 

As “locomotivas” somam 26 pontos, mais três que o Costa do Sol que aplicou “chapa” 100 ao Desportivo, ganhando por 124-27.

 

O Maxaquene também ganhou sem dificuldades a UP, por 67-38.

 

Na próxima jornada, o destaque vai para o Ferroviário-Costa do Sol, que pode ser decisivo nas contas do título, caso as “locomotivas” vençam. 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:10
 O que é? |  O que é? | favorito

SIMAO.gif

 

MAIS um fim-de-semana futebolístico com moçambicanos em acção em diferentes países africanos e europeus. Na Espanha, o destaque vai para Simão Mathe, cujo seu Levante tem a manutenção praticamente garantida no campeonato daquele país, depois de uma época pouco conseguida por parte da turma da cidade de Valência.

 

No domingo, o Levante empatou a duas bolas na recepção ao Atlético de Madrid, passando a somar 36 pontos, na 14.ª posição, a duas jornadas do fim da prova.

 

O resultado do Levante deixou Corunha, Granada e Eibar (que também lutam pela permanência) em maus lençóis, visto que a turma do internacional moçambicano precisa apenas de um empate nas duas jornadas que restam da LA Liga. Aliás, o Levante até pode se dar ao luxo de perder ambos os jogos, desde que aquele trio não faça algo de extraordinário.

 

MEXER DERROTADO

 

Na França, o Rennes do internacional Mexer, com manutenção há muito garantida, recebeu e perdeu com o Bastia, por uma bola sem resposta em partida da 36.ª ronda da Ligue 1.

 

O Rennes continua com os 50 pontos, em nono lugar, saldo impressionante para uma equipa que normalmente luta para não descer. A Liga Francesa é liderada por PSG, com 71 pontos, ou seja, a um ponto de revalidar o título.

 

JUMISSE GOLEIA

 

Em Angola, o 1.º de Agosto de Jumisse parece que definitivamente se encontrou com consigo mesmo, somando vitórias atrás de outras. Este fim-de-semana a vítima foi o Atlético Sport de Aviação (ASA) a quem goleou, por 5-0. A goleada fez com que os “militares” subissem para o terceiro posto, com 21 pontos.

 

Entretanto, o trio de Bravos de Maquis, composto por Miro, Josemar e Sonito, perdeu na deslocação a Caála, por 3-1, frente ao Recreativo.

 

A derrota sanciona os “diamantíferos” que desceram para o sétimo lugar, com 16 pontos, ao cabo de 12 jornadas.

 

DOMINGUEZ FECHA COM TRIUNFO

 

Na África do Sul, o Sundowns fechou o campeonato com uma vitória sobre a Universidade de Pretória por uma bola sem concorrência, consolidando o segundo posto, com 57 pontos, menos três que o campeão, Kaizer Chiefs.

 

Esta pode ter sido a última partida do moçambicano com as cores do Sundowns, visto que o seu contrato expira próximo mês e por várias ocasiões mostrou-se indisponível a renová-lo.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:46
 O que é? |  O que é? | favorito

NÃO estou preocupado com a atitude daquele milhar de adeptos que lançou objectos contundentes para o campo, mas sim com as mentes esclarecidas que deveriam ter evitado que as coisas atingissem aquele nível de confusão.

 

Pensava eu que o senhor Estêvão Matsinhe fosse uma dessas pessoas a quem a Comissão Nacional de Árbitros confiou a missão de ser árbitro capaz de garantir a transparência e justiça desportiva. Enganei-me completamente, como também se sentiram enganadas milhares de pessoas "puras" e honestas que domingo último assistirem aquela vergonha nacional protagonizada pelo dito cujo.

 

Este artigo surge na sequência do jogo entre as formações do Ferroviário de Quelimane e da Liga Desportiva de Maputo pontuável para nona jornada do Moçambola que terminou em confusão a cinco minutos para o seu final. Aliás, já se jogava para o período das compensações. Há um jogador da Liga que entra pela ala esquerda, caminha em direcção à baliza, aparece, na circunstância Bony, que tira a bola ao adversário e os dois caem. Meu Deus! O senhor Estêvão Matsinhe entende que o referido jogador teria sido derrubado, o que não é verdade porque eu vi e estava a escassos meio metro da baliza com os outros colegas.

 

O que é caricato é que o árbitro auxiliar que acompanha a jogada não assinala penalte, mas o senhor Estêvão Matsinhe manda marcar o castigo máximo e Andro faz o golo forçado.  

    

O público não gostou desde o início dos favores que o árbitro ia dando à Liga. O golo foi o cúmulo e os adeptos já não toleraram mais as "diarreias" do senhor Matsinhe. Começou a lançar objectos contundentes para o recinto do jogo e não houve mais condições de segurança para que o jogo continuasse até por volta das dezanove horas que o público, que procurava pela cabeça do árbitro, abandonou o campo.

 

Não estou a dizer que esteja a concordar com a postura do público por ter protagonizado atitudes anti-desportivas. Eu também condeno e com veemência aquela que não foi a forma mais correcta de exigir justiça. É pela primeiríssima vez que isso acontece para o público de Quelimane, e porque se cansou das injustiças do senhor Estêvão Matsinhe durante toda a partida. O público de Quelimane é "civilizado" e bom. Gostava de futebol.

 

Já estiveram em Quelimane, ainda nesta época, clubes como o Ferroviário de Maputo, o Costa do Sol, e como jogaram futebol bonito e marcaram golos bonitos até aos próprios zambezianos aplaudiram as equipas de fora. Futebol é isso, é festa, é amizade. O que não é futebol é "fabricar" resultados como aconteceu no domingo.

 

O senhor Matsinhe protagonizou uma vergonha nacional. Um árbitro que se preze, de craveira nacional ou internacional, não pode e nem deve fazer uma encenação daquelas. Apenas um pequeno exemplo. Quando a Liga estivesse a atacar, o jogador dessa equipa levava o esférico, quer do meio-campo, quer ao meio do meio-campo, os adversários vinham para defender e às vezes cometiam faltas como por exemplo agarrar no adversário ou puxar pela camisola, mas Matsinhe não apitava no momento, esperava quando estivesse na pequena ou grande área mesmo sem a lei de vantagem. O que é isso meus senhores?

 

Não estou nada contra a Liga Desportiva. Por aquilo que se diz, é uma equipa que está a fazer um grande investimento no futebol, através da contratação de bons jogadores e criação de condições de trabalho. Tudo bom. E nada mesmo contra isso. Aliás, trouxe uma nova abordagem como se deve investir no futebol.

 

O que não é bom é ter árbitro que ajuda a "fabricar" resultados. Esses prejudicam os clubes que com imensas dificuldades fazem algum investimento. Faltam respeito às pessoas que gostam e estão no futebol por amor e pagam todos os fins-de-semana o bilhete de ingresso.

 

Afinal tem razão treinadores como Arnaldo Salvado e Artur Semedo que dizem que há no futebol coisas vergonhosas que num país sério não teriam espaço. Agora sim me subscrevo, porque a actuação do senhor Estêvão Matsinhe foi mesmo desastrada e vergonhosa. Matine disse que há bandidos no futebol. Afinal é verdade.

 

Gostaria de chamar atenção à Comissão Nacional de Árbitros e da própria Liga Nacional de Futebol que qualquer sanção a aplicar neste caso, o primeiro a ser castigado deverá ser, sem dúvida, o senhor Estêvão Matsinhe pelos seus "crimes" em Quelimane.

 

Se as duas entidades não fizerem isso, então estarão a apadrinhar injustiças. Sinceramente, para o bem do futebol, respeito e dignidade do futebol, gostaria de ter um comunicado a dizer que o senhor Estêvão Matsinhe está suspenso das funções de árbitro e instaurar um processo disciplinar. Depois que se tomem outras medidas. O outro aspecto é que Zambézia tem duas equipas, uma chama-se 1.º de Maio e outra Ferroviário de Quelimane. Se for o caso, cada Rosário paga a sua conta.

 

Não deixaria de questionar os critérios que são aplicados pela CNAF para a indicação de árbitros. Sem pôr em causa as competências profissionais do senhor Estêvão Matsinhe, o país inteiro tem árbitros que podem ajuizar melhor os jogos. Por que razão tem que ser os árbitros de Maputo a irem para as províncias. O senhor Matsinhe está sempre em Quelimane, qual é a razão que a CNAF encontra para sempre indicá-lo? O que é que pretende?

 

Não há outros árbitros neste país? A CNAF deve reflectir seriamente sobre isso. Infelizmente, no nosso país só se punem as equipas e o público e os árbitros não. Porquê? Penso que para impor alguma responsabilidade devem ser severamente punidos. O primeiro é o senhor Estêvão Matsinhe. Queremos ouvir e ver para acreditar numa CNAF isenta e responsável.

Deste modo, o senhor Estêvão Matsinhe já construiu a sua herança com a província da Zambézia.

 

JOCAS ACHAR

 
 
Fonte:Jornal Noticias
 
publicado por Vaxko Zakarias às 09:36
 O que é? |  O que é? | favorito
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO