Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 11 DE Maio 2015

NYIRENDA.png

 

FOI confirmado na tarde de ontem o zambiano Wedson Nyirenda como treinador principal do Ferroviário, depois de tantas especulações. Nyirenda, que vem substituir Lucas Bararrijo, que pediu demissão há duas semanas devido aos maus resultados que a equipa amealhava no Campeonato Nacional de Futebol.

 

O novo timoneiro do Ferroviário da Beira foi confirmado pelo presidente do clube, Valdemar Oliveira, que revelou que o treinador assinou o contrato até final desta época, devendo a sua renovação em função dos resultados que ira obter ao longo da presente temporada.

 

Oliveira explicou que o novo timoneiro dos “locomotivas” do Chiveve tem a dura missão de cumprir com os objectivos que a Direcção previamente traçou, que é de conquistar o Moçambola e a Taça de Moçambique esta temporada.

 

Falámos que a devido momento iremos anunciar o novo treinador de dimensão do Ferroviário da Beira e encontramos o mister Nyirenda e a sua contratação foi consensual por que reúne os requisitos que nós como direcção exigimos. Ele é a pessoa certa que pode levar o Ferroviário para o destino que nós pretendemos’’disse o presidente do clube.

 

Por seu turno o novo treinador da turma beirense, Wedson Nyirenda, disse ter pela frente um grande desafio de orientar um clube como Ferroviário da Beira que se encontra a atravessar maus momentos.

 

Sublinhou que algo deve ser feito para ultrapassar esta crise de resultados visto que a equipa troca bem a bola mas o que falta é a finalização, aliás era a única equipa que lhe impressionava aquando da sua estadia em Moçambique treinado o HCB do Songo.

 

’Prometemos injectar aos jogadores o nosso saber para que o público de Sofala volta a ter glórias, o Ferroviário tem grande equipa e é capaz de chegar mais longe. Vamos ver o que devemos fazer para virarmos esta página para o melhor de forma a voltar a conquistar o seu bom nome no panorama futebolística do país, disse Nyirenda.

 

LAINTON SIFA

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:54
 O que é? |  O que é? | favorito

ISAC.png

 

JOGO morno na primeira parte, com o Maxaquene a dar a iniciativa ao adversário, valeu pelo golo de Isac no segundo tempo, que foi a etapa mais emotiva.

 

O Chibuto entrou direccionado à baliza contrária, com Johane, Cedric e e Chicualacuala a serem as principais ameaças à defesa “tricolor”.

 

Mas o caudal ofensivo dos “guerreiros” não era acompanhado de oportunidades claras de golo. A partir do minuto 20, o Maxaquene tomou às rédeas, o que fez com que o Chibuto se limitasse aos contra-ataques.

 

Isac, Moniz e Luckman eram a dor de cabeça para a defesa do Chibuto e por várias vezes ameaçaram a baliza de Zacarias.

 

Entretanto, a primeira oportunidade clara de golo pertenceu à equipa da província de Gaza, aos 30 minutos. Simplex, fora dos postes, perde no duelo com Johane na área e este fez um passe atrasado para Cedric, que de imediato endossa o esférico para Chicualacuala, que rematou de cabeça para fora.

Foi a melhor oportunidade dos “guerreiros” no primerio tempo.

 

O Maxaquene respondeu instantes depois, com Mayunda a fazer um centro para Isac, que se deslumbra, cabeceando para a defesa de Zacarias. Aos 35 minutos, Michael desfere um remate do meio da “rua” directamnte para as mãos de Zacarias. Três minutos volvidos, Nito tentou a sua sorte à distância, mas Zacarias voltou a ficar com o esférico.

 

A melhor oportunidade do primeiro tempo para os “tricolores” surgiu aos 44 minutos, com Luckman a respodner de cabeça a um centro vindo da esquerda na sequência de um livre, mas, uma vez mais, Zacarias brilhou, defendendo para canto.

 

Foi-se em branco ao intervalo. Na segunda parte, o jogo tornar-se mais aberto e emotivo. Mais uma vez o Chibuto entrou com força e logo aos três minutos falhou um golo certo por intermédio de Johane. O avançado burundês foi perdulário, num lance em que Simplex já estava completamente batido, rematando ao lado, quando os adeptos já gritavam golo.

 

Os visitantes não baixaram os braços, continuaram a pressionar o adversário, mas sem sucesso na hora da verdade. O Maxaquene já apareceu aos 61 minutos, quando Isac aparece na cara de Zacarias para responder a um centro de Mayunda, o capitão “tricolor” chutou ao lado.

 

Afinal era o aviso à navegação, o golo que fez a diferença na partida não tardou, e foi Isac a facturar. A combinação com Luckman é perfeita e confunde a defesa de Chibuto, que de repente viu Isac na cara de Zacarias, mas desta vez a não desperdiçar, era o 1-0. Com o golo, o Maxaquene cresceu bastante, sendo que aos 87 minutos Isac quase bisava, mas Zacarias fez uma defesa de recurso.

 

Pouco tempo depois de entrar, Chaua incomodou por duas vezes a baliza de Simplex, já ao cair do pano. No primeiro lance fez um portentoso remate que saiu milimetricamente ao lado. Já sobre o último minuto dos quatro de compensação surge isolado na área, mas o seu remate ficou nas mãos de Simplex, que desta forma evitou o empate.

 

A arbitragem de Inácio Sitoe não teve mácula.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Inácio Sitoe, auxiliado por Célio Mugabe e Mário Albino. O quarto árbitro foi Aníbal Armado.

 

MAXAQUENE: Simplex; Moniz (Butana), Nito, Zabula, Bernardo, Wisky, Rachid (Nelsinho), Michael (Jacinto), Mayunda, Isac e Luckman.

 

CHIBUTO: Zacarias; Christopher (Adebayor), Chicualacuala, Maninho, Jossias, Johane, Obel, Leo (Luís), Duda, Cedric (Chaua) e Omar.

 

DISCIPLINA: amarelo para Zacarias (Chibuto)

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 
 
Fonte:Jornal Noticias
 
publicado por Vaxko Zakarias às 12:48
 O que é? |  O que é? | favorito

A NONA jornada do Moçambola fica marcada pelas cenas de violência que aconteceram no campo do Ferroviário de Quelimane, com os adeptos da formação da casa a protestarem veementemente contra a equipa de arbitragem comandada por Estêvão Matsinhe, que assinalou um penálti a favor da Liga. Esse lance, que gerou um autêntico caos, viria a resultar na derrota dos “locomotivas” de Quelimane.

 

Após a marcação da grande penalidade, o jogo não reatou. Adeptos enfurecidos arremessaram pedras, latas e outros objectos contundentes para o interior do relvado pondo em causa a integridade física dos que se encontravam no rectângulo do jogo. Face a este cenário, Estêvão Matsinhe foi obrigado a interromper o desafio, quando faltavam ainda jogar cinco minutos de compensação, e dar a vitória à Liga. Segundo o regulamento, um jogo interrompido só se repete em caso de impedimento por questões climatéricas.

 

Cenas destas vão-se repetindo nos vários relvados nacionais, com os árbitros a serem alvo de fortes críticas, por causa de actuações (rezam as crónicas) que deixam muito a desejar.

 

Se em Quelimane viveu-se uma autêntica batalha campal, com o autocarro da Liga a ser vandalizado, no Campo do Costa do Sol houve festa com uma vitória selada já no final, por 2-0, sobre o 1.º de Maio de Quelimane. Com esta vitória, os “canarinhos” sobem ao quarto lugar.

 

Um momento igualmente festivo vivem os vizinhos Maxaquene e Desportivo que venceram, respectivamente, o Chibuto e o Ferroviário, por 1-0. O golo dos “tricolores” foi marcado pelo “salvador” Isac, enquanto Lala apontou o tento dos “alvi-negros”.

 

O Desportivo somou a segunda vitória consecutiva. Um começo glorioso para o técnico Dário Monteiro que tira as “águias” dos lugares de despromoção para o oitavo lugar.

 

No “derby” de Nacala, o Ferroviário venceu o Desportivo, por 2-0, enquanto a ENH não foi além de um empate com o Ferroviário de Nampula, por 1-0, e caiu para o último lugar.

 

O Ferroviário da Beira bateu, em casa, a HCB, por 1-0, e deixou os lugares de despromoção.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:18
 O que é? |  O que é? | favorito

NUMA partida que em princípio o resultado era imprevisível, tratando-se de um dérbi local, onde cada uma das equipas queria vencer, o Ferroviário de Nacala, mostrou-se mais eficaz na concretização das oportunidades de golo que teve para sentenciar o resultado final, ante o desespero dos adeptos do Desportivo, também da mesma cidade.

 

Tratando-se de um jogo “histórico”, em que estas duas equipas rivais se defrontavam pela primeira vez na prova máxima do futebol moçambicano, arrastou para o sintético da Bela Vista pouco mais de dez mil espectadores, naquela que se pode até considerar a primeira maior enchente dos jogos do Moçambola disputados na presente temporada.

 

Num jogo aberto, com as duas equipas sem se preocuparem com o habitual estudo mútuo nos primeiro minutos da partida, o avançado Elias, do Ferroviário de Nacala, deu o primeiro aviso, a atirar forte quando ainda estavam jogados dois minutos da partida, mas o esférico ganhou altura para cima da trave da baliza defendida por David.

 

No minuto seguinte, na cobrança de um livre, Sanito, no seu jeito peculiar, obriga Jonas a uma defesa de recurso para canto, naquele que seria o primeiro lance de perigo para o golo do Desportivo de Nacala, quando estavam jogados quatro minutos.

 

Abertas as hostilidades em ambas as partes, passou-se a assistir a uma partida bastante equilibrada, com as duas equipas a “desbobinarem” um futebol para o agrado dos espectadores, o perigo de golo rondando nas duas balizas antagónicas, até que quando se pensava que se iria ao intervalo com um nulo no marcador, o experiente Marufo faz o primeiro golo da partida aos 42 minutos, respondendo de cabeça ao cruzamento de Micas.

 

No reatamento, o Desportivo, inconformado, entrou e deu tudo para dar volta ao resultado, que lhe era desfavorável, pecando apenas no aspecto da concretização, porque aos 55 minutos Maninho defronte da baliza de Jonas preferiu usar a força do seu pé, ao invés do jeito, atirando o esférico para as nuvens.

 

O Desportivo de Nacala voltou à carga aos 65 minutos, com Joa a atirar forte e bem colocado, mas que o seu remate encontrou pela frente uma defesa em grande de Jonas, que na tarde de ontem esteve acima do seu nível, a defender numa situação acrobática para canto.

 

Mas do que isso e, porque o Ferroviário de Nacala se havia remetido à defesa para resguardar o magro um a zero que lhe era favorável, deu espaços para que a turma adversária se agigantasse no terreno e ganhasse muitas manobras de invadir o reduto mais recuado do seu adversário e, neste período de domínio, Sanito teve tudo para empatar o jogo, quando isolado atira fraco e à figura de Jonas, aos 76 minutos, para o desespero dos seus adeptos.

 

Quando tudo apontava que o Desportivo a qualquer momento chegaria ao golo de empate, já em tempo de compensação, o Ferroviário de Nacala sentencia o jogo ao marcar o segundo tento, por intermédio de Djimo, que acabava de entrar, num lance em que a equipa treinada por Arnaldo Ouana foi colhida em contrataque, matando por completo as expectativas dos rivais.

 

Arlindo Nuvunga, que dirigiu o encontro, auxiliado pró Ivo Muiambo e Salomão Filipe, realizaram o trabalho impecável e sem espinhos, numa partida, a principio, de alto risco.

 

FICHA TÉCNICA:

 

Árbitros– Arlindo Nuvunga, auxiliado por Ivo Muiambo e Salomão Filipe.

 

Ferroviário de Nacala– Jonas; Norberto, Silva, Bheu, Micas e Megas (Djimo); Ozias, Abú e Chelito; Marufo (Zainal) e Elias (Valter).

 

Desportivo de Nacala– David; Idrissa, Isaías, Joa, Kikito e Miter (Zé); Essien (Tony), Maninho e Sanito; Gito (Odilo) e Faizal.

 

Acção disciplinar: Amarelos a Kikito e Joa, ambos do Desportivo de Nacala

  Luís Norberto

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:01
 O que é? |  O que é? | favorito

Desportivo-Vs-Ferrov_-J.png

 

O Desportivo teve ontem uma exibição que, sem dúvida, lhe confere o estatuto de vencedor merecido pela atitude e convicção demonstradas durante a contenda na qual acabou impondo-se sobre o seu adversário também pela determinação e alguma ousadia na prossecução do seu jogo.

 

Com um futebol construtivo e progressivo, privilegiando a circulação de bola e movimento ascendente das suas pedras para o reduto mais recuado dos “locomotivas”, os “alvi-negros” acabaram assumindo o controlo do jogo à entrada do segundo quarto da partida, dando indicação de que estavam determinados a sair deste encontro com um resultado encantador.

 

O jogo acabou ganhando algum equilíbrio, por um lado, devido à mesma disposição táctica com que se apresentaram as duas equipas de início (4x4x2), também pela característica quase comum na sua forma de actuação: jogo aberto e progressivo, assente na circulação de bola e exploração dos corredores com o objectivo de colocar a bola para o jogador mais solto na zona de finalização.

 

A diferença na actuação das duas equipas residiu na eficácia e firmeza por parte dos “alvi-negros”, enquanto os “locomotivas” denunciaram algumas falhas no acerto do passe e controlo do esférico, perdendo com alguma frequência a posse de bola e ou colocando o esférico em lugares errados, beneficiando o adversário, ora recuando desnecessariamente na posse de bola. Isso não só embaraçava o seu jogo, como também permitia que o Desportivo se organizasse melhor na retaguarda. O “capitão” e artilheiro Luís foi a pedra mais desarticulada, e matou várias vezes algumas iniciativas notáveis para o ataque.

 

A primeira parte acabou resumindo-se a três lances notáveis, começando pela antecipação de Ifren a Edmilson na sequência do centro de Lanito, mas o remate de primeira saiu desenquadrado com a baliza, aos 16 minutos.

 

O Ferroviário reagiu de seguida com Timbe a atirar para as alturas à entrada da grande área. A assistência foi de Jair. Feito isto, o Desportivo voltou à carga, com uma “bicicleta” mal feita de Lalá na tentativa de desviar para o centro de Mastyle, aos 34 minutos. A falta de discernimento e direcção com a baliza prevaleceu em ambas as partes. Manucho foi quem fechou o ciclo vicioso desviando igualmente para as alturas o centro de Diogo.

 

O Desportivo regressou do intervalo mais lúcido, enquanto Ferroviário continuava a não ter uma boa visão na explanação do seu jogo, apesar de ter melhorado com as substituições feitas, com destaque para a entrada do ala Barrigana e do artilheiro Maurício, que, com o seu vigor, galvanizou o ataque em luta constante com os “centrais”.

 

E por pouco não marcou, porque Agy tirou o esférico quase a atravessar a linha de golo, aos 69 minutos. Mas antes foi o “central” Chico que, numa das suas subidas, teve uma sobra atirando para a defesa do guarda-redes Helvêncio para canto. E, finalmente, apareceu o golo do Desportivo, que, também com as mexidas feitas por Dário Monteiro, teve um crescente ofensivo que culminou com o tento bem marcado por Lalá, aos 78 minutos. O Ferroviário tentou mais não conseguiu evitar a derrota.

 

FICHA TÉCNICA

Árbitro: Zefanias Chijamela, auxiliado por Teófilo Mungoi e Osvaldo de Jesus. O quarto árbitro foi Samuel Chirindza.

FER. MAPUTO – Germano; Chiza (Maurício), Jeitoso, Chico e Edmilson; Diogo, Calima, Timbe e Jair; Manucho (Barrigana) e Luís (Chadreque). 

DESPORTIVO – Helvêncio; Sidique, Agy, Hermínio e Jorge; Ifren (Betinho), Carlitos, Henrique e Mastayle (Tchaka); Lanito (Sataca Jr.) e Lalá.

DISCIPLINA: cartões amarelos para Chico e Calima.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:26
 O que é? |  O que é? | favorito
  Equipas J V E D P
1 Liga Desportiva 9 5 4 0 19
2 Maxquene 9 6 1 2 19
3 F. de Maputo 9 4 3 2 15
4 Costa do Sol 9 4 3 2 15
5 F. de Nacala 9 4 1 4 13
6 D. Nacala 9 3 3 3 12
7 F. de Nampula 9 3 2 4 11
8 D. Maputo 9 3 2 4 11
9 HCB Songo 9 3 1 5 10
10 1º de  Maio 9 2 4 3 10
11 F. de Beira 9 3 1 5 10
12 Clube de Chibuto 9 2 3 4 9
13 F. de Quelimane 9 2 3 4 9
14 ENH de Vilankulo 9 2 3 4 9

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:03
 O que é? |  O que é? | favorito
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO