Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 18 DE Novembro 2014

AS equipas nacionais que participaram das eliminatórias da Taça dos Campões Africanos em basquetebol, nomeadamente os Ferroviários de Maputo e da Beira (masculinos) e o Ferroviário de Maputo (femininos) tiveram uma participação desastrosa.

 

 

 

Num torneio em que foram anfitriões, contanto que a prova decorreu em Maputo, pior resultado era impossível para as equipas nacionais, todas desqualificadas.Em masculinos, os Ferroviário de Maputo e da Beira só conseguiram vitórias nos jogos entre si. Nos restantes foram suplantados pelos rivais da costa atlântica, o 1º de Agosto e o Recreativo de Libolo.

 

 

O Ferroviário de Maputo ocupou o terceiro lugar e pode ainda sonhar com uma possível repescagem, mas seja como for, o orgulho não deixa de estar ferido. Já o Ferroviário da Beira caiu em último lugar estando, desde já, fora do Afrobasket.

 

 

Em femininos, o Ferroviário de Maputo não teve musculatura para fazer face ao poderio do InterClube e do 1º de Agosto, ambos de Luanda. Mesmo assim, as “locomotivas” podem vir a beneficiar de uma repescagem.

 

 

As eliminatórias desta competição que terminou sábado em Maputo foram uma lição clara daquilo que é o desnível entre o basquetebol moçambicano e angolano. Os irmãos do Atlântico ganham ainda a vantagem por estarem rodados e com campeonatos mais longos e regulares, resultantes de bons investimentos que têm sido feitos.

 

 

 

 

RESULTADOS DAS EQUIPAS MOÇAMBICANAS

 

 

Masculinos:

 

 

1º de Agosto-Ferroviário de Maputo (74-51)

Libolo-Ferroviário da Beira (63-52)

Ferroviário da Beira-1º Agosto (56-93)

Ferroviário de Maputo-Libolo (44-52)

Ferroviário de Maputo-Ferroviário da Beira (60-63)

Ferroviário de Maputo-1º de Agosto (54-79)

Ferroviário da Beira-Libolo (63-76)

Ferroviário de Maputo-Libolo (56-58)

Ferroviário de Maputo- Ferroviário da Beira (70-60)

 

 

Femininos:

 

 

Ferroviário de Maputo-InterClube (50-56)

Ferroviário de Maputo-1º Agosto (51-59)

InterClube-Ferroviário de Maputo (57-56)

1º de Agosto-Ferroviário de Maputo(56-52)

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:45
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

NA tarde de sábado todos os caminhos iam dar ao Zimpeto. Logo de manhã era visível a romaria ao Estádio Nacional em diversos bairros e vias de acesso das cidades de Maputo e Matola.

 

 

 Zimpeto vestiu-se de vermelho, mais de 42 mil almas estiveram presente do chamado jogo do ano que resultou na primeira derrota de Moçambique naquele recinto inaugurado a 23 de Abril de 2011.Nas imediações do Estádio, a correria era enorme, com muita gente à procura de bilhetes e outra ainda nos carros a cumprir com o tráfego, que por acaso era bastante intenso.

 

 

 Enquanto se aguardava pela hora do jogo, almoçava-se nas várias tascas improvisadas e consumia-se diferentes bebidas alcoólicas e não alcoólicas. Era um frenesim total, as senhoras do comércio informal facturaram, e como, com preços especulados, algo típico naquele tipo de situações.

 

 

Os vendedores de camisetas e bandeiras não deixaram os seus créditos em mãos alheias, deram o seu máximo e foram para casa com os bolsos cheios.A Polícia de Trânsito teve muito trabalho naquela tarde, sobretudo a partir das 14:00 horas. Longas filas de carros quase todos direccionados ao Estádio Nacional preenchiam as estradas, mas as estradas e vias de acesso estavam também cheias de peões que rumavam ao Estádio.

 

 

 A partir das 15.00 horas, o ambiente no interior do recinto do jogo era frenético, já era possível adivinhar uma enchente, como aquela que se verificou a 03 de Agosto frente à Tanzânia.

 

 

Quando chegou a hora dos hinos nacionais, o Estádio não estava completamente cheio, mas prometia estar. Cumpriu-se com um minuto de silêncio em memória do malogrado presidente zambiano, Michael Sata, que, entretanto, foi honrado com a vitória dos “Chipolopolo”.

 

 

Dez, 15 minutos depois do apito inicial, as bancadas já estavam completamente preenchidas e muita gente em pé. Não se sabe se a FMF terá mandado imprimir bilhetes que superam a capacidade do Estádio ou houve quem entrou debaixo da “mesa”.

 

 

A verdade é que o apoio à Selecção Nacional neste jogo, diga-se, foi “efectivo”, ou seja, os “Mambas” foram apoiados do primeiro ao último minuto, com barulho e muitos cânticos nas bancadas, diferentemente de outros jogos em que a equipa é apenas apoiada nos momentos bons.

 

 

Doutro lado do recinto, a venda de vuvuzelas era muito rentável, pois muitos adeptos compraram aqueles instrumentos para intimidarem os zambianos. As vuvuzelas fizeram a sua parte no jogo, foram soprados do primeiro ao último minuto.

 

 

 

Apesar de uma primeira parte pouco interessante da Selecção Nacional, o público sempre acreditou nos “Mambas”. A pressão aos zambianos era maior, entretanto, estes pareciam estar pouco preocupados com isso e faziam o seu jogo e vezes sem conta visavam com perigo a baliza de Ricardo Campos.

 

 

Veio a segunda parte, a Selecção continuou a receber a ovação do público. Os “Mambas” melhoram de rendimento, o barulho nas bancadas intensifica-se, sobretudo quando se assinalou o maldito penalte falhado por Dominguez.

 

 

 

A partir daí o ambiente começou a ser ameno. A vibração reduzia, afinal o momento do jogo estava a chegar; golo da Zâmbia, derrota de Moçambique, mais uma frente ao vizinho, por sinal o maior carrasco do futebol nacional.

 

 

Aliás, não há selecção que já derrotou mais vezes os ”Mambas” que a Zâmbia, arriscamos dizer.A primeira vitória sobre a Zâmbia no jogo oficial não surgiu para a desilusão de milhões de moçambicanos, que mesmo não estando no ENZ acompanharam o jogo a par e passo via televisão e rádio.

 

 

No final da contenda, que conferiu o apuramento aos “Chipolopolo” para mais um CAN, a desilusão do Zimpeto era maior, desde o público até aos dirigentes que se fizeram em massa ao Estádio Nacional. Enfim, são coisas de futebol. Caímos em terra e sem glória...

 

 

Perdemos mas a vida continua. Terminou o desafio, seguiu-se a um tremendo sofrimento para se sair do estádio devido ao congestionamento do tráfego. Muitos, mas muitos carros, uma espécie de muita areia para um camião.

 

 

Cerca de uma hora depois a Polícia de Trânsito conseguiu minimizar a situação, as pessoas puderam, finalmente, aliviar-se das longas filas de viaturas rumo às respectivas residências ou casas de pastos para enxugar as lágrimas.

 

 

 

A Selecção Nacional não cumpriu com a missão, mas cumpriu com o dever. Quanto ao público, este sim, cumpriu com a sua missão de apoiar a equipa, mesmo nos momentos amargos, aliás, mesmo quando faltavam poucos minutos para o final do desafio, os adeptos dos “Mambas” ainda acreditavam que outro resultado era possível, até porque ninguém imaginava que aquela tarde seria do primeiro desaire no Estádio Nacional do Zimpeto, e logo frente ao nossos principal carrasco!

 

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:24
 O que é? |  O que é? | favorito

MARCELINO dos Santos, símbolo nacional e amante do desporto, foi vítima dos constantes problemas de corte no fornecimento de energia eléctrica no Estádio Nacional do Zimpeto.

 

 

 

 Com efeito, teve que subir até à tribuna de honra localizada no primeiro piso do Estádio através de escadas e não por elevador, pois não havia electricidade quando ele chegou, o que provocou um aturado esforço físico para uma personalidade da sua dimensão.

 

 

Marcelino dos Santos, apesar de se locomover com alguma dificuldade, aguentou-se e viu sereno e tranquilo a derrota dos “Mambas” frente à Zâmbia.Mesmo com este senão, é preciso realçar o patriotismo do antigo presidente da Assembleia Popular, um adepto incansável dos “Mambas”.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:16
 O que é? |  O que é? | favorito

É VERGONHOSO o cenário em que se encontram os bancos técnicos do Estádio Nacional do Zimpeto (ENZ). A imagem documenta um aspecto arrepiante, bancos técnicos suportados por blocos de cimento!

 

 

 

Os seus ferros de suporte ao solo, sei lá, desapareceram. Ninguém quer os recolocar. Quando sopra o vento, estes se deslocam de um lado para o outro, perigando a integridade física dos seus ocupantes.

 

 

Aconteceu em muitos jogos desta campanha de qualificação para o CAN-2015, desde o confronto com o Sudão do Sul, recorde-se, foi num dia em que fazia ventania em Maputo.

 

 

Na final da Taça de Moçambique, semana passada, foi dado o aviso, mas ninguém tomou conta do recado, ignorou-se o cenário que se viria repetir no último sábado no jogo contra a selecção da Zâmbia.

 

 

A Direcção do Estádio Nacional não deve ficar alheia àquele triste problema, que por sinal é de uma resolução pouco aturada em termos financeiros.ENZ é nossa principal sala de visitas em termos desportivos, por isso bancos técnicos suportados por blocos de cimento são uma nódoa à nação que se esforçou bastante para ter um estádio daquelas dimensões.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:11
 O que é? |  O que é? | favorito

PARA ganharem o jogo e depois honrarem o falecido presidente Michael Sata, os adeptos zambianos estiveram em número considerável no Estádio Nacional do Zimpeto, na tarde de sábado.

 

 

 

Calmos, serenos e calculistas, como foi a atitude da sua selecção em campo, os adeptos gritavam quando necessário e no final dos 90 minutos constataram que o seu esforço (físico e financeiro) de viajar para Maputo não foi em vão.

 

 

Não é para menos, a sua selecção, os “Chipolopolo”, arrancou uma preciosa vitória no Zimpeto e qualificou-se para o CAN-2015, que terá lugar na Guiné Equatorial.

É mais um CAN para os zambianos que, recorde-se, conquistaram esta competição há dois anos. Na altura, a competição foi co-organizada pela Guiné Equatorial e Gabão.

 

 

Do nosso lado, esfumou-se o sonho do quinto CAN. O quarto e último em que Moçambique se fez presente teve lugar em Angolana, em 2010.Parabéns aos adeptos zambianos pelo esforço, atitude e acima de tudo pela vitória e a consequente qualificação.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:07
 O que é? |  O que é? | favorito
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
22
23
24
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO