Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 11 DE Novembro 2014

PELO segundo ano consecutivo, a Taça Moçambique/Mcel vai para a capital provincial de Sofala. O Ferroviário da Beira é, coincidentemente, a equipa que oferece a taça aos seus fãs, principalmente do centro do país, pelo segundo ano consecutivo, depois de derrotar, na tarde de sábado, o seu homónimo de Maputo, por uma bola sem resposta.

 

 

 

O Ferroviário da Beira conquista, portanto, a sua terceira Taça de Moçambique, depois de o ter feito pela primeira vez em 2005, derrotando na final o Costa do Sol, por 1-0, no prolongamento. No ano passado bateu o Chibuto, por 2-0, por sinal no mesmo palco, Estádio Nacional do Zimpeto, a catedral do desporto moçambicano.

 

 

Com este feito, o Ferroviário da Beira junta-se à Liga Desportiva de Maputo na representação do país nas competições africanas. Enquanto os “locomotivas” vão à Taça CAF, os “muçulmanos” estarão na Liga dos Campeões.

 

 

A avaliar pelo desempenho das duas equipas ao longo da temporada, era previsível que o segundo troféu mais importante do país fosse para Beira. Aliás, os “locomotivas” daquela região centro do país tiveram uma excelente trajectória no Moçambola, lutando inclusivamente pelo título até à penúltima jornada, enquanto os de Maputo, que têm sido tradicionais candidatos ao “canecão”, estiveram muito abaixo do normal e só se salvaram da despromoção no fim da prova.

 

 

Com o Estádio Nacional do Zimpeto a registar uma boa assistência, com destaque para a presença do Primeiro-ministro, Alberto Vaquina, a quem coube a nobre missão de entregar a gigantesca taça, o Ferroviário da Beira tomou, desde o princípio, conta do jogo, perante um Ferroviário de Maputo tímido, a defender e a atacar em bloco.A justificar o domínio que vinham exercendo ao longo de todo o encontro, coube a Maninho sentenciar o jogo com um golo magnífico, porque não deu nenhuma hipótese de defesa ao guardião contrário.

 

 

Portanto, viveu-se um momento de “loucura” no Zimpeto, tal como acontecera no ano passado quando este mesmo Ferroviário da Beira fez vibrar os seus adeptos e simpatizantes ao bater, de forma convincente, o Clube de Chibuto.Se o Ferroviário da Beira conquista a sua terceira Taça de Moçambique, o de Maputo continua com quatro.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:04
 O que é? |  O que é? | favorito

VÁRIAS correntes zambianas reconhecem a ascensão de Moçambique no futebol, mas acreditam numa vitória sobre os “Mambas” como forma de garantir a qualificação dos “Chipolopolos” para o Campeonato Africano das Nações (CAN) – 2015 e, desta forma, honrar a morte do presidente Michael Sata.

 

 

 

Artigos publicados na edição desta semana do semanário “Sunday Mail” e no diário “Daily Mail”, de ontem, referem que a equipa zambiana encara o jogo do próximo Sábado, em Maputo, como sendo decisivo, não apenas pelos resultados encorajadores que os “Mambas” têm conseguido mas, ainda, pelo facto de o embate ocorrer quatro dias depois do funeral do malogrado presidente Michael Sata.

 

 

Este será um jogo muito importante para os “Chipolopolos”, não só pelo ressurgimento da acção dos Mambas, mas, ainda, pelo apego emocional da nossa selecção após a morte da figura paterna da Zâmbia”, escreve o Sunday Mail.

 

 

Segundo o mesmo jornal, em vida, Michael Sata deu aos “Chipolopolos” o melhor apoio possível, de tal forma que “os rapazes sabem que devem honrar um grande defensor e inspirador, um homem que elevou a moral de toda a equipa”. Vários analistas reconhecem a posição desconfortável da selecção zambiana, mas acreditam que com os ensinamentos de Sata de que com dedicação e entrega, e com a crença de que, na vida, nada é impossível, a “qualificação será alcançada”.Funcionários, treinadores, jogadores e torcedores têm falado e escrito sobre a necessidade de honrar Michael Sata com a qualificação que também passa, necessariamente, por uma vitória sobre os “Mambas”.

 

 

Entretanto, o avançado dos “Chipolopolos”, Evans Kangwa, que joga em Israel, disse ao “Daily Mail” de ontem que não vai decepcionar o seu seleccionador, Honra Janza, por lhe dar mais uma oportunidade de jogar pela selecção.

 

 

“O treinador tem confiado em mim e eu quero fazer o meu melhor. Meu desempenho falará por si”, disse Kangwa, que num jogo amistoso contra o Uganda, a 5 de Março deste ano, em Ndola, marcou dois golos que valeram a vitória por 2-1.Temos que jogar como se fosse o nosso último jogo... para nós este jogo deve ser como uma final”, acrescentou o atacante.

 

 

Enquanto isso, a Associação dos Adeptos de Futebol da Zâmbia (ZASPOFA) apelou ao Governo e a privados para fornecerem autocarros para o transporte de adeptos a Maputo. O patrono da ZASPOFA, Peter Makembo, disse domingo, em Lusaka, que a Zâmbia vai estar sob pressão em Maputo, daí a necessidade de se enviar um grande contingente de apoiantes. A Zâmbia tem cinco pontos, os mesmos de Moçambique, sendo entre estas duas selecções que sairá o segundo qualificado, depois de Cabo Verde. Na primeira “mão”, a selecção moçambicana arrancou um precioso empate a zero em casa dos “Chipolopolos”. - (AIM)

 

 

ALMIRO MAZIVE, da AIM, em Lusaka

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:43
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

Não é para menos, duas jornadas, dois ciclos vitoriosos ou melhor foi a segunda série de derrotas para as equipas moçambicanas, em ambos os sexos. O Ferroviário da Beira sucumbiu perante o 1º Agosto (56-93), o de Maputo vergou perante o Recreativo de Libolo (44-52), ambos em masculinos, e o Ferroviário de Maputo, já em femininos, arqueou-se frente as “militares” da capital angolana (51-59).Missões quase impossíveis para as equipas moçambicanas chegarem à Taça dos Campeões depois destes resultados negativos, em parte ditado pelo basquetebol praticado nos dois países.

 

 

O Ferroviário de Maputo foi o último a jogar, e frente ao Libolo foi nele onde estavam depositadas as esperanças de pelo menos uma vitória no segundo dia desta competição. Debalde, o poderio angolano sobrepôs-se e os “locomotivas” da capital não conseguiram fazer o melhor que os compatriotas que os antecederam.

Mesmo batendo-se bem, o Ferroviário não conseguiu evitar as derrotas parciais de 9-19, 20-29 e 35-43, antes de ver a confirmar-se o doloroso resultado final de 44-52 que deixa os moçambicanos longe da Taça dos Campeões Africanos.

 

 

PODERIO “MILITAR”

 

 

Entretanto, o primeiro a entrar em acção nesta que é uma espécie de um duelo entre clubes moçambicanos e angolanos em basquetebol, foi o Ferroviário da Beira e foi de longe superado pelo 1º Agosto por 56-93.

 

 

Sem argumentos para se opor ao poderio angolano, cedo o Ferroviário da Beira rendeu-se às evidências e viu os “militares” a passearem a classe na quadra. Contudo, o primeiro período não foi tão mau para os “locomotivas” do Chiveve, que saíram com uma desvantagem de apenas dois pontos (19-21). A partir do segundo período as coisas começaram a deteriorar-se e o 1º Agosto foi demolidor, saindo com uma vantagem de 18 pontos (26-44).

 

A situação agravou-se ainda mais no terceiro, com os angolanos a conseguirem uma vantagem de 26 pontos (44-70), isto antes de fixarem o resultado final em 56-93.Esta derrota coloca o Ferroviário da Beira numa situação complicada, visto que na véspera havia perdido com Libolo, por 52-63.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:07
 O que é? |  O que é? | favorito

Em femininos, o Ferroviário de Maputo baqueou frente à poderosa equipa do 1º Agosto que tem a moçambicana Leia Dongue a carregadora do piano. Aliás, esta foi o carrasco das “locomotivas” na tarde-noite de ontem.

 

 

 

Depois de um período bem conseguido pelas “locomotivas” (sem Leia no jogo) que saíram a vencer por sete pontos de diferença, 18-11, no segundo surgiu o “furacão” Leia Dongue. Bem acompanhada por Nacissela Maurício, a poste moçambicana não teve mãos a medir e nem tempo a perder, simplesmente, fez as “locomotivas” descarrilarem em pouco tempo.

 

 

Não é para menos, Leia municiou o ataque da equipa angolana e mais do que fazer muitos pontos ganhava muitos ressaltos, quer defensivos quer ofensivos, anulando “locomotivas” como Anabela Cossa, Odélia Mafanela, Ilda ou Ignivilde que haviam feito um bom primeiro período.Foi um momento de pesadelo para o Ferroviário, que apenas conseguiu marcar dois pontos nesta etapa, contra17 do adversário que saiu com a vantagem de 20-28, numa clara demonstração de força.

 

 

No terceiro período, as “locomotivas” equilibraram o jogo, estiveram de longe melhores que no segundo período, mas não evitaram a desvantagem de nove pontos, ou seja, 39-48. Nesta etapa, o Ferroviário conseguiu marcar 19 pontos, contra 20 das angolanas.

 

 

À entrada para o quarto e último período tudo estava praticamente definido, mas nos últimos quatro minutos o Ferroviário acreditou que era possível vencer este 1º Agosto, que só rendia melhor com a Leia Dongue na quadra.

 

 

 Aliás, as “locomotivas” chegaram a encurtar o fosso para três pontos de diferença, com dois minutos por jogar, mas foram cometendo erros que acabariam por custar carro uma derrota por oito pontos de diferença, 51-59 numa boa partida de basquetebol.Salientar que Leia foi a melhor marcadora do encontro com 21 pontos, mais seis que Ignivilde e mais 10 que Odélia (ambas do Ferroviário).

 

 

Quanto aos jogos para hoje destas competições, que decorrem no sistema clássico de todos contra todos em duas voltas, qualificando-se os dois primeiros de cada série, o destaque vai para o encontro entre os Ferroviário de Maputo e da Beira, em masculinos a partir das 15.00 horas, que antecederá Interclube-1º Agosto (femininos) e Libolo-1º Agosto (masculinos).

 

 

RESULTADOS DE ONTEM

 

Masculinos

 

Fer. Beira-1º Agosto (56-93)

Fer. Maputo-Recreativo de Libolo (--)

 

Femininos

 

Fer.Maputo-1º Agosto (51-59)

 

 

JOGOS DE HOJE

 

 

Pavilhão do Maxaquene

 

 

15.00h-Fer. Maputo-Fer. Beira (masculinos)

17.00h-Interclube-1º Agosto (femininos)

19.00h-Libolo-1º Agosto

 

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

publicado por Vaxko Zakarias às 09:56
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

O GOVERNADOR da província de Inhambane, Agostinho Abacar Trinta, prometeu, última sexta-feira, em Vilankulo, mobilizar apoios de todos, desde operadores económicos locais, parceiros de cooperação, pessoas de boa vontade amantes do futebol, para que o representante da província no Campeonato Nacional de Futebol, vulgo, Moçambola, ENH tenha boa prestação.

 

 

Agostinho Trinta, que se deslocou à vila municipal de Vilankulo para prestar homenagem aos jogadores, direcção do clube, equipa técnica e residentes daquela que é considerada a capital turística de Inhambane, disse que a ENH FC, tal como foi no passado com VFC, constitui o embaixador de Inhambane no programa desportivo nacional, é o orgulho de Inhambane, pois, segundo disse, a província volta a estar na rota do Moçambola.

 

 

Entretanto, o governante não avançou o tipo de apoio que o seu Executivo vai disponibilizar à ENH, assegurou, no entanto, que tudo será feito para que a equipa de Vilankulo participe de forma condigna no Moçambola.

 

 

Todavia, reconheceu que o desenvolvimento do desporto, não sendo tarefa exclusiva do Governo, é necessário que a sociedade, os adeptos, o empresariado nacional e estrangeiro, que opera na província, dê a sua contribuição, de modo que este clube represente com sucesso a província no Moçambola 2015.

 

 

Porque de facto nos engrandece o nome da província no panorama desportivo nacional, o Governo da província saúda e felicita os dirigentes da ENH, equipa técnica, os jogadores e através destes ao movimento associativo desportivo, a população de Inhambane, em particular do distrito e vila de Vilankulo, e todos aqueles que deram o seu melhor para que a nossa província voltasse a viver as emoções do Moçambola”, disse o Governador

 

 

Num outro desenvolvimento, aquele dirigente máximo da chamada “Terra da Boa Gente” sublinhou que o futebol constitui um veículo de promoção da saúde, união entre povos de hábitos e culturas diferentes, é um instrumento importantíssimo de preservação da paz, de promoção da unidade nacional e da auto-estima, daí que em Moçambique o desporto no geral assume prioridade para o desenvolvimento, logo, na agenda da província no próximo ano, a ENH merece uma prioridade a ter em conta.

 

 

O desejo do Governo e da população de Inhambane é de ver nos próximos tempos o nosso clube campeão nacional de futebol e, por conseguinte, a representar o nosso país na Liga dos Campeões Africanos, pelo que continuaremos a prestar o nosso apoio ao desporto em geral e ao clube em particular, de modo que este não seja despromovido.

 

 

A equipa da ENH FC foi revitalizada em 14 de Fevereiro deste ano, porque antes era designada Clube de Desportos da ENH, virada essencialmente para o futebol recreativo, no âmbito da responsabilidade social da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, ENH. Efectuou nesta época, na sua primeira aparição, 31 jogos oficiais, tendo conseguido 22 vitórias, sete empates e duas derrotas, sendo uma frente ao Desportivo do Maputo, no jogo a contar para a fase regional da Taça de Moçambique/mcel e contra o Matchedje no jogo da primeira “mão” da finalíssima para o apuramento ao Moçambola. Venceu o campeonato provincial e a respectiva taça a nível da província.

 

 

Dos jogos efectuados nesta sua curta existência, cinco estavam inseridos na Taça de Moçambique/mcel, 18 no campeonato provincial e oito na “poule” de apuramento sa zona sul.

 

 

Ainda na sexta-feira passada, Agostinho Trinta concedeu audiência à equipa da Escola Secundaria de Muelé que participa na Liga Feminina de Futebol. Neste encontro com as meninas que igualmente hasteiam a bandeira de Inhambane na primeira liga nacional de futebol do chamado “sexo fraco”, teceu elogios ao grupo que mesmo depois da despromoção do Vilankulo FC do Moçambola, Inhambane continua na rota do futebol nacional através desta equipa.

 

 

Recorda-se que foi sob orientação do governador de Inhambane que esta equipa foi inscrita na Liga, depois de sofrer uma falta de comparência na sua própria casa por atraso da sua inscrição.

 

 

O Governo está convosco, estamos prontos para apoiar no que for possível, sabemos que já estamos atrasados na lutar pelo título, mas no que for possível, mais concretamente a vossa participação no próximo ano, faremos”, garantiu Agostinho Trinta.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:26
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

ZIMPETO vestiu-se quase que totalmente de verde na tarde de sábado para testemunhar a final da Taça de Moçambique/mcel entre os “locomotivas” da capital do país e os da Beira, partida que, para além de decidir um troféu, fechava mais uma época futebolística no país.

 

 

O verde alternava com o amarelo, aliás, o equipamento alternativo do Ferroviário da Beira é desta última cor e como visitante devia entrar assim em campo, e uma parte dos seus adeptos, que se diga estiveram em bom número, estava trajado também de amarelo. Mas por falar do amarelo, é preciso realçar que o facto de a empresa patrocinadora desta competição se identificar com esta cor fez com que o verde ficasse nalgum momento ofuscado.

 

 

Com o Estádio Nacional longe da lotação (cerca de 15 mil pessoas), as duas equipas, porém, não se podem queixar da falta de apoio. O público puxava pelas respectivas equipas, e isso de certa forma enriqueceu o espectáculo, que teve uma primeira parte equilibrada, mas com algum ascendente por parte da equipa da Beira.Música, dança, brindes e outros atractivos coloriram uma festa na qual alguém tinha que terminá-la a chorar, e outro a sorrir para dar vazão ao velho ditado que diz que a alegria de uns é tristeza dos outros.

 

 

Nem tudo foi tão bonito na festa da Taça, prova que já teve 33 edições, com o Costa do Sol a ser “papa-títulos” com 11 troféus nas suas vitrinas. Havia muitas clareiras nas bancadas, ou seja, a bancada sol e os topos estavam praticamente vazios, apesar de o bilhete de ingresso custar um preço simbólico.

 

 

Somos de opinião que era lógico e, acima de tudo, plausível que houvesse mais público nas bancadas do Zimpeto, pois a partida de sábado, longe de ser uma final, era a última, em termos oficiais, para a temporada futebolística 2014 entre clubes.

 

 

Outra razão que não justifica a meia lotação do Zimpeto é o facto de a partida ter decorrido num sábado à tarde, numa cidade de Maputo que cumpria ontem um feriado municipal, portanto, um fim-de-semana prolongado.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 08:57
 O que é? |  O que é? | favorito

PARA além da comitiva governamental, na tribuna de honra esteve presente Teodato Hunguana, PCA  da mcel, empresa patrocinadora da Taça de Moçambique.Segundo Hunguana, a empresa que dirige continuará a patrocinar a Taça de Moçambique, pois se enquadra no contexto da responsabilidade social da empresa.

 

 

 

Continuaremos abraçados a este projecto, faz parte da nossa componente social. O futebol é importante para o nosso país e também para a mcel”, disse.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 08:50
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTA Taça é fruto do trabalho. Trabalhamos muito para este feito, corremos muito. Demos o melhor de nós. O resultado não podia ser outro. Entrámos bem para a partida, mas as transacções não saíam bem, por isso fomos ao intervalo sem termos marcado. Mas na segunda parte melhorámos e conseguimos a vitória.

 

O segredo foi, para além do nosso trabalho, dos adeptos. A equipa técnica e a direcção, todos estes foram importantes para esta façanha”, reparou.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 08:46
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTOU satisfeito com a vitória e mais uma Taça de Moçambique conquistada, a segunda consecutiva.

 

 

 

O nosso objectivo no Moçambola não foi alcançado, nem o primeiro nem o segundo lugares conseguimos. Em relação a este jogo, dizer que foi bastante difícil, ninguém queria perder, mas com o nosso trabalho, persistência e dedicação conseguimos sair vitoriosos”, analisou Nelito.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 08:43
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTOU feliz e orgulhoso com este triunfo. Estou muito satisfeito por uma vez mais ter ajudado a equipa a vencer com o golo que marquei. É uma conquista do grupo que depois de alguma frustração no Moçambola conseguiu renovar o título da Taça de Moçambique. No próximo ano há Taça CAF, e nós queremos representar condignamente o país.

 

 

Já temos alguma experiência com a participação na edição deste ano”, julga.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 08:34
 O que é? |  O que é? | favorito
Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
22
23
24
28
29
30
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO