Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 13 DE Outubro 2014

 

 

O COSTA do Sol, comandante isolado da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF), joga, hoje, a partir das 15.30 horas, em Lichinga, diante da União Desportiva local em jogo da sétima jornada.

 

 

As “canarinhas”, as únicas sem derrota, lideram com 17 pontos, mais quatro que ABC, segundo lugar. O Benfica de Laulane e Muelé partilham o terceiro posto com 10 pontos.No campo do Ferroviário de Inhambane, o Clube Desportos de Muelé defronta o Clube da Matola às 15.00 horas.

 

 

Na segunda-feira realiza-se a oitava jornada. O Costa do Sol joga com Academia Militar; o ABC mede forças com o Benfica de Laulane, o Clube de Muelé ombreia com UD de Lichinga.Refira-se que esta prova decorre no sistema clássico de todos-contra-todos em duas voltas.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:35
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

MALHANGALENE e Maxaquene defrontam hoje Mavalane (10.00 horas) e Escola Sansão Muthemba (12.00 horas), respectivamente, na segunda jornada da Taça Maputo em seniores masculinos.

 

As equipas da Malhangalene e Maxaquene, principais favoritos a vencerem a prova, têm os dois uma boa oportunidade para continuarem na rota das vitórias.O Costa do Sol joga com Mahotas (17.30 horas) num encontro em que se antevê muitas dificuldades.Em femininos, o Maxaquene mede forças com a VBD Sport (16.15 horas). O rival Matchedje bate-se com a Faculdade de Educação Fisíca (18.50 horas). As “tricolores” e“militares” têm largas possibilidades para somarem os três pontos.Todos os desafios terão lugar no pavilhão do Maxaquene.

 

 

MAXAQUENE LIDERA

 

 

Entretanto, no fim-de-semana passado, Maxaquene venceu o Matchedje por 26-21 em jogo da primeira jornada da segunda volta do Campeonato de Andebol da Cidade de Maputo em seniores femininos.Em partida disputada no seu pavilhão, domingo, as “tricolores” voltaram a mostrar-se superiores tal como tinha acontecido na primeira volta e deram um passo gigantesco para assegurarem o título.

 

 

A equipa “tricolor” lidera com 12 pontos, mais cinco que as “militares”, actuais detentoras do troféu.Para a mesma jornada, o VBD Sports perdeu com a Faculdade de Educação Física e Desportos, por 35-22.

 

 

Em masculinos, disputou-se a sétima e última jornada da primeira volta, com o Costa do Sol a regressar às vitórias frente ao Clube de Mavalane, por 35-25.Na partida mais renhida da ronda, o Clube de Boane derrotou o Núcleo Desportivo das Mahotas, por 33-30.Entretanto, Malhangalene, líder com 18 pontos, viu o seu jogo frente à Matola ser adiado devido à falta de iluminação.Maxaquene, segundo classificado, ficou de fora devido ao número ímpar de equipas.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:24
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

O SELECCIONADOR Nacional, João Chissano, realçou que o resultado conseguido diante do Cabo Verde abre, sem dúvidas, boas perspectivas para a qualificação de Moçambique ao CAN-2015, mas considera que qualquer uma das equipas que estão no grupo tem possibilidades de se apurar.Salientou que a expectativa em relação à qualificação de Moçambique é boa, mas frisou que não significa que chegou ao CAN.

 

 

Temos o caminho meio andado. Acabou a primeira volta e estamos em segundo lugar e teremos que priorizar e tentar conservar, se for possível, esse lugar até ao final”, disse. Quanto ao resultado, afirmou que o que determinou a vitória foi muito trabalho.

 

 

 “Havia dito que senão jogarmos como equipa íamos ter dificuldades de ganhar a Cabo Verde, que tem jogadores acima da média e rápidos em contra-ataque. Por isso, Moçambique tinha que jogar como equipa para vencer. Acho que nesse aspecto fomos felizes”, anotou.  Quanto ao jogo da quarta-feira, admitiu que Moçambique vai encarar muitas dificuldades.

 

 

Vamos jogar em casa do adversário. Como viram, Cabo Verde tem uma boa selecção. E vamos esperar que, de facto a jogar em casa, se abra como se abriu aqui (na Machava) para conseguirmos marcar golos. E, se não conseguirmos ganhar, também vamos tentar não perder”.Lamentou o facto de os jogadores terem muito pouco tempo de descanso e isso requererá uma preparação redobrada e acima de tudo atitude mental.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:17
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

CABO Verde vai, segundo o seu técnico, procurar manter o primeiro lugar. Afirmou que não há mais tempo a perder senão pensar no jogo da quarta-feira. Quanto ao embate de sábado afirmou que ninguém esperava facilidades.

 

 

Tivemos um início promissor e esperamos dar continuidade em casa, ganhando. Vamos lutar por isso e ficaremos numa situação privilegiada. Não estivermos bem neste jogo, mas esperamos vencer o próximo. Temos que forçosamente reagir a esta derrota de hoje (sábado). A nossa equipa tem qualidade e vontade para isso e que vamos preparar com muito cuidado esse jogo”, prometeu.

 

 

Rui Águas não esperava pela derrota e comentou o resultado de seguinte modo.“Quando se começa mal um jogo, muitas vezes determina o resultado e foi um bocadinho disso que aconteceu”. Quanto à prestação dos “Mambas”, o técnico cabo-verdiano disse que conhecia a equipa, dai que não foi surpresa para si.

 

 

É uma equipa boa, intensa, tem jogadores bons e alguns deles muito bons e foram superiores a nós na primeira parte. Chegaram com a vantagem e com justiça ao final da primeira parte. Mas, a segunda foi diferente, a atitude da equipa foi outra, a agressividade, tão importante, subiu muito e fez diferença. Só que o segundo golo abalou em demasiado a equipa. Naturalmente uma equipa que sofre um segundo golo naquelas condições vai abaixo, embora tivéssemos tentado, a partir daí, reagir. Tivemos situações de golo, mas não apareceu nenhum.

 

 

Não tivemos aquele alento que mais nos permite dar a revira-volta e, pronto, foi essa história”, comentou.O técnico português espera por um bom jogo na quarta-feira, uma vez que estarão em campo duas equipas na luta pelo primeiro lugar.“Hoje (sábado) foi um bom jogo, um bom duelo, bastante táctico e fechado. O árbitro também não complicou, penso que esteve bem, sem dúvidas. O jogo foi equilibrado, só que o resultado é que não foi bom para nós, mas para Moçambique”, concluiu.   “Não só Moçambique, como também Cabo Verde vai ressentir-se disso”, concluiu.

 

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:11
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

A SELECÇÃO Nacional de futebol arrancou uma exibição espectacular para uma vitória convincente frente a Cabo Verde numa tarde que, apesar de cinzenta, não impediu para que o incansável público apoiante e simpatizante dos “Mambas” acorresse em massa para o místico Estádio da Machava, com o “vermelho”, símbolo” da equipa de todos nós, quase a preencher todas as bancadas da catedral.Machava explodiu perante a ostentação dos “Mambas” diante dum adversário que, a prior, é visto como o principal candidato à transição, na série, no qual desfilam também a potente Zâmbia e Níger.

 

 

O combinado nacional teve uma postura que superou as expectativas e os receios que rodeavam os menos crédulos, sobretudo porque os “Mambas” consentiram empate diante do adversário mais acessível do grupo, o Níger, em pleno Estádio Nacional do Zimpeto. O Cabo Verde, cujo favoritismo lhe foi conferido desde o arranque da fase de grupos depois da excelente prestação na fase de qualificação ao Mundial do Brasil, foi posto à prova no inferno da Machava. A brilhante exibição dos “Mambas” diante dos cabo-verdianos chegou a recordar o período áureo dos “Mambas”, durante o qual “Machava” se transformou num inferno de qualquer que fosse o adversário. A história repetiu-se, pois Cabo Verde foi chamado à rendição, perante um futebol de luxo e condimentado com todos pormenores técnicos e tácticos, desde do ponto de vista colectivo e individual.  

 

 

Jogando abertamente ao ataque, com uma entrada fulgurante e destemida, os “Mambas” assumiram muito cedo as rédeas de jogo, com um futebol ajustado e apoiado, com uma excelente circulação de bola e boa movimentação das pedras no terreno. Diga-se, em abono da verdade, que o seleccionador nacional, João Chissano, acertou no onze inicial e isso se reflectiu numa produção de jogo acima da média e que acabou provocando um certo nervosismo aos cabo-verdianos, pressionados logo à partida.

 

 

Experimentaram muitas dificuldades, com Dominguez a dar impulso ao ataque, ora mudando de flancos e se necessário recuando, confundindo sempre o adversário, abrindo desse modo espaços para as movimentações para o ataque. Jogando um pouco encostado à direita do ataque, na primeira parte, e trocando de flanco com Josimar que actuava no extremo esquerdo, Dominguez chamou Sonito sempre que fosse oportuno e este, usando da sua postura física, deu algum trabalho aos “centrais”, mas teve melhor espaço de manobra, dai que não tenha conseguido cumprir com a sua principal missão entanto que ponta-de-lança. Mas deu o baralho necessário, obrigando a defensiva a grandes intervenções. De vez enquanto assistiu-se às subidas de Zainadine Júnior e Miro para os flanqueamentos, embora pouco acertados, mas que galvanizavam a acção ofensiva pela direita e esquerda do ataque.

 

 

 

No miolo, Simão Mate e Momed Hagy foram excelentes nas coberturas e recuperações de bola, fazendo cortina necessária para impedir o avanço cabo-verdiano pelo corredor central e dando início às jogadas de ataque. Houve algumas dificuldades em termos de transições, sobretudo na primeira parte, mas os “Mambas” detinham maior posse de bola e apenas faltou um pouco de velocidade no arranque para o ataque, o que obrigou Dominguez a usar da sua capacidade individual e polivalência para dar arranque às jogadas de ataque que levaram perigo junto à baliza de Vozinha.

 

 

Contudo, Cabo Verde foi mais cuidadoso de ponto de vista defensivo, razão pela qual os “Mambas” só conseguiram arrancar a primeira jogada mais vistosa de ataque aos 37 minutos. Dominguez cobriu o livre a castigar falta sobre si pela esquerda, colocando o esférico no primeiro poste, donde apareceu Mexer a desviar de cabeça, mas a bola foi afastada da trajectória da baliza para fora. Os cabo-verdianos beneficiaram igualmente de um livre, mas mal cobrado, à passagem do minuto 42. Este lance antecedeu o momento mais esperado pelos moçambicanos.

 

 

Sonito, de costas voltadas aos “centrais”, é solicitado e sem espaço de manobra vira-se para a esquerda e faz tabelinha com Kito, que se desmarca para fazer o golo que colocou os “Mambas” em vantagem no marcador, aos 43 minutos. Machava explode de alegria e numa altura que faltavam poucos minutos para o intervalo. Mas esses poucos minutos criaram alguma inquietação, com Mexer a querer testar um pouco da sua segurança e mestria junto à zona de rigor. Porém, a permitir a intervenção adversária e provocar alaridos sem necessidade. Mesmo assim, os “Mambas” foram ao intervalo a vencer.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:58
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

 

 

A segunda parte se inicia com uma tentativa inglória dos cabo-verdianos igualar a partida. Entraram com muita força e, por algum tempo, o reduto mais recuado dos “Mambas” estremeceu. Zé Luís, a pedra mais temida dos cabo-verdianos, atirou para a malhas laterais da baliza defendida por Ricardo Campos, após contra-ataque rápido e tabelinha com Garry, no interior da grande área, aos 58 minutos. A tempestade foi de pouca dura, pois, os “Mambas”, que regressaram para o jogo com o mesmo 11, restabeleceram-se pouco tempo depois. Josimar privilegiou, neste período, o flanco esquerdo e, com muito tecnicismo, invadiu a grande área para dar assistência aos seus colegas de ataque.

 

 

João Chissano substitui, aos 62 minutos, Sonito por Reginaldo, portanto um ponta-de-lança por um avançado. E não tardou, pois, Dominguez, em mais uma investida, penetrou na grande área e, após tirar um contrário, fez passe para Josimar que, do primeiro poste centrou para Reginaldo encostar o pé para o 2-0. Afinal João Chissano tinha feito a leitura certa, pois não passaram dois minutos para que Reginado cumprisse com a missão para a qual foi chamado do banco. E o público vibrou; Machava explodiu novamente, com apupos para os cabo-verdianos reduzidos à moleza. Daqui para a frente assistiu-se a um belíssimo espectáculo de parte a parte.

 

 

Cabo Verde lançou-se abertamente para ao ataque. Mas encontrou a devida resposta da defensiva e uma reacção ofensiva dos “Mambas” bastante impressionante. Porém, Mexer voltou a cometer uma “borrada”. Ao invés de despachar na zona de rigor, quis exibir a classe, só que a fotografia saiu lhe mal, e os cabo-verdianos ganharam mais um lance de bola parada.

 

 

O jogo ganhou mais ritmo à medida que caminhava para o fim, com os cabo-verdianos a acelerarem o passo, forçando a defensiva moçambicana à maior concentração. O treinador português Rui Águas fez algumas substituições. A entrada do médio-ofensivo Heldom e o artilheiro Djanini galvanizaram o ataque. Djanini, que entrou para o lugar de Odair, deu aviso com um remate, na boca da baliza, que saiu ligeiramente alto, aos 80 minutos.

 

 

Os “Mambas” ripostaram de seguida, com o “capitão” Dário Khan a desviar rasteiro de cabeça a um pontapé de canto batido por Dominguez, tendo o esférico saído quase a roçar o poste. Cabo Verde tentou outra vez chegar ao golo, com Cálu a atirar para as malhas laterais, aos 86 minutos. Nesta altura, os “Mambas” faziam a gestão de tempo, jogando de forma desinteressada, com mais circulação de bola, o que criou mais nervosismo aos cabo-verdianos. E renderam-se completamente. Aliás, Dominguez, em jeito de despedida, ainda chamou aos reflexos de Vozinha, com um remate para a defesa de recurso, isso já no período de compensação.O árbitro da partida, o egípcio Mohamed Farouk, fez um excelente trabalho. Esteve bem técnica e disciplinarmente.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

 

COMISSÁRIO: Edwin Mmonwagotlhe, do Botswana.

INSPECTOR DE ÁRBITROS: Jean Claude Labrosse, das Seychelles

OFICIAL DA FMF: António Chambal

ÁRBITRO: Mohamed Farouk, auxiliado por Sherif Hassan e Amade Saher, do Egipto. O quarto árbitro foi também o egípcio Mohamed Marouf.

MOÇAMBIQUE: Ricardo Campos; Zainadine Júnior, Mexer, Dário Khan e Miro; Kito, Simão Mate, Momed Hagy, Josimar (Isac); Dominguez e Sonito (Reginaldo).

CABO VERDE: Vozinha; Carlitos (Heldom), Gégé, Varela e Stopira; Calú, Babanco e Sita (Cuca); Odair (Djanini), Garry e Zé Luís.

DISCIPLINA: Amarelo para Dominguez, por indisciplina.  

 

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:51
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

A SELECÇÃO Nacional de Futebol venceu sábado, no Estádio da Machava, Cabo Verde por 2-0, em jogo da terceira jornada do Grupo “F” de qualificação ao CAN-Marrocos/2015.

 

 

Em tarde de boa memória para o futebol moçambicano, os “Mambas” demonstraram estar fortes e plenos de confiança para travarem uma luta com os seus concorrentes que se antevê intensa até à derradeira jornada. Para já, graças a esta vitória, a equipa moçambicana isolou-se no segundo lugar com cinco pontos e ficou a um da liderança, que continua a pertencer os “Tubarões Azuis”.

 

 

O triunfo do conjunto nacional começou a ser desenhado aos 44 minutos, quando o médio-ofensivo Kito abriu o marcador, provocando uma explosão de alegria no Estádio da Machava. Os milhares de moçambicanos, que lotaram por completo o estádio, não deram, seguramente, o seu tempo por perdido, pois tiveram o privilégio de testemunhar de perto a mais uma vitória categórica dos “Mambas”, a fazer lembrar os grandes momentos vividos naquele recinto.

 

 

 

A chuva que caiu durante os primeiros minutos não atrapalhou em nada, como se podia imaginar, pelo contrário, serviu para abençoar os comandados de João Chissano, que além de garantirem os três pontos (preciosos para se manterem na rota do CAN) exibiram-se a contento. Aliás, há muito que não se via os “Mambas” a jogarem com tanta alegria diante de uma selecção de Cabo Verde que ostentava o rótulo de líder isolado do grupo e até de favorito.

 

 

Contundo, estes indicadores não foram justificados dentro das quatro linhas. O combinado nacional mostrou ser superior e teve em Dominguez, uma vez mais, um verdadeiro maestro. Dos pés “mágicos” do número 7 nasceu o segundo golo aos 21 minutos da segunda parte com uma assistência primorosa para Reginaldo apontar o segundo golo e selar uma vitória amplamente merecida.

 

 

Os “Mambas” tiveram motivos para festejarem ao dobro nesta jornada, na medida em que, noutra partida do grupo, Níger e Zâmbia empataram a zero. O facto de o Níger e a Zâmbia terem somado apenas um ponto faz com que a turma moçambicana possa estar tranquila no segundo lugar com mais três pontos.

 

 

Na próxima quarta-feira, portanto depois de amanhã, a Selecção Nacional volta a jogar com Cabo Verde na quarta jornada, desta vez na cidade da Praia, e em caso de vitória pode dar um passo determinante para voltar a marcar presença na maior prova continental, algo que não acontece desde o CAN-Angola/2010.

Salientar que os “Mambas” seguiram para Cabo Verde ainda no sábado, logo depois do jogo na Machava.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:24
 O que é? |  O que é? | favorito
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO