Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 12 DE Agosto 2014

COM o bis do avançado Hugo, o Estrela Vermelha da Beira venceu o Ferroviário de Pemba, numa partida considerada de aflitos.

Os “alaranjados” estiveram bem tecnicamente.

 

 

Tiveram uma entrada de rompante numa clara iniciativa de querer resolver a partida nos minutos iniciais.Os primeiros 15 minutos foram do Estrela, mas depois desse período os homens de Pemba conseguiram equilibrar a balança e aproximaram-se da baliza contrária mas sem muito perigo.

 

 

Fruto de boa organização intermediária, os treinados do jovem Lopes Cumbana conseguiram ser mais perigosos, e aos 36 minutos chegaram ao primeiro golo apontado por Hugo que, dentro da pequena área e perante o desespero de Valério, atira a contar para a festa dos “alaranjados”.

O intervalo chegou com os visitantes a tentarem o golo da igualdade, mas devido à boa organização da defensiva beirense e tendo em conta a fraca pontaria, os pembenses saíram para o intervalo em desvantagem.

 

 

No reinício da contenda, o Ferroviário de Pemba apareceu novamente disposto a anular o 1-0, mas tal como na etapa inicial, todas as oportunidades de golo criadas não eram aproveitadas.

 

 

O Estrela respondia em contra-ataque, mas faltava, igualmente, calma suficiente no momento da verdade para dilatar o marcador. No entanto, fruto da sua persistência, o segundo golo viria a acontecer aos 79 minutos, através de uma excelente jogada individual. Hugo dribla três adversários, incluindo o próprio guarde redes, que saiu aos papéis e colocou a bola no fundo das malhas. Estava feito o 2-0. Daí para a frente as duas equipas “amarraram-se” no meio, pese embora o Ferroviário tivesse sido mais atrevido no ataque, todavia sem conseguir materializar em golos.O trio de arbitragem teve um bom trabalho.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

 

Árbitro: Arão Júnior auxiliado por Júlio Muianga e Carlos Mussane. O quarto árbitro foi Manuel Castigo.

ESTRELA V. BEIRA: Jaime; Paiva, Henriques, Mercy, Zé Rasta, Kikito, Inácio, Hugo (Bude), Bino, Pai (Tchocolo), Osias.

FER. PEMBA: Valério, Kiki (Joane), Sassi, Juma, Megaz, Albachir (Muerufu), Cachico, Manucho, Nito (Santos), Silva, Ramudua.

Disciplina: Amarelo para Ramudua do Ferroviário de Pemba.

 

 

LAITON SIFA

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:04
 O que é? |  O que é? | favorito

O FERROVIÁRIO de Nampula pode centrar apenas a sua atenção na perseguição ao título, pois um dos objectivos, a manutenção no, ficou garantida, domingo, com a vitória, sobre o Clube de Chibuto, por 2-0, em partida da 17.ª jornada.

 

 

Assim quando faltam nove jornadas para o término da competição mor do futebol moçambicano, o Ferroviário de Nampula pode respirar de alívio e continuar a sonhar com a conquista do título, algo que conseguiu em 2004. Dez pontos separam os nampulenses da líder Liga Desportiva de Maputo, e enquanto matematicamente for possível, os treinados de Rogério Gonçalves parecem dispostos a não facilitar, até porque ainda estão em disputa 27 pontos.

 

Na próxima jornada, o Ferroviário de Nampula desloca-se a Maputo para jogar com o Ferroviário local. Mais um teste de fogo para os “locomotivas” de Nampula que na primeira volta venceram, por 3-0.

 

 

 


Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:59
 O que é? |  O que é? | favorito

 

AS más actuações dos árbitros e a deficiente segurança nos recintos desportivos foram as grandes manchas da primeira volta do Campeonato Nacional de Futebol, o Moçambola-2014, segundo as queixas dos intervenientes directos nesta prova, na reunião-balanço que teve lugar sexta-feira em Maputo.

 

 

Aliás, foi consensual que entre as más actuações dos árbitros e a insegurança nos recintos desportivos há uma relação de causa-efeito.

Em relação aos homens do apito, quase todos os 14 clubes que participam deste evento se queixaram das más arbitragens, sendo que há arbitragens classificadas como tendenciosas e outras como tecnicamente deficientes, ou seja, alguns árbitros erram por desconhecer ou por conhecimento deficiente das 17 leis de jogo.

 

 

Alguns clubes acusam a Comissão Nacional de Árbitros de Futebol (CNAF) de não punir devidamente os árbitros, daí que estes cometem os mesmos erros em todos os jogos que apitam.

 

 

Esta situação, segundo eles, não contribui em nada para a verdade desportiva, fazendo com que o país tenha campeões sem mérito em campo.

Os treinadores quando não fazem bem o seu trabalho são despedidos. Os jogadores quando não rendem vão para o banco ou para a bancada. Os dirigentes são substituídos, mas parece que os árbitros é que têm o certificado para cometerem erros sem nenhuma sanção”, desabafou, Caetano de Sousa, representante do Costa do Sol.

 

 

Em reacção às preocupações dos clubes, Júlio Mungói, presidente da CNAF, saiu em defesa dos homens do apito, afirmando que os árbitros não devem ser sempre a justificação do fracasso dos clubes, muitos deles desorganizados.

 

 

Há alguns clubes que vão sempre ao campo com uma justificação preparada caso percam, os árbitros. Os jogadores deixam de lhes ser mais exigidos porque se sabe que em caso de fracasso os árbitros é que são culpados, isso é mau”, rematou Mungói, contudo, reconhecendo que há partidas condicionadas pelas actuações dos árbitros.

 

 

A Liga Moçambicana de Futebol (LMF) reconheceu que existe corrupção no seio dos árbitros, mas que não tem culpa nisso, pois quando estes são nomeados, este organismo cria todas as condições.

 

 

Nós pagamos tudo aos árbitros, desde o transporte, alojamento, ajudas de custo e honorários. Até pagamos com antecedência para não criarmos transtornos. A corrupção não se pode justificar com a falta do cumprimento das nossas obrigações. Por isso, apelamos aos clubes a não gastarem dinheiro comprando os árbitros, pois assumimos todas despesas”, frisou, Alberto Simango Jr., presidente da LMF.

 

 

O dirigente acrescentou ainda que o árbitro que se deixa corromper está a atirar uma bala contra o seu próprio pé. “O árbitro corrupto atrasa o futebol moçambicano e o seu próprio profissionalismo. É por isso que temos várias competições internacionais de futebol sem equipas e árbitros moçambicanos. Até parece que somos proibidos de estar lá, mas não. É que trabalhamos pouco. As nossas equipas não chegam longe nas afrotaças, e os nossos árbitros também não vão a lugar nenhum por causa dessas coisas da inverdade desportiva”, atirou.

 

 

QUESTÃO DA SEGURANÇA

 

 

Em relação à segurança, Augusto Pombane, vice-presidente da LMF, tratou de esclarecer aos presentes que este assunto é da inteira responsabilidade do clube que recebe o jogo, ou seja, a colectividade visitada, e não da LMF.

 

 

A equipa que recebe o jogo é que deve tratar da segurança. A nossa missão é inspeccionar, verificar se o clube cumpriu ou não com os seus deveres para se algo falhar tomarmos medidas”, explicou.

 

 

Na primeira volta, os problemas mais gritantes da insegurança nos recintos desportivos verificaram-se em Pemba, no Estádio Nacional do Zimpeto, em Nacala e mais recentemente no campo do Costa do Sol (já no início desta segunda volta).

 

 

Todas as situações acima descritas culminaram com o castigado da equipa cujos adeptos protagonizaram actos de vandalismo, por jogos à porta-fechada.

 

 

Pombane avançou que algumas situações, caso do Costa do Sol-Liga Desportiva que culminou com o ferimento do treinador Sérgio Faife (Liga) não precisam de triagem ou investigação minuciosa. São actos fáceis de provar, pois tudo é evidente, sendo que a sanção é aplicada de imediato e sem contemplações.

 

 

Os clubes devem saber quais são os jogos de alto risco. Em Maputo, já é do conhecimento de todos que os “derbies” têm muita confusão, por isso há sempre necessidade de se reforçar a segurança, e se isso não acontecer e houver tumultos aplicaremos sempre sanções”, avisou.

 

 

NÃO ESTAMOS ALHEIOS

 

 

O presidente da LMF disse, por sua vez, que o organismo que dirige apesar de não ser responsável pela segurança nos campos não está distante desta situação, daí que recentemente tenha promovido uma reunião com todos os clubes do Moçambola para se discutir esta matéria.

 

 

Não estamos alheios à esta situação, preocupa-nos bastante isso, já nos reunimos com os clubes. Uma outra medida que adoptámos foi apelar aos clubes a melhorar os acessos nos seus campos. Alguns já há muito tempo que prometem melhorá-los, mas não o fazem”, lamentou.

 

 

A finalizar, afirmou que a LMF continuaria a levar o seu barco a bom porto. Simango garantiu, por outro lado, que o Moçambola deste ano não terá quaisquer tipo de obstáculo até ao fim, ou seja, tudo está acautelado em termos logísticos e financeiros.

 

 

MÉDIA DE GOLOS NÃO AGRADA

 

 

Na primeira volta do Moçambola foram marcados 169 golos, o que corresponde a uma média de 1.86 por jogo. Uma cifra que não agrada aos dirigentes da LMF que queriam mais. A Liga Desportiva é a equipa mais concretizadora e o Têxtil de Púnguè com menos golos (quatro, imagine-se!).

 

 

 Mário, do Ferroviário da Beira, com sete golos é o melhor marcador. A equipa “fair-play” é o Ferroviário de Pemba, com 17 pontos, menos dois que o Chibuto, em segundo, e menos três que o Ferroviário da Beira, em terceira.Nesta etapa da prova foram exibidos 407 cartões entre amarelos e vermelhos, sendo que 60 dos quais foram para treinadores e dirigentes.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:53
 O que é? |  O que é? | favorito

ARRANCOU sexta-feira a Primeira Liga Francesa de Futebol, com destaque a estreia do futebolista moçambicano Mexer que acabou não sendo feliz, visto que o seu Rennes saiu derrotado, por 2-0, na deslocação ao reduto do Lyon.

 

 

O internacional moçambicano foi titular e jogou os 90 minutos e deu mostras que já se impôs na sua nova equipa, no entanto sem conseguir evitar, que Malbranque (64 min.) e Lacazette (73 min.) marcassem para o Lyon.

Na próxima jornada, o Rennes recebe o Évian.

 

 

Orecém-promovido Caen está na liderança, após triunfar por 3-0 no reduto do Évian, com dois golos de Mathieu Duhamel, o melhor marcador da Ligue 1 na época passada.

 

 

O estreante Christopher Maboulou bisou pelo Bastia, que conseguiu empatar 3-3 depois de ter estado a perder com o Olympique de Marselha, outra equipa que estreou um novo treinador.

 

 

O Toulouse marcou dois golos no final da primeira parte e chegou ao intervalo em vantagem sobre o Nice, mas acabou por perder por 3-2.

Lille não conseguiu melhor do que um 0-0 face ao promovido FC Metz.

 

 

A primeira jornada rendeu vitórias ao Saint-Étienne − frente ao Guingamp que também vai participar na Liga Europa – ao Nantes e Montpellier.

Zlatan Ibrahimović bisou, enviou uma bola ao poste e falhou uma grande penalidade, não evitando que o Paris Saint-Germain empatasse na sexta-feira.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 12:47
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
23
24
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO