Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 04 DE Agosto 2014

 

O FUTEBOL moçambicano viveu momentos de festa como há muito não se via, com a qualificação da Selecção Nacional de Futebol para a fase de grupos de acesso à fase final do CAN-Marrocos 2015, após vitória sobre a Tanzania por 2-1 em jogo da segunda “mão” da primeira eliminatória.

 

 

PRESSÃO ALTA

 

 

Foram cerca de 15 minutos com a Tanzania a “cheirar” praticamente a bola, o mesmo que dizer que os “Mambas” tiveram uma entrada fulgurante, controlando todas as operações, não permitindo que o adversário atravessasse sequer a linha do meio-campo.

 

Aos sete minutos acontece o primeiro lance de golo. Sonito ganha no duelo com um adversário e remata forte, com o guarda-redes a fazer uma defesa vistosa. A equipa moçambicana fazia pressão alta, não dando qualquer espaço de manobra aos tanzanianos, contudo pecava por não acertar na finalização. Dominguez, bem enquadrado com a baliza, rematou fraco numa situação em que poderia ter feito o passe.

 

Só dava “Mambas”! Sonito tem uma bela iniciativa individual. Faz uma boa abertura para Josimar com este a centrar para entrada de Reginaldo que falhou no desvio ante a oposição do keeper.

 

VALEU PARA O SUSTO

 

A Tanzania, que não tinha sequer atacado, marcou aos 18 minutos, mas o árbitro, muito bem, anulou por carga sobre Ricardo Campos. No entanto, ficou o aviso para a equipa nacional no sentido de não perder a concentração no sector defensivo e ser mais objectiva no ataque, algo que não estava a acontecer. O Zimpeto gelou por segundos e os corações dos cerca de 42 mil espectadores que lotaram as bancadas respirou de alívio quando percebeu que o golo não contava.

 

O jogo seguiu o rumo normal. A equipa moçambicana a atacar bem, mas só até à entrada da grande área, porque daí para a frente vinham à tona as dificuldades em furar aquela muralha que Mart Nooij havia erguido.

 

SONITO ERRA O ALVO

 

Foi num lance fortuito que Moçambique voltou a criar perigo aos 35 minutos. A bola é ganha por Reginaldo na grande área e sobra para Sonito que, à meia volta, remata por cima do travessão. Foi um lance que serviu para levantar o público que tinha perdido aquela euforia vista no primeiro quarto de hora, bem como veio dar um novo ímpeto ofensivo, na medida em que os comandados de João Chissano voltaram a aproximar-se com perigo e poderiam ter chegado ao golo caso Kito tivesse acertado na bola. 

 

 

SONITO SAI LESIONADO

 

Sonito é substituído por Clésio numa alteração forçada, já que o avançado ressentiu-se da lesão que o fez falhar o jogo da primeira “mão”, em Dar-es-Salaam. Os “Mambas” perderam a sua principal referência no ataque, um atleta de bom porte físico capaz de segurar dois ou mais defesas, no entanto, mas ganharam uma unidade mais móvel. Ficou provado com Clésio a causar desequilíbrios pelo flanco direito. 

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:36
 O que é? |  O que é? | favorito

Foi do lado onde surgiu Clésio a romper várias vezes que surgiu o golo mais do que merecido para a equipa nacional. Josimar responde de cabeça com exactidão a um cruzamento de Reginaldo. Bonita jogada de envolvimento da equipa moçambicana a resultar numa vantagem preciosa e que veio dar maior tranquilidade mais do que merecida para a equipa nacional. O golo surgiu já ao cair do pano, 46 minutos, no primeiro minuto dos dois de compensação que o árbitro tinha dado.

 

 

SHUMARI QUASE GELOU O ZIMPETO

 

 

Os “Mambas” entraram para a segunda parte dispostos a fazerem um jogo mais contido. Mas não eram precisos na troca de bola e sem ela perderam agressividade a defender. A Tanzania foi ganhando confiança. Começou a ter mais bola e a chegar mais à área de Ricardo Campos, algo que até então não tinha acontecido. Essa disposição estratégica do combinando nacional quase tinha resultados desagradáveis quando Shumari fez o esférico passar poucos centímetros do poste. Ricardo Campos limitou-se a vê-la a passar.

 

A resposta de Moçambique foi pronta (ainda bem que assim foi). Voltou a acertar na sua forma de jogar, e quase que colhia os frutos quando Clésio, aos 73 minutos, atirou forte, mas Deogratis opôs-se com categoria.

 

 

Não marcou Clésio, marcou Nbwana aos 77 minutos. Diga-se de passagem, um grande golo. Remate colocado que deixou Ricardo Campos pregado entre os postes. Tudo começa num mau passe de Dário Khan para o meio-campo e a Selecção Nacional é apanhada em contrapé. 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:30
 O que é? |  O que é? | favorito

Após o empate a turma moçambicana passou por momentos de alguma tremedeira, mas diga-se que não tardou a acertar nas marcações, sobretudo no meio-campo, onde tinha perdido agressividade. Passando a ter mais bola, voltou a mandar no jogo, mas falhava em momentos capitais.

 

Precisava de um lance de génio. Pedia-se que o mágico Dominguez aparecesse e foi dos pés dele que os “Mambas” passaram outra vez para a frente do marcador na sequência de um livre directo. O público chamava por Dário Khan que minutos antes tinha errado no alvo num lance semelhante, mas o número 7 disse “agora marco eu” e fê-lo como mandam as regras. Colocou a bola no canto superior esquerdo, como se diz, na “gaveta”. Antes de “beijar” as redes a bola bate caprichosamente no poste. Estavam jogados 84 minutos.

 

No entanto, era no sector onde residia o grande problema da equipa moçambicana, não se mostrava segura e em mais um ataque da Tanzania quase sofria o golo de empate. Valeu a falta de pontaria de Said. Os deuses estiveram do lado dos moçambicanos neste lance e nos restantes minutos que se seguiram até ao apito final.

 

O árbitro ugandês Dennis Batte realizou um bom trabalho.

 

FICHA TÉCNICA

 

COMISSÁRIO DA CAF:Monnyenyan Lucas Nhilap (África do Sul)

 

ÁRBITRO: Denis Batte, auxiliado por Mark Ssonko e Samuel Kayondo (todos do Uganda). O quarto árbitro chama-se Alex Muhabi Nsulumbi (África do Sul)

 

MOÇAMBIQUE: Ricardo Campos; Dário Khan, Chico, Zainadine Jr., Miro, Josimar, Momed Hagy, Kito (Jumisse), Dominguez (Isac), Reginaldo e Sonito (Clésio).

 

TANZANIA: Deogratis; Nadire, Shomari, Jonh (Simon), Bocco, Kelvin, Khams (Amri), Mwinyi, Erastu, Nbwana e Thomas (Mrisho).

 

DISCIPLINA: Reginaldo, Mwinyi (Amarelos).

 

GOLOS: Josimar (46 min.); Nbwana (77 min.) e Dominguez (84 min.).

 

IVO TAVARES

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:21
 O que é? |  O que é? | favorito

PRESENTE no Zimpeto na qualidade de chefe da comitiva governamental que esteve em peso no Estádio Nacional, o Primeiro-Ministro, Alberto Vaquina, afirmou que com a vitória sobre a Tanzania Moçambique ultrapassou uma etapa e que vem a outra.

 

Vem a fase de grupos, temos de nos preparar. O Governo vai e como sempre fez, apoiar a Selecção Nacional para voltar a nos trazer alegrias como as de hoje (ontem). Em termos de jogo em si tenho a salientar que estivemos muito bem, mas o público também desempenhou um papel importante. Havia muita cor, o vermelho foi aliado ao talento dos nossos jogadores. A todos os meus parabéns”.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:18
 O que é? |  O que é? | favorito

O SELECCIONADOR nacional, João Chissano, é de opinião que Moçambique entrou para o jogo com expectativas elevadas, tendo pressionado o adversário logo nos primeiros minutos.

 

 

O golo demorou a aparecer e isso nos deixou muito ansiosos. Os jogadores correram muito para conseguir o golo e, felizmente, conseguimos já no fim da primeira parte. Na segunda entrámos com um pé no CAN. A Tanzania atirou-se ao ataque para discutir a eliminatória e isso criou-nos muitas dificuldades, pois os nossos jogadores demoraram a enquadrar-se nessa nova forma de jogar do adversário.

 

Vimos que tínhamos algum défice no meio-campo, numa altura em que a Tanzania tinha mais bola, daí que metemos Jumisse e controlámos o desafio. Este adversário foi um osso duro de roer e isso dignificou a nossa qualificação”.Em relação à próxima etapa Chissano diz que a palavra de ordem é continuar a trabalhar.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:07
 O que é? |  O que é? | favorito

O TÉCNICO holandês ao serviço da selecção tanzaniana, Mart Nooij, reconheceu no final do encontro que Moçambique teve a seu favor jogadores de grande nível e que conseguiram resolver a partida no detalhe, destacando Dominguez.

 

Na primeira parte a equipa não correspondeu, viu Moçambique a espalhar o seu futebol e nessa altura cometemos alguns erros. Na segunda mostrámos um bom futebol, fomos mais fortes, mas porque Moçambique tem jogadores capazes de fazer a diferença, ganhou. Dominguez, autor do segundo golo, é um dos exemplos. Gostei do jogo, não posso ficar desapontado com esta partida, embora haja frustração por não termos passado”, comentou Mart.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 11:04
 O que é? |  O que é? | favorito

MOÇAMBIQUE terminou em quarto lugar na classificação por países nos IX Jogos da CPLP que sábado findaram em Luanda, Angola. Este resultado constitui revés, pois Moçambique não conseguiu defender a terceira posição conseguida nos Jogos de Mafra, Portugal em 2012, portanto quedando-se para fora dos lugares do pódio no medalheiro.

 

 

Nem as 20 medalhas conquistadas neste evento, nomeadamente seis de ouro, cinco de prata e as restantes de bronze foram suficientes para colocar Moçambique num dos lugares de pódio. Angola acabou conseguindo um dos seus principais objectivos, que é alcançar o terceiro lugar (melhorou a sua prestação em um degrau), portanto relegando Moçambique para o lugar que ocupara nos Jogos de Mafra. Entretanto, Brasil conquistou os IX Jogos com 25 ouros, 10 pratas e 12 bronzes, destronando e relegando Portugal ao segundo posto.

 

 

Os portugueses foram vencedores da anterior edição, na qual Brasil ficou em segundo. Amealharam em Luanda 11 ouros, 19 pratas e 12 bronzes, seguidos de Angola, em terceiro, com seis medalhas de ouro, nove de prata e 17 de bronze. Moçambique ficou em quarto com seis ouros, cinco pratas e nove bronzes, vindo depois Cabo Verde com três de prata e quatro de bronze. Portanto, Moçambique foi superado pelos angolanos por via das medalhas de prata, tendo em conta que tiveram o mesmo número de ouros que os moçambicanos e que são as que contam mais na classificação. São Tomé e Príncipe ficou em sexto com uma de prata e duas de bronze.

 

 

Timor-Leste não conquistou qualquer medalha. Aliás, os timorenses se fizeram representar apenas no torneio de futebol, curiosamente na série de Moçambique. O encerramento dos IX Jogos da CPLP, que inicialmente estava agendado para o pavilhão multiuso e coberto em Kilamba, acabou acontecendo no Estádio dos Coqueiros, onde teve lugar a final do torneio de futebol, ganho por Portugal, que derrotou Angola por 2-1. Perante milhares de pessoas que acorreram ao recinto, a organização declarou encerrados os Jogos, perante a presença de figuras do Estado e do Governo angolano, e a Comissão Desportiva da CPLP anunciou a realização do próximo evento em Cabo Verde em 2016.

 

 

Os IX Jogos foram, de acordo com a organização, os mais abrangentes de sempre, tendo juntado perto de 800 pessoas, das quais 468 foram atletas e 268 técnicos (sendo 118 do sexo feminino), e contemplado mais três modalidades que as habituais. O regulamento dos Jogos estabelece como modalidades fixas futebol, basquetebol, atletismo convencional e adaptado, andebol, vólei de praia, ténis de campo. Sob a proposta de Angola, a IX edição contou com natação em águas abertas, judo e ténis de mesa, portanto inovações dos Jogos da CPLP.

 

 

Falando no encerramento do evento, o Ministro angolano da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, enalteceu o espírito de “fair-play” que norteou os Jogos, fazendo votos que até à edição de 2016, em Cabo Verde, haja melhoria competitiva e que os laços de amizade, irmandade e fraternidade sejam consolidados entre os países da comunidade lusófona. “Até breve e boa viagem”, elucidou Muandumba, num acto que culminou com a entrega do testemunho a Cabo Verde.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 10:57
 O que é? |  O que é? | favorito

Apesar de não ter conseguido manter-se no pódio, Moçambique superou em termos quantitativos e qualitativos os Jogos de Mafra (Portugal), pois destacou-se em mais modalidades comparativamente a VIII edição. Obteve cinco ouros e cinco pratas no atletismo para a pessoa portadora de deficiência (adaptado ou paralímpico), ouro e cinco bronzes no atletismo convencional, dois bronzes no judo, bronze no vólei de praia e ténis.

 

Aqui ressalta, como se pode depreender, a prestação da selecção do atletismo adaptado, que foi a mais dourada e deu um salto significativo. De duas medalhas de ouro, das 16 trazidas de Mafra, portanto as únicas que Moçambique amealhou, subiu para cinco, sendo ainda a selecção que mais contribuiu em medalhas e por sinal as que têm maior peso (10).

 

Entretanto, perante o favoritismo já confirmado de Portugal e Brasil, que voltaram a ficar nos primeiros dois lugares no medalheiro, Moçambique disputou a terceiro posição com Angola, que, como anfitrião, preparou-se com afinco para chegar ao pódio. Moçambique ficou em quarto lugar em futebol, basquetebol e ténis masculino, andebol feminino, vólei masculino e em natação de águas abertas. Portanto, terá sido por aqui onde tudo falhou, tendo em conta que os angolanos estiveram em segundo em futebol e andebol, terceiro em basquetebol, vólei masculino e no torneio de águas abertas, desempenho que pesou muito na contagem final.

 

Moçambique perdeu a medalha de bronze no torneio de futebol na disputa com Cabo Verde. Os “Mambinhas” desistiram do jogo aos 10 minutos quando perdiam por 2-0 para concentrar-se na partida da segunda “mão” de eliminatória de acesso ao CAN-2015 com Angola no mesmo dia do encerramento dos Jogos, portanto oferecendo de bandeja o bronze aos cabo-verdianos. Em basquetebol a selecção nacional perdeu a disputa do bronze com Angola por 47-36, enquanto em andebol quedou-se diante do Brasil por 34-17. Já em vólei a dupla Osvaldo/João perdeu com o par angolano por 2-1, enquanto em ténis masculino caiu aos pés dos angolanos por 3-0.

 

 

SALVADOR NHANTUMBO, em Luanda

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:40
 O que é? |  O que é? | favorito

OS “MAMBAS” já estão na fase de grupos de apuramento para o Campeonato Africano das Nações (CAN-2015), cuja fase final terá lugar em Marrocos, depois de ontem terem derrotado de forma convincente a Tanzania por 2-1, resultado que propiciou um ambiente de verdadeira festa no Estádio Nacional do Zimpeto e em toda cidade-capital e porque não dizer em todo o país e na noite de ontem.

 

Com o Estádio Nacional do Zimpeto a arrebentar pelas costuras, os “Mambas” deram uma lição de como se joga um futebol estruturado e apoiado em todos os sectores, onde Josimar e Dominguez, por sinal as duas melhores unidades em campo, encarregaram-se de dar o “ko” aos tanzanianos, depois do empate a duas bolas há sensivelmente 15 dias em Dar-es-Salaam.

 

Como que a dizer “em casa mandámos nós”, a Selecção Nacional foi superior em todos os aspectos, desde o primeiro ao último minuto e, aos 46, Josimar, de cabeça, a concluir um excelente cruzamento de Reginaldo, do lado direito, abriu o “placard” e consequentemente o caminho para a fase de grupos.

 

Os tanzanianos não se fizeram de rogados, mesmo dominados, e chegaram ao empate aos 77 minutos, com a bola a entrar no último ângulo, em arco, sem hipóteses de defesa para Ricardo Campos.

 

 

Mesmo assim os “Mambas” continuaram a passear a sua classe e o público nem sequer já se sentava. Como corolário dessa exibição de luxo, Dominguez atirou uma “bomba”. Há um livre longe da área. Miro vai para dar a cobertura. Dominguez arranca um portentoso remate. O esférico descreve um arco para a parte interior do poste. Só se ouviu uma explosão de alegria colectiva no Zimpeto. Era a sentença final: o 2-1.

 

  

Nada mais havia a fazer senão a festa. Uma festa de arromba que contagiou todo o mundo e que se prolongou pelas artérias da capital do país pela noite dentro, com buzinas e “vuvuzelas” a soarem a tom bastante alto e as bandeiras a subirem bem alto nas viaturas que circulavam, em algum momento, sem obedecer às regras de trânsito. Era visível a emoção de todos os moçambicanos e a tristeza dos tanzanianos que em número muito reduzido se fizeram à nossa “sala de visitas”, o majestoso Estádio Nacional do Zimpeto.

 

 

Este resultado coloca, sem dúvidas, os “Mambas” num patamar muito acima dos outros países da região que ficaram em terra ainda nesta etapa do “mata-mata”. Quer dizer, estamos na fase de grupos de apuramento para o CAN-2015, onde encontraremos a Zâmbia, Cabo Verde e o Níger.

É caso para dizer, em tom bastante alto, que estes “Mambas” têm um veneno mortal.

 

 

GIL CARVALHO

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:25
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
16
17
23
24
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO