Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 24 DE Julho 2014

AS equipas participantes da edição 2014 da Copa Coca-cola tem vindo, a cada semana, a travar uma luta acesa com vista a garantir o apuramento para à fase nacional da prova. No fim-de-semana rodou a 12ª ronda, sendo que goleadas e resultados equilibrados foram a tónica dominante dos desfechos das partidas.

 

Na cidade de Maputo houve muitos golos e poucos empates. Uma das partidas mais produtivas foi a goleada imposta pela Nelson Mandela à frágil Polana por esclarecedores 7-1.

 

A Noroeste 1 derrotou a Lhanguene Piloto, por 2-1. A Heróis Moçambicanos perdeu diante da aguerrida Quisse Mavota, por 1-2, o mesmo resultado conseguido pela Eduardo Mondlane no confronto com Nazareno. A Mahlazine bateu a Josina Machel, por 3-1.

 

Na província de Maputo, a ronda foi caracterizada por goleadas. A Infulene cilindrou a Namaacha, por 6-0. A Aboobacar bateu copiosamente a Joaquim Chissano, por 4-0, o mesmo resultado obtido pela Matola no confronto com a simpática Ana Mógas. Zona Verde venceu a Bonifácio Gruveta, por 3-0 e a Bedene suou às estopinhas para bater a Nkobe, por 1-0.

 

Em Gaza tudo andou equilibrado, apesar de se ter registado apenas um empate. A Xai-Xai derrotou a 1º de Janeiro, por 1-0. A Patrice Lumumba perdeu diante da Tavene por 1-2. A Chipenhe venceu a Chicumbane pelo mesmo resultado. A Julius Nyerere perdeu com Ndambine, por 3-4. A Inhamissa e a Joaquim Chissano não foram para além de um nulo.

 

Na província de Inhambane, Emilia Daússe bateu a SOS, por 3-1. A Muelé perdeu com Chambone, por 1-2, o mesmo resultado com que sucumbiu a Tomás Ndunda frente a 3 de Fevereiro. A 29 de Setembro derrotou a 12 de Agosto, por 2-0 e a 1º de Maio superou a EduardoMondlane, por 1-0.

 

Em Sofala também ficou-se nos resultados muito tangenciais. A Estrela da Manhã bateu aSagrada Família, por 2-1, o mesmo resultado obtido pela Matadouro-Samora Machel, por 2-1. O nulo verificou-se no Ponta Gêa-Maracanhe. A 25 de Setembro derrotou a Nossa Sra. Fátima, por 1-0 e a Sansão Muthemba bateu a 25 de Setembro, por 2-0.

 

OUTROS RESULTADOS

 

TETE

 

Canongola-Mártires Wiryamu (4-0)

SOS-Chingodzi (4-2)

Francisco Manyanga-Mateus S. Muthemba (3-0)

Miniarte-Matundo (2-0)

Tete-Heróis Moçambicanos (0-1)

 

NAMPULA

 

Nampaco-Teacane (5-0)

Muatala-Marrere (1-0)

Maparra-12 de Outubro (1-2)

Nampula-22 de Agosto (0-6)

Napipine-A Politécnica (4-0)

 

ZAMBÉZIA

 

25 de Setembro-Patrice Lumumba (2-1)

Eduardo Mondlane-Quelimane (2-4)

Mártires Inhassunge-Coalane (0-3)

1º de Maio-Namunho (2-2)

Aeroporto Expansão-Sangariveira (1-1)

 

NIASSA

 

Muchenga-Eduardo Mondlane (0-0)

Amizade-Aerporto (0-0)

Ngungunhane-A Luta Continua (2-1)

Nzinje-Khankhomba (1-2)

Instituto Agrário-Namacula (0-1)

 

CABO DELGADO

 

16 de Junho-IICP (2-0)

Colégio Andalucia-Arco Íris (0-4)

SOS-15 de Outubro (1-1)

Fraternidade-ES Pemba (0-4)

Mazzarello-Colégio Dom Bosco (2-2)

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:43
 O que é? |  O que é? | favorito

SURPRESA à moda da Taça com o Estrela Vermelha a vencer o Desportivo, 2-1, no “Zimpeto”. O triunfo foi construído nos primeiros 45 minutos, graças à defesa melhor organizada do Estrela.

 

Esteve bem melhor na primeira parte, ocupando melhor os espaços e saindo de forma cautelosa e inteligente para o contra-ataque. Aproveitando o adiantamento no terreno da equipa “alvi-negra”, colocava a bola nas costas da defesa. O primeiro golo nasce de uma situação idêntica, Agy é batido e nada mais lhes restou se não cometer uma grande penalidade por falta sobre Dainho. Genito, chamado a marcar, colocou os “alaranjados” em vantagem. O golo afectou o “alvi-negros” que não se encontraram, sobretudo a defender.

 

Bastaram apenas mais cinco minutos para os “alaranjados” dilatarem o marcador. Outra vez a bola colocada nas costas da defesa, Fanuel fica nas “covas” ante a cavalgada de Balate que centra e ao segundo poste Dainho faz o toque final. O Desportivo ainda teve uma reacção, com Geraldo e Mayunda a ficarem perto de violarem as redes à guarda de Elvis.

 

A segunda parte começou como acabou a primeira. A equipa de Antero Cambaco mais perigosa no ataque, um pendor ofensivo materializado em golo aos 55 minutos por intermédio de Fanuel de penalte a castigar falta de Kley sobre Chana. Este lance é antecedido de uma “bomba” de  Lanito ao poste.

 

Os “alvi-negros” cresceram e no minuto seguinte poderiam ter empatado se Elvis não tivesse respondido de forma esplendorosa a um tiro de Fanuel na cobrança de um livre directo.  Até ao final do jogo, o Desportivo procurou chegar ao empate, e podia ter mesmo chegado ao empate caso Elvis não tivesse feito uma defesa espectacular a cabeceamento de Jair.

Paiva Dias, árbitro do encontro, esteve em dia sim.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Paiva Dias, auxiliado por Alberto Miambo e Zacarias Balói. Quarto árbitro: António Munguambe.

DESPORTIVO:Victor; Sidique, Fanuel, Agy e Mayunda(Jojó); Ussama, Geraldo, Cristovão (Lanito) e Jorge; Jair e Chana (Lalá).

ESTRELA: Elvis; Mambo, Anselmo, Kley e Pedrito; Genito (Nelsinho), Balaca, Chiza e Dino; Rachide (Edmundo) e Dainho (Kiba).

DISCIPLINA:Amarelo para Rachide, Ussama. Lalá

GOLOS:Genito (15 min) e Dainho (20), Fanuel (55 min).

 

 

 IVO TAVARES

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:36
 O que é? |  O que é? | favorito

OS resultados registados ontem nos jogos da primeira “mão” dos quartos-de-final da Taça de Moçambique/mcel abrem boas perspectivas para a segunda, que se realizará no fim-de-semana de 16 e 17 de Agosto próximo.

 

Dos quatro encontros, três equipas saíram vitoriosas, mas à tangente, e houve um empate, o que faz antever uma segunda “mão” bastante renhida.

 

No jogo mais esperado, o Costa do Sol foi a Songo, Tete, vencer a HCB, por 1-0, enquanto o Ferroviário de Maputo recebeu e derrotou o seu homónimo de Quelimane, por 2-1, o mesmo resultado com que o Estrela Vermelha bateu o Desportivo, ambos de Maputo. Enquanto isso, o Ferroviário de Nampula recebeu e empatou com o seu homónimo da Beira a 1-1.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

 

publicado por Vaxko Zakarias às 13:03
 O que é? |  O que é? | favorito

O DESPORTIVO da Matola foi contemplado pelo Fundo de Promoção Desportiva com a quantia de 350 mil meticais para a reparação do campo de futebol junto à sua sede. Com o montante o clube vai compactar e nivelar o recinto de modo a realizar os seus jogos em casa a partir da próxima temporada.

 

As obras vão iniciar nos próximos dias, de acordo com o presidente do clube, Marinho Fernandes. O clube está neste momento à procura de financiamento para a vedação do recinto e já recebeu garantias de apoio de uma empresa local. Com o campo praticável, o Desportivo da Matola espera projectar os escalões de iniciação, que actualmente treinam e jogam em campos emprestados.

 

Um dos principais objectivos do clube é assegurar a sua sustentabilidade através de parcerias inteligentes com vista à implantação de projectos de geração de renda para o financiamento à componente desportiva. O fim último é o resgate de modalidades através das quais o clube matolense conquistou títulos no passado. São os casos do basquetebol, andebol, voleibol e karate.

 

O clube carece de instalações para as modalidades de salão e este é um dos problemas que quer enfrentar nos próximos tempos. Para o efeito, celebrou um acordo com a Petromoc para a construção de bombas de gasolina junto à sede. Trata-se de uma espécie de concessão, sendo que a Petromoc vai explorar as bombas durante um determinado período de tempo, ao fim do qual reverterão a favor do clube.

 

O Desportivo da Matola conta igualmente com o projecto imobiliário visando a construção de um edifício multiusos no espaço adjacente às instalações. Tal como as bombas, o edifício será construído por parceiros e reverterá ao clube no fim do contrato.

 

CLUBE MATOLENSE SOBREVIVE DE RENDAS 

 

De acordo com Marinho Fernandes, o Desportivo da Matola sobrevive actualmente através de receitas provenientes do aluguer do bar, ginásio, loja de computadores (internet café), salão de cabeleireiro, florista e barbearia. O clube rende mensalmente 98 mil meticais, montante que é destinado ao pagamento de treinadores, subsídios dos atletas, água, energia, transporte das equipas e lanches.

 

O montante não cobre todos encargos, sobretudo nesta altura em que o município da Matola suspendeu o contrato-programa com o clube através do qual eram cobertas as despesas das camadas de iniciação em futebol (iniciados, juvenis e juniores) e basquetebol (juvenis). O actual presidente do município, Calisto Cossa, prometeu, segundo Marinho Fernandes, manter o contrato-programa assinado em 2012 com o então edil Arão Nhancale.

 

Entretanto, algumas empresas já estão a dar o seu apoio ao clube. O objectivo da colectividade é investir nas infra-estruturas e tudo o que possa garantir sustentabilidade para atender à alta-competição.

 

Presentemente comprometemo-nos a resgatar o bom-nome do clube, aumentando o movimento das escolas, iniciados, juvenis e juniores. Antes, só movimentávamos seniores. Agora reactivámos o basquetebol, temos uma equipa de juvenis a competir ao nível da cidade de Maputo, visto que não existe a prática da modalidade ao nível federado na província de Maputo. Estamos igualmente a introduzir o karate com o objectivo de competir ao nível nacional”, disse a fonte.

 

Os matolenses também carecem de espaço para a prática de modalidades de salão, numa altura que pretendem abraçar mais disciplinas. Para minimizar o problema o clube, em coordenação com o município da Matola, reabilitou o campo de salão da Escola Completa de Bagamoio, nas proximidades da sede da colectividade. É neste recinto onde reside o viveiro para modalidades de salão, em especial o basquetebol.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:08
 O que é? |  O que é? | favorito

NÃO se pode dizer que o ferro se aguçou com ferro, talvez suavizando, dizendo que o embate valeu pelos golos. Foi um pobre espectáculo que se assistiu na tarde de ontem no Estádio da Machava.

 

O facto de ser um jogo da Taça, portanto, a eliminar, terá obrigado as duas equipas a jogarem com muitas cautelas, sobretudo a turma visitante, que viajou para Maputo, muito provavelmente com o objectivo de forçar um empate para que a eliminatória fosse decidida em Quelimane.

 

Em face disso, a equipa de Nacir Armando entregou toda a iniciativa de jogo ao Ferroviário de Maputo, que de imediato “arrendou” o meio-campo contrário, manietando o adversário, mas a pecar por fazer tudo a ritmo muito lento, o que beneficiava os defesas contrários.

 

As alas, com Jeitoso de um lado, Andro e Innocent do outro, eram amiúde solicitados nos ataques dos “locomotivas” da capital do país, mas os lances de golo iminente escasseavam.

 

Só aos 27 minutos é que se viu o primeiro lance digno de realce, com Andro a fazer um remate-cruzado que sai ligeiramente ao lado do alvo. Pouco depois, o mesmo volta a estar em destaque ao falhar clamorosamente aquele que seria o primeiro golo do encontro.

 

 O médio do Ferroviário de Maputo permitiu a defesa de Dionísio em plena pequena área, após um cruzamento primoroso de Innocent que lhe deixou com o golo nos pés, passavam 31 minutos. Mas era o aviso á navegação porque sete minutos mais tarde o capitão Luís facturou, numa jogada a papel químico.

 

Foi-se ao intervalo com a equipa de Vítor Pontes a vencer de forma merecida, e no reatamento voltou-se à estaca zero. A formação de Quelimane novamente dá iniciativa de jogo ao adversário, mas desta vez a reacção da turma da casa foi rápida.

 

De novo é Luís a facturar. O avançado ganha uma sobra na meia-lua para desferir um portentoso remate que só foi parar no fundo da baliza de Dionísio, era o 2-0 e o jogo ganhava outro alento.

 

Os “locomotivas” de Quelimane tentaram andar atrás do prejuízo, libertaram as linhas de ataque, e aos 69 minutos viram essa nova forma de jogar a dar frutos, com o cabeceamento de Júnior a reduzir a desvantagem para o 2-1, em resposta a um cruzamento que se seguiu a um livre cobrado na esquerda.

 

Doravante se registou o equilíbrio na balança, sendo que a oportunidade mais flagrante de golo pertenceu ao Ferroviário de Maputo, com Manucho a desperdiçar de bandeja um golo oferecido por Luís, que roubara a bola a um defesa da equipa de Nacir Armando.

A equipa de arbitragem esteve bem.

 

FICHA TÉCNICA

 

FER. MAPUTO: Pinto; Gabito, David, Innocent (Mupoga), Graven (Manucho), Jeitoso, Barrigana, Tchitcho, Andro (Picachú), Edmilson e Luís.

FER. QUELIMANE: Dionísio; Tawinha, Ibraimo, Belmiro (Nelo), Clement, Hilário, Dércio, Michael, Leonel (Félix), Zambo (Edson) e Júnior.

DISCIPLINA: Amarelos para Luís (Fer. Maputo), Dionísio (Fer. Quelimane).

 

 

SÉRGIO MACUÁCUA

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:35
 O que é? |  O que é? | favorito
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
19
20
26
28
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO