Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 21 DE Abril 2014

A LIGA não precisou de muito esforço para lograr os seus intentos diante do Ferroviário de Quelimane e só foram necessários alguns minutos para desfeitear a “locomotiva” quelimanense que entrou para o embate de forma tremida, rendendo-se muito cedo perante o poderio técnico e táctico da turma de casa.

 

Foi no decurso do segundo minuto que o meio-campista Liberty, numa jogada muito fria, abriu o caminho para a goleada, secundado depois por Muandro, aos 11 minutos, com ambos tiros a saírem junto à meia-lua da grande área.

 

Era um anúncio do mau tempo para os “locomotivas” e este resultado vaticinou a goleada que viria a ser confirmada ainda no decurso da primeira parte, com o zimbabwiano Liberty a bisar, aproveitando uma sobra do alívio da defensiva ao cruzamento de Nando, aos 28 minutos.

 

Com este cenário, os forasteiros sentiram-se mais retraídos e recuaram para evitar o pior e nessa estratégia complicaram mais a sua situação, pois a Liga aumentou a pressão junto à grande área, deixando a defensiva em apuros. Sonito não perdoou numa assistência bem sucedida do médio-ofensivo Nando, que colocou o artilheiro “muçulmano” com o guarda-redes Sitoe pela frente, mas sem hipóteses para evitar o golo.

 

Com a vantagem de 4-0 a Liga partia para o intervalo, mas muitos ficaram por marcar, tendo em conta que foram várias as oportunidades criadas pela Liga, com destaque para o lance em que Eusébio penetrou a grande área pela esquerda rematando para as malhas laterais perante o olhar pávido de Sitoe. Feito isto, foi Imo que chamou aos reflexos de Sitoe, atirando para uma defesa incompleta do guarda-redes “locomotiva”. E foi secundado por Muandro, que, com um passe inteligente de Sonito, não teve ousadia perante Sitoe. Aliás, o “keeper” foi extraordinário defendendo a poucos metros da baliza. Sonito ainda levou a bola ao poste, com um desvio de cabeça ao centro de Eusébio.

 

Esperou-se por uma reação da “locomotiva” na segunda parte e aconteceu, mas já era tarde para contornar a vantagem expressa no marcador. Pressionou a Liga, mas sem capacidade ofensiva para traduzir o seu esforço em golos. E contra a corrente do jogo, tendo valido as alterações feitas à entrada para a segunda parte pelo técnico da Liga, Sérgio Faife, Zicco desferiu forte remate cruzado depois de ter varrido dois contrários e encontrou o substituto de Stoe (Dio) desprevenido para 5-0.

 

Contudo, os “locomotivas” conseguiram o golo de honra aos 85 minutos, com o tento de Edson, que entrou a substituir Leo. Mas antes, Kito, após algumas assistências ao perdulário Jerry, ganhou um ressalto na disputa entre aquele e um defensor “locomotiva” e desferiu um forte remate devolvido pelo travessão.A equipa de arbitragem fez bom trabalho.

 

ÁRBITRO: Sérgio Rumbane, auxiliado por João Paulo e Carlos Manuel. O quarto árbitro foi Paulo Buque.

 

LIGA MUÇULMANA – Milagre; Kito, Gildo, Chico e Eusébio; Momed Hagy, Muandro, Liberty, Imo (Bheu) e Nando (Jerry); Sonito (Zicco).

 

FER. DE QUELIMANE – Sitoe (Dio); Clemente, Ibra, Tawinha e Félix; Leo (Edson), Délcio, Maikel (Quaresma) e Zamo, Joca e Caswe

.

DISCIPLINA: cartolinas amarelas para Eusébio e Imo (Liga); Félix e Zamo (Ferroviário).

 

 

SALVADOR NHANTUMBO

 

 

GIL CARVALHO

publicado por Vaxko Zakarias às 12:17
 O que é? |  O que é? | favorito

MOÇAMBIQUE ficou em sétimo (penúltimo!) lugar no Campeonato Regional da Zona IV de Boxe que terminou sábado à noite na cidade sul-africana de Pretória e que contou com a participação de oito países.

 

Com três medalhas, sendo uma de prata e duas de bronze é o saldo do desempenho da Selecção Nacional de Boxe em Pretória. O que se pode considerar de uma participação desastrosa e vergonhosa para um país que se exigia mais, dado que na edição anterior havia ficado no pódio, portanto na terceira posição em Botswana.

 

No total foram quatro pugilistas que tomaram parte no evento. À excepção de Juliano Máquina, que realizou dois combates antes de chegar à final, os restantes três caíram de primeira. Sorte é que dois deles, apesar da mediocridade acabaram beneficiando de medalhas de bronze, uma vez que nas respectivas categorias só estavam quatro e consequentemente os derrotados eram chamados ao pódio como terceiro classificados.

 

Trata-se de Augusto Matule, nos 69 kgs, e Isac Dimande, o Tyson moçambicano, que ficaram com o bronze, enquanto Máquina, finalista derrotado, se contentava com a prata.

 

A derrota dos moçambicanos começou exactamente quando Augusto Matule perde frente a um sul-africano que bem o conhecia e que o tinha derrotado nas ocasiões anteriores. A forma como o pugilista moçambicano perdeu levantou algumas suspeitas, pois, para quem conhece as suas capacidades, não acreditou no que viu.

 

Mas o pugilista teve a oportunidade de se justificar perante os restantes colegas da delegação. Na sua óptica, sentiu algum cansaço ainda no primeiro assalto o que condicionou a sua produção nos restantes dois.

 

Isac Dimande, bem se esforçou. Fartou-se de “torturar” o angolano, mas no fim o júri atribuiu vitória ao seu opositor, mesmo perante o protesto de todos que acabavam de presenciar o combate.

 

A esperança era Juliano Máquina que se qualificara para a final, mas que no tal combate da decisão do ouro também algo de esquisito aconteceu com estejovem pugilista também frente a um sul-africano. Salientar que a África do Sul acabou vencendo a prova, mas bem apertado pela Namíbia.

 

 

HEROÍNAS!

 

A DELEGAÇÃO moçambicana ao Campeonato Regional da Zona IV de Boxe era igualmente constituída por quatro meninas pugilistas que também tinham a missão de dignificar o nome do nosso país na terra do Rand.

 

Apesar de o número de participantes no seu torneio ser bastante reduzido, estas meninas merecem uma salva de palmas, pois conseguiram, à excepção de uma, vencer os seus combates e consequentemente ficarem em primeiro lugar.

 

Trata-se de Maria Manuela, que para além da medalha de ouro, ainda foi considerada a melhor do torneio, Ângela Augusto, que deixou saudades por ter derrubado uma das melhores pugilistas sul-africanas, e Rady Gramane, a única que ganhou dois jogos. Alcinda Panguana foi a única derrotada.É caso para dizer que estas meninas dignificam o país.

 

ÁFRICA DO SUL CAMPEÃ

 

A ÁFRICA do Sul sagrou-se campeã da regional IV de boxe com sete medalhas, sendo quatro de ouro, uma de prata e duas de bronze. Aliás, os sul-africanos já ostentavam este título desde o ano passado, no Botswana.

 

A Namíbia ficou em segundo lugar com oito medalhas. Conseguiu três de ouro, uma de prata e quatro de broze.

O terceiro posto foi para Angola com nove medalhas: uma de ouro, quatro de prata e cinco de bronze. O Botswana foi quatro com seis: uma de ouro, duas de prata e três de broze.

 

Os restantes quatro últimos lugares foram ocupados respectivamente pelas Maurícias, Lesotho, Moçambique e Suazilândia. Os suázis não tiveram nenhuma medalha, enquanto os restantes países conseguiram três no total, sendo uma de prata e duas de bronze.

 

GIL CARVALHO

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:55
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O DESPORTIVO começou melhor à procura do golo e com Dércio em bom plano a criar calafrios para a baliza à guarda de Gervásio. Ao Costa do Sol custava atinar com o estilo do jogo do Desportivo bastante móvel com trocas de posições constantes entre os homens do ataque.

 

Os lances de apuro sucederam-se na área dos “canarinhos” ao longo da primeira parte.No entanto, faltava acerto no último passe. Todavia, nas vezes que os “alvi-negros” foram clarividentes ficaram perto do golo. A grande oportunidade de golo pertenceu a Fredy, mas este não consegue acertar no alvo após um mau alívio da defesa. O mesmo jogador, que muitas vezes deixou a zona central da defesa para apoiar o ataque, esteve bem ao fazer um belo desvio de cabeça para o toque de um homem do ataque, algo que não chegou a acontecer de forma escandalosa.

 

Mas a subida dos “alvi-negros” abria muitos espaços na defensiva que não chegaram a ser aproveitados. Aliás, aos “canarinhos” pertenceu a melhor oportunidade para marcar. Parkim cara-a-cara com Caio procura um chapéu e erra a baliza por muito pouco. Deu a sensação de golo, facto que levou os adeptos a explodirem de alegria. Antes Campira tinha obrigado Caio a uma defesa à “soco” para evitar o pior. O Desportivo ia pagando cara a factura de ter jogado melhor, criado mais situações para marcar e não as concretizar.  

 

A etapa complementar foi jogada a um ritmo mais acelerado, mas com menos oportunidades de golo. Jogo repartido de parte a parte foi a nota dominante, mesmo depois da expulsão de Dário Khan por acumulação de cartões amarelos e os comandados de Semedo a jogarem com mais uma unidade não conseguiram controlar o jogo, embora tenham disposto das melhores oportunidades de golo, mas com os seus avançados a serem muito perdulários.  

 

O árbitro do encontro, Paiva Dias, mal auxiliado pelos fiscais de linha, realizou um mau trabalho já que por diversas vezes assinalou foras-de-jogo que quanto a nós não existiram, e nalgumas vezes em situações passíveis de originarem golo. Mal no aspecto técnico.

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Paiva Dias, auxiliado por Salomão Filipe e Zacarias Balói. Quarto ‘arbitro: Virgílio Absalão 

 

DESPORTIVO: Caio; Sidique, Fredy, Jorge e Cristovão (Geraldo); Cremildo, Ussama e Dércio (Mastyle); Jojó (Orlando), Jair e Lanito. 

 

COSTA DO SOL: Gervásio;João Mazive, Campira, Dário Khan e Dito; Manuelio I, Moses (Alvarito), Takap (Tchaka), Parkim e Chamango (Rúben).

 

DISCIPLINA: Vermelho para Dário Khan (69 min) e amarelo para Sidique (15 min).

 

IVO TAVARES

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:26
 O que é? |  O que é? | favorito

O FERROVIÁRIO de Maputo sofreu uma pesada derrota ontem na deslocação ao terreno do seu homónimo de Nampula, por 3-0.É caso para dizer que os “locomotivas” da capital do norte estão imparável e comandam folgadamente o Campeonato Nacional de Futebol, ou seja o Moçambola-2014 com 15 pontos e sem nenhuma derrota desde que a prova se iniciou já lá vão cinco jornadas.

 

Esta ronda foi de goleadas. O Maxaquene recebeu e bateu sem dificuldades o Desportivo de Nacala, por 4-0, enquanto a Liga Muçulmana torturava o Ferroviário de Quelimane, por 5-1.

 

O Desportivo e o Costa do Sol empataram a zero, o mesmo desfecho do Estrela da Beira-Chibuto. Nos outros encontros também houve empates, mas a um golo. Trata-se do HCB-Ferroviário da Beira e Têxtil-Ferroviário de Pemba. Na próxima jornada teremos dois duelos, nomeadamente Costa do Sol-Ferroviário de Nampula e Ferroviário da Beira-Liga Muçulmana.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:57
 O que é? |  O que é? | favorito
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
18
19
20
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO