Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 28 DE Janeiro 2014

CENTENAS de crianças que durante os últimos sete anos vinham se deliciando de uma recreação salutar durante as férias escolares na cidade de Chókwè, em Gaza, ficaram "órfãs" do seu patrono Danilo Ragu, que perdeu a vida num trágico acidente ocorrido na tarde de domingo, quando regressava da chamada capital económica da província, depois de presenciar o encerramento oficial de mais um torneio infanto-juvenil que ostentava seu nome.

 

 

Esta é uma das inúmeras actividades que, em vida, vinham sendo levadas a cabo por Danilo Ragu, um jovem que teve uma carreira brilhante na política, depois de há sensivelmente duas décadas ter passado como líder da Organização da Juventude Moçambicana na capital provincial de Gaza, tendo ascendido ao Comité Central da Frelimo e ao Parlamento nacional, como deputado.

 

 

O seu amor pela terra que a viu nascer contribuiu sobremaneira para que levasse a Chókwè momentos de diversão entre a pequenada dos 9 a 13 anos e, pelo impacto que ganhou, o referido torneio acabou abrangendo crianças do vizinho distrito do Guijá e da região de Chigubo.

 

 

Ragu testemunhou no último sábado, mesmo debaixo de uma chuva intermitente, o cair do pano do sétimo Torneio Infanto-Juvenil “Danilo Ragu”, cujo vencedor foi a formação Lhuvucane City, que derrotou, na final, a turma da Zona Verde de Chókwè, por 4-3, na transformação de grandes penalidades, depois de um empate a duas bolas no fim do tempo regulamentar.

 

 

Foi um momento solene e que contou com a presença das autoridades governamentais locais, com destaque para a futura edil de Chókwè, Lídia Cossa, do presidente da Associação Provincial de Futebol de Gaza, Asmal Khan, entre outras personalidades.

 

 

O campo da Escola Secundária do Chókwè é que acolheu o ponto mais alto do certame que vinha decorrendo desde Dezembro último, contando com a participação de um total de oito equipas, tendo no local sido igualmente exibidas actividades culturais e uma demonstração de karate.

 

 

O evento culminou com a distribuição de troféus aos que mais se evidenciaram na equipa Lhuvucane. O pequeno Guilherme recebeu o prémio de melhor marcador ao registar sete golos em igual número de jogos.

 

 

Enquanto isso, Neves Raimundo, da “Zona Verde”, foi distinguido como o guarda-redes menos batido, com três golos sofridos durante o torneio.Entretanto, uma marcha envolvendo todos os intervenientes marcou o encerramento do torneio.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:26
 O que é? |  O que é? | favorito

O BURUNDÊS Johane, que ano passado representou o Clube do Chibuto, que milita no Moçambola, a principal prova futebolística nacional, chegou a acordo com o Paços de Ferreira para as próximas três temporadas. O contrato com o clube da cidade do móvel estende-se até Junho de 2017.

 

 

Johane, um dos melhores marcadores do Moçambola, com 14 golos, vinha treinando à experiência nos Paços e terá convencido a equipa técnica. Aliás, os jornais desportivos portugueses sublinhavam a boa prestação de Johane nos treinos.

 

 

Realçar que Johane se junta a outros jogadores, particularmente moçambicanos, saídos recentemente do Moçambola para o futebol português.  O dianteiro Reginaldo foi o último moçambicano a transferir-se para o futebol luso, particularmente para o Nacional da Madeira, depois de Zainadine Júnior e Mexer.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:18
 O que é? |  O que é? | favorito

A LIGA Muçulmana realizou recentemente dois jogos de controlo no seu reduto nos esforços visando a consolidação do seu plantel. No jogo de sábado, diante do Estrela Vermelha, destaque para os três golos de Jerry, reforço de peso da Liga, que ditou a vitória dos “muçulmanos”sobre os “alaranjados”, por 3-1.

 

 

No regresso ao futebol nacional, o internacional moçambicano mostra que não perdeu a sua veia goleadora, apesar da passagem descolorida pela Europa.O primeiro embate foi na sexta-feira frente ao Matchedje, tendo os comandados de Litos ganho por 3-2, com os golos a serem repartidos por Imo, Zicco e Avelino, este último vindo do Têxtil do Púnguè, e que também começa a mostrar serviço.

 

 

Salientar que a Liga vai disputar, no próximo domingo, com o Ferroviário da Beira, o primeiro jogo oficial da época para a decisão da Supertaça.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:11
 O que é? |  O que é? | favorito

MOÇAMBIQUE somava até ontem 10 medalhas, das quais três de ouro, nos Jogos da Lusofonia, que decorrem em Goa, na Índia. Este número de medalhas confere actualmente o quarto lugar para o nosso país. Índia liderava até ao princípio da noite de ontem a lista dos melhores, à frente de Portugal e Angola.

 

O atletismo continua a ser o alicerce dos êxitos nacionais no evento, sendo que Kurt Couto juntou-se a Alberto Mamba no trono da modalidade, ao vencer a final de 400 metros barreiras. Mamba foi o primeiro a conquistar uma medalha de ouro, em 1500 metros, e voltou a cometer a mesma proeza nos 800 metros, elevando para três os ouros amealhados pelo país no evento.

 

Entretanto, Moçambique joga hoje a final do torneio de futebol com a Índia, depois da vitória sobre Srilanka, por 1-0, no sábado. Enquanto isto, a selecção feminina de basquetebol não passou das meias-finais ao perder ontem com Angola por 55-71, com as angolanas a vencerem nos detalhes, demonstrando mais maturidade em relação à turma moçambicana. Angola disputará a final com a Índia, enquanto Moçambique lutará pela medalha de bronze com Cabo Verde.    

 

Ainda ontem, o nosso país conquistou a medalha de bronze através da selecção nacional de vólei de praia, a vencer o jogo para a atribuição do terceiro e quarto lugar coma Srilanka, por 2-1.

 

Entretanto, para além de três ouros, Moçambique conquistou igual número de medalhas de prata, nomeadamente no atletismo, através de Creve Machava, também nos 400 metros barreiras, vólei masculino e judo. As restantes medalhas são de bronze e foram conquistadas igualmente em atletismo, vólei de sala e de praia feminino e judo.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:49
 O que é? |  O que é? | favorito

TEVE lugar, sábado, na Matola, o Festival de Basquetebol que marcou o arranque oficial da época naquela cidade. No evento participaram cerca de 100 atletas de diferentes escalões.

 

 

No acto, que teve lugar na Escola Secundária da Matola, houve jogos amigáveis entre um misto de basquetistas seniores da cidade da Matola e os da capital do país, estes na qualidade de convidados.

 

 

Houve também partidas entre juniores, juvenis e iniciados, numa cerimónia que contou com a presença dos membros do Conselho Municipal e representantes das escolas da urbe.

 

 

 O festival arrancou por volta das 9:00 horas, prolongando-se até as 15:00 horas, e segundo os mentores tinha como objectivo medir o grau de preparação das equipas da urbe, bem como a descoberta de novos talentos na modalidade.

 

 

Apesar de grande parte das referências nacionais de basquetebol ser oriunda da Matola, a urbe debate-se com a escassez de clubes federados que movimentam a modalidade, sendo que muitos talentos acabam jogando para as equipas da cidade de Maputo, o que retira aquele município da rota do basquetebol no país.A par disso, Matola é uma urbe desprovida de infra-estruturas adequadas para a prática de basquetebol.

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:35
 O que é? |  O que é? | favorito

TICO-TICO, embaixador da Selecção Nacional de Futebol, defende que a estrutura à volta dos “Mambas” tem de ser mais profissionalizada.Numa pequena entrevista concedida ao nosso jornal ainda em Cape Town, onde os “Mambas” estiveram a disputar o CAN-Interno, tendo ocupado a última posição no Grupo A, atrás da África do Sul, Nigéria e Mali, Tico-Tico elogiou o esforço dos jogadores, mas sustenta que alguém tem que fazer mais para que estes mesmos atletas tenham um bom desempenho em provas idênticas.

 

Logo depois da derrota, por 4-2, frente à Nigéria para a segunda jornada, a nossa Reportagem ouviu a reacção do Embaixador dos “Mambas”. Tico-Tico afirmou: “O desempenho de Moçambique nesta prova é desconfortante, pois fica a sensação de que podíamos ter dado mais. A rapaziada entrou para o último jogo determinada, acreditava que neste embate era possível vencer e, nós também acreditámos que realmente era possível sair com uma vitória. Mas a partir de um certo momento no jogo, que é crucial, neste caso quando se deu penalte à Nigéria isso afectou a equipa psicologicamente. Passámos a correr atrás do prejuízo, pois a Nigéria fez o 3-2. Quando é assim corre-se o risco de se sofrer mais um golo e foi o que aconteceu. Fica aquele amargo na boca, pois sentimos que podíamos ter ganho o jogo, com a exibição que fizemos na primeira parte, sobretudo no início do jogo, mas enfim… faltou alguma coisa para darmos um passo. Temos que parabenizar a rapaziada pelo esforço que fez, mas infelizmente não conseguimos ganhar, o que era objectivo principal para acalentarmos esperança de irmos à segunda fase”.

 

 

E… depois do encontro com o Mali Voltamos à carga: Como é que explica esta coincidência de sempre marcámos primeiro e depois perdermos?

 

 

Penso que é uma mera coincidência. Talvez comentar um pouco na questão de marcar primeiro e sofrer logo a seguir. No futebol a partir da altura que uma equipa marca torna-se vulnerável a sofrer golos. Portanto, devia haver uma chamada de atenção para os jogadores se concertarem mais, pois é exactamente no momento que marcamos o golo que nos tornámos vulnerável a sofrer golos. Há que se consolidar as vantagens e tirarmos proveito delas, o que não aconteceu.

 

 

Quando se joga a este nível, a falta de concentração paga-se muito caro. Notou-se nalguns momentos que a equipa perdeu concentração e acabou sofrendo golos. Se tivéssemos vencido o Mali seria um marco histórico, pois Moçambique nunca ganhou uma partida num CAN”.

 

 

Na qualidade de Embaixador, o que pensa que deve mudar nesta selecção para que futuramente tenhamos bons resultados?

 

 

“Somos rápidos a criticar os jogadores, mas eles são ao fim e ao cabo os heróis disto tudo. As dificuldades que eles têm passado para representar o país muitas vezes não as consideramos. Todos vêm do defeso, mas fizeram um esforço enorme para estarem aqui. Há que lhes dar força. Eles tiveram férias curtas, o que pode afectar o resto da temporada. Querem ganhar, mas não é fácil. Falta muita coisa. A estrutura à volta da selecção, por exemplo, tem de ser mais profissionalizada, para que os jogadores se sintam mais incentivados a dar o seu máximo. Há muitas outras coisas que não vale a pena aqui citar, que na minha opinião afectam o desempenho da Selecção. Temos a questão dos ataques em Moçambique que muito recentemente vitimaram alguns jogadores, penso que isso também afectou a equipa, pois souberam em primeira mão com a evolução das tecnologias de comunicação.

 

 

 São situações que afectam, mas em campo eles deram o máximo. Apesar de as coisas estarem a correr mal no país, eles fizeram a sua parte. Demonstraram que estão com Moçambique no coração. Portanto, em face disso, repiso, que são eles os heróis de tudo isto. Não tenho como criticá-los, também passei pela posição deles, somos sempre os mais criticados porque nós é que jogámos, mas há uma série de coisas que devem ser feitas para melhorar a Selecção. Não podemos atirar pedras a estes rapazes, pois eles são briosos. Se não deram mais é porque não têm mais para tal, mas penso que ofereceram o que tinham a oferecer. Temos que acarinhá-los e motivá-los, porque ainda havemos de precisar deles. Há mais jogos pela frente e contámos com eles, isto não termina aqui com o CAN-Interno.

 

 

Questionamos a Tico-Tico, curiosamente, onde é mais difícil estar, no campo ou fora dele?

 

 

Fora do campo é que é mais difícil. Dentro do campo facilmente o nervo passa, de fora há sempre aquela sensação de que podia ajudar, dar o melhor. É por essa razão que se sofre mais fora do rectângulo”.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:25
 O que é? |  O que é? | favorito

A FEDERAÇÃO Moçambicana de Futebol (FMF) irá receber, da Confederação Africana de Futebol (CAF), 100 mil dólares norte-americanos referentes ao quarto e último lugar do Grupo A dos “Mambas” no CAN-Interno que decorre ainda na África do Sul.

 

Aliás, o valor é um prémio de participação dado que o nosso país não conseguiu pontuar nesta prova reservado aos jogadores que actuam nos respectivos países.

 

Moçambique esteve inserido no Grupo A, juntamente com a anfitriã África do Sul, Nigéria e Mali. Os “Mambas” perderam todas a perdidas, respectivamente por 1-3, 2-4 e 1-2.

O vencedor desta prova que termina próximo domingo irá arrecadar 750 mil dólares, enquanto o finalista vencido terá direito a 400 mil.

 

Refira-se que esta foi a primeira vez que Moçambique chegou a um CAN-Interno, depois de falhadas as qualificações para as edições de 2009 e 2011.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:18
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de basquetebol sénior feminina conquistou ontem uma medalha de ouro, ao vencer Angola, por 73-49, na final do torneio dos Jogos da Lusofonia que decorrem em Goa, Índia.

 

 

Com este triunfo, o nosso país eleva para quatro o número de medalhas de ouro conquistadas no evento que junta os países falantes da língua portuguesa.Enquanto isso, a selecção masculina, também de basquetebol, derrotou Cabo Verde, por 56-49, no jogo para atribuição do terceiro lugar, correspondente à medalha de bronze. O combinado nacional perdeu a oportunidade de disputar a final com a Índia, ao perder, domingo, nas meias-finais com Angola, por 55-71. 

 

Com este desfecho, Moçambique contabiliza actualmente 12 medalhas, sendo     quatro de ouro, três de prata e cinco de bronze. O nosso país poderá elevar o número de medalhas de ouro para cinco, caso vença, esta tarde, a Índia, na final do torneio de futebol. Os “Mambinhas” lograram chegar à final, após o triunfo sobre a Srilanka, por 1-0, nas meias-finais disputadas sábado.

 

 

Entretanto, Alfredo Mamba é o atleta mais cotado individualmente e que contribuiu significativamente para o sucesso de Moçambique nos Jogos da Lusofonia, com duas medalhas de ouro conquistadas nas provas dos 1500 e 800 metros. Kurt Couto, por sua vez, deu igualmente uma contribuição considerável, com a medalha de ouro conquistada nos 400 metros barreiras, no domingo. Nos destaques individuais, estão igualmente Creve Machava e Bruno Luzia, que amealharam medalhas de prata nos 400 metros barreiras e no judo, respectivamente.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:07
 O que é? |  O que é? | favorito
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
18
19
25
26
27
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO