Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 17 DE Outubro 2013



 

ESTAMOS preocupados! O Governo moçambicano não está confortado com a onda de violência e de intolerância que grassa o nosso futebol”, disse ontem o Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana Jr., na abertura da II Conferência Nacional de Futebol.



Segundo o ministro, os recintos desportivos nacionais, sobretudo os que acolhem os jogos do Moçambola, transformaram-se em palcos de violência… gratuita, apelando para que haja um combate cerrado a este fenómeno maléfico.




Violência gratuita no rectângulo de jogo e nas bancadas. Violência gratuitamente oferecida até pelos treinadores, isto é, por aqueles que, pela natureza das suas funções, deviam ser exemplares, pedagogos e espelho de uma boa conduta para os nossos jovens”, deplorou o ministro.


Fernando Sumbana advertiu, de seguida, que “instrumentos jurídicos com vista a se colmatar essa malfadada tendência existem, nomeadamente o Regulamento de Segurança nos Recintos e Espectáculos Desportivos, este ano aprovado pelo Conselho de Ministros”.


 Trata-se, pois, prosseguiu o ministro, de um instrumento que orienta os organizadores dos eventos desportivos sobre os procedimentos a tomar em conta em diferentes níveis de competições, de forma a evitar-se a ocorrência de actos de violência.



Portanto, a lei existe, é clara e deve ser aplicada. Não podemos continuar a assistir, impávidos e seremos, à transformação dos nossos recintos desportivos em palcos de violência. No desporto, queremos que os nossos jovens encontrem um espaço e uma atmosfera ideal para a sua construção como homens; uma escola onde se buscam os nobres valores de cidadania, do respeito com o próximo, da irmandade, do “fair-play”, da coesão, da unidade nacional e da grandeza do próprio desporto”, sublinhou.


 Em relação à conferência, Fernando Sumbana disse que os fazedores do futebol, os amantes da modalidade e todos aqueles que se identificam com este gigantesco fenómeno popular estão com as atenções viradas para este fórum (conferência), na esperança de que se produzam decisões e recomendações que tragam verdadeiras mudanças em toda a matriz institucional do nosso futebol.


 

 

 Para Sumbana, os reais problemas estão devidamente identificados e todos nós os conhecemos. Frontalmente, sem complexos nem receios de qualquer espécie, devem ser discutidos e em conjunto traçar-se um rumo único para o futebol moçambicano.

O ministro referiu ainda que as conferências provinciais que antecederam este fórum foram ricas em debates e na busca de soluções para o mal comum, apelando ao pragmatismo na discussão para além de uma abordagem muito séria do assunto.


O governante destacou, por outro lado, o facto de no evento tomar parte gente que considerou ser verdadeiramente do futebol e cujo quotidiano é o futebol, sempre imbuído pelo espírito de fazer mais e melhor pela modalidade no país, pelo seu desenvolvimento e pela expansão por todo o país.


Apelou à massificação da modalidade nas camadas de formação e da absorção dos talentos anualmente descobertos em eventos juvenis como Bebec, Copa Coca-Cola e Jogos Escolares.



Sob o lema “Por um Futebol Inclusivo e Abrangente”, a II Conferência Nacional de Futebol abordou ontem temas como: estruturação e profissionalização do futebol em Moçambique; gestão do futebol; recursos financeiros para a modernização de infra-estruturas e gestão da imagem de futebol.


Hoje serão debatidos os assuntos relacionados com a detecção, formação e desenvolvimento de talentos; segurança nos campos de jogos e responsabilidade social do futebol.



SAUDAÇÕES A JORNALISTAS…



Noseu discurso, o ministro da Juventude e Desportos endereçou calorosas saudações à Imprensa, Liga Moçambicana de Futebol, Federação e às Associações Provinciais, para além de clubes, árbitros pela sua entrega em prol da modalidade a nível nacional.



Saudamos a Federação Moçambicana de Futebol por ter sabido, em boa hora, organizar esta magna reunião, certos de que, por um lado, os objectivos que nortearam a sua realização sejam cumpridos integralmente; e, por outro, que a mesma sirva de trampolim para um estágio em que o nosso futebol efectivamente se guie por modelos mais profissionais e onde a organização seja não somente o denominador comum como também a palavra de ordem, em todos os capítulos”, frisou.



Ajuntou que “as nossas saudações são extensivas à Liga Moçambicana de Futebol, que de ano para ano vem proporcionando alegrias ao nosso povo através da realização do Moçambola; às Associações Provinciais, que apesar de muitas vicissitudes mantêm viva a competição a nível local; aos clubes, principais fazedores e células-base do nosso desporto; aos dirigentes, treinadores, jogadores, árbitros, jornalistas e parceiros, cuja contribuição para o desenvolvimento da modalidade tem sido extraordinária”.



DESAFIOS POR SUPERAR -FEIZAL SIDAT, PRESIDENTE DA FMF



O PRESIDENTE da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), Feizal Sidat, disse, por seu turno, que o futebol moçambicano tem grandes desafios a vencer, daí que instou a todos os participantes a dar valiosos contributos na conferência que decorre após a realização das conferências provinciais.

Sidat disse, por outro lado, que uma das principais características do actual elenco federativo é de promover e aprofundar o diálogo com sociedade, no espírito da chamada gestão pública participativa, para inverter o cenário prevalecente no futebol nacional.



 Para o presidente da FMF, “esta maneira de actuar visa criar uma plataforma de melhoria da imagem do futebol no aspecto global na qual a sociedade civil nacional joga também um papel decisivo”, frisou.



Explicou ainda que a conferência foi por diversas vezes adiada por imperativos do calendário desportivo nacional, frisando que “pretendemos no fundo, com esta conferência, democratizar a elaboração de uma estratégia nacional efectiva de desenvolvimento do futebol que envolva a sociedade moçambicana”, sublinhou, reiterando o desejo de ver sair do evento contribuições substanciais para o futebol.


MOMENTO DE REFLEXÃO– AFIRMA, SALIMO ABDULA



PARA o presidente da Mesa da Assembleia Geral da FMF, Salimo Abdula, a Conferência Nacional de Futebol é um momento ímpar para a discussão dos problemas da modalidade mais amada pelos moçambicanos.



Abdula disse que “não esperamos, como é óbvio, ser este evento a solução de todos os problemas do futebol nacional, mas sim, contámos, e com o apoio de todos presentes, fazer deste um momento cujos debates, propostas e soluções que daqui surgirão, se espelhem nas acções daqui em diante, e que no futuro sejam estas acções que engrandecerão o nosso amado desporto”, referiu.



 Acrescentou que as questões como: Onde estamos? Para onde caminhamos? Onde esperamos chegar? E  como esperamos lá chegar, merecem ser devidamente abordadas nestes dois dias, para que se tragam respostas que “nos servirão de pernas para andar, e quiçá de asas para voar em direcção à grandeza que todos moçambicanos esperam que o futebol do país possa alcançar”.



Realçou o facto da II Conferência Nacional de Futebol ser um momento único que se perspectiva solidificar os pilares erguidos com o objectivo de levar a bom porto o desporto-rei.



Todos auguramos pela melhoria da qualidade e desempenho do futebol nacional. Para tal torna-se necessário aprofundar nestes dois dias da conferência a análise sobre as linhas fortes e fracas/ameaças e oportunidades e factores de desenvolvimento e de entraves desta modalidade rainha”.




Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:25
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de futebol vai defrontar a sua congénere da Namíbia, a 19 de Novembro próximo, em Windhoek, partida inserida na data-FIFA e que marcará o início da sua preparação para o CAN-Interno, a decorrer de 11 de Janeiro a 1 de Fevereiro do próximo ano, na vizinha África do Sul.



 

Os “Mambas” vão concentrar-se no dia 17 de Novembro, curiosamente no fim-de-semana que marcará o fim do Moçambola-2013. O Seleccionador Nacional, João Chissano, admite a possibilidade de poder contar com atletas que actuam no estrangeiro, como forma de conferir maior traquejo ao combinado nacional e permitir que os jogadores mais experientes transmitam a sua experiência à equipa, que é maioritariamente constituída por atletas mais novos.



 

Este embate será o ponto de partida para uma série de jogos amigáveis que a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) está a negociar, tendo em conta as datas previstas (desejadas), com vista a proporcionar aos “Mambas” um estágio competitivo que se prolongará até finais de Dezembro, ou seja a anteceder a partida, a 3 de Janeiro, para a cidade sul-africana de Cape Town, onde Moçambique e os restantes integrantes do Grupo A estarão hospedados, nomeadamente África do Sul, Nigéria e Mali.



 

Segundo João Chissano, os “Mambas” farão sete jogos até Dezembro, começando com o “amigável” frente à Namíbia.



 

De acordo com Chissano, os jogos amigáveis vão permitir, para além da rodagem da equipa, a observação de mais atletas para engrossar a fileira dos “Mambas”.“Na semana do jogo com a Namíbia, teremos a final da Taça de Moçambique/MCEL, facto que abre espaço para dar continuidade aos trabalhos da selecção e, se possível, convidar uma selecção para mais uma partida amigável”, explicou.



 

O técnico contou que o plano de preparação para o CAN-Interno prevê a realização de cinco jogos fora do país e um fora de Maputo até finais de Dezembro.“Após o regresso da Namíbia, entre os dias 20 e 21 de Novembro, vamos juntar os 26 jogadores para o CAN-Interno para o cumprimento integral do programa, com treinos diários e bidiários, pois teremos jogos amigáveis até ao final do ano”, contou.De salientar que os “Mambas” farão antecipadamente um estágio em Cape Town em Dezembro para a adaptação ao clima.




Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:45
 O que é? |  O que é? | favorito

EMBORA o Ferroviário de Nampula tivesse tido, ao longo dos noventa minutos, maior número de oportunidades flagrantes para marcar em relação ao seu homónimo da Beira, o empate, a zero golo, aceita-se, se tomarmos em consideração o nível do futebol praticado, até pela entrega.



 

O jogo começou com ligeiro domínio dos nampulenses, que falharam a oportunidade de inaugurar o marcador, aos 36 minutos, quando Samito, depois de uma jogada de se lhe tirar chapéu, isolou-se e com a baliza desguarnecida, rematou por cima da baliza de Willard para desespero dos adeptos que já gritavam golo.O Ferroviário da Beira reagiu prontamente e poderia, também, ter obtido o golo aos 38 minutos por intermédio de Caló que não teve calma necessária. Diga-se de passagem que o defesa foi a espinha dorsal dos visitantes.



 

No segundo tempo, os donos da casa, mais uma vez, entraram a pressionar numa clara tentativa de chegar ao golo que nunca aparecia. Em parte, porque o guarda-redes dos beirenses exibia-se com autoridade, fazendo intervenções espectaculares, mas também por falta de acutilância dos atacantes dos “locomotivas” de Nampula.



 

Porém, numa jogada confusa dentro da área dos “forasteiros” e com o guarda-redes Willard batido, Ernest, de forma incrível, falha um golo certo, rematando por cima.

 

Como fruto da sua ligeira ascendência, Missawa volta a desperdiçar outra oportunidade de marcar momentos depois.



 

O Ferroviário da Beira atacou, mas com muita cautela na defensiva. O marcador não chegou a funcionar, e reafirme-se, em função do desempenho das equipas intervenientes o empate foi o resultado mais justo.António Massango, árbitro do encontro, realizou um trabalho positivo.



 

FICHA TÉCNICA


 

ÁRBITRO: António Massango, auxiliado por Mário Albino e Raimundo Artur.

 

FER.NAMPULA- Simplex, Oscar, Vovot, Kalanga, Samito, Ernest, Hipo(Tchictho), Scaba (Jerry),Belito(Massawa) e Vivaldo.

 

FER.BEIRA - Willard, Hilario, Caló, Emidio, Edson, Reinildo (Moniz), Timbe, Carlitos (Mario), Enio (Mupoca), Nelito e Maninho.

 

Acção disciplinar: Amarelo a Caló e Mupoca (Ferroviário da Beira) e Óscar (Ferroviário de Nampula).





Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:34
 O que é? |  O que é? | favorito

O DESPORTIVO ficou praticamente arredado da final da Taça de Moçambique/mcel depois de, na tarde de ontem, ter sido copiosamente goleado, fora de casa, pelo Clube do Chibuto, por 4-0, em jogo da primeira “mão” das meias-finais.



 

O Chibuto demonstrou ser, durante todo o jogo, a equipa mais consolidada e perigosa no ataque. O triunfo dos “guerreiros” de Gaza não merece, por isso, qualquer tipo de contestação. Aliás, no final do jogo, Artur Semedo, treinador dos “alvi-negros”, referiu que a sua equipa esteve irreconhecível.



 

Stanley, com dois golos apontados, foi a figura do encontro, e deixou o Chibuto com um pé na final da Taça de Moçambique/mcel. O goleador Johane também deixou a sua marca ao apontar um tento de penalte.



 

Em aberto estão as meias-finais entre Ferroviário de Nampula e da Beira, visto que terminou empatado a zero golo.A eliminatória continua em aberto e a segunda “mão”, a disputar-se na Beira, espera-se muito bem disputada.A Liga Muçulmana é o actual detentor do troféu, mas já está afastado da prova.




Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:29
 O que é? |  O que é? | favorito
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO