Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 05 DE Agosto 2013

O GUARDA-REDES da HCB de Songo, Soarito, salvou os “Mambas” de uma grande humilhação ao anular uma série de lances de golo iminente da Namíbia durante os 90 minutos regulamentares e ao defender uma grande penalidade, já no desempate através da cobrança do castigo máximo, durante o jogo da segunda “mão” da penúltima eliminatória de acesso ao CAN-Interno, que decorreu na noite de sábado no Sam Nujoma Stadium, em Windhoek.

 

Mesmo assim, Soarito não evitou que durante o tempo regulamentar a Selecção Nacional fosse goleada, por 3-0, resultado igual àquele que os “Mambas” haviam infringido aos “Bravos Guerreiros” seis dias antes, em Maputo, o que fez com que a eliminatória ficasse empatada e houvesse necessidade de desempatá-la através da cobrança de grandes penalidades.

 

Aí, Soarito, que durante os 90 minutos já havia sido decisivo ao anular lances certos de golos que podiam ter virado a eliminatória a favor dos namibianos e mantendo, por isso, a eliminatória ainda possível de ter um desfecho favorável aos “Mambas”, voltou a ser decisivo, ao defender uma grande penalidade, a terceira da primeira série de cinco.

 

E porque nenhum dos cinco jogadores escolhidos pelo seleccionador nacional, João Chissano, falhou na cobrança das grandes penalidades, a defesa de Soarito acabou sendo decisiva para o desfecho favorável que a eliminatória teve a favor de Moçambique, que venceu por 5-4.

 

Assim, entre os dias 24 e 25 de Agosto corrente, a Selecção Nacional recebe em Maputo a sua congénere de Angola, para o jogo da primeira “mão” da última eliminatória de acesso ao Campeonato Africano das Nações destinado exclusivamente a jogadores que actuam nos respectivos campeonatos domésticos, cuja fase final da terceira edição terá lugar na vizinha África do Sul, em 2014.

 

Uma semana depois, entre os dias 31 de Agosto e 1 de Setembro, moçambicanos e angolanos voltarão a defrontar-se, desta feita em Luanda.

Os “Palancas Negras”, lembre-se, para chegarem à última eliminatória, afastaram a Suazilândia com uma dupla vitória de 1-0 em Manzine e Luanda.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 15:23
 O que é? |  O que é? | favorito

Quando no passado dia 3 de Agosto a Namíbia foi goleada por 3-0 em Maputo, o seu seleccionador, Ricardo Mannetti, reiterou à saída do Estádio da Machava que a eliminatória ainda estava em aberto, admitindo que da mesma forma que os “Mambas” marcaram os três golos em sua casa os “Bravos Guerreiros”- nome de guerra da sua selecção – também podiam fazer o mesmo jogando perante o seu público.

 

 

Mas, até o final da primeira parte do jogo de sábado, a profecia de Mannetti parecia estar bastante longe de se concretizar, porquanto o resultado ainda estava em branco, o que fazia com que a eliminatória continuasse a seu desfavor.

 

Diferentemente de Moçambique que repetiu a equipa inicial que jogou uma semana antes em Maputo, em campo, a Namíbia, que foi para este jogo com duas alterações na sua defesa em relação ao jogo de Maputo, com as entradas de Deon Hotto e Riaan Cloete para os lugares de Annanias Gebhardt e Emilio Martin, respectivamente, era o conjunto que mais atacava e procurava chegar ao golo de todas as formas.

 

Aliás, se não foi para o intervalo a vencer foi porque, aos 43 minutos, o travessão da baliza de Soarito substituiu o guarda-redes moçambicano após um cabeceamento do “capitão” Da Costa.

 

Expectante, Moçambique desde cedo jogou com o relógio, retardando o início do jogo sempre que a bola saísse do campo, o que custou seis cartões amarelos e um vermelho, a Sonito, por acumulação.

 

No reatamento, a Namíbia entrou praticamente a fazer o 1-0, quando aos 52 minutos e num lance construído pelos dois jogadores que em Maputo não jogaram como titulares, Deon Hotto “varreu” a ala direita da defesa moçambicana até servir de bandeja Riaan Cloete que, encostando apenas o pé, fez nascer a esperança dos anfitriões.

 

E numa altura em que os “Mambas” já jogavam com menos uma unidade, dada a expulsão de Sonito por acumulação de cartões amarelos, o segundo dos quais por na decisão do árbitro se ter feito a uma falta inexistente na área adversária, a Namíbia fez o 2-0, num lance a papel químico do primeiro, com Telinho e João Mazive a não conseguirem travar Deon Hotto que, com o seu pé esquerdo, ofereceu o golo a Riaan Cloete, que bisou na partida.

 

E, finalmente, no último dos cinco minutos de compensação concedidos pelo árbitro Josua Bondo, do Botswana, o substituto Roger Katjiteo fez o 3-0, igualando a eliminatória e forçando o desempate através da marca de grandes penalidades.

 

Aí, os cinco eleitos por João Chissano, nomeadamente Diogo, Miro, Lanito, Dário Khan e Gabito marcaram.Do lado contrário, Cris Katjiukua, o terceiro a rematar, permitiu a defesa de Soarito e a vitória de Moçambique na eliminatória.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

Sam Nujoma Stadium, em Windhoek.

 

Assistência: cerca de 2000 espectadores

 

Comissário da CAF: Roch Henriette (Seychelles)

 

ÁRBITRO: Joshua Bondo, assistido por Oamogetse Godisameng e Bakwena Simakalele (Botswana). Quarto árbitro: Kutlwano Leso (Botswana)


NAMÍBIA: Efriam, Da Costa, Cris Katjiukua (Bradly), Freedom, Larry; Denzil; Deon Hotto, Neville (Roger Katjiteo) e Willy Stephanus; Riaan Cloete e Jerome Louis

 

MOÇAMBIQUE: Soarito, Miro, Dário Khan, Chico e João Mazive; Alvarito, Telinho, Momed Hagi (Lanito) e Josimar (Diogo); Sonito e Mário (Gabito)

 

GOLOS: Riaan Cloete (2) e Roger Katjiteo marcaram os golos da Namíbia

 

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Denzil e Da Costa (Namíbia), Chico, Miro, Mário, Soarito e Sonito (2). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para Sonito

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 15:18
 O que é? |  O que é? | favorito

DELEGAÇÃO de Maputo-cidade aos XI Jogos Desportivos Escolares, decorridos mês passado, em Tete, procedeu à entrega, sexta-feira, dos troféus conquistados no evento à governadora Lucília Hama, que lhe conferiram o título de campeã da recém-finda edição, numa cerimónia de recepção aos vencedores realizada na sede do Governo da capital do país.

 

Para além do “canecão” referente ao vencedor absoluto do festival, Maputo-cidade entregou a Lucília Hama a taça referente ao título absoluto na modalidade de atletismo.

 

No cômputo geral, a cidade de Maputo foi campeã em atletismo masculino e voleibol feminino, vice-campeã em futebol masculino e andebol feminino. Ocupou a terceira posição no basquetebol masculino e feminino, futebol feminino e voleibol masculino.

 

 

Falando na ocasião, o director da Educação da Cidade de Maputo, Antonimo Grachane, elucidou que o sucesso deveu-se ao esforço conjunto e abnegado dos atletas, das contribuições das direcções distritais e do apoio do Governo da cidade.

 

Grachane enfatizou que Maputo-cidade cumpriu a promessa feita aquando da despedida, curiosamente no mesmo local, a 16 de Julho, de respeitar rigorosamente os regulamentos geral e específicos do festival, facto que permitiu a revalidação do título conquistado em 2011.

 

Comprometemo-nos a trabalhar para mais uma boa prestação nos próximos jogos, a decorrerem em Pemba, em 2015”, salientou.

Por seu turno, Lucília Hama saudou, em especial, os atletas e toda delegação, que souberam honrar o compromisso de vencer.

 

Somos campeões absolutos pela segunda vez consecutiva e isto é o concretizar do compromisso assumido na vossa despedida. Souberam ouvir o nosso pedido e honraram o compromisso de vencer. Um facto que contribuiu para vencerem e terem viajado num ambiente de paz, dai que dissemos, com viva voz, “viva a paz”, enfatizou.

 

Hama salientou que o segredo do sucesso está no respeito pelos atletas aos princípios e directrizes transmitidos pelos técnicos e dirigentes, aos quais dedicou especiais felicitações.

 

 

Queremos chamar atenção aos atletas que estas conquistas sejam traduzidas em melhores resultados escolares. Queremos ouvir, no fim do ano, de que passaram de classe”, advertiu, desejando igualmente felicitações aos pais e encarregados de educação.

 

 

A governadora da cidade convidou os atletas a associar as suas capacidades atléticas ao estudo. “Jogar, mas também estudar mais”, frisou.A cerimónia culminou com a entrega de material escolar aos campeões para que iniciem o novo semestre sem problemas.Recordar que a delegação da cidade de Maputo aos XI Jogos Escolares foi composta por 164 pessoas, entre atletas, treinadores, dirigentes, massagistas, entre outras.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 15:14
 O que é? |  O que é? | favorito

O COSTA do Sol ganhou o recurso interposto ao Conselho Jurisdicional da Associação de Futebol da Cidade de Maputo (CJAFCM) contra a decisão do Conselho de Disciplina que considerou improcedente o protesto dos “canarinhos” contra graves erros cometidos pela equipa de arbitragem no jogo com a Liga Muçulmana, referente à terceira e última eliminatória – fase da cidade de Maputo da Taça de Moçambique/MCEL, e que influenciaram no resultado favorável à turma muçulmana (3-2) conseguido na lotaria de grandes penalidades, após o nulo ao fim do tempo regulamentar e prolongamento.

 

O jogo realizou-se a 19 de Junho de 2013 no campo da Liga Muçulmana.

 

O Costa do Sol reiterou, no recurso, o registo de várias irregularidades durante o encontro, pedindo a anulação da decisão proferida no Acórdão nº4/AFCM/CD/2013. No recurso, alega que:

 

Alínea a) aos 93 minutos do jogo, o árbitro principal autorizou uma substituição para a equipa do Costa do Sol, que culminou com a saída de Alvarito e a entrada de Tchaka. Na altura, o Costa do Sol beneficiava de um pontapé de canto, tendo o árbitro interrompido a marcação para proceder-se à substituição. No entanto, enquanto o jogo estava interrompido para se processar a substituição, o árbitro deu por terminado o jogo, sem que ela fosse consumada, bem como a marcação de penaltes;

 

- Alínea b) no acto de marcação do primeiro penalte da Liga Muçulmana, o árbitro assistente que acompanhava as movimentações do guarda-redes do Costa do Sol levantou a bandeirola num movimento irregular do gesto técnico a indicar qualquer infracção do jogador da Liga. Mas, ao constar que a bola havia entrado, baixou imediatamente a bandeirola;

 

- Alínea c) no segundo penalte a favor da Liga, apontado por Reginaldo, o guarda-redes do Costa do Sol (Gervásio) não se mexeu e a bola foi ao poste e não entrou. Gervásio foi ao lado contrário da direcção da bola, mas o árbitro principal, por indicação do mesmo árbitro assistente, que levantou a bandeirola invalidando o lance, mandou repetir a grande penalidade em claro acto premeditado e em prejuízo do Costa do Sol;

- Alínea d) estes factos configuram uma violação às leis de jogo emanadas pela FIFA, que ao longo da partida ocorriam de forma abusiva e sistemática…, premeditada, violenta e grosseiramente mal aplicadas pela equipa de arbitragem em prejuízo do Costa do Sol;

 

Alíneas e) … Foram violadas as Leis nº 3, 7 e 14, sobre número de jogadores (procedimento de substituição), duração do jogo (recuperação de tempo perdido) e de pontapé de grande penalidade, sendo que a Lei nº 7, na parte atinente à recuperação de tempo perdido, afirma que cada parte deve ser prolongada para recuperar todo tempo perdido ocasionado por substituições, exame de lesões de jogadores, transporte de jogadores lesionados para fora do terreno de jogo, perdas de tempo e qualquer outra causa.

 

 

Feito isto, o CJAFCM, reunido em sessão extraordinária no dia 23 de Julho último, analisou os factos verificados tendo concluído que:

- Prevalece a dúvida sobre se o árbitro acolheu ou não a substituição, não havendo registo no relatório do jogo. Quanto à marcação do pontapé de canto, o árbitro principal pode dar por terminado o jogo no momento que achar certo excepto se existir falta de grande penalidade.

 

 

- Relativamente à fase de marcação de grandes penalidades, visto o vídeo do jogo, há que reconhecer que, no segundo penalte a favor da Liga Muçulmana, o guarda-redes do Costa do Sol só se mexeu depois de a bola partir, tendo sido projectado para o lado contrário do esférico, que foi devolvido pelo poste. E o árbitro assistente só levantou a bandeirola muito tarde, isto é, depois da bola devolvida pelo poste.

 

 

Com estes argumentos, o CJAFCM acordou dar provimento ao recurso interposto e decidiu revogar o acórdão nº 04/AFCM/CD/2013, de 3 de Julho de 2013, do Conselho de Disciplina da AFCM, com base no artigo 151º do Regulamento de Disciplina da Federação Moçambicana de Futebol. Mandou repetir o jogo em conformidade com a alínea c) do nº 3 do artigo 173º do RD da FMF. E responsabiliza a equipa de arbitragem pelas irregularidades verificadas no referido jogo.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 15:04
 O que é? |  O que é? | favorito

OS “Mambas” transitaram sábado, à noite, em Windhoek, para a terceira eliminatória de apuramento para o CAN-Interno 2014 fruto de uma vitória bastante sofrida diante da Namíbia, por 8-7, no agregado das duas “mãos”.

 

É que a Selecção Nacional partiu para o embate da segunda “mão” da segunda eliminatória, em Windhoek, com uma vantagem folgada de 3-0 conseguida em Maputo. Porém, já no terreno encontrou uma realidade bem diferente. Uma Namíbia bem estruturada e muito aguerrida, que não deu espaço de manobra aos moçambicanos.

 

 

Até ao intervalo tudo corria às mil maravilhas para os “Mambas”, porque o resultado de zero-a-zero era benéfico para as suas inspirações de transitarem para a etapa seguinte.

 

 

Só que no decorrer da segunda parte, as coisas mudaram de rumo. Incompreensivelmente os “Mambas” deixaram de existir em campo e a Namíbia, com o apoio do seu público, apertou o cerco e aos poucos foi acreditando que poderia virar a eliminatória a seu favor. E por pouco o conseguia, uma vez que marcou três golos, os mesmos que os moçambicanos levavam na bagagem.

 

 

Como a eliminatória estava empatada, teve que se recorrer ao desempate por penaltes, uma vez que o regulamento da CAF para esta competição e nesta fase não prevê prolongamento.

 

 

Nessa lotaria das grandes penalidades, os moçambicanos foram mais felizes ao converterem todos os cinco que tinham direito contra quatro dos namibianos.

 

 

E assim, Moçambique segue em frente nesta prova, com alguma pontinha de sorte, pois é inconcebível que depois de ganhar por 3-0 em casa, passe por muitas dificuldades no terreno do adversário, ainda por cima diante de uma equipa sem grande expressão no futebol africano.

 

 

Portanto, na próxima eliminatória, os “Mambas” defrontam Angola, cujo embate da primeira “mão” terá lugar no fim-de-semana de 24/25 de Agosto, em Maputo, para uma semana depois jogar-se no solo alheio.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 14:54
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
17
18
23
24
25
26
27
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO