Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 08 DE Julho 2013

A SELECÇÃO Nacional de Futebol venceu sábado, em Blantyre, a sua congénere do Malawi, por 1-0, em partida amigável inserida nas comemorações de mais um aniversário da independência daquele país vizinho.

 

O único tento dos moçambicanos, e da partida, foi apontado por Josemar, aos 21 minutos, ainda da primeira parte.

 

Depois deste encontro, os “Mambas” viajam amanhã, de Joanesburgo onde chegam ainda hoje, para a Zâmbia para tomarem parte no Torneio da Cosafa.

Aliás, os “Mambas” vão defrontar domingo a Zâmbia em jogo dos oitavos-de-final da Taça Cosafa.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 13:06
 O que é? |  O que é? | favorito
tags:

VILANKULO FC foi eliminado ontem da Taça de Moçambique, segunda maior prova futebolística nacional, ao sucumbir frente ao Desportivo de Maputo por duas bolas a três no jogo disputado em Vilankulo a contar para os quartos-de-final da competição.

 

Com as coisas a correrem mal no Moçambola, os “marlins” de Chiquinho Conde tinham a Taça de Moçambique para procurarem se redimir dos resultados menos conseguidos no campeonato. Foi isto que se viu, diferente do ano passado que a VFC bateu o recorde nacional ao terminar o campeonato sem sofrer golo em casa, neste ano, as balizas locais são sistematicamente violadas. Situação que já preocupa a direcção local.

 

 

No jogo de ontem, o Desportivo de Maputo que, uma vez mais, mostrou o seu estatuto de ser um dos colossos do futebol nacional, entrou no jogo a marcar por Lanito aos três minutos. Foi um golo madrugador que encontrou a equipa da casa em contrapé, pois, na sua primeira reacção, aos cinco minutos, Cumbe, com a baliza escancarada, manda a bola para as nuvens.

 

 

Quando se ouviam assobios dos adeptos locais chamando pelo nome do treinador principal, sinal inequívoco da preocupação pelos maus resultados, Tenday restabelece a igualdade aos quinze minutos para aos 23 Calton desfazer o empate colocando de novo o Desportivo na dianteira, um resultado entretanto desfeito pelo golo de Osvaldo Sunde aos 24 minutos. Até ao tempo do intervalo o resultado não mais se alterou mas com ligeira ascendência dos forasteiros que tinham apoio da raça “alvi-negra” que viajou até à capital turística para puxar pela sua equipa.

 

 

No reatamento, Artur Semedo lança Chana no lugar de Calton. A ideia era prender a defensiva local que se mostrava coesa com algumas subidas para as manobras ofensivas. Foi feliz Semedo, pois, Madeira e Ali Cadre, dois centrais locais, deixaram de apoiar o ataque sempre que a equipa estivesse na posse da bola e perante este novo cenário, o Desportivo ganhava terreno e explanava o seu potencial deixando a equipa local atónita.

 

 

Chiquinho, à entrada dos quinze minutos, respondeu, tirando Mathombe, algo apático nesta partida, colocando Michal e Hilário, recém-contratado ao Desportivo de Nacala, rendeu Cumbe e o VFC passou a disputar a bola no meio-campo, onde Abílio se mostrava inconformado perante a sua antiga equipa.

 

 

Nos últimos cinco minutos, foram de total assédio do VFC à baliza de Marcelino e Tenday por três vezes surgiu sozinho na área e não conseguiu marcar. Na resposta, oDesportivo ganhou falta no vértice no enfiamento direito da área de rigor. Fred tirou as medidas necessárias e mandou a bola para o ângulo mais distante de Martinho, colocando a sua equipa na dianteira, estavam jogados 46 minutos, era o fim da equipa de Chiquinho Conde na Taça de Moçambique.

 

 

Estêvão Matsinhe, árbitro do jogo, foi severamente vaiado pelos locais alegadamente por ter perdoado em demasia o capitão Fred no lance que teve amarelo, como também poderá não ter visto o jogo violento de Marcelino contra Mathombe na segunda parte. Tirando estas duas situações, esteve bem no jogo, não influenciando no resultado.

 

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Estêvão Matsinhe, Luis Mula e Carltos Alberto. Quarto árbitro: Salvador Cumbe.

 

VILANKULO FC: Martinho; Félio, Ali Cadre, Madeira e Sergito, Gildo, Abilio, Cumbe (Hilário), Mathombe (Michael), Osvaldo e Tenday.


DESPORTIVO: Marcelino; Cremildo, Fredy, Jorge e Clemente, Syhabonga, Matewane, Geraldo, Jojó, Lanito e Calton (Chana)


ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Osvaldo do Vilankulo FC e Fred do Desportivo. Golos de Lanito, Calton e Fred para o Desportivo; Tenday e Osvaldo para o Vilankulo FC.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:46
 O que é? |  O que é? | favorito

EFECTIVAMENTE, esta vitória do Têxtil sobre a equipa da Zambézia assenta fundamentalmente na experiência dos beirenses, pois, os visitantes também tentaram mostrar algo que até certo ponto assustou os anfitriões que só respiraram de alívio nos minutos finais da partida.

 

Quando aos 22 minutos os ‘’fabris’’ abriram o activo por intermédio de um dos quatro reforços da reabertura do mercado, nomeadamente o ex-internacional Gonçalves Fumo, parecia que tudo seria fácil mas, tal não foi porque os visitantes reagiram e aos 42 minutos restabeleceram a igualdade por intermédio de Laurindo que contou com a colaboração do guardião local.

 

Mas já no primeiro minuto de compensação, o Têxtil voltou a estar em vantagem desta feita com o golo de Avelino que bateu o guarda-redes Gildo na conclusão de uma jogada de contra-ataque bem combinada entre o autor do golo e Fumo.

 

Na etapa conclusiva, Fumo bisou ao efectuar um belo ‘’chapéu’’ ao guardião da Califórnia FC fazendo 3-1 aos 50 minutos mas o representante da Zambézia conseguiu dar mais um susto quando oito minutos depois, isto é, aos 58 minutos, reduziu com um golo de Valdemiro, novamente com largas culpas para o homem da baliza dos beirenses, David, que saiu novamente em falso.

 

 

Posto isto, os treinados de Carlos Manuel, , imprimiram maior velocidade e Avelino aproveitou para fazer mais dois golos aos 68 e 78 minutos, respectivamente fixando o resultado em 5-2 garantindo à equipa local a passagem para a fase seguinte da segunda maior prova futebolística nacional.

Numa partida sem mácula os juízes também estiveram sem problemas durante os 90 minutos.

 

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITROS: Celestino Gimo, auxiliado por Eduardo Gatoma e Dias Sigauque. José Oliveira foi o quarto juiz.

 

TÊXTIL: David, Judy, Obel, Tony (Kufur), Mano, Caio (Maneca), Xirico, Michael, Mouka, Fumo (João) e Avelino.

 

CALIFÓRNIA FC: Gildo, Danilo, Big, Kily (Tanquia), Fila (Max), Celso, Laurindo (Valane), Elio, Nonó, Valdemiro e Hélder.

 

Amarelo para Xirico por jogo perigoso.
Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 12:36
 O que é? |  O que é? | favorito

E QUEM pagou a factura de jogar de forma destemida contra “Golias” foi a Académica, uma equipa de uma divisão secundária e, que em pelo mítico Estádio da Machava quis discutir a eliminatória com o Ferroviário, gigante com mitos “quilómetros” de jogos de maior exigência.

 

Como era de esperar, o desafio começa com um Ferroviário completamente balanceado ao ataque, procurando o mais cedo possível resolver a partida, que sendo da Taça, tudo era de esperar, pois surpresas não faltam.

 

 

As oportunidades criadas durante este domínio total e completo dos “locomotivas” foram sendo desperdiçadas, sobretudo pelo perdulário Mauro. Os “estudantes” só acordaram a partir dos 15 minutos e até conseguiram equilibrar, usando o sistema de contra-ataques em bloco como “armas” para chegar à baliza à guarda de Germano.

 

 

Ousada, a Académica conseguiu criar duas jogadas dignas de realce. A primeira foi aos 19 minutos quando na “boca” da baliza, Paulo atirou escandalosamente por cima. Nelson, de cá do meio da rua, desferiu um remate que saiu a escassos centímetros da baliza “locomotiva”, numa primeira parte sem golos.

 

 

No reatamento, os pupilos de Danito Nhampossa entraram dispostos a resolver. De novo um domínio logo no arranque e que foi coroado com um golo de belo efeito apontado por Butana. Há um contra-ataque pelo corredor central, a bola é bombeada para a direita onde surgiu Butana, que na tentativa de cruzar, viu a bola a ganhar efeito, traindo Xavito para o 1-0, passavam 56 minutos.

 

 

Os “estudantes” foram atrás do prejuízo, esquecendo-se que estavam perante uma “velha raposa” do futebol nacional, tendo pago caro por isso. Os comandados de Alcides Chambal subiram em demasia no terreno, uma ousadia, aliada ao excesso de confiança que foi fatal, embora na cobrança de um livre à esquerda, estiveram perto do empate, com Germano a defender de forma apertada.

 

 

A estas alturas o jogo estava, mais do que nunca, aberto e o Ferroviário passou a privilegiar as contra-ofensivas, com Diogo a ser “carregador” de piano. Num desses contra-ataques, Mauro fez um portentoso remate ao lado, para de seguida, desperdiçar um golo na “cara” de Xavito, após uma assistência fenomenal à diagonal, diga-se, de Diogo.

 

 

Mauro não marca, Barrigana, acabado de entrar, mostrou como se faz. Jogava-se o 86º minuto, quando o médio “locomotiva” recebeu de cabeça um cruzamento de Diogo à esquerda para ampliar o marcador, num lance em que se exigia mais da defensiva “estudantil”.

 

 

O Ferroviário mandava de forma absoluta no jogo. Na sequência de um livre, Barrigana viu o seu remate a ser devolvido pela trave, onde na recarga surgiu Danito com tudo para fazer o 3-0, a atirar tumultuosamente ao lado. Mas o golo surgiu logo a seguir com Eurico (também acabado de entrar) a fechar a contagem no último segundo dos três minutos de compensação, ao aproveitar uma recarga que antecedeu um remate forte de Diogo para uma defesa incompleta de Xavito.O trabalho de Adolfo Chitache e sua equipa não sofre contestação, até porque o jogo em si foi pacífico.

 

 

FICHA TÉCNICA



ÁRBITRO: Adolfo Chitache; coadjuvado por Adão Chitache e Carlos Guambe. Farisse Joao foi o quarto.

 

FERROVIÁRIO: Germano; Butana, Zabula, Jeitoso, David, Andro (Eurico), Mambucho, Tchitcho, Diogo, Mauro (Danito) e Luís (Barrigana).


ACADÉMICA: Xavito; Domingos, Ventura, Manhiça, Euclides, Florido, Paulo (Hilário), João, Nelson, Wemba e Matias (Genito).

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:25
 O que é? |  O que é? | favorito

A FASE zonal da Taça de Moçambique, a segunda maior prova futebolística do país, jogada no final de semana, teve surpresas e goleadas.

 

O Desportivo de Nacala, uma das equipas que evolui no Moçambola, foi eliminado pelo seu homónimo de Cuamba, por 2-0, o que constituiu uma das surpresas da ronda. O Vilankulo, que também está na prova máximo do futebol nacional, tombou, em casa, frente ao Desportivo de Maputo, que este ano disputa o Campeonato da Cidade.

 

O Ferroviário da Beira, tal como o seu homónimo de Maputo, não deu chances ao seu opositor, o Desportivo de Domuwé, a quem goleou, por 5-0, enquanto o da capital do país afastava a Académica por conclusivos 3-0. O Têxtil do Púnguè também puxou pelos galões e bateu sem complacência a Califórnia de Quelimane, por 5-2. O Ferroviário de Nampula foi à Pemba pôr fora da competição o seu homónimo local, vencendo-o por 3-2.

 

 

O Desportivo de Chimoio teve que recorrer aos penaltes (depois do 1-1 no tempo regulamentar e prologamento), por 4-3, o Desportivo de Tete. A eliminatória ficou incompleta, uma vez que os encontros Incomáti-Maxaquene e Chibuto-Liga Muçulmana/Costa do Sol foram adiados em virtude de alguns dos jogadores destas equipas se encontrarem ao serviço dos “Mambas”.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 11:30
 O que é? |  O que é? | favorito

 

O DESPORTIVO de Nacala e o Vilankulo FC foram afastados da Taça de Moçambique, fase zonal, ao perderem com os Desportivos de Cuamba e de Maputo, respectivamente, por 2-0 e 3-2.

 

Se o afastamento do Vilankulo era um tanto ou quanto previsível, porque defrontava um Desportivo de Maputo, que apesar de disputar o Campeonato da Cidade de Maputo continua a ser um dos grandes do futebol moçambicano, já a eliminação do Desportivo de Nacala constitui uma surpresa, uma vez que quem cometeu a proeza está numa prova menos competitiva, como é o Campeonato Provincial do Niassa.

 

 

Contudo, a única eliminatória da segunda maior prova futebolística do país, apesar de ter ficado com alguns jogos adiados devido à participação dos “Mambas” num encontro amigável no sábado com o Malawi, em Blantyre, produziu muitas goleadas.Os Ferroviários da Beira e de Maputo, por exemplo, bateram os seus opositores, Desportivo de Domuwé e Académica de Maputo, respectivamente, por 5-0 e 3-0.

 

 

O Têxtil do Púnguè também goleou a Califórnia de Quelimane, por 5-2, enquanto o Ferroviário de Pemba era afastado em casa pelo seu homónimo de Nampula, por 3-2.

 

 

O único encontro, cujo vencedor foi encontrado no desempate por penaltes foi aquele que colocou frente-a-frente os Desportivos de Chimoio e de Tete, com o primeiro a sair-se bem, por 4-3, depois do 1-1 no tempo regulamentar e no prolongamento.Esta eliminatória, por sinal a única zonal, completar-se-á numa data a anunciar oportunamente, uma vez que foram adiados o Incomáti-Maxaquene e Chibuto-Liga Muçulmana/Costa do Sol.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 11:10
 O que é? |  O que é? | favorito
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
16
20
21
26
27
28
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO