Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 10 DE Junho 2013

A SELECÇÃO Nacional de futebol, os “Mambas”, averbou uma pesada goleada por 6-1 na deslocação á Conakry onde defrontou a Guiné, resultado que aliado a vitória do Egipto frente ao Zimbabwe em Harare, coloca o combinado nacional fora da corrida para o Mundial 2014 ao cabo de quatro jogos.

 

Os “Mambas” entraram muito mal para o jogo e logo aos seis minutos Ricardo Campos safou a Pátria ao defender uma grande penalidade, mas não teve a mesma sorte naquele tiro de Yatarra aos 15 minutos para o 1-0.

 

 

Moçambique demorava se encontrar com consigo mesmo e só aos 18 minutos é que conseguiu criar algum perigo á baliza guineense através de um remate de Kito. Mas as coisas deterioraram-se quando aos 34 minutos Dyao fez o segundo golo da Guiné, num cabeceamento em resposta um cruzamento na cobrança de um canto.

 

 

Aos 45 minutos, o combinado nacional estar disposto a mudar o rumo dos acontecimentos quando Dominguez reduziu a desvantagem na cobrança de uma grande penalidade que castigava mão na bola por parte de um defesa guineense.

 

 

Mas a equipa da casa respondeu de imediato, sendo que um minuto depois ganhava um penalte perfeitamente cobrado por Dyao, que aproveitou a ocasião para bisar.

 

 

No segundo tempo, os “Mambas” até entraram transfigurados, encostando a Guinéa ao seu último reduto, mas não conseguiram evitar a goleada. Decorriam 75 minutos quando Traoré fez um tiro do meio da “rua” para o 4-1.

 

 

A partir daí a Selecção Nacional ficou completamente desnorteada, com uma defensiva trémulo e sem raça o 5-1 era inevitável. O tento foi assinado por Mohamed Diarra, aos 76 minutos.Já sobre o minuto 90 Yatarra teve espaço para bisar, fixando o resultado final em 6-1, uma pesada goleado sofrida pelos “Mambas” que estava fora das cogitações.

 

 

Entretanto, noutra partida do Grupo G, o Egipto foi a Harare vencer o Zimbabwe por 4-2, resultado que colocou os “Mambas” fora do Brasil bem antes do inicio do jogo de Conakry.

 

 

Face a estes resultados, o Egipto lidera o grupo com 12 pontos, quatro vitórias em outros tantos jogos. A Guiné segue em segundo com sete, Moçambique está em terceiro com apenas dois e na cauda está o Zimbabwe com um ponto.A próxima jornada, a quinta do grupo, realiza-se já no fim-de-semana que se avizinha, com Moçambique a receber o líder Egipto e a Guiné a defrontar o Zimbabwe em Conakry.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 13:04
 O que é? |  O que é? | favorito

O FERROVIÁRIO da Beira é o novo líder do Moçambola. Para lograr a proeza, os “locomotivas” de Chiveve foram a Tete vencer o Chingale por uma bola sem resposta no “derby” da zona centro, aproveitando-se do empate a uma bola consentido pelo Chibuto na deslocação à Beira onde jogou com o Estrela Vermelha.

 

Embora tenha os mesmos pontos que o Chibuto (21), o Ferroviário da Beira tem vantagem no confronto directo e no “goal-average”, sendo portanto o grande vencedor da 12ª jornada que se viu amputada devido aos compromissos da selecção, tendo sido realizados apenas quatro jogos, ficando adiados os restantes três, daí que a liderança dos “locomotivas” é à condição.

 

 

Além do triunfo dos “locomotivas” de Chiveve e a consequente ascensão ao primeiro lugar, a 12ª jornada ficou marcada pela goleada imposta ao Têxtil de Púngué por Vilankulo, resultado que faz com que os comandados de Chiquinho Conde fujam da zona da despromoção, onde ingressou condicionalmente o Ferroviário de Maputo que viu o seu jogo adiado. Por outro lado, o resultado afunda os “fabris” que ocupam actualmente o penúltimo lugar.

 

 

Em Nampula, o Desportivo de Nacala recebeu e venceu o Matchedje por duas bolas a uma, num jogo marcado por uma arbitragem bastante contestada de Ainade Ussene. Com este desaire, os “militares” vê a sua situação na tabela classificativa deteriorar-se, continuando no último lugar com apenas cinco pontos.

 

 

Enquanto isso, os “canarinhos” de Nacala subiram para o quinto posto com 18 pontos, confirmando a boa campanha na prova.

 

 

A próxima jornada, 13ª, reserva-nos o sensacional Ferroviário de Maputo-Maxaquene, o Ferroviário de Nampula recebe o Chingale. O líder Ferroviário da Beira defronta o renascido Vilankulo, sendo que o Têxtil de Púngué e Estrela Vermelha vão protagonizar o “derby” da cidade da Beira. O Chibuto mede forças com a Liga Muçulmana, a HCB terá pela frente o Desportivo de Nacala, enquanto o Costa do Sol recebe o lanterna vermelha Matchedje.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 12:32
 O que é? |  O que é? | favorito

VILANKULO FC venceu ontem em casa o Têxtil de Púnguè por quatro bolas sem resposta num jogo a contar para a décima segunda jornada do Moçambola 2013. O resultado, que até podia ter sido por mais golos, espelha claramente a superioridade dos donos da casa que produziram o suficiente para conquistar os três pontos importantes para afastar a turma de Inhambane da linha da água.

 

Foi o VFC que mostrou muito cedo a intenção de querer ganhar a partida, pois, nos primeiros cinco minutos os “fabris” da Manga não conseguiu sair da zona com a bola jogável, porque os pupilos de Chiquinho Conde fecharam todas as linhas de passe e partiam com perigo para a baliza à guarda de David. Aliás, neste período os anfitriões se beneficiaram de três pontapés de canto como consequência da pressão a todo terreno.

 

 

Aos quatro minutos, David nega um golo do Ali Cadre a sacar com uma palmada um desvio de cabeça. Aos nove minutos, David foi antecipado por Madeira que subiu no terreno para apoiar os seus colegas de ataque.

 

Entretanto, à passagem do primeiro quarto de hora, o Têxtil equilibra, procura organizar o seu jogo a partir do meio campo onde Gabito e Caio ganhavam as bolas, mas tudo não passou de outra intenção porque a bem organizada defensiva de Vilankulo limpava a área sem dificuldades.

 

 

A segunda parte começa com o segundo golo do Vilankulo de autoria de Santos que se estreou a marcar no Moçambola. Curiosamente Santos marca o seu primeiro golo à sua antiga equipa. O Têxtil não baixou os braços. Tentou lutar por reduzir a desvantagem e quiçá empatar a partida, mas porque o destino era a vitória dos donos da casa, quando os visitantes atacavam, Sergito marca o terceiro, quebrando definitivamente a força anímica que o Têxtil ainda manifestava nas quatro linhas.

 

 

Chiquinho Conde continuava de pé a orientar os seus jogadores para continuarem a atacar a baliza à procura do quarto golo que apercebeu com naturalidade aos 90 minutos por intermédio de Abílio numa altura para os “fabris” da Manga, o jogo demorava terminar. Antes do apito final, ainda houve tempo para mais golos que, entretanto, Santos, Michael e Mathombe não acertaram, no alvo nas oportunidades que tiveram

António Massango, um dos árbitros experientes do nosso futebol, realizou um trabalho positivo.

 

 

 

FICHA TÉCNICA  

 

 

ÁRBITRO: António Massango, auxiliado por Júlio Muianga e Carlos Manuel

 

VILANKULO FC: Abu, Félio (Norberto), Ali Cadre, Madeira e Sergito, Abílio, Cambula, Mathombe, Osvaldo (Pires), Machael e Tenday (Santos).

 

TÊXTIL DE PÚNGUÈ: David, Mano, Edgar, Koutur, Bebinho, Xirico, Caio, Gabito (Nuro),Marcy (Inácio),Taibo (Quimbo) e Avelino.

 

ACÇÃO DISCIPLINAR: cartão amarelo para Mathombe e Santos, ambos do VFC, e para Koutur, Caio e Taibo, todos do Têxtil de Púnguè.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:22
 O que é? |  O que é? | favorito

É ISSO. Quando a formatura policial é feita tardiamente, obviamente que as ordens também chegam tarde tanto aos agentes como nas próprias Esquadras. Foi isso que aconteceu ontem, na Beira, quando o Estrela Vermelha recebeu o Chibuto FC para o jogo do Moçambola, pois, só na etapa complementar é que os beirenses ‘’acordaram’’ a ponto de se constituírem numa verdadeira equipa e, fruto disso, empatar a partida já na ponta final, isto é, aos 90 minutos.

 

O Chibuto entrou à moda de líder, ou seja, a assumir se como dono de casa em terreno alheio ante um adversário que, a priori, deveria ser líder dentro do campo entanto que dono de casa.

 

 

Com um meio-campo mais adulto, os visitantes criaram sérios problemas aos ‘’policias’’ do Chiveve mas a não terem, tal como estes, uma clarividência atacante, sobretudo no remate final.

 

 

Enquanto isto, o Estrela Vermelha tentava a medida do possível chegar ao reduto recuado dos chibutenses mas sem nexo e muito menos objectividade, pois havia pressa demasiada em muitos lances.

 

 

Aos 34 minutos surgiu o golo do Chibuto FC. Contra-ataque rápido dos visitantes e um defensor local trava em falta um contrário á entrada da área. Chamado a cobrar o castigo, Johane fê-lo com mestria, como lhe é peculiar, e o guardião Tchandó nem sequer se fez ao lance porque em nada valia. Era o 0-1 para a festa dos afectos aos homens de Gaza, incluindo uma claque de cerca de 100 adeptos trajados a rigor.

 

 

Posto isto, o Estrela Vermelha tentou correr atrás do prejuízo mas de nada valeram as iniciativas individuais de alguns dos seus atletas, a exemplo do ‘’capitão’’ ‘Óscar. Havia, em suma, muita falta de clarividência e fraca interpretação táctico-técnico das jogadas construídas até ao intervalo.

 

 

No reatamento, a equipa da casa fez algumas alterações que, efectivamente, trouxeram algo vistoso para o sistema ofensivo. Houve, assim, frescura atacante e relançamento de esperança de algo positivo que iria acontecer, sobretudo quando Tualufo entrou em campo para o lugar de Luís.

 

 

Com o publico ávido e a puxar pelos locais, o combinado dirigido pelo técnico Rogério Tchapo, na impossibilidade de Abdul Omar assumir o ‘’banco’’ devido a suspensão, o Estrela Vermelha criou grandes dissabores ao reduto recuado dos treinados por Vítor Pontes pecando, muitas vezes na finalização.

 

 

Enquanto o Chibuto FC ia jogando à ‘’conta-gotas’’, sempre tentando puxar por Johane, a sua estrela, os locais engrossaram a sua linha ofensiva com jogadas bastante venenosas a ponto de aos 90 minutos numa jogada de contra-ataque que culminou com um cruzamento milimétrico do lado direito para o interior de área, surgir o cabeceamento vitorioso de Delfino (que também entrou a substituir Buda) para o gáudio dos beirenses. Foi grande delírio tanto por parte dos jogadores como do público não só afecto ao Estrela mas também presente no campo, dado que se tratava do golo da equipa de casa.

 

De nada valêramos quatro minutos de compensação dados pela arbitragem pois tudo acabou sendo o empate, numa partida em que os homens de apito tiveram um trabalho aceitável.

 

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Arão Júnior, auxiliado por Baltazar Hilário e Paulo Justino. José Oliveira foi o quarto

 

E.VERMELHA: Tchandó, Johane, Santos, Hagy, Luís (Tualufo), Óscar, Carlos, Buda (Delfino), Bheu, Dário e Zuneid (Betinho)

 

CHIBUTO FC: Zacarias, Nito, Lolá (Belo), Palotão, Johane, Stanley, Mambucho (Gitinho), Nhabanga, Bush, Mustafá (Jossias) e Silva

 

Amarelo para Palotão

 

FICHA TÉCNICA

 

ÁRBITRO: Arão Júnior, auxiliado por Baltazar Hilário e Paulo Justino. José Oliveira foi o quarto.

 

E.VERMELHA: Tchandó, Johane, Santos, Hagy, Luís (Tualufo), Óscar, Carlos, Buda (Delfino), Bheu, Dário e Zuneid (Betinho).

 

CHIBUTO FC: Zacarias, Nito, Lolá (Belo), Palotão, Johane, Stanley, Mambucho (Gitinho), Nhabanga, Bush, Mustafá (Jossias) e Silva.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:09
 O que é? |  O que é? | favorito

O VILANKULO FC goleou ontem, em casa, o Têxtil do Púnguè, por 4-0, em partida da décima segunda jornada da primeira volta do Moçambola-2013, uma ronda que ficou amputada devido à participação dos “Mambas” nas competições internacionais – apuramento para o Mundial-2014.

 

Com este desfecho, o representante de Inhambane fugiu dos lugares de despromoção e já está em nono lugar com 14 pontos.O Chingale, por sua vez, perdeu em casa emprestada, no Songo, com o Ferroviário da Beira, por 1-0. Aliás, com este resultado, os “locomotivas” beirenses comandam a prova, à condição, com 21 pontos, os mesmos do Chibuto, que ontem foi empatar na Beira a um golo com o Estrela Vermelha local.

 

 

O Desportivo de Nacala recebeu e venceu o Matchedje, em Nampula, por 2-1, num encontro descrito como polémico uma vez que o árbitro é acusado de ter beneficiado os nacalenses, inventando inclusivamente um penalte.

 

 

Apesar de a jornada não ter ficado completa, o Ferroviário da Beira e Chibuto comandam com 21 pontos, mais dois que a HCB e mais três que o Maxaquene, ambos não jogaram no fim-de-semana. A Liga Muçulmana soma 17 pontos, mas com vantagem de ter quatro jogos a menos.

 

 

O Estrela Vermelha segue com 16 pontos, enquanto o Ferroviário de Nampula tem 15. O Vilankulo FC soma 14. Depois segue um trio com 13 pontos. Trata-se do Costa do Sol, Chingale e Ferroviário de Maputo, este último já na zona da despromoção. O Têxtil do Púnguè é penúltimo com 12 pontos.

 

 

 

O Matchedje, com a derrota de ontem, enterrou-se ainda mais na cauda da classificação com apenas cinco pontos.A próxima jornada contempla os encontros Ferroviário de Maputo-Maxaquene, Ferroviário de Nampula-Chingale, Ferroviário da Beira-Vilankulo, Têxtil de Púngué-Estrela Vermelha da Beira, Chibuto-Liga Muçulmana, HCB-Desportivo de Nacala, Costa do Sol-Matchedje.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 11:15
 O que é? |  O que é? | favorito
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
21
22
23
24
25
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO