Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 29 DE Abril 2013

 

DUROU 57 minutos a resistência do Desportivo de Nacala diante do Maxaquene. Eboh num lance de pura magia deu vantagem aos “tricolores” e os três pontos, bastante suados diga-se de passagem.

 

É que os comandados de Arnaldo Salvado enfrentaram enormes dificuldades para quebrar a teia defensiva montada no sector intermediário. O 4x5x1 apresentado pelos nacalenses obrigou que a equipa “tricolor” tivesse que fazer um jogo muito elaborada.

 

 

Só assim podia encontrar espaços para gizar com perigo a baliza contrária, no entanto, alguma falta de clarividência, ditou uma primeira parte mal conseguida dos anfitriões. Payó, por duas vezes, de fora da área tentou fazer uso do seu potente remate, mas em ambas as vezes deixou muito a desejar.

 

 

Na única vez que os “tricolores” dispuseram de uma situação de golo, Maurício acertou no poste. Problemas de finalização também se fizeram sentir na turma treinada por Salvado. Tal ficou evidente na segunda parte com Maurício, em tarde não, a falhar cara-a-cara com Victor e por Isac que ofereceu a bola ao guarda-redes numa jogada em que caminhava isolado para a baliza.

 

Do lado contrário viu-se um oponente mais preocupado em defender do que a atacar e que numa das raras vezes que se acercou da baliza de Acácio ficou perto do empate. Gito aproveita de uma defesa incompleta de Acácio para rematar à baliza, mas saiu fraco e permitiu o alívio de Gabito mesmo em cima da linha de golo. Já perto do final, Osvaldo cabeceou à malha superior. Deu a sensação de golo. Alguns adeptos afectos ao Desportivo de Nacala gritaram golo. Ilusão de óptica. A vitória sorriu mesmo ao Maxaquene.

Estêvão Matsinhe realizou um bom trabalho.  

 

 

FICHA TÉCNICA



ÁRBITRO: Estêvão Matsinhe, auxiliado por João Nhatuve e Elina Marques. Quarto árbitro: Amosse Lazaro.

 

 

MAXAQUENE: Acácio; Calima (Betinho), Gabito, Campira e Vling; Payó, Marvin (Macamito), Kito e Isac (Chikwepu); Eboh e Maurício.

 

 

DESP. NACALA: Victor; Tawinha, Osvaldo, Bely e Rojas; Délcio, Egídio (Essien) e Dando;  Gito (Elfidio) e Leo.

 

 

DISCIPLINA: Amarelo para Gabito e Acácio (Maxaquene) e Délcio (Desportivo de Nacala).

 

 

GOLO: Eboh (57 min).

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:32
 O que é? |  O que é? | favorito

UM homem verdadeiramente aliviado! Sim, foi como se sentiu Victor Urbano quando aos 76 minutos na boca da área “militar”, Diogo fez um golaço que permitiu ao Ferroviário dar cambalhota ao resultado que até ao intervalo lhe era desfavorável.

 

Aliás, o primeiro tempo foi marcado pelo golo de Eka na cobrança de um livre directo descaído á direita, num lance em que se exigia mais do guarda-redes Pinto. Após o golo os “militares” entregaram-se de forma ousada á luta e conseguiram criar muitos dissabores aos “locomotivas”, que só responderam muito tempo depois de terem sofrido o golo.

 

 

Foi David que em resposta a um cruzamento vindo da direita atirou por cima, mas Wisky é que esteve perto do empate quando viu o seu remate a roçar o poste esquerdo da baliza de Valério e perdendo para lá da linha final.

 

 

Um Ferroviário num incomum sistema táctico de 4X1X3X1X1, com Luís como homem mais adiantado, era a equipa que mais circulava a bola, porém sem criar jogadas dignas de realce junto à baliza de um Matchedje que jogava na expectativa.

 

 

A equipa jogava sem nexo e, acima de tudo, desnorteada, sem fio de jogo e sem “maestro”, daí que as jogadas eram perdidas de forma infantil. E por outro lado, o Matchedje fazia o seu jogo sem pressa e no erro do adversário, embora sem jogadores com arte suficiente para aproveitarem as fragilidades “locomotivas”.

 

 

Nas bancadas os adeptos (do Ferroviário) não gostavam, impropérios são dirigidos aos jogadores e a Victor Urbano e até a “cabeça” do presidente da colectividade chegou a ser demanda pela massa associativa no final do primeiro tempo.

 

 

O segundo tempo inicia-se com o golo do empate a ser apontado por Wisky aos 53 minutos, numa grande desatenção da defensiva “militar”. Depois do golo, o Ferroviário cresceu, adeptos reconciliaram-se com a equipa e foi que nem um balão de oxigénio o golaço de Diogo a 14 minutos do fim.

 

 

Há um cruzamento pela esquerda, Valério, guardão “militar” sai dos postes para socar a bola e na recarga Diogo, posicionado no “coração” da área, desferiu um portentoso remate que entrou junto à quina superior da baliza do Matchedje.

 

 

Era 2-1 para os “locomotivas”, mais um triunfo cinco jornadas depois e que deixa o português Victor Urbano desafogado e Matchedje cada vez mais no fundo da tabela sem qualquer ponto. Afonso Xavier, árbitro do encontro esteve bem.

 

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Afonso Xavier, auxiliado por Gimo Patrício, Dias Sigaúque. Paiva Dias foi quarto árbitro.

 

FERROVIÁRIO DE MAPUTO: Pinto; Cândido, Chico, Zabula, Wisky, Barigana, David (Paíto), Burramo (Andro), Inocent, Diogo e Luís (Calton).

 

 

MATCHEDJE: Valério, Bele, Zola, Bila, Nito, Sissé, Eka (Mangunhuta), Mangonga (Caíque), Acácio, João (Edgar), e Jamal.

 

DISCIPLINA: Cartões amarelos para Valério, Sissé e Nito (Matchedje) e para Inocent do Ferroviário.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:23
 O que é? |  O que é? | favorito

O TÉCNICO principal da Estrela Vernelha da Beira, Abdul Omar, protagonizou sábado, em Vilankulo, um espectáculo gratuito nunca visto na história do futebol em Moçambique ao agredir fisicamente o juiz do jogo que opunha a sua equipa e o Vilankulo FC.

 

Tudo aconteceu aos 26 minutos da contenda, quando Arlindo Silvano, juiz da partida convidou Abdul Omar a abandonar o banco técnico depois de proferir palavras injuriosas alegadamente por não ter assinalado algumas faltas a favor da sua equipa.

 

 

Com dois muros, um na face e outro no pescoço, Silvando ficou estatelado no relvado e peredeu sentidos, depois de dez minutos de assistência pelo banco técnico da casa, recuperou os sentidos, mas sem condições físicas, nem mentais para reatar a partida. Aliás, cinco minutos depois foi levado ao Hospital local para a devida assistência e o quarto árbitro sem habilitações para o efeito, por deliberação da LMF, o jogo foi interrompido para ser reatado ontem no mesmo local com o mesmo árbitro e aos 26 minutos depois das 15 horas.

 

 

Vilankulo FC que vinha de uma onda de três jogos sem ganhar, retomou o jogo da mesma maneira como terminou sábado antes das zargatas de Omar. Aos dois minutos depois do reatamento, ou seja 28 minutos, o VFC chega ao golo por intemédio de Tenday que concluiu um cruzamento de Machael do lado direito do ataque. Neste lanche, o guarda-redes visitante lesionou-se com gravidade e também foi levado ao hospital e no seu lugar foi chamado Lama.

 

 

Depois do golo, o Vilankulo aumentou o seu caudal onfensivo, mas a ansiedade tomou conta da rapaziada de Chiquinho Conde até ao intervalo.Na segunda parte, a equipa da casa, continuou na mó de cima, procurou chegar ao segundo golo, mas de balde. O Estrela Vermelha, orientado por Rogério Chapo, adjunto de Abdul Omar, tentou dar ar da sua graça, teve duas oportonidades para marcar, mas tudo saiu torto.

 

 

Aos 85 minutos, o VFC introduziu a bola, mas Arlindo Silvano, por indicação de Francisco Machel, anulou e a partida viria a terminar com o resultado de uma bola sem resposta a favor dos anfitriões.Arlindo Silvando, depois de recuperar das dores dos pesados golpes desferidos por Abdul Omar, realizou uma boa partida, temos dúvidas no golo anulado, se havia motivos para isso ou não. Exibiu duas cartolinas amarelas a Luís e Mauricio.

 

 

FICHA TÉCNICA:

 

ÁRBITRO: Arlindo Silvano, auxiliado por Francisco Machel e Alberto Muiambo. Quarto árbitro: Salvador  Cumbe.

 

VILANKULO FC: Martinho, Norberto, Madeira, Ali Cadre, Sergito, Abdul, Abílio, Cumbula (Pires), Osvaldo, Michal (Francisco), Tenday (Dilo).

 

ESTRELA VERMELHA DA BEIRA: Dawida (Lama) Hagy, Samito, Luís, Bhao, Óscar, Calos (Juvêncio), Yussui, Maurício, Dário e Betinho.

 

Acção Disciplinar: Cartão amarelo para Maurício e Luís, todos do Estrela Vermelha da Beira.

 

Golo de Tenday aos 28 minutos do jogo.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:08
 O que é? |  O que é? | favorito

EFECTIVAMENTE, foi uma grande reconciliação que a equipa do Ferroviário da Beira teve ontem para com o seu público depois de jornadas sem gloria, última das quais diante da HCB, em que saiu derrotado, por 1-0. O Chibuto FC entrou cauteloso e muito calculista nesta partida, talvez antevendo as dificuldades diante dos donos de casa o que, de facto, acabou acontecendo.

 

Depois de um inicio algo apático e sem nexo, o Ferroviário da Beira entrou em cena e aos 19 minutos chegou ao primeiro golo. Jogada iniciada por intermédio do jovem promissor defesa esquerdo Reinildo que acabou fazendo um passe milimétrico para o "coração" da área donde surgiu Mário a dizer apenas sim a bola, concluindo da melhor forma o lance. Era o inicio de uma festa no "caldeirão".Os visitantes tentaram a todo o custo reagir ao golo mas as jogadas feitas nada surtiram efeitos desejados até ao intervalo.

 

 

O segundo período começou praticamente com o segundo golo dos "locomotivas". Jogada rápida pelo flanco direito e a bola é endossada para Maninho, agora promovido a "capitão", que se aproveitou (e muito bem) da desatenção defensiva para fazer o 2-0 para novo delírio dos adeptos afectos aos donos de casa.

 

 

Posto isto, os visitantes correram atrás do prejuízo e num lance aparentemente inofensivo, e com largas culpas para a defensiva local, Skaba concluiu da melhor forma uma jogada de belo efeito de Aminó, reduzindo para 2-1 aos 66 minutos.

 

 

Quando tudo parecia que os visitantes poderiam chegar ao empate, eis que o inevitável Mário bisa no jogo ao fazer um golaço depois de um passe de Dzongue dentro de área. Foi um golo de antologia, mesmo de se lhe tirar o "chapéu".

A equipa de arbitragem esteve bem.

 

 

FICHA TECNICA


ÁRBITRO: Aníbal Armando, coadjuvado por Olivio Adriano e Bento Chengeranau. Amisse Juma foi o quarto.

 

FER. BEIRA: Minguinho, Moniz, Cufa, Reinildo, Mupoga, Mouka (Carlitos), Maninho (Timbe), Mário, Nelito (Dzongue), Emídio e Tinho.

 

CHIBUTO FC: Zacarias, Maninho (Lalá), Silva, Bush, Mambucha, Palatão (César Bento), Gitinho, Johane, Aminó, Nito e Kikito (Skaba).

Amarelo para Tinho por infracção as leis.

 

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:00
 O que é? |  O que é? | favorito

A VERDADE deve ser dita. Este embate entre o Têxtil e o Costa do Sol esteve muito aquém de um verdadeiro despique entre equipas da divisão de honra num campeonato que se preze de gabarito. Nenhuma das equipas conseguiu abordar de forma cuidada o seu posicionamento táctico o que levou a que durante os 90 minutos os milhares de adeptos não desfrutassem de uma peleja de grande nível.

 

Os visitantes estavam avisados de que teriam muitos problemas no "Chiveve". Sendo assim, entraram precavidos dessas dificuldades e, por via disso, povoaram o seu meio-campo na tentativa de fecharem os intentos dos beirenses que, de facto, não tiveram manobras capazes de surtir efeitos desejados, ou seja, manietar os "canarinhos".

 

 

Ambos os conjuntos não conseguiam desbobinar jogadas consistentes até ao intervalo o que fez com que os primeiros 45 minutos terminassem sem abertura de contagem.

 

 

No reatamento, o Têxtil tentou ser mais lesto nas suas incursões mas sem objectividade. Contrariamente a isso, o Costa do Sol teve mais possibilidades e aos 74 minutos Manuelito II teve um rasgo individual e na entrada da grande área desferiu um remate para o golo.

 

 

Em desvantagem, os ‘’fabris’’ da Manga agigantaram-se e procuraram ser mais lestos na abordagem das suas linhas tácticas o que acabou sendo possível seis minutos depois com um penalte que foi bem convertido por Mano, a castigar um derrube de Tony sobre um atacante local na área.

 

 

Depois disso, tanto os beirenses como os visitantes não tiveram outro ponto de realce em termos de espectacularidade dentro das quatro linhas.O juiz esteve bem e também foi bem auxiliado.

 

 

FICHA TÉCNICA


Árbitros: Filimão Filipe, auxiliado por Eduardo Gatoma e Manuel Nelson. José Oliveira foi o quarto.

 

TÊXTIL: Jaime; Benancio, Mano, Judy, Obel, Xerico (Nuro), Best, Gabito, Michael, Avelino e Stiven (Mercy).

 

COSTA DO SOL: Gervásio; João, Zé, Dário Khan, Dito, Alvarito (Manuelito II) Mambo, Manuelito I, Sanito, Ruben e Rocha (Tony).

Vermelho para Mambo por comportamento incorrecto no final do jogo.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:55
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 À SEXTA jornada a Liga Muçulmana, única que até então somava por vitórias todos os jogos realizados, não resistiu, ontem, ao “inferno” de Tete e perdeu com o Chingale, por 1-0, numa ronda que acabou sendo atordoada em Vilankulo com o árbitro do encontro a sofrer uma agressão.

 

O experiente avançado Magaba foi o autor do golo que ditou o desaire da turma “muçulmana”, que por força desse deslize perdeu a liderança a favor da HCB que empatou fora com o Ferroviário de Nampula a um golo.

 

 

A Liga deixou-se, ainda, apanhar, no segundo lugar, pelo Maxaquene que, por sua vez, impôs-se ao sensacional Desportivo de Nacala a primeira derrota, pelo mesmo resultado. Ambas partilham a liderança com 12 pontos, enquanto a HCB soma 13. Sublinhe-se, que “muçulmanos” e “tricolores” têm um jogo a menos e na quarta-feira acertam calendário medindo forças entre si.

 

 

A ronda ganhou contornos violentos em Vilankulo. A partida entre a equipa da casa e o Estrela Vermelha da Beira, realizada sábado, acabou sendo interrompida depois que o treinador dos visitantes, agrediu o árbitro que acabou indo parar no hospital.

 

 

O encontro foi concluído ontem com o Vilankulo a vencer, por 1-0. Quem continua sem pontuar ao cabo de seis jogos é o Matchedje, que na deslocação ao Estádio da Machava, perdeu com o Ferroviário de Maputo, por 2-1. O Costa do Sol vai demorando a atinar. Os “canarinhos” voltaram a marcar passo na viagem à Beira, onde empataram a uma bola com o Têxtil do Púnguè.

 

 

O Ferroviário da Beira deu uma cabal resposta ao turbulento início do Moçambola com um triunfo caseiro, por 3-1, sobre o Clube do Chibuto.

Na próxima jornada, a sétima, destaque para a deslocação do Ferroviário de Maputo ao terreno do líder HCB. Eis os restantes jogos: Chibuto FC-Fer.Nampula, Costa do Sol-Estrela.V.Beira, Desportivo de Nacala-Chingale, Matchedje-Maxaquene, Liga Muçulmana-Vilankulo FC e Têxtil do Púnguè-Fer. Beira.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 10:46
 O que é? |  O que é? | favorito

O CHINGALE bateu ontem, à tarde, em Tete, a Liga Muçulmana, por 1-0, quebrando desta forma a invencibilidade da formação de Maputo à passagem da sexta jornada da primeira volta do Moçambola-2013.

 

A outra formação que perdeu pela primeira vez na prova foi o Desportivo de Nacala, que na sua deslocação à cidade de Maputo, foi derrotado pelo Maxaquene por uma bola sem concorrência. Pelo mesmo resultado, o Vilankulo bateu, em casa, o Estrela Vermelha da Beira, numa partida polémica que só foi concluída ontem depois de ter sido interrompida no sábado.

 

 

Aliás, o árbitro do Vilankulo-Estrela Vermelha da Beira foi forçado a interromper o jogo no sábado depois de ter sido agredido pelo técnico da formação da capital provincial de Sofala, Abdul Omar.

 

 

 

Entretanto, a HCB assumiu provisoriamente o comando da prova com 13 pontos, mais dois que a dupla Liga Muçulmana/Maxaquene que se confronta na quarta-feira para conclusão da quinta jornada, depois de ter ido à Nampula arrancar dois preciosos pontos, resultantes de uma igualdade a um golo diante do Ferroviário local.

 

 

 

O Matchedje, por sua vez, continua a ser a única equipa que não conseguiu sequer pontuar neste Moçambola. Ontem, averbou a sexta derrota diante do Ferroviário de Maputo, por 2-1, num encontro em que também deixou Victor Urbano menos pressionado.O FC Chibuto está irreconhecível este ano. Ontem foi derrotado na Beira pelo Ferroviário local, por 3-1, e caiu para a penúltima posição com sete pontos.

 

 

O Costa do Sol, por sua vez, empatou sábado na Beira com o Têxtil do Púnguè a um tento.A próxima jornada, portanto a sétima, contempla os encontros Chibuto FC-Fer.Nampula, Costa do Sol-Estrela V. Beira, Desportivo de Nacala-Chingale, HCB-Fer. Maputo, Matchedje-Maxaquene, Liga Muçulmana-Vilankulo FC e Têxtil do Púnguè-Fer.Beira.

Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 10:35
 O que é? |  O que é? | favorito
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
20
21
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO