Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 23 DE Agosto 2011
Arlindo Oliveira

PARA um cidadão comum, para um munícipe, o que vai entender com a entrega provisória da cidadela olímpica? É preciso que, também haja ensaio para se entregar uma obra? Será que nesta entrega provisória haverá aquele cerimonial para o corte da fita?

 

Quem está interessado em sorver alguns goles de champanhe? Para mim, a cidadela está pronta ou ainda não. Ok, façamos de contas que a linguagem do empreiteiro tenha sido essa, contudo, para nós, o que pretendemos saber é se a vila desportiva está ou não em condições de albergar os visitantes e os anfitriões.

 

 

A afinal de contas, um bom visitado tem que acompanhar, de perto, o seu visitante. Outro cepticismo é se os nossos atletas conheceram estágio já na véspera. Falta de dinheiro para uma organização atempada? Só quem de direito é que tem a resposta. Será que o desenho foi assim mesmo, para que a coisa assim funcionasse? Até pode ser que sim, já que em alguns casos, os atletas em estágio estão em menor número que os seus dirigentes.

 

 

Tudo quanto se sabe, qualquer evento requer a presença do público para tomar parte. Os moçambicanos gostam do desporto, embora no futebol as equipas e as nossas selecções nacionais defraudem. É que mesmo o macaco que não sabe dançar e justifica-se em como o chão está torto, precisa dos seus semelhantes para o assistirem.

 

 

As olimpíadas africanas que se vão realizar, pela primeira vez em solo pátrio, para melhor serem abrilhantadas, vão precisar do público que presencie, isto é, vão requerer que estejam lá os espectadores. É que ninguém gosta de assistir-se. Serão quinze dias destinados para este evento desportivo continental para que a fina-flor das diversas modalidades desportivas se exibirão, mostrando a sua perícia que culminará com a obtenção de medalhas, nas suas diferentes classificações.

 

 

Não porque não haja quem pode lá ir desfrutar daquelas modalidades, mas devido a ocupações diversas, os citadinos do Maputo e Matola e dos distritos circunvizinhos têm as suas ocupações diárias, a partir do emprego formal, informal e uma série de afazeres que não caberiam nestes rabiscos. As ocupações dos maputenses, dos matolenses e outra gente vizinha destas duas urbes, estarão entregues às suas actividades, aos seus afazeres. Os alunos e estudantes estarão em aulas. Não há tempo para brincadeiras, pois, os docentes precisam-nos nas salas de aula.

 

 

 

 

Qual vai ser a assistência? Que tal, se o interregno do fim do 2º trimestre tivesse passado para ser a partir do 3 de Setembro próximo? Será que a assistência aos jogos africanos foi acautelada? Tenho, pessoalmente, as minhas reservas e dúvidas. O que poderá acontecer é: Ou teremos os locais desportivos às moscas ou serão as escolas que andarão sem os seus habituais inquilinos (que me desculpe o Dr. Pires se as orações coordenadas disjuntivas estiverem mal formuladas), porque atraídos pelo grande evento desportivo continental. A prática, como sempre, vai ser o critério da verdade. Vaticino!

 

 

  • Arlindo Oliveira
Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 11:46
 O que é? |  O que é? | favorito
tags:
Trata-se dos pavilhões do Maxaquene, Académica, Munhuana e salão da Escola Secundária Josina Machel, todos localizados na cidade de Maputo.

O Comité Organizador dos Jogos Africanos (COJA) recebe, hoje, oficialmente, alguns locais que irão albergar parte das modalidades da décima edição dos Jogos Africanos, com destaque para os pavilhões do Maxaquene, Académica, Munhuana e salão da Escola Secundária Josina Machel, todos na cidade de Maputo.

 

Maxaquene

Trata-se de uma maratona em que o comité organizador do maior evento desportivo de África irá apresentar à imprensa a nova cara destes locais, que estiveram em obras de beneficiação desde maio passado.

 

 

 

Na mesma ocasião, o COJA irá apresentar e o refeitório principal dos décimos Jogos Africanos e almoçar com os “homens da pena” no local, localizado no Instituto Superior de Relações Internacionais (ISRI), adjacente à Vila Olímpica e Estádio Nacional do Zimpeto.

 

 

 

Fonte:O Pais

publicado por Vaxko Zakarias às 11:00
 O que é? |  O que é? | favorito
Partida Moçambique-Mali

NÃO se perspectivava, para os oitavos-de-final, o cruzamento entre Moçambique e Angola. Porém, vai acontecer esta noite, a partir das 19.00 horas, no Palácio dos Desportos de Mahamasina, em Antananarivo, no Afrobásquete Madagáscar-2011, em seniores masculinos, que teve, domingo, um desfecho inesperado com a derrota da turma angolana diante do Senegal por 85-78.

 

A selecção nacional encerrou a primeira fase da prova perdendo frente ao Mali pela marca de 72-69, ao fim de dois prolongamentos, depois do empate 59-59 no primeiro e 65-65 no segundo. Foi uma derrota que “mexeu” com os nossos jogadores, pois tudo fizeram de modo a saírem vitoriosos diante dos malianos, bafejados pela sorte na ponta final da contenda.

 

 

A campeoníssima Angola, que ontem à noite deve ter batido Marrocos, é, como se sabe, um adversário com um peso extraordinariamente grande para a turma moçambicana, considerando a sua capacidade competitiva, mesmo tendo sofrido um revés ante os ressuscitados senegaleses, que perfilam como sérios candidatos à conquista do título.

 

 

O último encontro entre moçambicanos e angolanos aconteceu há dois anos, na Líbia, com o triunfo dos campeões continentais.
Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 10:44
 O que é? |  O que é? | favorito


Quarto da Vila Olímpica já equipado (A. Marrengula)

DECORRE num ritmo satisfatório a colocação de mobiliário nos apartamentos da Vila Olímpica, que foi entregue sábado ao Governo para acomodar as delegações aos Jogos Africanos Maputo 2011.

 

Trata-se de um processo que irá cobrir as 848 “flats” daquele complexo residencial destinado ao alojamento dos atletas, treinadores e dirigentes participantes nos Jogos Africanos. Da visita efectuada pelos convidados à cerimónia de entrega do condomínio olímpico, foi possível constatar alguns apartamentos já apetrechados com mesas, estantes, cadeiras, camas nos quartos e respectiva roupa, cortinados, entre outros móveis. São, portanto, “flats” já prontas para receber ocupantes, facto que deverá acontecer a partir desta quinta-feira, com a entrada na Vila Olímpica da Missão Moçambique, isto é, as selecções nacionais de diferentes modalidades.

 

 

Mas, oficialmente, a abertura da Vila Olímpica terá lugar no domingo, com uma cerimónia que está a ser devidamente preparada pelo comité organizador (COJA) e que compreenderá a efectivação de uma série de actividades para assinalar o acontecimento.

 

 

 

Recorde-se que a Vila Olímpica é constituída por 26,5 blocos de quatro andares, comportando 848 apartamentos tipo três. Possui um parque de estacionamento para 130 autocarros, praça de bandeiras e espaços comuns, ocupando uma área de 15 hectares. A separar os blocos existem locais de estacionamento para viaturas, para além de ruelas que facilitam a circulação interna.

 

 

 

Aliás, conforme referiu o Ministro da Juventude e Desportos, no acto que marcou a recepção do empreendimento, que compreende também o complexo das Piscinas Olímpicas – duas, sendo uma para competição e outra para o aquecimento –, a Vila Olímpica é uma construção de raiz e que veio transfigurar o aspecto do Zimpeto.

 

 

Nestes termos, disse que a sua manutenção e conservação é tarefa de todos, mas com maior incidência para a população e para as autoridades administrativas do bairro, exortando-as a exercerem uma vigilância cerrada contra vândalos.

 

 

 

Entretanto, tendo sido abandonada a ideia da construção de um gigantesco restaurante no próprio recinto, que fosse capaz de dar vazão ao volume de solicitações dos milhares de habitantes, o refeitório será agora montado no recinto do Instituto Superior de Relações Internacionais (ISRI), que dista a 200/300 metros da Vila Olímpica.

 

 

Tratando-se de uma situação provisória, isto é, que durará apenas o período dos Jogos Africanos – de 3 a 18 de Setembro, e pouco mais – a opção recaiu em tendas gigantes com uma ocupação simultânea de dois mil a três pessoas, para além de uma cozinha industrial que se considera perfeitamente à altura de corresponder à demanda, até porque, para além dos atletas, estarão igualmente milhares de voluntários, com o seu espaço específico para as refeições.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:32
 O que é? |  O que é? | favorito
António da Mota

"É PARA mim uma honra, em nome da Mota-Engil e da Soares da Costa, estar aqui hoje (sábado) para entregar esta obra a Moçambique. Porque este é um projecto de Moçambique, do povo e Governo moçambicano. Os outros fizeram aquilo que lhes competia, mas nada teria acontecido se não tivesse havido a ousadia do Governo de Moçambique, começando pelo Presidente Guebuza, Primeiro-Ministro e Ministro da Juventude e Desportos", palavras do Presidente do Conselho de Administração da Mota-Engil, António da Mota.

António da Mota parabenizou Moçambique e disse estar orgulhoso pelo feito alcançado.

 

 

Esta obra enche-nos de orgulho a nós, construtores. É um projecto de uma dimensão e de uma dificuldade enorme que foi realizado num prazo muito curto. Em conversa com o Ministro dos Desportos dizia que os incrédulos vão continuar incrédulos porque este é um projecto que demonstra que quando o homem acredita as coisas acontecem”.

 

 

 

Aquele PCA elogiou o Governo moçambicano pelo apoio disponibilizado durante todo o processo: “Sentimos muitas dificuldades, mas tivemos sempre um enorme apoio do Governo moçambicano. Sempre que tínhamos dificuldades ajudaram-nos a ultrapassá-las e a resolver esses problemas, permitindo que em 10 meses fosse possível construir 848 apartamentos tipo 3 com qualidade”.

 

 

 

O responsável máximo pela Mota-Engil destacou o facto das boas relações entre os governos moçambicano e português terem sido determinantes para a conclusão da obra em tempo recorde. “A cooperação luso-moçambicana está de parabéns. Houve vontade de cooperação entre Portugal e Moçambique que contribuiu muito para que tivesse sido possível”.

 

 

António da Mota não se esqueceu de felicitar os 3700 trabalhadores que ao longo de 10 meses colaboraram no desenvolvimento da obra. “Não há vontade de Governo, não há vontade empresarial que torne possível a realização de uma construção sem que os trabalhadores estejam empenhados”.

 

 

 

Fez votos para que a prestação de Moçambique nos Jogos Africanos seja coroada de êxitos. “Espero que este sucesso político, social e empresarial se alargue ao campo desportivo nos Jogos Africanos, se possível com muitas medalhas de ouro”.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:20
 O que é? |  O que é? | favorito
Manuel Chang

O MINISTRO das Finanças, Manuel Chang, fez uma apreciação bastante positiva da Vila Olímpica e de outras infra-estruturas erguidas para os Jogos Africanos, afirmando que o país passou a contar com um património desportivo de muita importância. “É com muita satisfação que assisti a esta entrega (Vila e Piscina Olímpica). É um empreendimento de grande vulto para o país. Há muito que precisávamos deste tipo de empreendimento desportivo”. Manuel Chang afirmou que o desafio passa agora por manter a boa imagem dos empreendimentos.

 

 

 

O grande desafio agora será a manutenção das infra-estruturas desportivas, como as de apoio, que são os apartamentos.

 

 

É preciso que haja uma administração correcta de forma de gestão”. Acrescentou que é preciso valorizar o investimento do Governo na ordem de cerca de 150 milhões de dólares, fazendo uma boa utilização dos recintos. Chang considera que estão criadas algumas condições para que os jovens atletas possam colher melhores resultados em termos de marcas e de ranking nas suas participações em vários eventos desportivos.

 

 

Não há que lamentar a falta de condições. As condições estão a ser criadas, são estas e vamos procurar melhorá-las cada vez mais”.

 

 

 

Questionado se a aposta do Governo em financiar a construção da Vila foi bem sucedida, aquele dirigente respondeu: “O financiamento foi bem feito. Se nós tivéssemos atrasado alguns dias na decisão tomada talvez não tivéssemos tido a possibilidade de avançar, mas tomou-se a decisão no momento exacto por forma que a crise não afectasse o andamento das obras”.

 

 

 

Manuel Chang chamou à atenção para a manutenção do Estádio da Machava, que, segundo ele, deve estar enquadrado neste rol de infra-estruturas recém-reabilitadas e construídas. Mas não é só no campo desportivo que o titular da pasta das Finanças refere que o país sairá a ganhar, aponta igualmente o lado económico, social e habitacional como sendo sectores que foram beneficiados.

 

 

 

 

Um dos grandes problemas que o país enfrenta neste momento é a falta de emprego e habitação para os jovens. Esta obra vem mostrar que é possível resolver parte deste problema. O que se fez foi dar um impulso para que outras acções iguais a estas possam acontecer a nível da cidade do Maputo e nas províncias”.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 10:11
 O que é? |  O que é? | favorito

A FINAL do Básquete-Show/mcel, torneio infanto-juvenil entre escolas, será disputado entre Josina Machel e Matola, duas equipas que já se sagraram campeãs, em anteriores edições.

 

 

 basquete show/mcel

 

 

Josina conquistou o troféu na edição passada (2010), enquanto Matola comemorou o título em duas ocasiões (2008/09). Os matolenses são, aliás, os recordistas em número de troféus conquistados.

 

 

 

Josina Machel tem possibilidades de revalidar o título, enquanto Matola vê abertas as chances de conquistar o seu terceiro troféu.

A final, desta que é a quinta edição, realiza-se no próximo sábado no pavilhão do Ferroviário do Maputo. A anteceder a este embate jogam Kitabu e Mahlazine pelo terceiro lugar.
Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 09:53
 O que é? |  O que é? | favorito

O CLUBE do Chibuto é, desde o pretérito fim-de-semana, campeão provincial de futebol de Gaza, edição 2011, mercê do empate sem abertura de contagem diante do Clube de Gaza, numa partida realizada no “caldeirão” dos “locomotivas” de Xai-Xai.

 

Foi uma partida que valeu apenas pela emoção vivida nas bancadas, quase na totalidade preenchidas pelas cores azul e branca do Clube do Chibuto, que mais parecia estar a jogar no seu campo.

 

 

Os apoiantes do Clube de Gaza decidiram primar pela ausência, pois o desfecho da última jornada do certame não iria mudar o curso dos acontecimentos. Os pupilos de David Matusse cumpriram apenas mais uma ronda na competição, tendo tentado defender a honra do convento.

 

 

Mesmo assim, foram os jogadores da equipa do Chibuto que entraram de rompante e ameaçaram o reduto mais recuado dos gazenses, e mesmo a jogar de forma atabalhoada, pontapés para a frente, estiveram mais próximos de abrir o activo em pelo menos duas ocasiões, particularmente aos 32 minutos, em que o dianteiro Zé viu o seu golo anulado por alegadamente se encontrar em posição irregular.

 

 

Porém, na segunda metade do jogo, a postura dos donos da casa mudou radicalmente, construindo jogadas de bom recorte técnico que, contudo, não encontravam por parte dos atacantes a necessária finalização.

 

 

 

Mesmo a jogar com menos um jogador devido à expulsão de Lalá, por acumulação de cartões amarelos, seria o Clube de Gaza que quando se jogava o último minuto de compensação, através de Agú, quase estragava a festa chibutense, se não fosse o seu mau gesto técnico no cabeceamento, mesmo à boca da baliza defendida por Baía.

 

 

O juiz da partida, Mário Tembe, coadjuvado por José Maria Rachide e Zacarias Chongo, realizou um bom trabalho.

Nas restantes partidas, o Ferroviário de Gaza bateu o Mandlakazi (3-0), Tekamahala perdeu por cinco bolas sem resposta e o Estrela foi derrotado (3-1) pelo Costa do Sol, sendo a primeira e única vitória dos “canarinhos” de Xai-Xai.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:46
 O que é? |  O que é? | favorito

As duas equipas da cidade portuária de Nacala, o Desportivo e Ferroviário, ocupam os primeiros lugares, respectivamente, do Campeonato Provincial de Futebol de Nampula, somando 14 e oito pontos cada, depois da disputa da sexta jornada do Nampulense 2011, relegando para as posições secundárias os históricos Benfica e Sporting da capital provincial.

 

 

Na jornada disputada no pretérito fim-de-semana, o Desportivo de Nacala recebeu e venceu, no campo da Bela Vista, o Sporting de Nampula por uma bola a zero, enquanto o  Ferroviário daquela cidade portuário foi à capital provincial bater o Benfica local por duas bolas sem concorrência. Na outra partida o Benfica de Monapo e Hospital Central de Nampula não foram para além de um nulo.

 

 

Na tabela classificativa, o Desportivo de Nacala é líder com 14 pontos, seguido pelo Ferroviário da mesma cidade com nove, o Benfica do Monapo é o terceiro com oito, quarto Benfica de Nampula com seis, Hospital Central FC em penúltimo soma cinco e o “lanterna vermelha” é o Sporting de Nampula com somente quatro pontos.

 

 

Entretanto, o Sporting de Nampula endereçou uma carta-denúncia a solicitar a desqualificação do Sporting de Monapo e do Hospital Central FC por participarem de forma irregular na competição, por não terem estatutos e sede própria, segundo rezam os regulamentos da Federação Moçambicana de Futebol.

 

 

Se for dado provimento à carta-denúncia do Sporting de Nampula, a tabela classificativa poderá sofrer grandes alterações.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:43
 O que é? |  O que é? | favorito

O segundo classificado do Campeonato Provincial de Cabo Delgado, o Atlético de Montepuez, não conseguiu vencer o Desportivo de Mocímboa da Praia, que lhe desferiu um valente golpe, que o trava na perseguição ao líder da prova, o Ferroviário de Pemba, que, mesmo sem ter jogado no fim-de-semana passado, continua com 20 pontos, mais três que os montepuezianos, que somam 17.

 

 

A décima jornada colocou ainda frente-a-frente a equipa da Associação Desportiva de Pemba e o Desportivo de Mueda, tendo terminado com a vitória dos donos da casa, por 2-0, e o Desportivo de Pemba venceu o seu homónimo da vila insular do Ibo, por uma bola sem resposta.

 

 

Face a estes resultados, os “locomotivas” de Pemba estão cada vez mais próximos de representar Cabo Delgado na “poule” de apuramento para o Moçambola 2012.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 09:37
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
20
21
27
28
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO