Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 06 DE Junho 2011
Costa do Sol vs Estrela Vermelha

A TARDE de ontem não será esquecida tão cedo pelo público que presenciou o desafio entre o Costa do Sol e o Estrela Vermelha, com ambas as equipas a protagonizar um belo espectáculo de futebol.

 

Dos artistas, João Mazive é o que tem motivos mais do que suficientes para guardar este jogo na memória. O defesa “canarinho” foi o primeiro e… o último a rir, pois foi ele que inaugurou o marcador e, também, autor do golo que, nos penaltes, deu a vitória ao Costa do Sol, por 4-3, após empate a três bolas no tempo regulamentar e no prolongamento. Em jeito de canguru, o jogador festejou os dois golos, mais especialmente o segundo, visto tratar-se daquele que acabou com o sofrimento da sua equipa após 120 minutos de jogo.

 

O Estrela apresentou-se bem estruturado e vendeu muito a cara à derrota. Os “alaranjados” souberam, acima de tudo, valorizar-se, assumindo o controlo do jogo em alguns períodos. Mas coube à equipa de David Mandigora, galvanizada pelo apoio dos seus adeptos, assumir as rédeas do jogo, tendo aos 8 minutos dado o primeiro sinal de perigo por intermédio de Jordão. No minuto seguinte, João Mazive, num grande remate à entrada da grande área, colocou o Costa do Sol em vantagem.

 

Volvidos cinco minutos, Babo poderia ter avolumado o marcador, mas faltou-lhe frieza. Com esta entrada fulgurante, os “canarinhos” faziam jus ao estatuto de favoritos, algo que foi comprovado aos 22 minutos, quando Jordão fez o 2-0.

Contudo, enganaram-se os que pensaram que a partida estivesse resolvida, visto que, à passagem dos 30 minutos, o Estrela respondeu com um belíssimo golo de Tony, reduzindo assim a desvantagem.

 

 

Com este tento, o encontro ganhou interesse e os lances de perigo, numa e noutra baliza, iam acontecendo às catadupas. No último quarto de hora da primeira parte Babo e Jordão tiveram excelentes oportunidades para marcar, enquanto do lado dos “alaranjados” Tony pôs à prova José Guirrugo, numa altura em que a equipa da casa jogava com menos uma unidade, por  expulsão de Dito, a meio da primeira parte, por agressão a um contrário.

 

A jogar com dez unidades, a equipa “canarinha” ficou abalada, mas, ainda assim, chegou ao 3-1, por intermédio de Mambo (entrou no início da segunda parte), na conversão de uma penalidade a castigar falta de Nelinho sobre Tchaka.

 

Só que, aquele que parecia o golo da tranquilidade transformou-se no golo da intranquilidade, na medida em que, surpreendentemente, o “canário” tremeu e os comandados de Nacir Armando aproveitaram para controlar a partida. E, aos 55 minutos, Kabila, que havia entrado na primeira parte para o lugar de Jordão, fez de cabeça o 3-2.

 

 

O Costa do Sol reagiu bem e poderia ter chegado ao quarto golo se Jordão e Babo tivessem melhor pontaria. Certo é que, aos 75 minutos, Tony, com um cabeceamento imparável, deu o empate aos “alaranjados”, que se agigantaram ainda mais e, aos 90 minutos, podiam ter decidido a eliminatória a seu favor, se o portentoso remate de Kabila não tivesse acertado no poste.

 

 

No prolongamento de 30 minutos assistiu-se a duas equipas cansadas e já a pensarem nos penaltes. No entanto, nos derradeiros instantes, Tony teve nos pés a chance de dar a vitória aos “alaranjados”, mas, só com o “keeper” pela frente, rematou ao lado.

Nos penaltes, a “estrelinha” da sorte, que acompanha habitualmente os mais fortes, esteve presente, e o Costa do Sol acabou sendo o mais feliz.

Mateus Infante, árbitro do encontro, e seus auxiliares realizaram um bom trabalho.

 

FICHA TÉCNICA:

Árbitro: Mateus Infante, auxiliado por João Paulo e Carlos Massango. Quarto árbitro: Fortunato Cossa.

COSTA DO SOL - José Guirrugo; Manuelito, Jonas, Dito e João Mazive; Fido, Tchaka (Henry), David (Mambo) e Ruben; Babo e Jordão (Gito).

ESTRELA VERMELHA - Shumikel; Croácia (Pedrito), Mussica, Totó e Abel; Ibrahimo, Nelinho, Vali e Victor (Paco); Jordão (Kabila) e Tony.

Acção disciplinar: cartão vermelho para Dito e amarelo para Mussica, Totó e Nelinho.

Golos: João Mazive (9), Jordão (22) e Mambo (49); Tony (30 e 75), Kabila (55).

  • IVO TAVARES
Fonte:Jornal Noticias
publicado por Vaxko Zakarias às 14:18
 O que é? |  O que é? | favorito
maxaquene

AS grandes penalidades fazem parte de uma partida de futebol. A decisão com recurso a pontapés da marca de grande penalidade está prescrita no regulamento da Taça de Moçambique, em caso de igualdade no final do tempo regulamentar e do prolongamento.

 

Ora, na terceira eliminatória da Fase da Cidade de Maputo da segunda maior competição do calendário futebolístico nacional, os benditos penaltes acabaram por proporcionar a festa aos “colossos” Desportivo e Costa do Sol, que, perante adversários de menor expressão e ao cabo de 120 minutos de jogo encontravam-se empatados e a verem a sua reputação posta em causa.

 

 

Diante do histórico Nova Aliança, que no sábado prestigiou o seu nome e o nome do Xipamanine, os “alvi-negros” quase hipotecavam a passagem à fase nacional, com a igualdade a duas bolas, somente desfeita nas grandes penalidades, ao triunfarem por 5-4.

Dificílimo, Matine! O mesmo sucedeu com os “canarinhos”, ontem, frente ao Estrela Vermelha. O 3-3 prevaleceu até ao prolongamento, tendo nos penaltes vencido pela marca de 4-3.

 

 

Noutro desafio, 1º de Maio derrotou Académica por uma bola sem resposta. Para fechar esta eliminatória, Matchedje defronta Ferroviário amanhã, às 14.00 horas, no campo do 1º de Maio, e, na quarta-feira, teremos o grande embate entre Liga Muçulmana e Maxaquene, no relvado dos campeões nacionais.

 

 

Noutras províncias, referência para o afastamento de duas formações do Moçambola frente a adversários de escalão inferior: em Maputo, Atlético Muçulmano baqueou diante de Djuba FC por 6-5, também nos penaltes, depois do empate 1-1; e, em Sofala, Sporting perdeu com Matchedje da Beira por 1-0.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 14:13
 O que é? |  O que é? | favorito
Maxaquene vs Desportivo

A SELECÇÃO Nacional de Basquetebol de Seniores Masculinos enfrentará o país anfitrião na abertura do Afrobásquete Madagáscar-2011, a decorrer entre os dias 17 e 28 de Agosto. Inserido no Grupo A, para além dos malgaxes Moçambique terá como adversários Nigéria e Mali, duas fortes formações da bola-ao-cesto continental.

 

O sorteio da prova, realizado sábado, em Antananarivo, serviu de pretexto para uma grande festa em redor do evento, assim como, e, sobretudo, de promoção e divulgação do Afrobásquete, que, como se sabe, foi adjudicado à Grande Ilha do Índico somente no pretérito mês de Maio, após ter sido cancelado da Costa do Marfim, em virtude da tensa situação política e social então prevalecente.

 

Para a nossa selecção, não se pode considerar que tenha sido um bom sorteio, uma vez que, considerando que diante de Madagáscar tem fortes hipóteses de ganhar, já com nigerianos e malianos a situação será absolutamente outra, dado o seu peso em África. A Nigéria, aliás, foi finalista vencida por Angola num dos últimos campeonatos, e conta nas suas fileiras com jogadores que actuam nas melhores provas da Europa, assim como nos Estados Unidos da América.

 

A dois meses do Afrobásquete, Moçambique vive um dilema pouco comum numa equipa que se preze e à beira de uma competição de tamanha envergadura. A questão é a seguinte: a selecção não treina, ou, se treina, fá-lo sem a seriedade devida, facto que se reflectiu, aliás, nos dois jogos amigáveis que disputou com a África do Sul, em Abril, em Maputo, nos quais perdeu em ambas as ocasiões.

 

A equipa vem sendo orientada por Milagre Macome, no entanto, como ele sabe que está a prazo, pois se espera pelo espanhol do Maxaquene, Joseba Garcia, sente-se desconfortado e vai trabalhando quanto possível, uma situação nada agradável, considerando sobretudo que uma das apostas da Federação de Francisco Mabjaia é o resgate do prestígio moçambicano em seniores masculinos.

 

 

E este ano, em particular, mostra-se propício para o alcance desse desiderato, tendo em conta que, para além do Afrobásquete, para o qual se apurou por mérito próprio e não através de repescagem, como aconteceu em outras ocasiões, a selecção tem pela frente os Jogos Africanos de Maputo-2011, em que, na qualidade de anfitriã, obriga-se a classificar-se nos melhores lugares.

 

 

Quanto aos resultados do sorteio, realce para o facto de Angola, campeã africana, se encontrar no Grupo B, juntamente com Chade, Marrocos e Senegal, este último à procura dos seus tempos áureos. Por seu turno, a repescada África do Sul, terceira selecção da África Austral, está no Grupo C, com a vice-campeã Costa do Marfim, Camarões e Egipto, o outro repescado.

 

Eis a composição completa dos grupos:

 

A - Madagáscar, Moçambique, Nigéria e Mali

B - Angola, Chade, Marrocos e Senegal

C – Costa do Marfim, África do Sul, Camarões e Egipto

D - Tunísia, Togo, República Centro Africana e Ruanda.

 

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 14:03
 O que é? |  O que é? | favorito

 

 

 

Mambas-Zambia

 

Moçambique ainda sonha com a presença na Taça de África das Nações, mas o objectivo complicou-se com a derrota na Zâmbia (3-0), que assumiu a liderança do Grupo C, no dealbar da segunda volta. Cinco pontos separam agora as duas equipas.

 

 

De repente a luta pelo apuramento centrou as atenções para Zâmbia e Líbia.

 

A Zâmbia venceu Moçambique por 3-0, no Schanga Stadium, onde, para além do jogo, houve um particular duelo entre Kampango e Cristhofer Katongo, que marcou dois golos e “surpreendeu” Mart Nooij, que havia prometido uma vitória para este embate.

de tanto os “Xipolopolos” irem à fonte, por via de um tapete vermelho estendido pelos “Mambas”, Collins Mbesuma acabou fixando o resultado em 3-0.

 

Para além destes episódios que acompanharam o jogo, há algumas evidências a apontar. A primeira é que a Zâmbia está num nível melhor. Os dois golos de Cristhofer Katongo, aliados à quebra física e anímica dos “Mambas”, deram muita criatividade aos “Xipolopolos”.

 

 

 

 

Crescêncio José

 

Fonte:O Pais

publicado por Vaxko Zakarias às 11:39
 O que é? |  O que é? | favorito
tags:
copa coca cola

A ESCOLA Secundária Samora Machel, de Manica, vencedora da nona edição da Copa Coca-Cola em futebol, encerrou a prova com chave de ouro, ao voltar a vincar que não conquistou o título por mero acaso. Quinta-feira, no campo do 1º de Maio, os campeões levaram de vencida a Selecção da Copa por 3-1, regressando assim à sua província orgulhosa de ter ganho a tudo e  todos.

 

A Selecção da Copa, constituída pelos melhores executantes das outras escolas, não foi capaz de superar o bom entrosamento demonstrado pela Samora Machel, com um time mais esclarecido e ambicioso, justificando plenamente o triunfo.

 

Na quarta-feira, 1 de Junho, Dia Internacional da Criança, a Escola Secundária Samora Machel havia conquistado a Copa Coca-Cola, ao derrotar na final a Escola Secundária Heróis Moçambicanos, de Tete, então detentora do título, por 4-2. Pelo feito, a turma de Manica amealhou 10 mil dólares americanos, para além de uma taça e medalhas.

 

Individualmente, Samora Machel ficou com o prémio”fair-play”.

 

 

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 11:14
 O que é? |  O que é? | favorito
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO