Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quarta-feira, 07 DE Outubro 2009

AS medalhas de prata e de bronze conquistadas em Maputo-2003 e Abuja-2005 são uma referência indesmentível sobre o quão valorosa é a nossa selecção feminina no panorama basquetebolístico continental.

Moçambique na grande ilha com uma equipa guerreira(Deolinda)
No entanto, ainda falta o mais importante numa competição desportiva: a medalha de ouro. Se há dois anos em Dacar as expectativas moçambicanas acabaram sendo reduzidas a um autêntico fracasso, desta vez, no Afrobásquete Madagáscar-2009, a começar esta sexta-feira, em Antananarivo, a fasquia foi novamente elevada, residindo no seio do grupo esperanças douradas. E a razão não podia ser menos optimista: uma equipa que, mesclando a juventude e a veterania, tem a virtude de ser guerreira e que na grande ilha do Oceano Índico promete fazer história.

A despeito de a preparação, de forma mais incisiva, ter decorrido durante pouco tempo, devido a outros compromissos, nomeadamente fase final do campeonato da cidade, conquistado pelas “alvi-negras”, e qualificação zonal para a Taça dos Campeões de África, em Harare, que ditou o apuramento do Desportivo e de A Politécnica para o Benin, a equipa técnica acredita que esse tempo disponível foi muitíssimo bem aproveitado, com treinos bastante puxados fisicamente, ensaios tácticos explorados até ao âmago, tudo isto com a devida prontidão e correspondência das atletas.

Tratou-se de uma etapa de preparação que conheceu o seu epílogo ontem, pois esta manhã a selecção segue viagem com destino a Antananarivo, o “teatro das operações”, transportando na bagagem grandes esperanças e que passam, fundamentalmente, pela conquista do título, mesmo reconhecendo o arcaboiço de adversários como Mali, campeão em título, Senegal, Angola e Nigéria. Mas estas equipas têm também nas suas contas a turma moçambicana, cujo prestígio no continente foi nos últimos anos alicerçado pelos dois títulos consecutivos ganhos pelo Desportivo.

O campeonato que sexta-feira arranca terá a participação de 12 formações, repartidas da seguinte forma: Grupo “A” – Madagáscar, Moçambique, Senegal, África do Sul, Camarões e Ilhas Maurícias; Grupo “B” – Mali, Nigéria, Angola, Tunísia, Ruanda e Guiné-Conacri.

AUSÊNCIAS NÃO AFECTAM

Deolinda Gimo atleta ao serviço da selecção nacional feminina de basquetebol
Inicialmente com 14 jogadoras convocadas, o seleccionador nacional, Nazir Salé, viria, de concreto, a trabalhar com 12, porquanto as duas “locomotivas”, Deolinda Gimo e Zinóbia Machanguana, foram literalmente proibidas pelo seu clube de integrar a equipa de todos, alegadamente por a Federação Moçambicana de Basquetebol não ter apresentado o seguro contra lesões.

Na óptica do Ferroviário, esta exigência surge porque uma atleta sua contraiu lesão ao serviço da selecção de Sub-16 e a entidade máxima da bola-ao-cesto do nosso país não se responsabilizou pelas consequências que daí decorreram.*

Uma situação que naturalmente em nada abona no relacionamento são que se pretende entre duas instituições que, quer se queira quer não, estão “condenadas” a trabalhar juntas, uma na qualidade de detentora de atletas necessárias à selecção e outra como responsável pela modalidade no país.

Embora Nazir Salé se tenha empenhado na busca de soluções para colmatar estas duas grandes baixas, não resta a menor dúvida que, particularmente em relação à poste Deolinda Gimo, representará uma ausência de peso, tanto pela posição que ocupa no time como pela forma que apresenta.

Em face destas circunstâncias, e também porque as “estrangeiras” estão indisponíveis, a selecção acabou por se restringir a jogadoras do Desportivo e de APolitécnica, mas que, na argumentação do “mister”, oferecem absoluta confiança na prossecução dos objectivos perseguidos, numa prova em que os dois primeiros classificados se qualificam para o Campeonato do Mundo.

Para Nazir Salé, trata-se de guerreiras que farão história no presente Afrobásquete, algumas pela primeira vez numa competição desta natureza, todavia, com uma extraordinária capacidade de luta e de perseverança.

Pelas “alvi-negras”, envergarão o “jersey” nacional, em Antananarivo, Anabela Cossa, Valerdina Manhonga, Kátia Halar, Leia Dongue, Odélia Mafanela, Ondina Nhampossa e Filomena Micato e, pelas “universitárias”, Aleia Rachide, Amélia Macamo, Marta Ganje, Ana Flávia Azinheira e Ana Branquinho.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:44
 O que é? |  O que é? | favorito

AS medalhas de prata e de bronze conquistadas em Maputo-2003 e Abuja-2005 são uma referência indesmentível sobre o quão valorosa é a nossa selecção feminina no panorama basquetebolístico continental.

Moçambique na grande ilha com uma equipa guerreira(Deolinda)
No entanto, ainda falta o mais importante numa competição desportiva: a medalha de ouro. Se há dois anos em Dacar as expectativas moçambicanas acabaram sendo reduzidas a um autêntico fracasso, desta vez, no Afrobásquete Madagáscar-2009, a começar esta sexta-feira, em Antananarivo, a fasquia foi novamente elevada, residindo no seio do grupo esperanças douradas. E a razão não podia ser menos optimista: uma equipa que, mesclando a juventude e a veterania, tem a virtude de ser guerreira e que na grande ilha do Oceano Índico promete fazer história.

A despeito de a preparação, de forma mais incisiva, ter decorrido durante pouco tempo, devido a outros compromissos, nomeadamente fase final do campeonato da cidade, conquistado pelas “alvi-negras”, e qualificação zonal para a Taça dos Campeões de África, em Harare, que ditou o apuramento do Desportivo e de A Politécnica para o Benin, a equipa técnica acredita que esse tempo disponível foi muitíssimo bem aproveitado, com treinos bastante puxados fisicamente, ensaios tácticos explorados até ao âmago, tudo isto com a devida prontidão e correspondência das atletas.

Tratou-se de uma etapa de preparação que conheceu o seu epílogo ontem, pois esta manhã a selecção segue viagem com destino a Antananarivo, o “teatro das operações”, transportando na bagagem grandes esperanças e que passam, fundamentalmente, pela conquista do título, mesmo reconhecendo o arcaboiço de adversários como Mali, campeão em título, Senegal, Angola e Nigéria. Mas estas equipas têm também nas suas contas a turma moçambicana, cujo prestígio no continente foi nos últimos anos alicerçado pelos dois títulos consecutivos ganhos pelo Desportivo.

O campeonato que sexta-feira arranca terá a participação de 12 formações, repartidas da seguinte forma: Grupo “A” – Madagáscar, Moçambique, Senegal, África do Sul, Camarões e Ilhas Maurícias; Grupo “B” – Mali, Nigéria, Angola, Tunísia, Ruanda e Guiné-Conacri.

AUSÊNCIAS NÃO AFECTAM

Deolinda Gimo atleta ao serviço da selecção nacional feminina de basquetebol
Inicialmente com 14 jogadoras convocadas, o seleccionador nacional, Nazir Salé, viria, de concreto, a trabalhar com 12, porquanto as duas “locomotivas”, Deolinda Gimo e Zinóbia Machanguana, foram literalmente proibidas pelo seu clube de integrar a equipa de todos, alegadamente por a Federação Moçambicana de Basquetebol não ter apresentado o seguro contra lesões.

Na óptica do Ferroviário, esta exigência surge porque uma atleta sua contraiu lesão ao serviço da selecção de Sub-16 e a entidade máxima da bola-ao-cesto do nosso país não se responsabilizou pelas consequências que daí decorreram.*

Uma situação que naturalmente em nada abona no relacionamento são que se pretende entre duas instituições que, quer se queira quer não, estão “condenadas” a trabalhar juntas, uma na qualidade de detentora de atletas necessárias à selecção e outra como responsável pela modalidade no país.

Embora Nazir Salé se tenha empenhado na busca de soluções para colmatar estas duas grandes baixas, não resta a menor dúvida que, particularmente em relação à poste Deolinda Gimo, representará uma ausência de peso, tanto pela posição que ocupa no time como pela forma que apresenta.

Em face destas circunstâncias, e também porque as “estrangeiras” estão indisponíveis, a selecção acabou por se restringir a jogadoras do Desportivo e de APolitécnica, mas que, na argumentação do “mister”, oferecem absoluta confiança na prossecução dos objectivos perseguidos, numa prova em que os dois primeiros classificados se qualificam para o Campeonato do Mundo.

Para Nazir Salé, trata-se de guerreiras que farão história no presente Afrobásquete, algumas pela primeira vez numa competição desta natureza, todavia, com uma extraordinária capacidade de luta e de perseverança.

Pelas “alvi-negras”, envergarão o “jersey” nacional, em Antananarivo, Anabela Cossa, Valerdina Manhonga, Kátia Halar, Leia Dongue, Odélia Mafanela, Ondina Nhampossa e Filomena Micato e, pelas “universitárias”, Aleia Rachide, Amélia Macamo, Marta Ganje, Ana Flávia Azinheira e Ana Branquinho.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:44
 O que é? |  O que é? | favorito

A selecção moçambicana terá na mesa da estreia os Camarões, em partida a realizar-se sexta-feira e a contar para o Grupo A.

Nazir Salé
Na sua campanha referente à primeira fase, que se espera bem sucedida, até porque figura num grupo praticamente acessível, a turma de Nazir Salé, depois das camaronesas, defrontará, sucessivamente, Senegal, Ilhas Maurícias, África do Sul e Madagáscar.

O calendário completo da etapa inicial é o seguinte:

Dia 9 de Outubro

Maurícias-Madagáscar

Moçambique-Camarões

Senegal-África do Sul

Nigéria-Mali

Tunísia-Guiné

Angola-Ruanda

Dia 10 de Outubro

Madagáscar-Camarões

Maurícias-África do Sul

Moçambique-Senegal

Mali-Guiné

Nigéria-Ruanda

Tunísia-Angola

Dia 11 de Outubro

África do Sul-Madagáscar

Camarões-Senegal

Maurícias-Moçambique

Ruanda-Mali

Guiné-Angola

Nigéria-Tunísia

Dia 13 de Outubro

Madagáscar-Senegal

África do Sul-Moçambique

Camarões-Maurícias

Mali-Angola

Ruanda-Tunísia

Guiné-Nigéria

Dia 14 de Outubro

Madagáscar-Moçambique

Senegal-Maurícias

África do Sul-Camarões

Mali-Tunísia

Angola-Nigéria

Ruanda-Guiné

publicado por Vaxko Zakarias às 12:33
 O que é? |  O que é? | favorito

A selecção moçambicana terá na mesa da estreia os Camarões, em partida a realizar-se sexta-feira e a contar para o Grupo A.

Nazir Salé
Na sua campanha referente à primeira fase, que se espera bem sucedida, até porque figura num grupo praticamente acessível, a turma de Nazir Salé, depois das camaronesas, defrontará, sucessivamente, Senegal, Ilhas Maurícias, África do Sul e Madagáscar.

O calendário completo da etapa inicial é o seguinte:

Dia 9 de Outubro

Maurícias-Madagáscar

Moçambique-Camarões

Senegal-África do Sul

Nigéria-Mali

Tunísia-Guiné

Angola-Ruanda

Dia 10 de Outubro

Madagáscar-Camarões

Maurícias-África do Sul

Moçambique-Senegal

Mali-Guiné

Nigéria-Ruanda

Tunísia-Angola

Dia 11 de Outubro

África do Sul-Madagáscar

Camarões-Senegal

Maurícias-Moçambique

Ruanda-Mali

Guiné-Angola

Nigéria-Tunísia

Dia 13 de Outubro

Madagáscar-Senegal

África do Sul-Moçambique

Camarões-Maurícias

Mali-Angola

Ruanda-Tunísia

Guiné-Nigéria

Dia 14 de Outubro

Madagáscar-Moçambique

Senegal-Maurícias

África do Sul-Camarões

Mali-Tunísia

Angola-Nigéria

Ruanda-Guiné

publicado por Vaxko Zakarias às 12:33
 O que é? |  O que é? | favorito

DÁRIO Monteiro tem sido alvo de duras críticas por exibições menos conseguidas na Selecção Nacional.

DÁRIO Monteiro, do Estrela da Amadora, que frente ao Burkina Faso marcou o golo de penalte que traçou o destino do jogo a favor dos “Mambas”
Os moçambicanos, particularmente os que acompanham calorosamente os “Mambas”, não o têm poupado, reprovam-no a cada jogo por entenderem que não se esforça o suficiente.

Alguns já imploram a Marti Nooij a sua substituição alegando que os seus 32 anos de idade são demasiados para se locomover com aquela desenvoltura que lhe caracterizou num passado não muito longínquo. Todavia, no jogo frente ao Quénia, Dário Monteiro terá dado uma bofetada com “mão de veludo” a quem a meio da segunda parte já pedia a sua substituição, implorando a entrada de Jerry, pois foi nesse período que o atleta tirou da “manga” um passe magistral que possibilitou a Tico-Tico fazer o golo da vitória. Por uns instantes Dário Monteiro passou de Mal-Amado a Bem-Amado.

O avançado tinha conseguido calar a boca dos cerca de 35 mil pessoas presentes na Machava, uma auto-superação ao alcance de quem está habituado a altas pressões. Reagindo ao ambiente hostil que nalgumas vezes o tem ladeado nos jogos dos “Mambas” o mais recente reforço do SuperSport, bicampeão sul-africano, mostrou-se despreocupado com a situações do género, pois afirma estar habituado à pressão.

“Estou habituado aà pressão. Ao longo da minha carreira fui aprendendo a viver com ela. A vida de um jogador é sempre acompanhada pela pressão e temos que estar preparados para dar a volta a situações do género”.

É NORMAL QUE PEÇAM MAIS DE MIM

“Mambas” numa maratona árdua
Dário é dos jogadores mais experientes da selecção, apenas o capitão Tico-Tico o supera a nível de internacionalizações. Por isso, o público exige que o avançado que já correu o mundo (Portugal, Emiratos Árabes Unidos, Chipre e agora África do Sul) jogue muito mais. Frente ao Quénia a tensão em redor de Dário voltou a estar a “cem graus”.

Questionado sobre como teria reagido à pressão, este respondeu: “As pessoas cobram muito de mim. É normal. Sou um jogador que pelo estatuto que fui ganhando na equipa nacional com o meu trabalho, tenho responsabilidades mais acrescidas. Não fico aborrecido com o público quando me assobia ou faz um outro gesto como forma de demonstrar a sua insatisfação. Estou habituado que me cobrem. O segredo é não ter isso como uma ofensa, mas sim como um incentivo para fazer cada vez melhor. Foi assim contra o Quénia. Não me deixei influenciar negativamente e acabei fazendo uma boa jogada que deu o golo”.

Em relação ao facto de tardar a entrar em forma, ele explicou: “As pessoas pedem muito de mim. Querem que o Dário jogue mais, marque golos, talvez porque não sabem que praticamente não joguei na época passada. Foram cerca de oito meses sem jogar e isso influencia claramente no meu rendimento. Dentro daquilo que é a minha actual forma julgo que tenho me esforçado para dar muitas alegrias ao meu país”.

Dário Monteiro assegura que agora ao serviço do SuperSport fará tudo para recuperar a forma e ajudar os “Mambas” a estarem, pelo menos, no Campeonato Africano de Futebol (CAN).

NO DESPORTIVO SE FOR CONVIDADO

DÁRIO Monteiro deu mais um passo na sua carreira ao assinar pelo Super-Sport United. Aos 32 anos de idade, o internacional moçambicano está consciente que rumar para campeonatos mais competitivos é uma meta difícil de se concretizar, embora acredite que inda esteja em condições de jogar ao mais alto nível.

Aliás, o atleta afiança que só pendurará as “chuteiras” quando sentir que a bola corre mais que ele, não estipulando um ano para dizer adeus ao desporto-rei. Questionado se estaria disposto a terminar a sua carreira em Moçambique, este foi peremptório: “Sim, mas só no Desportivo. É o meu clube de coração. E se um dia for-me feito um convite voltarei ao clube onde comecei a jogar. Mas nunca aceitaria jogar noutro clube moçambicano por dinheiro algum”.

E se tiver que se concretizar, o atleta sublinha que “jogaria no Desportivo por prazer. Não haveria de vir ao Desportivo por dinheiro, porque se assim fosse não voltaria. Não haveria de querer ganhar no Desportivo o que ganhei a jogar em Portugal ou nos Emiratos Árabes Unidos”.

Concluindo, admitiu que seria um prazer voltar a jogar em Moçambique, pois estaria ainda mais perto da família e dos amigos.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:19
 O que é? |  O que é? | favorito

DÁRIO Monteiro tem sido alvo de duras críticas por exibições menos conseguidas na Selecção Nacional.

DÁRIO Monteiro, do Estrela da Amadora, que frente ao Burkina Faso marcou o golo de penalte que traçou o destino do jogo a favor dos “Mambas”
Os moçambicanos, particularmente os que acompanham calorosamente os “Mambas”, não o têm poupado, reprovam-no a cada jogo por entenderem que não se esforça o suficiente.

Alguns já imploram a Marti Nooij a sua substituição alegando que os seus 32 anos de idade são demasiados para se locomover com aquela desenvoltura que lhe caracterizou num passado não muito longínquo. Todavia, no jogo frente ao Quénia, Dário Monteiro terá dado uma bofetada com “mão de veludo” a quem a meio da segunda parte já pedia a sua substituição, implorando a entrada de Jerry, pois foi nesse período que o atleta tirou da “manga” um passe magistral que possibilitou a Tico-Tico fazer o golo da vitória. Por uns instantes Dário Monteiro passou de Mal-Amado a Bem-Amado.

O avançado tinha conseguido calar a boca dos cerca de 35 mil pessoas presentes na Machava, uma auto-superação ao alcance de quem está habituado a altas pressões. Reagindo ao ambiente hostil que nalgumas vezes o tem ladeado nos jogos dos “Mambas” o mais recente reforço do SuperSport, bicampeão sul-africano, mostrou-se despreocupado com a situações do género, pois afirma estar habituado à pressão.

“Estou habituado aà pressão. Ao longo da minha carreira fui aprendendo a viver com ela. A vida de um jogador é sempre acompanhada pela pressão e temos que estar preparados para dar a volta a situações do género”.

É NORMAL QUE PEÇAM MAIS DE MIM

“Mambas” numa maratona árdua
Dário é dos jogadores mais experientes da selecção, apenas o capitão Tico-Tico o supera a nível de internacionalizações. Por isso, o público exige que o avançado que já correu o mundo (Portugal, Emiratos Árabes Unidos, Chipre e agora África do Sul) jogue muito mais. Frente ao Quénia a tensão em redor de Dário voltou a estar a “cem graus”.

Questionado sobre como teria reagido à pressão, este respondeu: “As pessoas cobram muito de mim. É normal. Sou um jogador que pelo estatuto que fui ganhando na equipa nacional com o meu trabalho, tenho responsabilidades mais acrescidas. Não fico aborrecido com o público quando me assobia ou faz um outro gesto como forma de demonstrar a sua insatisfação. Estou habituado que me cobrem. O segredo é não ter isso como uma ofensa, mas sim como um incentivo para fazer cada vez melhor. Foi assim contra o Quénia. Não me deixei influenciar negativamente e acabei fazendo uma boa jogada que deu o golo”.

Em relação ao facto de tardar a entrar em forma, ele explicou: “As pessoas pedem muito de mim. Querem que o Dário jogue mais, marque golos, talvez porque não sabem que praticamente não joguei na época passada. Foram cerca de oito meses sem jogar e isso influencia claramente no meu rendimento. Dentro daquilo que é a minha actual forma julgo que tenho me esforçado para dar muitas alegrias ao meu país”.

Dário Monteiro assegura que agora ao serviço do SuperSport fará tudo para recuperar a forma e ajudar os “Mambas” a estarem, pelo menos, no Campeonato Africano de Futebol (CAN).

NO DESPORTIVO SE FOR CONVIDADO

DÁRIO Monteiro deu mais um passo na sua carreira ao assinar pelo Super-Sport United. Aos 32 anos de idade, o internacional moçambicano está consciente que rumar para campeonatos mais competitivos é uma meta difícil de se concretizar, embora acredite que inda esteja em condições de jogar ao mais alto nível.

Aliás, o atleta afiança que só pendurará as “chuteiras” quando sentir que a bola corre mais que ele, não estipulando um ano para dizer adeus ao desporto-rei. Questionado se estaria disposto a terminar a sua carreira em Moçambique, este foi peremptório: “Sim, mas só no Desportivo. É o meu clube de coração. E se um dia for-me feito um convite voltarei ao clube onde comecei a jogar. Mas nunca aceitaria jogar noutro clube moçambicano por dinheiro algum”.

E se tiver que se concretizar, o atleta sublinha que “jogaria no Desportivo por prazer. Não haveria de vir ao Desportivo por dinheiro, porque se assim fosse não voltaria. Não haveria de querer ganhar no Desportivo o que ganhei a jogar em Portugal ou nos Emiratos Árabes Unidos”.

Concluindo, admitiu que seria um prazer voltar a jogar em Moçambique, pois estaria ainda mais perto da família e dos amigos.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:19
 O que é? |  O que é? | favorito

A EQUIPA principal de futebol da Liga Muçulmana de Maputo defronta esta manhã (9.00 horas) a formação da Cadeia Central, na Machava, partida que marcará o reatamento do intercâmbio que começou no ano passado por iniciativa da Direcção Nacional das Prisões em coordenação com o Instituto de Promoção e Assistência Jurídica (IPAJ).

Escurinho falando á Imprensa
São três encontros que terão lugar sucessivamente de hoje até sexta-feira. Amanhã será a vez do Costa do Sol deslocar-se à Cadeia de Máxima Segurança, vulgo BO, para defrontar a selecção local, às mesmas horas. Já no dia seguinte, a equipa de reclusos da BO receberá o Ferroviário de Maputo.

Como forma de moralizar os reclusos, por cada golo que forem a marcar terão mais um dia extra de visita.

De salientar que mais duas equipas do Moçambola deslocar-se-ão ao recinto prisional da Machava ainda este ano. Trata-se do Matchedje e HCB de Songo que prometeram defrontar os reclusos logo após o término do Moçambola. A equipa da HCB confirmou a sua deslocação à Machava logo após o jogo com o Ferroviário de Nacala, na última ronda da prova, enquanto Matchedje deslocar-se-á no dia 21 de Novembro.

A Federação Moçambicana de Futebol também confirmou a ida da Selecção de Sub-23 ou dos “Mambas” que actuam no campeonato interno, depois do Torneio da Cosafa. A equipa de árbitros agendou igualmente visitar os reclusos para um jogo de amizade.

Espera-se igualmente pela confirmação da ida do Desportivo e do Atlético Muçulmano nos próximos dias.

De salientar que a Direcção Nacional das Prisões passou a responsabilidade de organização deste intercâmbio desportivo com os reclusos à Associação Projecto de Vida para Crianças e Jovens, ou simplesmente PROVIDA.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:09
 O que é? |  O que é? | favorito

A EQUIPA principal de futebol da Liga Muçulmana de Maputo defronta esta manhã (9.00 horas) a formação da Cadeia Central, na Machava, partida que marcará o reatamento do intercâmbio que começou no ano passado por iniciativa da Direcção Nacional das Prisões em coordenação com o Instituto de Promoção e Assistência Jurídica (IPAJ).

Escurinho falando á Imprensa
São três encontros que terão lugar sucessivamente de hoje até sexta-feira. Amanhã será a vez do Costa do Sol deslocar-se à Cadeia de Máxima Segurança, vulgo BO, para defrontar a selecção local, às mesmas horas. Já no dia seguinte, a equipa de reclusos da BO receberá o Ferroviário de Maputo.

Como forma de moralizar os reclusos, por cada golo que forem a marcar terão mais um dia extra de visita.

De salientar que mais duas equipas do Moçambola deslocar-se-ão ao recinto prisional da Machava ainda este ano. Trata-se do Matchedje e HCB de Songo que prometeram defrontar os reclusos logo após o término do Moçambola. A equipa da HCB confirmou a sua deslocação à Machava logo após o jogo com o Ferroviário de Nacala, na última ronda da prova, enquanto Matchedje deslocar-se-á no dia 21 de Novembro.

A Federação Moçambicana de Futebol também confirmou a ida da Selecção de Sub-23 ou dos “Mambas” que actuam no campeonato interno, depois do Torneio da Cosafa. A equipa de árbitros agendou igualmente visitar os reclusos para um jogo de amizade.

Espera-se igualmente pela confirmação da ida do Desportivo e do Atlético Muçulmano nos próximos dias.

De salientar que a Direcção Nacional das Prisões passou a responsabilidade de organização deste intercâmbio desportivo com os reclusos à Associação Projecto de Vida para Crianças e Jovens, ou simplesmente PROVIDA.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:09
 O que é? |  O que é? | favorito

A 14ª JORNADA do Campeonato de Futsal da Cidade de Maputo proporciona hoje jogos que envolvem os quatro primeiros classificados, nomeadamente Desportivo, Liga Muçulmana, Al Mahid e Atlético.

Grandes emoções são vividas no campeonato de Futsal da cidade
O Desportivo, líder isolado, joga a partir das 20.30 horas no pavilhão da UEM com o Al Mahid, enquanto a Liga Muçulmana mede forças com o Atlético às 21.30.

Os “alvi-negros”vêm de um empate a três bolas diante da Liga, que resultou na perda do primeiro ponto, e o Al Mahid bateu a Académica por 3-2.

Este jogo reveste-se de muita importância já que o Desportivo luta para consolidar a primeira posição, enquanto o Al Mahid está em batalha pela terceira posição.

Já a Liga espreita um deslize dos comandados de Inácio de Sambo para chegar à primeira posição. Por outro lado, o Atlético quer segurar a terceira posição que dá direito à qualificação para o “Nacional” e deverá fazer de tudo para complicar a missão da turma “muçulmana”.

CLASSIFICAÇÃO: 1º Desportivo (31); 2º Liga Muçulmana (28); 3º Al Mahid (24) e 4º Atlético Muçulmano (21).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:49
 O que é? |  O que é? | favorito

A 14ª JORNADA do Campeonato de Futsal da Cidade de Maputo proporciona hoje jogos que envolvem os quatro primeiros classificados, nomeadamente Desportivo, Liga Muçulmana, Al Mahid e Atlético.

Grandes emoções são vividas no campeonato de Futsal da cidade
O Desportivo, líder isolado, joga a partir das 20.30 horas no pavilhão da UEM com o Al Mahid, enquanto a Liga Muçulmana mede forças com o Atlético às 21.30.

Os “alvi-negros”vêm de um empate a três bolas diante da Liga, que resultou na perda do primeiro ponto, e o Al Mahid bateu a Académica por 3-2.

Este jogo reveste-se de muita importância já que o Desportivo luta para consolidar a primeira posição, enquanto o Al Mahid está em batalha pela terceira posição.

Já a Liga espreita um deslize dos comandados de Inácio de Sambo para chegar à primeira posição. Por outro lado, o Atlético quer segurar a terceira posição que dá direito à qualificação para o “Nacional” e deverá fazer de tudo para complicar a missão da turma “muçulmana”.

CLASSIFICAÇÃO: 1º Desportivo (31); 2º Liga Muçulmana (28); 3º Al Mahid (24) e 4º Atlético Muçulmano (21).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:49
 O que é? |  O que é? | favorito

O CLUBE 1º de Maio de Quelimane apresentou sexta-feira um recurso à Federação Moçambicana de Futebol (FMF), acusando o Ferroviário de Quelimane de usar indevidamente o atleta Sitoe Marcelino Norberto Cachewa no Campeonato Provincial da Zambézia, que terminou recentemente e foi ganho pelos “locomotivas”.

Uma vez provado culpado, o Ferroviário de Quelimane pode perder o título de campeão provincial a favor do 1º de Maio, que ficou em segundo lugar na classificação final.

Sitoe é acusado de usar a identificação do seu irmão mais novo, Merino Marcelino Norberto Cachewa, que o Clube 1º de Maio de Quelimane considera seu jogador.

É um caso que despoletou nas vésperas da conclusão do campeonato, tendo o Clube 1º de Maio de Quelimane endereçado uma exposição de denúncia à Associação Provincial de Futebol da Zambézia (APFZ) no dia 9 de Setembro último.

A APFZ reuniu-se na tarde do dia 12 de Setembro para analisar o documento, tendo-o considerado improcedente através de uma deliberação tornada público no dia 21 do mesmo mês.

Com este desfecho, o 1º de Maio viu-se obrigado a remeter o recurso à FMF, processo que deu entrada sexta-feira, aguardando pela devida apreciação pelo Conselho Jurisdicional da instituição que gere o futebol nacional.

O 1º Maio de Quelimane apresentou documentação que fundamenta a má inscrição do atleta Sitoe e algumas fichas de jogo em que ele utiliza o nome do seu irmão mais novo, tendo lamentado a indiferença da APFZ perante os factos que considera de verídicos por serem acompanhados de provas que juntou ao processo, incluindo o seu registo escolar.

Aliás, Sitoe está, segundo os documentos apresentados na denúncia pelo 1º de Maio, inscrito na APFZ com um talão do Bilhete de Identidade que ostenta o nome, data, mês e ano de nascimento do irmão mais novo. Ou seja, é acusado de utilizar a mesma ficha de inscrição de Merino.

Contudo, o Conselho Jurisdicional (CJ) da APFZ aponta, na sua deliberação, que o 1º de Maio juntou os documentos pertinentes que atestam a rasura da cópia do talão do Bilhete de Identidade, no qual consta que foi igualmente substituído o nome Merino pelo Sitoe.

O CJ refere ainda, na sua deliberação, que fez diligências junto dos Clubes 1º de Maio e Ferroviário de Quelimane para recolher mais detalhes sobre o jogador Merino Marcelino Norberto Cachewa tendo resumidamente apurado que este jogador pertence aos “locomotivas” da capital provincial da Zambézia desde 2001, conforme ficha de inscrição existente na APFZ.

Aquele órgão deliberativo apurou igualmente que não existe nenhum documento de identificação com o nome Sitoe Marcelino Norberto Cachewa, mas sim um talão de BI com aquele nome falsificado.

Contudo, caberá ao Conselho Jurisdicional da FMF apurar a veracidade perante os factos apresentados pelo 1º de Maio e a APFZ nos próximos dias.

De salientar que o 1º de Maio ficou em segunda lugar no “Provincial” ora findo com 35 pontos, menos cinco que o Ferroviário de Quelimane.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:47
 O que é? |  O que é? | favorito

O CLUBE 1º de Maio de Quelimane apresentou sexta-feira um recurso à Federação Moçambicana de Futebol (FMF), acusando o Ferroviário de Quelimane de usar indevidamente o atleta Sitoe Marcelino Norberto Cachewa no Campeonato Provincial da Zambézia, que terminou recentemente e foi ganho pelos “locomotivas”.

Uma vez provado culpado, o Ferroviário de Quelimane pode perder o título de campeão provincial a favor do 1º de Maio, que ficou em segundo lugar na classificação final.

Sitoe é acusado de usar a identificação do seu irmão mais novo, Merino Marcelino Norberto Cachewa, que o Clube 1º de Maio de Quelimane considera seu jogador.

É um caso que despoletou nas vésperas da conclusão do campeonato, tendo o Clube 1º de Maio de Quelimane endereçado uma exposição de denúncia à Associação Provincial de Futebol da Zambézia (APFZ) no dia 9 de Setembro último.

A APFZ reuniu-se na tarde do dia 12 de Setembro para analisar o documento, tendo-o considerado improcedente através de uma deliberação tornada público no dia 21 do mesmo mês.

Com este desfecho, o 1º de Maio viu-se obrigado a remeter o recurso à FMF, processo que deu entrada sexta-feira, aguardando pela devida apreciação pelo Conselho Jurisdicional da instituição que gere o futebol nacional.

O 1º Maio de Quelimane apresentou documentação que fundamenta a má inscrição do atleta Sitoe e algumas fichas de jogo em que ele utiliza o nome do seu irmão mais novo, tendo lamentado a indiferença da APFZ perante os factos que considera de verídicos por serem acompanhados de provas que juntou ao processo, incluindo o seu registo escolar.

Aliás, Sitoe está, segundo os documentos apresentados na denúncia pelo 1º de Maio, inscrito na APFZ com um talão do Bilhete de Identidade que ostenta o nome, data, mês e ano de nascimento do irmão mais novo. Ou seja, é acusado de utilizar a mesma ficha de inscrição de Merino.

Contudo, o Conselho Jurisdicional (CJ) da APFZ aponta, na sua deliberação, que o 1º de Maio juntou os documentos pertinentes que atestam a rasura da cópia do talão do Bilhete de Identidade, no qual consta que foi igualmente substituído o nome Merino pelo Sitoe.

O CJ refere ainda, na sua deliberação, que fez diligências junto dos Clubes 1º de Maio e Ferroviário de Quelimane para recolher mais detalhes sobre o jogador Merino Marcelino Norberto Cachewa tendo resumidamente apurado que este jogador pertence aos “locomotivas” da capital provincial da Zambézia desde 2001, conforme ficha de inscrição existente na APFZ.

Aquele órgão deliberativo apurou igualmente que não existe nenhum documento de identificação com o nome Sitoe Marcelino Norberto Cachewa, mas sim um talão de BI com aquele nome falsificado.

Contudo, caberá ao Conselho Jurisdicional da FMF apurar a veracidade perante os factos apresentados pelo 1º de Maio e a APFZ nos próximos dias.

De salientar que o 1º de Maio ficou em segunda lugar no “Provincial” ora findo com 35 pontos, menos cinco que o Ferroviário de Quelimane.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:47
 O que é? |  O que é? | favorito

A POLÉMICA sobre a sexualidade de Caster Semenya atinge já contornos incríveis na África do Sul. Desta vez foi um clube de “strip-tease” de Joanesburgo que foi processado por causa de um anúncio que, alegadamente, brincava com o tema.

A MEDALHA de ouro da sul-africana Caster Semenya nos 800 metros do último Campeonato Mundial de atletismo segue contornos polémicos
O “outdoor” mostrava uma mulher nua acompanhada da legenda: “Não precisa de teste de sexualidade”.

O anúncio foi denunciado à Associação de Empresas de Publicidade da África do Sul que declarou Lolly Jackson, proprietário do estabelecimento, culpado e obrigou-o a pagar uma multa de 20 mil randes.

O dono da casa de “stip-tease” defendeu-se, dizendo que a ideia para o cartaz é anterior à polémica com a campeã do mundo dos 800 metros e não quis nem brincar nem tirar qualquer proveito do caso.

“O anúncio foi criado antes de o teste de Semenya ter sido divulgado. A sua existência e publicação são uma pura coincidência. Queremos apenas garantir aos nossos clientes que não temos mulheres hermafroditas, já que isso é tão comum na indústria do entretenimento adulto. O problema desta situação toda é que alguém inocente foi envolvido”, afirmou.

Lilly Jakson aproveitou, ainda, para mostrar o seu desagrado com a situação em que Semenya se viu envolvida e criticar a atitude de Leonard Chuene, presidente da Associação de Atletismo da África do Sul, que era conhecedor da situação e não tomou medidas para evitar o escândalo. “Pelo menos nós dizemos a verdade”, ironizou.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:36
 O que é? |  O que é? | favorito

A POLÉMICA sobre a sexualidade de Caster Semenya atinge já contornos incríveis na África do Sul. Desta vez foi um clube de “strip-tease” de Joanesburgo que foi processado por causa de um anúncio que, alegadamente, brincava com o tema.

A MEDALHA de ouro da sul-africana Caster Semenya nos 800 metros do último Campeonato Mundial de atletismo segue contornos polémicos
O “outdoor” mostrava uma mulher nua acompanhada da legenda: “Não precisa de teste de sexualidade”.

O anúncio foi denunciado à Associação de Empresas de Publicidade da África do Sul que declarou Lolly Jackson, proprietário do estabelecimento, culpado e obrigou-o a pagar uma multa de 20 mil randes.

O dono da casa de “stip-tease” defendeu-se, dizendo que a ideia para o cartaz é anterior à polémica com a campeã do mundo dos 800 metros e não quis nem brincar nem tirar qualquer proveito do caso.

“O anúncio foi criado antes de o teste de Semenya ter sido divulgado. A sua existência e publicação são uma pura coincidência. Queremos apenas garantir aos nossos clientes que não temos mulheres hermafroditas, já que isso é tão comum na indústria do entretenimento adulto. O problema desta situação toda é que alguém inocente foi envolvido”, afirmou.

Lilly Jakson aproveitou, ainda, para mostrar o seu desagrado com a situação em que Semenya se viu envolvida e criticar a atitude de Leonard Chuene, presidente da Associação de Atletismo da África do Sul, que era conhecedor da situação e não tomou medidas para evitar o escândalo. “Pelo menos nós dizemos a verdade”, ironizou.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:36
 O que é? |  O que é? | favorito

A HISTÓRIA é contada pelo jornal do Comité Telethon italiano: houve um Prémio Nobel da Paz que tentou conciliar Zidane e Materazzi, mas não o conseguiu.

Materazzi no chão depois da cabeçada de Zidane
O Prémio Nobel em questão é Henry Kissinger, nada mais nada menos que o homem que negociou a retirada das tropas americanas e concluiu o acordo de paz na Guerra do Vietname.

Por isso mesmo recebeu o Prémio Nobel em 1973. Ora Henry Kissinger tentou juntar os dois jogadores na edição de 2006 da Telethon - uma maratona televisiva cujo objectivo é angariar dinheiro para fins beneficentes - que se realizaria nos estúdios da estação televisiva RAI e funcionaria em simultâneo para o público italiano e francês.

A intervenção de Henry Kissinger foi feita a pedido de Susanna Agnelli, fundadora da Telethon italiana e também ela uma conhecida antiga diplomata. O objectivo era juntar os dois jogadores no estúdio, para eles se cumprimentarem, anunciarem a reconciliação depois da cabeçada de Zidane em Materazzi e apelarem à caridade dos compatriotas.

A resposta, porém, foi um rotundo “não”. Zidane não se mostrou disposto a fazer as pazes com Materazzi. “Isto não é a paz do século”, justificou o francês. “Tenho três filhos, amanhã é o dia deles e eu prefiro estar com eles”. Lippi, Moratti, Deschamps, Platini e até Jacques Chirac participaram no evento. Materazzi e Zidane é que não.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:32
 O que é? |  O que é? | favorito

A HISTÓRIA é contada pelo jornal do Comité Telethon italiano: houve um Prémio Nobel da Paz que tentou conciliar Zidane e Materazzi, mas não o conseguiu.

Materazzi no chão depois da cabeçada de Zidane
O Prémio Nobel em questão é Henry Kissinger, nada mais nada menos que o homem que negociou a retirada das tropas americanas e concluiu o acordo de paz na Guerra do Vietname.

Por isso mesmo recebeu o Prémio Nobel em 1973. Ora Henry Kissinger tentou juntar os dois jogadores na edição de 2006 da Telethon - uma maratona televisiva cujo objectivo é angariar dinheiro para fins beneficentes - que se realizaria nos estúdios da estação televisiva RAI e funcionaria em simultâneo para o público italiano e francês.

A intervenção de Henry Kissinger foi feita a pedido de Susanna Agnelli, fundadora da Telethon italiana e também ela uma conhecida antiga diplomata. O objectivo era juntar os dois jogadores no estúdio, para eles se cumprimentarem, anunciarem a reconciliação depois da cabeçada de Zidane em Materazzi e apelarem à caridade dos compatriotas.

A resposta, porém, foi um rotundo “não”. Zidane não se mostrou disposto a fazer as pazes com Materazzi. “Isto não é a paz do século”, justificou o francês. “Tenho três filhos, amanhã é o dia deles e eu prefiro estar com eles”. Lippi, Moratti, Deschamps, Platini e até Jacques Chirac participaram no evento. Materazzi e Zidane é que não.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:32
 O que é? |  O que é? | favorito
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
17
18
24
25
27
28
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO