Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 06 DE Agosto 2009

A SELECÇÃO Nacional de Futebol estará em peso, a partir da próxima segunda-feira, para dar início à preparação do encontro amigável de quarta-feira, frente à sua congénere da Suazilândia.

“Mambas” em peso frente à Suazilândia
Para este embate, marcado para o campo do Costa do Sol, os “Mambas” contarão com a sua legião estrangeira, por se tratar de uma data-FIFA e uma grande oportunidade para a equipa técnica fazer a avaliação da capacidade de resposta do time, tendo em conta o compromisso de 6 de Setembro, no Estádio da Machava, diante do Quénia, para a quarta jornada do Grupo “B” de qualificação para o CAN e Mundial de 2010.

Forçada a cancelar, esta semana, a habitual sessão das terças-feiras, devido à realização de duas partidas em atraso da 18ª jornada do Moçambola-2009, designadamente Liga Muçulmana-Desportivo e Atlético Muçulmano-Chingale, a turma nacional enfrenta a Suazilândia como alternativa ao facto de Namíbia e Zimbabwe, que foram as primeiras escolhas da Federação Moçambicana de Futebol, terem cancelado a sua vinda a Maputo.

Após o embate de 20 de Junho, no Quénia, os “Mambas” retomaram as sessões semanais nos princípios do mês passado, com um total de 23 futebolistas que actuam no Moçambola.

MIGUEL Chau, técnico-adjunto dos **“Mambas”**
O técnico-adjunto da selecção, Miguel Chau, voltou a referir-se ao défice de oportunidades de rodagem que a equipa continua a ter em relação aos seus adversários nesta disputa para CAN e Mundial de 2010, sendo que os quenianos efectuaram mais um jogo amigável em casa, no último domingo, com uma das selecções do Brasil, tendo vencido por 1-0.

“Enquanto eles têm condições de se juntar normalmente, nós não temos tido facilidades para fazer jogos de controlo, mesmo internamente. Como se sabe, a maior parte dos jogadores que constituem a selecção do Quénia actua no campeonato local, e é nesta que concentram as suas maiores atenções em termos de rodagem. O que nós estamos a fazer é tentar concentrar os internos para dotá-los de condições técnicas e tácticas para o seu melhor encaixe na filosofia do jogo dos “Mambas”, referiu.

Há dias, a turma nacional realizou um ensaio com os Sub-23, antes destes defrontarem o Lesotho, em partida amigável, ganhando por 3-1. Os “Mambinhas” preparam-se para o Torneio da CPLP, a realizar-se em Setembro próximo, no Brasil.

Facto curioso em redor destas duas formações relaciona-se com alguns convocados da selecção de Sub-23 também fazerem parte dos “Mambas”, casos de Mexer, Mustafá, Josimar, Ruben, Binó e Jerry, situação que divide os técnicos no que diz respeito à sua integração nesta ou naquela equipa, tendo em conta a coincidência de datas das provas em perspectiva.

Na óptica da equipa técnica, é imperioso que os Sub-23 sejam relançados e que tenham um trabalho regular, como base de sustentabilidade imediata dos “Mambas”. Eles farão treinos semanais, às terças-feiras, até à última semana de Agosto, altura em que estarão todos concentrados na capital do país, obedecendo a partir daí a treinos diários, antes de seguirem viagem para o Brasil, no derradeiro dia do mês.

A concentração poderá ser na Academia Mário Esteves Coluna, na Namaacha, local que oferece um clima e ambiente favoráveis para um trabalho com mais tranquilidade.

publicado por Vaxko Zakarias às 15:10
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Futebol estará em peso, a partir da próxima segunda-feira, para dar início à preparação do encontro amigável de quarta-feira, frente à sua congénere da Suazilândia.

“Mambas” em peso frente à Suazilândia
Para este embate, marcado para o campo do Costa do Sol, os “Mambas” contarão com a sua legião estrangeira, por se tratar de uma data-FIFA e uma grande oportunidade para a equipa técnica fazer a avaliação da capacidade de resposta do time, tendo em conta o compromisso de 6 de Setembro, no Estádio da Machava, diante do Quénia, para a quarta jornada do Grupo “B” de qualificação para o CAN e Mundial de 2010.

Forçada a cancelar, esta semana, a habitual sessão das terças-feiras, devido à realização de duas partidas em atraso da 18ª jornada do Moçambola-2009, designadamente Liga Muçulmana-Desportivo e Atlético Muçulmano-Chingale, a turma nacional enfrenta a Suazilândia como alternativa ao facto de Namíbia e Zimbabwe, que foram as primeiras escolhas da Federação Moçambicana de Futebol, terem cancelado a sua vinda a Maputo.

Após o embate de 20 de Junho, no Quénia, os “Mambas” retomaram as sessões semanais nos princípios do mês passado, com um total de 23 futebolistas que actuam no Moçambola.

MIGUEL Chau, técnico-adjunto dos **“Mambas”**
O técnico-adjunto da selecção, Miguel Chau, voltou a referir-se ao défice de oportunidades de rodagem que a equipa continua a ter em relação aos seus adversários nesta disputa para CAN e Mundial de 2010, sendo que os quenianos efectuaram mais um jogo amigável em casa, no último domingo, com uma das selecções do Brasil, tendo vencido por 1-0.

“Enquanto eles têm condições de se juntar normalmente, nós não temos tido facilidades para fazer jogos de controlo, mesmo internamente. Como se sabe, a maior parte dos jogadores que constituem a selecção do Quénia actua no campeonato local, e é nesta que concentram as suas maiores atenções em termos de rodagem. O que nós estamos a fazer é tentar concentrar os internos para dotá-los de condições técnicas e tácticas para o seu melhor encaixe na filosofia do jogo dos “Mambas”, referiu.

Há dias, a turma nacional realizou um ensaio com os Sub-23, antes destes defrontarem o Lesotho, em partida amigável, ganhando por 3-1. Os “Mambinhas” preparam-se para o Torneio da CPLP, a realizar-se em Setembro próximo, no Brasil.

Facto curioso em redor destas duas formações relaciona-se com alguns convocados da selecção de Sub-23 também fazerem parte dos “Mambas”, casos de Mexer, Mustafá, Josimar, Ruben, Binó e Jerry, situação que divide os técnicos no que diz respeito à sua integração nesta ou naquela equipa, tendo em conta a coincidência de datas das provas em perspectiva.

Na óptica da equipa técnica, é imperioso que os Sub-23 sejam relançados e que tenham um trabalho regular, como base de sustentabilidade imediata dos “Mambas”. Eles farão treinos semanais, às terças-feiras, até à última semana de Agosto, altura em que estarão todos concentrados na capital do país, obedecendo a partir daí a treinos diários, antes de seguirem viagem para o Brasil, no derradeiro dia do mês.

A concentração poderá ser na Academia Mário Esteves Coluna, na Namaacha, local que oferece um clima e ambiente favoráveis para um trabalho com mais tranquilidade.

publicado por Vaxko Zakarias às 15:10
 O que é? |  O que é? | favorito

O SELECCIONADOR angolano de futebol chega hoje a Lisboa, Portugal, onde na próxima quarta-feira defronta o Togo, enquadrado na última data-FIFA.

Selecção de Futebol de Angola
O guarda-redes Wilson, do Recreativo da Caala, é a principal novidade na convocatória do técnico português Manuel José.

Além desta estreia, integram a lista os guarda-redes Lamá e Mário; os defesas Yamba Asha, Jamuana, Enoque, Joel, Kali, Rui Marques, Sérgio; os médios Gilberto, Mateus, Nelo, Makanga, David, Xará, Mabina, Job, Roger, Minguito, Ze Kalanga; e os avançados Love, Flávio, Mantorras e Manucho.

Os “Palancas Negras” preparam-se para o CAN-2010, que Angola vai acolher de 10 a 31 de Janeiro próximo, nas províncias de Benguela, Cabinda, Huíla e Luanda.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:10
 O que é? |  O que é? | favorito

O SELECCIONADOR angolano de futebol chega hoje a Lisboa, Portugal, onde na próxima quarta-feira defronta o Togo, enquadrado na última data-FIFA.

Selecção de Futebol de Angola
O guarda-redes Wilson, do Recreativo da Caala, é a principal novidade na convocatória do técnico português Manuel José.

Além desta estreia, integram a lista os guarda-redes Lamá e Mário; os defesas Yamba Asha, Jamuana, Enoque, Joel, Kali, Rui Marques, Sérgio; os médios Gilberto, Mateus, Nelo, Makanga, David, Xará, Mabina, Job, Roger, Minguito, Ze Kalanga; e os avançados Love, Flávio, Mantorras e Manucho.

Os “Palancas Negras” preparam-se para o CAN-2010, que Angola vai acolher de 10 a 31 de Janeiro próximo, nas províncias de Benguela, Cabinda, Huíla e Luanda.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:10
 O que é? |  O que é? | favorito

MOÇAMBIQUE manteve-se na 82ª posição no “ranking” da Federação Internacional de Futebol (FIFA), segundo a última actualização divulgada ontem no site “FIFA.com”, referente à prestação das selecções mundiais no mês de Agosto.

“Mambas” à procura de melhor forma para superar a Zâmbia (I. Pascoal)
A manutenção dos “Mambas”, que somam 402 pontos, deve-se ao facto de não terem realizado qualquer partida, oficial ou amigável, e de também o mês de Julho ter sido fraco em termos de realização de jogos. A última vez que o combinado nacional jogou foi frente ao Quénia, a 20 de Junho, tendo perdido por 1-2, em desafio da terceira jornada de apuramento para os Campeonatos do Mundo e Africano de 2010.

O mês de Julho não trouxe muitas alterações na classificação. Aliás, Nigéria, Tunísia e Quénia, adversários de Moçambique na corrida para as referidas provas, mantiveram-se nas mesmas posições: Nigéria é a melhor classificada no 34º lugar, Tunísia ocupa o 49º posto, enquanto o Quénia está na 105ª posição.

Por sua vez, Angola subiu dois lugares e agora ocupa a 102ª posição.

A nível do Continente Africano, os “Mambas” mantiveram o 18º posto com o mesmo número de pontos, 402. Nigéria ocupa a quinta posição, Tunísia é a oitava e Quénia 28º classificado.

O “ranking” é liderado pela Costa do Marfim.

BRASIL REINA

O Brasil, penta-campeão do Mundo, segue sem problemas na primeira posição do “ranking” da FIFA e com uma confortável vantagem sobre a Espanha, segunda classificada. A selecção “canarinha” soma 1642 pontos, mais 52 que a formação ibérica.

A lista dos 10 primeiros é a seguinte:

1º Brasil 1642; 2º Espanha 1590; 3º Holanda 1379; 4º Alemanha 1195; 5º Itália 1181; 6º Rússia 1161; 7º Inglaterra 1135; 8º Argentina 1080; 9º França 1059 e 10º Croácia 1031.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:06
 O que é? |  O que é? | favorito

MOÇAMBIQUE manteve-se na 82ª posição no “ranking” da Federação Internacional de Futebol (FIFA), segundo a última actualização divulgada ontem no site “FIFA.com”, referente à prestação das selecções mundiais no mês de Agosto.

“Mambas” à procura de melhor forma para superar a Zâmbia (I. Pascoal)
A manutenção dos “Mambas”, que somam 402 pontos, deve-se ao facto de não terem realizado qualquer partida, oficial ou amigável, e de também o mês de Julho ter sido fraco em termos de realização de jogos. A última vez que o combinado nacional jogou foi frente ao Quénia, a 20 de Junho, tendo perdido por 1-2, em desafio da terceira jornada de apuramento para os Campeonatos do Mundo e Africano de 2010.

O mês de Julho não trouxe muitas alterações na classificação. Aliás, Nigéria, Tunísia e Quénia, adversários de Moçambique na corrida para as referidas provas, mantiveram-se nas mesmas posições: Nigéria é a melhor classificada no 34º lugar, Tunísia ocupa o 49º posto, enquanto o Quénia está na 105ª posição.

Por sua vez, Angola subiu dois lugares e agora ocupa a 102ª posição.

A nível do Continente Africano, os “Mambas” mantiveram o 18º posto com o mesmo número de pontos, 402. Nigéria ocupa a quinta posição, Tunísia é a oitava e Quénia 28º classificado.

O “ranking” é liderado pela Costa do Marfim.

BRASIL REINA

O Brasil, penta-campeão do Mundo, segue sem problemas na primeira posição do “ranking” da FIFA e com uma confortável vantagem sobre a Espanha, segunda classificada. A selecção “canarinha” soma 1642 pontos, mais 52 que a formação ibérica.

A lista dos 10 primeiros é a seguinte:

1º Brasil 1642; 2º Espanha 1590; 3º Holanda 1379; 4º Alemanha 1195; 5º Itália 1181; 6º Rússia 1161; 7º Inglaterra 1135; 8º Argentina 1080; 9º França 1059 e 10º Croácia 1031.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:06
 O que é? |  O que é? | favorito

BEM se empenhou a selecção nacional, ontem, em Benghazi, na sua estreia no Afrobásquete Líbia-2009, no entanto, sem sucesso.

O atleta Barros em alta
Um revés de 10 pontos (62-72) foi suficiente para a primeira derrota da nossa equipa, diante do Egipto, no desafio que abriu o Grupo “B” da prova.

É verdade que se exigia mais, nomeadamente uma vitória, perante os “Faraós”, tratando-se de um dos nossos adversários directos no grupo, porém, a formação treinada por Carlos Alberto Niquice acabou por ser impotente, mesmo reconhecendo que esteve num bom nível exibicional.

Considerando que Angola, a maior potência continental da bola-ao-cesto, não “entra” nas contas dos outros três componentes do grupo, é importante que hoje, para a segunda jornada, Moçambique vença o Mali, com quem joga a partir das 14.00 horas locais (15.00 de Maputo).

Não se afigura uma missão nada fácil, a avaliar pelo potencial dos malianos, que ontem se travaram de razões com os super campeões angolanos, vencedores por apenas cinco pontos (79-74), já ao soar da buzina, após uma ameaçadora igualdade (71-71) a escassos minutos do fim. A turma nacional terá que se empenhar a fundo e apelar a forças acrescidas para se desenvencilhar do Mali.

Entretanto, noutros desafios da jornada inaugural os candidatos ao título não quiseram deixar os seus créditos em mãos alheias. São os casos, por exemplo, dos Camarões, vice-campeões africanos, que derrotaram a República Centro-Africana por 79-69, e da Nigéria, vencedor diante da Costa do Marfim pela marca de 93-84.

Por seu turno, Cabo Verde, equipa-sensação do Afrobásquete Angola-2007, no qual conquistou a medalha de bronze, bateu a Tunísia por 71-52, enquanto Senegal levou de vencida o Congo pela marca de 95-68.

Ainda ontem realizaram-se os encontros Líbia-África do Sul e Marrocos-Ruanda.

Hoje, para além do Mali-Moçambique, realiza-se, igualmente para o Grupo “B”, o jogo Egipto-Angola. Os outros jogos são: Costa do Marfim-Líbia e África do Sul-Nigéria (Grupo “A”); Congo-Camarões e República Centro-Africana-Senegal (“C”); Ruanda-Cabo Verde e Tunísia-Marrocos (“D”).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:54
 O que é? |  O que é? | favorito

BEM se empenhou a selecção nacional, ontem, em Benghazi, na sua estreia no Afrobásquete Líbia-2009, no entanto, sem sucesso.

O atleta Barros em alta
Um revés de 10 pontos (62-72) foi suficiente para a primeira derrota da nossa equipa, diante do Egipto, no desafio que abriu o Grupo “B” da prova.

É verdade que se exigia mais, nomeadamente uma vitória, perante os “Faraós”, tratando-se de um dos nossos adversários directos no grupo, porém, a formação treinada por Carlos Alberto Niquice acabou por ser impotente, mesmo reconhecendo que esteve num bom nível exibicional.

Considerando que Angola, a maior potência continental da bola-ao-cesto, não “entra” nas contas dos outros três componentes do grupo, é importante que hoje, para a segunda jornada, Moçambique vença o Mali, com quem joga a partir das 14.00 horas locais (15.00 de Maputo).

Não se afigura uma missão nada fácil, a avaliar pelo potencial dos malianos, que ontem se travaram de razões com os super campeões angolanos, vencedores por apenas cinco pontos (79-74), já ao soar da buzina, após uma ameaçadora igualdade (71-71) a escassos minutos do fim. A turma nacional terá que se empenhar a fundo e apelar a forças acrescidas para se desenvencilhar do Mali.

Entretanto, noutros desafios da jornada inaugural os candidatos ao título não quiseram deixar os seus créditos em mãos alheias. São os casos, por exemplo, dos Camarões, vice-campeões africanos, que derrotaram a República Centro-Africana por 79-69, e da Nigéria, vencedor diante da Costa do Marfim pela marca de 93-84.

Por seu turno, Cabo Verde, equipa-sensação do Afrobásquete Angola-2007, no qual conquistou a medalha de bronze, bateu a Tunísia por 71-52, enquanto Senegal levou de vencida o Congo pela marca de 95-68.

Ainda ontem realizaram-se os encontros Líbia-África do Sul e Marrocos-Ruanda.

Hoje, para além do Mali-Moçambique, realiza-se, igualmente para o Grupo “B”, o jogo Egipto-Angola. Os outros jogos são: Costa do Marfim-Líbia e África do Sul-Nigéria (Grupo “A”); Congo-Camarões e República Centro-Africana-Senegal (“C”); Ruanda-Cabo Verde e Tunísia-Marrocos (“D”).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:54
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Natação, que recentemente participou no 13º Campeonato Mundial da modalidade, em Roma, não trouxe nada que mereça destaque a nível da competição em que esteve envolvida durante perto de duas semanas, na capital italiana.

O Clube Ferroviário de Maputo foi o vencedor global da quarta edição do Torneio de Especialistas
Os tempos registados valem apenas para… consumo interno, como tem sido regra nesta modalidade e noutras de carácter individual, onde as marcas não chegam a ter sequer peso no “ranking” continental/regional.

Os oito nadadores que representaram Moçambique ficaram nas fases preliminares, o que era de esperar. No entanto, a sua situação tornou-se mais crítica por não ter, sequer, conseguido estar nos lugares intermédios nas respectivas classificações e com tempos desanimadores, mas que para enganar os leigos são ovacionados por se tratarem de… recordes nacionais.

Desses tempos de consumo caseiro, Mónica Bernardo, nadadora do Clube Golfinhos de Maputo, e que esta época que acabou de abrir passou para o escalão de seniores, é que aparece no topo dos títulos a nível individual, com um total de quatro recordes absolutos nas provas de 50 metros livres e bruços, 50 e 100 metros mariposa.

Ivo Chilaúle, também nadador sénior do Golfinhos, aparece em segundo plano com dois “absolutos” nos 50 metros costas e bruços. Leonel Matonse, sénior do Ferroviário de Maputo, e a juvenil Jéssica Cossa, do Golfinhos, seguem com um máximo absoluto nos 50 e 100 metros mariposa.

Os restantes recordes absolutos foram fixados nas estafetas, nomeadamente 4x100 metros livres e estilos masculinos, pelo quarteto Ivo Chilaúle, Patrício Vera (Golfinhos) e os irmãos Leonel e Gerúsio Matonse (Tubarões de Maputo); e nos 4x100 estilos femininos, pela companhia Mónica Bernardo, Géssica Stagno (Golfinhos), Faina Salate (Ferroviário de Maputo) e Jéssica Cossa.

RECORDES SEM PESO

Os indicadores de que dispomos dão conta do quão estivemos longe do que se pode esperar de um país que pensa em mínimos olímpicos e que vai receber, em 2011, os Jogos Africanos, onde será posta à prova a sua valia a nível continental. Tão medíocres são as posições que ocupamos, senão vejamos:

Mónica Bernardo, que pelas contas internas é a que teve a melhor prestação individual, ficou em 89º lugar nas preliminares dos 50 livres, numa prova que teve 169 participantes. Esteve na 66ª posição nos 50 bruços, num grupo de 107 nadadoras. Quedou-se em 67º lugar nos 50 mariposa, numa prova com 132 concorrentes. Mais distante ficou na prova dos 100 mariposa (88º lugar), que teve 102 participantes.

A outra feminina que trouxe recordes nacionais de Roma, Jéssica Cossa, ficou em 81º lugar nos 50 bruços, prova que contou com 107 nadadoras; quedou-se na 93ª posição, nos 100 costas, numa competição com 113 concorrentes.

Em masculinos, Ivo Chilaúle esteve em 106º lugar nos 50 costas, prova que albergou 130 nadadores, e caiu em 116º nos 50 bruços, competição que teve 148 concorrentes. Por seu turno, Leonel Matonse ficou em 134º lugar, nos 50 mariposa, prova que contou com 198 participantes.

Já nas estafetas, os masculinos foram antepenúltimos na prova dos 4x100 metros livres (36º lugar entre 38 equipas) e penúltimos nos 4x100 metros estilos (41ª posição entre 42 concorrentes). A equipa feminina foi penúltima nas duas provas: 28º lugar entre 30 equipas, nos 4x100 livres, e 32ª posição num conjunto de 35 nadadoras nos 4x100 estilos.

A situação é mais triste se tivermos em conta que estes lugares dos nadadores moçambicanos são ainda piores em relação aos países da região, como é o caso do Zimbabwe, isto para não falar da África do Sul, que é uma das potências continentais.

SALVADOR NHANTUMBO

publicado por Vaxko Zakarias às 11:46
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Natação, que recentemente participou no 13º Campeonato Mundial da modalidade, em Roma, não trouxe nada que mereça destaque a nível da competição em que esteve envolvida durante perto de duas semanas, na capital italiana.

O Clube Ferroviário de Maputo foi o vencedor global da quarta edição do Torneio de Especialistas
Os tempos registados valem apenas para… consumo interno, como tem sido regra nesta modalidade e noutras de carácter individual, onde as marcas não chegam a ter sequer peso no “ranking” continental/regional.

Os oito nadadores que representaram Moçambique ficaram nas fases preliminares, o que era de esperar. No entanto, a sua situação tornou-se mais crítica por não ter, sequer, conseguido estar nos lugares intermédios nas respectivas classificações e com tempos desanimadores, mas que para enganar os leigos são ovacionados por se tratarem de… recordes nacionais.

Desses tempos de consumo caseiro, Mónica Bernardo, nadadora do Clube Golfinhos de Maputo, e que esta época que acabou de abrir passou para o escalão de seniores, é que aparece no topo dos títulos a nível individual, com um total de quatro recordes absolutos nas provas de 50 metros livres e bruços, 50 e 100 metros mariposa.

Ivo Chilaúle, também nadador sénior do Golfinhos, aparece em segundo plano com dois “absolutos” nos 50 metros costas e bruços. Leonel Matonse, sénior do Ferroviário de Maputo, e a juvenil Jéssica Cossa, do Golfinhos, seguem com um máximo absoluto nos 50 e 100 metros mariposa.

Os restantes recordes absolutos foram fixados nas estafetas, nomeadamente 4x100 metros livres e estilos masculinos, pelo quarteto Ivo Chilaúle, Patrício Vera (Golfinhos) e os irmãos Leonel e Gerúsio Matonse (Tubarões de Maputo); e nos 4x100 estilos femininos, pela companhia Mónica Bernardo, Géssica Stagno (Golfinhos), Faina Salate (Ferroviário de Maputo) e Jéssica Cossa.

RECORDES SEM PESO

Os indicadores de que dispomos dão conta do quão estivemos longe do que se pode esperar de um país que pensa em mínimos olímpicos e que vai receber, em 2011, os Jogos Africanos, onde será posta à prova a sua valia a nível continental. Tão medíocres são as posições que ocupamos, senão vejamos:

Mónica Bernardo, que pelas contas internas é a que teve a melhor prestação individual, ficou em 89º lugar nas preliminares dos 50 livres, numa prova que teve 169 participantes. Esteve na 66ª posição nos 50 bruços, num grupo de 107 nadadoras. Quedou-se em 67º lugar nos 50 mariposa, numa prova com 132 concorrentes. Mais distante ficou na prova dos 100 mariposa (88º lugar), que teve 102 participantes.

A outra feminina que trouxe recordes nacionais de Roma, Jéssica Cossa, ficou em 81º lugar nos 50 bruços, prova que contou com 107 nadadoras; quedou-se na 93ª posição, nos 100 costas, numa competição com 113 concorrentes.

Em masculinos, Ivo Chilaúle esteve em 106º lugar nos 50 costas, prova que albergou 130 nadadores, e caiu em 116º nos 50 bruços, competição que teve 148 concorrentes. Por seu turno, Leonel Matonse ficou em 134º lugar, nos 50 mariposa, prova que contou com 198 participantes.

Já nas estafetas, os masculinos foram antepenúltimos na prova dos 4x100 metros livres (36º lugar entre 38 equipas) e penúltimos nos 4x100 metros estilos (41ª posição entre 42 concorrentes). A equipa feminina foi penúltima nas duas provas: 28º lugar entre 30 equipas, nos 4x100 livres, e 32ª posição num conjunto de 35 nadadoras nos 4x100 estilos.

A situação é mais triste se tivermos em conta que estes lugares dos nadadores moçambicanos são ainda piores em relação aos países da região, como é o caso do Zimbabwe, isto para não falar da África do Sul, que é uma das potências continentais.

SALVADOR NHANTUMBO

publicado por Vaxko Zakarias às 11:46
 O que é? |  O que é? | favorito

Nome Prova Tempo

ANTERIOR

Mónica Bernardo 50 livres 27,75

RNA/RNC 28,76

Ivo Chilaúle 50 costas 30,35

RNA/RNC 30,73

Ivo Chilaúle 50 bruços 32,13

RNA/RNC 32,74

Mónica Bernardo 50 bruços 35,07

RNA/RNC 36,30

Jéssica Cossa 50 bruços 37,81

RNC 38,14

Leonel Matonse 50 mariposa 26,66 RNA/RNC 27,45

Mónica Bernardo 50 mariposa 28,88

RNA/RNC 31,12

Mónica Bernardo 100 mariposa 1.07,52

RNA/RNC 1.08,80

Jéssica Cossa 100 costas 1.13,10

RNA/RNC 1.13,93

Estafetas

Leonel Matonse

Ivo Chilaúle

Gerúsio Matonse

Patrício Vera 4x100 livres 3.45,42

RNA/RNC 3.58,40

Mónica Bernardo

Jéssica Cossa

Faina Salate

Géssica Stagno 4x100 livres 4.17,90 RNC 4.53,60

Leonel Matonse

Ivo Chilaúle

Gerúsio Matonse

Patrício Vera 4x100 estilos 4.21,81

RNA/RNC 4.21,81

Jéssica Cossa

Mónica Bernardo

Géssica Stagno

Faina Salate 4x100 estilos 4.48,62

RNA/RNC 4.48,62

NB: RNA – Recorde Nacional Absoluto

RNC – Recorde Nacional de Categoria

publicado por Vaxko Zakarias às 11:31
 O que é? |  O que é? | favorito

Nome Prova Tempo

ANTERIOR

Mónica Bernardo 50 livres 27,75

RNA/RNC 28,76

Ivo Chilaúle 50 costas 30,35

RNA/RNC 30,73

Ivo Chilaúle 50 bruços 32,13

RNA/RNC 32,74

Mónica Bernardo 50 bruços 35,07

RNA/RNC 36,30

Jéssica Cossa 50 bruços 37,81

RNC 38,14

Leonel Matonse 50 mariposa 26,66 RNA/RNC 27,45

Mónica Bernardo 50 mariposa 28,88

RNA/RNC 31,12

Mónica Bernardo 100 mariposa 1.07,52

RNA/RNC 1.08,80

Jéssica Cossa 100 costas 1.13,10

RNA/RNC 1.13,93

Estafetas

Leonel Matonse

Ivo Chilaúle

Gerúsio Matonse

Patrício Vera 4x100 livres 3.45,42

RNA/RNC 3.58,40

Mónica Bernardo

Jéssica Cossa

Faina Salate

Géssica Stagno 4x100 livres 4.17,90 RNC 4.53,60

Leonel Matonse

Ivo Chilaúle

Gerúsio Matonse

Patrício Vera 4x100 estilos 4.21,81

RNA/RNC 4.21,81

Jéssica Cossa

Mónica Bernardo

Géssica Stagno

Faina Salate 4x100 estilos 4.48,62

RNA/RNC 4.48,62

NB: RNA – Recorde Nacional Absoluto

RNC – Recorde Nacional de Categoria

publicado por Vaxko Zakarias às 11:31
 O que é? |  O que é? | favorito

UMA medalha de prata constitui o saldo da participação moçambicana no Campeonato Africano de Atletismo de Juniores, havido nas Ilhas Maurícias entre os dias 30 de Julho e 2 de Agosto.

Sarifa Magide, presidente da Federação de Atletismo
A conquista pertence à atleta Sílvia Panguane, do Desportivo, que nos 100 metros barreiras classificou-se na segunda posição, com o tempo de 15.95 segundos, superando em três centésimos a sua marca anterior (15.98) e cumprindo dessa forma um dos seus objectivos.

Mas, se Sílvia Panguane esteve em grande nesta competição continental, já o mesmo não se pode dizer em relação ao outro representante do nosso país, Alberto Cunamizoe. Com efeito, o atleta do Ferroviário da Beira, que se apresentou bastante nervoso, foi quinto classificado na final do salto em altura, com a marca de 1.85 metro. Noutra prova em que tomou parte, o salto em comprimento, Cunamizoe, com 11.42 metros, não ultrapassou a barreira das eliminatórias.

Entretanto, fazendo uma avaliação a esta participação no Campeonato Africano de Juniores, nas Maurícias, a presidente da Federação Moçambicana de Atletismo, Sarifa Magide, disse que a mesma foi positiva, visto que se estava perante dois estreantes em competições desta natureza.

“Devemos apostar nestes atletas. Têm valor, sobretudo a Sílvia. Embora tenha acusado algum nervosismo, provou ter muito potencial e precisa apenas de continuar a competir com os melhores atletas para ir melhorando as suas marcas”, afirmou.

Para incentivar a atleta “alvi-negra” a prosseguir a sua carreira com mais seriedade e determinação, Sarifa Magide disse estar em contacto com o Ministério da Juventude e Desportos e com o Comité Olímpico de Moçambique para a possibilidade de se conceder uma bolsa de estudos na África do Sul, mais concretamente no Centro de Alto Rendimento de Pretória.

Para além de Sílvia, mais três atletas, designadamente Arneta Boene, Mãezinha e Nicole, estão em vias de seguir para o país vizinho, segundo a presidente da FMA.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:22
 O que é? |  O que é? | favorito

UMA medalha de prata constitui o saldo da participação moçambicana no Campeonato Africano de Atletismo de Juniores, havido nas Ilhas Maurícias entre os dias 30 de Julho e 2 de Agosto.

Sarifa Magide, presidente da Federação de Atletismo
A conquista pertence à atleta Sílvia Panguane, do Desportivo, que nos 100 metros barreiras classificou-se na segunda posição, com o tempo de 15.95 segundos, superando em três centésimos a sua marca anterior (15.98) e cumprindo dessa forma um dos seus objectivos.

Mas, se Sílvia Panguane esteve em grande nesta competição continental, já o mesmo não se pode dizer em relação ao outro representante do nosso país, Alberto Cunamizoe. Com efeito, o atleta do Ferroviário da Beira, que se apresentou bastante nervoso, foi quinto classificado na final do salto em altura, com a marca de 1.85 metro. Noutra prova em que tomou parte, o salto em comprimento, Cunamizoe, com 11.42 metros, não ultrapassou a barreira das eliminatórias.

Entretanto, fazendo uma avaliação a esta participação no Campeonato Africano de Juniores, nas Maurícias, a presidente da Federação Moçambicana de Atletismo, Sarifa Magide, disse que a mesma foi positiva, visto que se estava perante dois estreantes em competições desta natureza.

“Devemos apostar nestes atletas. Têm valor, sobretudo a Sílvia. Embora tenha acusado algum nervosismo, provou ter muito potencial e precisa apenas de continuar a competir com os melhores atletas para ir melhorando as suas marcas”, afirmou.

Para incentivar a atleta “alvi-negra” a prosseguir a sua carreira com mais seriedade e determinação, Sarifa Magide disse estar em contacto com o Ministério da Juventude e Desportos e com o Comité Olímpico de Moçambique para a possibilidade de se conceder uma bolsa de estudos na África do Sul, mais concretamente no Centro de Alto Rendimento de Pretória.

Para além de Sílvia, mais três atletas, designadamente Arneta Boene, Mãezinha e Nicole, estão em vias de seguir para o país vizinho, segundo a presidente da FMA.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:22
 O que é? |  O que é? | favorito

O PANATHINAIKOS, equipa onde alinha o internacional moçambicano Simão Mathe, apurou-se terça-feira para os “play-off”, a última etapa de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões Europeus, ao bater o Sparta de Praga por 3-0, em desafio da segunda “mão” da terceira eliminatória.

Logo do   Panathinaikos
Os gregos deram a “cambalhota” no apuramento, depois de terem perdido por 1-3, em território checo.

Simão começou o jogo no banco, tendo entrado na segunda parte, quando faltavam 16 minutos para o final da contenda e numa altura em que o Panathinaikos vencia por 2-0, portanto, a precisar de mais um golo para selar o apuramento. Assim sendo, foi com o moçambicano em campo que Dimitris Salpingidis confirmou o apuramento do “Pana”.

Nos desafios de terça-feira, destaque ainda para o apuramento do Sporting, no último minuto das compensações. Faltavam alguns segundos para terminar o jogo quando o guarda-redes Rui Patrício foi à área do Twente tentar a sua sorte, na sequência de um pontapé de canto. O “keeper” teve influência decisiva no golo que deu o empate a uma bola aos “leões”, permitindo-lhes um apuramento mesmo à tangente, já que na primeira “mão”, em Alvalade, tinham consentido um empate a zero.

Eis os resultados: Maccabi Haifa-FK Aktobe (0-0); Panathinaikos-Praga (3-0); Sivasspor-Anderletch (3-1); Dínamo de Zagreb-Salzburb (1-2) e Twente-Sporting (1-1).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:13
 O que é? |  O que é? | favorito

O PANATHINAIKOS, equipa onde alinha o internacional moçambicano Simão Mathe, apurou-se terça-feira para os “play-off”, a última etapa de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões Europeus, ao bater o Sparta de Praga por 3-0, em desafio da segunda “mão” da terceira eliminatória.

Logo do   Panathinaikos
Os gregos deram a “cambalhota” no apuramento, depois de terem perdido por 1-3, em território checo.

Simão começou o jogo no banco, tendo entrado na segunda parte, quando faltavam 16 minutos para o final da contenda e numa altura em que o Panathinaikos vencia por 2-0, portanto, a precisar de mais um golo para selar o apuramento. Assim sendo, foi com o moçambicano em campo que Dimitris Salpingidis confirmou o apuramento do “Pana”.

Nos desafios de terça-feira, destaque ainda para o apuramento do Sporting, no último minuto das compensações. Faltavam alguns segundos para terminar o jogo quando o guarda-redes Rui Patrício foi à área do Twente tentar a sua sorte, na sequência de um pontapé de canto. O “keeper” teve influência decisiva no golo que deu o empate a uma bola aos “leões”, permitindo-lhes um apuramento mesmo à tangente, já que na primeira “mão”, em Alvalade, tinham consentido um empate a zero.

Eis os resultados: Maccabi Haifa-FK Aktobe (0-0); Panathinaikos-Praga (3-0); Sivasspor-Anderletch (3-1); Dínamo de Zagreb-Salzburb (1-2) e Twente-Sporting (1-1).

publicado por Vaxko Zakarias às 11:13
 O que é? |  O que é? | favorito
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
21
22
23
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO