Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Terça-feira, 14 DE Julho 2009

FOI o aviso de uma nuvem passageira? Eis a questão que se coloca aos anfitriões do IX Festival Nacional dos Jogos Desportivos Escolares que, após uma estreia empolgante, quedaram-se ao fundo ao registarem, das seis modalidades em disputa, um saldo de cinco derrotas e um empate.

 Niassa em queda livre após entrada empolgante
Foi uma grande decepção para os locais que, a seguir ao júbilo pela entrada triunfante das suas selecções, foram literalmente arrasados.

Isto veio por si a dar a indicação de que teremos jogos dominados por surpresas, sendo que maior parte das equipas que se estrearam mal vingaram-se na jornada seguinte, a começar por Gaza, vítima do Niassa na jornada inaugural na modalidade de futebol (derrota por 0-3), que derrotou Cabo Delgado, por 1-0, em masculinos, e 4-1, em femininos.

Enquanto isso, o Niassa quedava-se duplamente em futebol, basquetebol, andebol, voleibol, e nem sequer salvou a honra, porque não conseguiu impor-se na modalidade de xadrez ao empatar tanto em masculinos como em femininos.

Para indignação dos locais, Niassa baqueou em futebol diante de Maputo-província por 0-1, em masculinos e femininos, em basquetebol frente à Zambézia, por 68-117 e 31-41, em andebol igualmente perante a Zambézia, por 15-20 e 9-22 e, por último, em voleibol frente a Maputo-cidade, por 1-2 e 0-2, respectivamente.

ZAMBÉZIA EM FUTEBOL MASCULINO

A província da Zambézia domina a prova de futebol masculino, na série A, concluídas as primeiras três jornadas, com um saldo de duas vitórias e um empate. Os zambezianos, que empataram sem abertura de contagem na estreia contra a província de Maputo, obtiveram uma preciosa vitória frente a Maputo-cidade na jornada seguinte (2-0) e ontem voltaram a fazer vida negra ao Niassa (1-0), contabilizando desta feita sete pontos, numa série em que está igualmente Maputo-cidade, Gaza e Cabo Delgado.

Na série B, Nampula leva vantagem sobre Tete, vencedor da última edição, Manica e Sofala, com duas vitórias. Esta situação coloca em aberto a disputa do título, atendendo que os tidos como “outsiders” estão a saber impor-se, o que faz crer que a prova será bem disputada.

Acontece o mesmo em femininos, onde Maputo-cidade e província não apresentam bom fôlego na série A. Apesar de Maputo-província estar em ligeira vantagem entre os seus oponentes, incluindo Zambézia, Niassa, Gaza e Cabo Delgado, terá que manter o mesmo ritmo, sob pena de a história poder inverter-se. Aliás, a sua trajectória começou a complicar-se ontem, no decurso da terceira jornada, em que foi goleado por Cabo Delgado, por 1-4, depois de duas vitórias consecutivas (frente à Zambézia, por 2-1, e Niassa, 1-0).

A cidade de Maputo, travada na segunda jornada pela Zambézia (0-1), após triunfo na ronda inicial frente a Cabo Delgado (2-0), poderá ter alcançado Maputo-província em caso de vitória sobre Gaza.

Na série B, Nampula estava em frente até ao fim da segunda jornada, mas tinha no seu encalço Inhambane, seu adversário de ontem, e Manica, que ficou de fora devido ao número ímpar de concorrentes.

RESULTADOS (sábado e domingo)

FUTEBOL MASCULINO FUTEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo-província – Zambézia (0-0) Maputo-província – Zambézia (2-1)

Niassa – Gaza (3-0) Niassa – Gaza (1-0)

Niassa – Maputo-província (0-1) Niassa – Maputo-província (0-1)

Zambézia-Maputo-cidade (2-0) Zambézia-Maputo-cidade (0-1)

Gaza-Cabo Delgado (1-0) Gaza-Cabo Delgado (4-1)

Cabo Delgado – Maputo-cidade (0-0) Cabo Delgado – Maputo-cidade (0-2)

SÉRIE B SÉRIE B

Manica – Tete (2-2) Manica – Tete (2-0)

Nampula – Sofala (1-0) Nampula – Sofala (2-2)

Nampula – Tete (1-0) Nampula – Tete (2-0)
Inhambane-Manica (1-2) Inhambane-Manica (2-1)

BASQUETEBOL MASCULINO BASQUETEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo-província – Zambézia (47-72) Gaza – Maputo-cidade (12-35)

Gaza – Maputo-cidade (36-107) Cabo Delgado – Niassa (13-60)

Cabo Delgado – Niassa (30-64) Maputo-província – Zambézia (21-48)

SÉRIE B SÉRIE B

Inhambane – Tete (55-70) Inhambane – Tete (34-17)

Manica – Sofala (63-62) Manica – Sofala (44-25)

ANDEBOL MASCULINO ANDEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo -província – Niassa (28-20) Maputo-província – Niassa (22-12)

Cabo Delgado – Maputo-cidade (22-27) Cabo Delgado – Maputo-cidade (24-22)

Gaza – Zambézia (41-36) Gaza – Zambézia (21-4)

SÉRIE B SÉRIE B

Manica – Sofala (31-23) Manica – Sofala (12-22)

Nampula – Inhambane (36-33) Nampula – Inhambane (15-17)

VOLEIBOL MASCULINO VOLEIBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Niassa – Gaza (2-0) Niassa – Gaza (2-0)

Maputo-cidade – Maputo-província (2-0) Maputo-cidade – Maputo-província (2-1)

Cabo Delgado – Zambézia (0-2) Cabo Delgado – Zambézia (1-2)

XADREZ MASCULINO XADREZ FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Niassa – Maputo-cidade (1-1) Niassa – Maputo-cidade (2-0)

Gaza – Zambézia (0-2) Gaza – Zambézia (0-2)

Maputo-província – Cabo Delgado (2-0) Maputo-província – Cabo Delgado (2-0)

SÉRIE B SÉRIE B

Nampula – Inhambane (0-2) Nampula – Inhambane (1-1)

Tete – Manica (1-1) Tete – Manica (1-1)
Ontem

FUTEBOL MASCULINO FUTEBOL FEMININO

Gaza - C. Delgado (1-0) Gaza - C.Delgado (4-1)

Zambézia - C.Maputo (2-0) C. Maputo - Zambézia (0-1)

Niassa - P. Maputo (0-1) Niassa - P. Maputo (0-1)

Nampula - Tete (1-0) Tete - Nampula (0-2)

Inhambane - Manica (1-2) Inhambane - Manica (2-1)

ANDEBOL FEMININO

Niassa - Zambézia (9-22)

Salvador Nhantumbo, em Lichinga

publicado por Vaxko Zakarias às 13:25
 O que é? |  O que é? | favorito

FOI o aviso de uma nuvem passageira? Eis a questão que se coloca aos anfitriões do IX Festival Nacional dos Jogos Desportivos Escolares que, após uma estreia empolgante, quedaram-se ao fundo ao registarem, das seis modalidades em disputa, um saldo de cinco derrotas e um empate.

 Niassa em queda livre após entrada empolgante
Foi uma grande decepção para os locais que, a seguir ao júbilo pela entrada triunfante das suas selecções, foram literalmente arrasados.

Isto veio por si a dar a indicação de que teremos jogos dominados por surpresas, sendo que maior parte das equipas que se estrearam mal vingaram-se na jornada seguinte, a começar por Gaza, vítima do Niassa na jornada inaugural na modalidade de futebol (derrota por 0-3), que derrotou Cabo Delgado, por 1-0, em masculinos, e 4-1, em femininos.

Enquanto isso, o Niassa quedava-se duplamente em futebol, basquetebol, andebol, voleibol, e nem sequer salvou a honra, porque não conseguiu impor-se na modalidade de xadrez ao empatar tanto em masculinos como em femininos.

Para indignação dos locais, Niassa baqueou em futebol diante de Maputo-província por 0-1, em masculinos e femininos, em basquetebol frente à Zambézia, por 68-117 e 31-41, em andebol igualmente perante a Zambézia, por 15-20 e 9-22 e, por último, em voleibol frente a Maputo-cidade, por 1-2 e 0-2, respectivamente.

ZAMBÉZIA EM FUTEBOL MASCULINO

A província da Zambézia domina a prova de futebol masculino, na série A, concluídas as primeiras três jornadas, com um saldo de duas vitórias e um empate. Os zambezianos, que empataram sem abertura de contagem na estreia contra a província de Maputo, obtiveram uma preciosa vitória frente a Maputo-cidade na jornada seguinte (2-0) e ontem voltaram a fazer vida negra ao Niassa (1-0), contabilizando desta feita sete pontos, numa série em que está igualmente Maputo-cidade, Gaza e Cabo Delgado.

Na série B, Nampula leva vantagem sobre Tete, vencedor da última edição, Manica e Sofala, com duas vitórias. Esta situação coloca em aberto a disputa do título, atendendo que os tidos como “outsiders” estão a saber impor-se, o que faz crer que a prova será bem disputada.

Acontece o mesmo em femininos, onde Maputo-cidade e província não apresentam bom fôlego na série A. Apesar de Maputo-província estar em ligeira vantagem entre os seus oponentes, incluindo Zambézia, Niassa, Gaza e Cabo Delgado, terá que manter o mesmo ritmo, sob pena de a história poder inverter-se. Aliás, a sua trajectória começou a complicar-se ontem, no decurso da terceira jornada, em que foi goleado por Cabo Delgado, por 1-4, depois de duas vitórias consecutivas (frente à Zambézia, por 2-1, e Niassa, 1-0).

A cidade de Maputo, travada na segunda jornada pela Zambézia (0-1), após triunfo na ronda inicial frente a Cabo Delgado (2-0), poderá ter alcançado Maputo-província em caso de vitória sobre Gaza.

Na série B, Nampula estava em frente até ao fim da segunda jornada, mas tinha no seu encalço Inhambane, seu adversário de ontem, e Manica, que ficou de fora devido ao número ímpar de concorrentes.

RESULTADOS (sábado e domingo)

FUTEBOL MASCULINO FUTEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo-província – Zambézia (0-0) Maputo-província – Zambézia (2-1)

Niassa – Gaza (3-0) Niassa – Gaza (1-0)

Niassa – Maputo-província (0-1) Niassa – Maputo-província (0-1)

Zambézia-Maputo-cidade (2-0) Zambézia-Maputo-cidade (0-1)

Gaza-Cabo Delgado (1-0) Gaza-Cabo Delgado (4-1)

Cabo Delgado – Maputo-cidade (0-0) Cabo Delgado – Maputo-cidade (0-2)

SÉRIE B SÉRIE B

Manica – Tete (2-2) Manica – Tete (2-0)

Nampula – Sofala (1-0) Nampula – Sofala (2-2)

Nampula – Tete (1-0) Nampula – Tete (2-0)
Inhambane-Manica (1-2) Inhambane-Manica (2-1)

BASQUETEBOL MASCULINO BASQUETEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo-província – Zambézia (47-72) Gaza – Maputo-cidade (12-35)

Gaza – Maputo-cidade (36-107) Cabo Delgado – Niassa (13-60)

Cabo Delgado – Niassa (30-64) Maputo-província – Zambézia (21-48)

SÉRIE B SÉRIE B

Inhambane – Tete (55-70) Inhambane – Tete (34-17)

Manica – Sofala (63-62) Manica – Sofala (44-25)

ANDEBOL MASCULINO ANDEBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Maputo -província – Niassa (28-20) Maputo-província – Niassa (22-12)

Cabo Delgado – Maputo-cidade (22-27) Cabo Delgado – Maputo-cidade (24-22)

Gaza – Zambézia (41-36) Gaza – Zambézia (21-4)

SÉRIE B SÉRIE B

Manica – Sofala (31-23) Manica – Sofala (12-22)

Nampula – Inhambane (36-33) Nampula – Inhambane (15-17)

VOLEIBOL MASCULINO VOLEIBOL FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Niassa – Gaza (2-0) Niassa – Gaza (2-0)

Maputo-cidade – Maputo-província (2-0) Maputo-cidade – Maputo-província (2-1)

Cabo Delgado – Zambézia (0-2) Cabo Delgado – Zambézia (1-2)

XADREZ MASCULINO XADREZ FEMININO

SÉRIE A SÉRIE A

Niassa – Maputo-cidade (1-1) Niassa – Maputo-cidade (2-0)

Gaza – Zambézia (0-2) Gaza – Zambézia (0-2)

Maputo-província – Cabo Delgado (2-0) Maputo-província – Cabo Delgado (2-0)

SÉRIE B SÉRIE B

Nampula – Inhambane (0-2) Nampula – Inhambane (1-1)

Tete – Manica (1-1) Tete – Manica (1-1)
Ontem

FUTEBOL MASCULINO FUTEBOL FEMININO

Gaza - C. Delgado (1-0) Gaza - C.Delgado (4-1)

Zambézia - C.Maputo (2-0) C. Maputo - Zambézia (0-1)

Niassa - P. Maputo (0-1) Niassa - P. Maputo (0-1)

Nampula - Tete (1-0) Tete - Nampula (0-2)

Inhambane - Manica (1-2) Inhambane - Manica (2-1)

ANDEBOL FEMININO

Niassa - Zambézia (9-22)

Salvador Nhantumbo, em Lichinga

publicado por Vaxko Zakarias às 13:25
 O que é? |  O que é? | favorito

AS selecções da província da Zambézia e da cidade de Maputo estão bem encaminhadas para atingirem as meias-finais da competição de basquetebol, mercê das vitórias nos dois jogos realizados.

Em masculinos, o campeão em título, Zambézia, silenciou o pavilhão de Lichinga ao vencer a província anfitriã (Niassa) por mais de 100 pontos (68-117), depois de na jornada anterior ter derrotado o finalista vencido de 2007, província de Maputo, que está a realizar a sua pior prestação depois de em 2005 ter sido vencedora e finalista vencido em Quelimane.Por seu turno, a cidade de Maputo está bem encaminhada para chegar à final depois de ter falhado nas últimas duas edições.

Hoje a equipa da capital do país defronta o Niassa, em partida a ter lugar às 17.00 horas, na qual os locais estão proibidos de perder para não comprometerem a sua qualificação. O campeão, por sua vez, tem a missão facilitada, já que defronta a província de Cabo Delgado, que ainda não logrou vencer qualquer jogo, aliás, ontem perdeu ante a província de Maputo por 99-16.

Em femininos a campeã em título, Sofala, que ontem venceu Tete (26-45), lidera a série B, com cinco pontos, os mesmos de Inhambane, que, por seu turno, derrotou (42-19) Nampula, estando estas duas selecções melhor posicionadas para atingir as meias-finais. Entretanto, Manica, com quatro pontos, tem que vencer hoje a província de Inhambane de modo a garantir a qualificação para a fase seguinte.

Na série A em femininos, a cidade de Maputo e a província da Zambézia partilham a liderança com quatro pontos e neste momento discutem apenas quem seguirá à fase seguinte em primeiro. Hoje a cidade de Maputo defronta a anfitriã Niassa num jogo em que os locais são proibidos de perder sob pena de não transitarem à fase seguinte.

Salvador Nhantumbo, em Lichinga

publicado por Vaxko Zakarias às 13:16
 O que é? |  O que é? | favorito

AS selecções da província da Zambézia e da cidade de Maputo estão bem encaminhadas para atingirem as meias-finais da competição de basquetebol, mercê das vitórias nos dois jogos realizados.

Em masculinos, o campeão em título, Zambézia, silenciou o pavilhão de Lichinga ao vencer a província anfitriã (Niassa) por mais de 100 pontos (68-117), depois de na jornada anterior ter derrotado o finalista vencido de 2007, província de Maputo, que está a realizar a sua pior prestação depois de em 2005 ter sido vencedora e finalista vencido em Quelimane.Por seu turno, a cidade de Maputo está bem encaminhada para chegar à final depois de ter falhado nas últimas duas edições.

Hoje a equipa da capital do país defronta o Niassa, em partida a ter lugar às 17.00 horas, na qual os locais estão proibidos de perder para não comprometerem a sua qualificação. O campeão, por sua vez, tem a missão facilitada, já que defronta a província de Cabo Delgado, que ainda não logrou vencer qualquer jogo, aliás, ontem perdeu ante a província de Maputo por 99-16.

Em femininos a campeã em título, Sofala, que ontem venceu Tete (26-45), lidera a série B, com cinco pontos, os mesmos de Inhambane, que, por seu turno, derrotou (42-19) Nampula, estando estas duas selecções melhor posicionadas para atingir as meias-finais. Entretanto, Manica, com quatro pontos, tem que vencer hoje a província de Inhambane de modo a garantir a qualificação para a fase seguinte.

Na série A em femininos, a cidade de Maputo e a província da Zambézia partilham a liderança com quatro pontos e neste momento discutem apenas quem seguirá à fase seguinte em primeiro. Hoje a cidade de Maputo defronta a anfitriã Niassa num jogo em que os locais são proibidos de perder sob pena de não transitarem à fase seguinte.

Salvador Nhantumbo, em Lichinga

publicado por Vaxko Zakarias às 13:16
 O que é? |  O que é? | favorito
A NOVA pista de atletismo de terra batida inaugurada sábado em Lichinga pelo Presidente da República, Armando Guebuza
A NOVA pista de atletismo de terra batida inaugurada sábado em Lichinga pelo Presidente da República, Armando Guebuza, carece de protecção e de outras infra-estruturas complementares para responder àquilo que representa em termos de dimensão e para que de facto não se degrade precocemente, segundo deu a entender o director provincial adjunto da Educação e Cultura do Niassa, Agostinho João.

A pista carecerá de muito trabalho de manutenção, atendendo que o terreno é lamacento e escorregadio quando chove, tornando-se desse modo inutilizável.

Agostinho João realçou que a infra-estrutura foi construída concretamente para acomodar a modalidade de atletismo durante os Jogos Escolares, mas salientou que, pela sua grandeza e importância, estão a aparecer novas ideias, nomeadamente a instalação de serviços sociais para o seu apetrechamento e vedação para a sua protecção. “Vamos mobilizar recursos para actividades subsequentes, porque vimos nesta pista uma grande e importante infra-estrutura desportiva para Niassa e toda a zona norte”, frisou.

Aliás, o engenheiro da obra, António Agostinho Chaora, afecto à Direcção Provincial da Educação e Cultura do Niassa, foi ao pormenor, ao afirmar que o projecto da pista é evolutivo, sendo que para além da vedação constam outras intervenções, nomeadamente o arrelvamento, paisagismo, parque de estacionamento em pavet, construção de mais duas bancadas. Quanto à sua manutenção, Chaora disse que este é um assunto que será discutido ainda ao nível do governo provincial.

A pista encontra-se numa zona pouco habitada e distante da cidade de Lichinga.

De salientar que a pista de atletismo de Lichinga tem oito corredores, uma bancada e tribuna e foi construída com fundos do Governo provincial, tendo custado 16 milhões de meticais. Ocupa uma área de seis hectares.

Para a sua inauguração, a organização dos Jogos fez provas de demonstração nas diversas especialidades, nomeadamente corridas de 100 metros masculinos e femininos, 1500 metros femininos, salto em comprimento e de peso, que decorreram em simultâneo e testemunhados pelo Chefe do Estado.

Para a surpresa de muitos, Niassa fez valer a premissa de que em casa mandamos nós ao liderar quase todas as provas. Isso foi um sinal de que o favoritismo na modalidade de atletismo não será apenas partilhado por Tete e Manica, como a tradição manda dizer, sendo que Niassa será um adversário a contar com ele. Aliás, a construção da pista no Niassa veio para aproveitar as potencialidades que, como Tete e Manica, esta província oferece.

Para a sua utilidade, as entidades ligadas ao desporto no Niassa esperam, para além de acolher eventos locais, acomodar a zona norte para promover o desenvolvimento da prática da modalidade localmente, sendo que é a única pista existente na região. A grande novidade é que a pista vai receber este ano o campeonato nacional de juniores.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:08
 O que é? |  O que é? | favorito
A NOVA pista de atletismo de terra batida inaugurada sábado em Lichinga pelo Presidente da República, Armando Guebuza
A NOVA pista de atletismo de terra batida inaugurada sábado em Lichinga pelo Presidente da República, Armando Guebuza, carece de protecção e de outras infra-estruturas complementares para responder àquilo que representa em termos de dimensão e para que de facto não se degrade precocemente, segundo deu a entender o director provincial adjunto da Educação e Cultura do Niassa, Agostinho João.

A pista carecerá de muito trabalho de manutenção, atendendo que o terreno é lamacento e escorregadio quando chove, tornando-se desse modo inutilizável.

Agostinho João realçou que a infra-estrutura foi construída concretamente para acomodar a modalidade de atletismo durante os Jogos Escolares, mas salientou que, pela sua grandeza e importância, estão a aparecer novas ideias, nomeadamente a instalação de serviços sociais para o seu apetrechamento e vedação para a sua protecção. “Vamos mobilizar recursos para actividades subsequentes, porque vimos nesta pista uma grande e importante infra-estrutura desportiva para Niassa e toda a zona norte”, frisou.

Aliás, o engenheiro da obra, António Agostinho Chaora, afecto à Direcção Provincial da Educação e Cultura do Niassa, foi ao pormenor, ao afirmar que o projecto da pista é evolutivo, sendo que para além da vedação constam outras intervenções, nomeadamente o arrelvamento, paisagismo, parque de estacionamento em pavet, construção de mais duas bancadas. Quanto à sua manutenção, Chaora disse que este é um assunto que será discutido ainda ao nível do governo provincial.

A pista encontra-se numa zona pouco habitada e distante da cidade de Lichinga.

De salientar que a pista de atletismo de Lichinga tem oito corredores, uma bancada e tribuna e foi construída com fundos do Governo provincial, tendo custado 16 milhões de meticais. Ocupa uma área de seis hectares.

Para a sua inauguração, a organização dos Jogos fez provas de demonstração nas diversas especialidades, nomeadamente corridas de 100 metros masculinos e femininos, 1500 metros femininos, salto em comprimento e de peso, que decorreram em simultâneo e testemunhados pelo Chefe do Estado.

Para a surpresa de muitos, Niassa fez valer a premissa de que em casa mandamos nós ao liderar quase todas as provas. Isso foi um sinal de que o favoritismo na modalidade de atletismo não será apenas partilhado por Tete e Manica, como a tradição manda dizer, sendo que Niassa será um adversário a contar com ele. Aliás, a construção da pista no Niassa veio para aproveitar as potencialidades que, como Tete e Manica, esta província oferece.

Para a sua utilidade, as entidades ligadas ao desporto no Niassa esperam, para além de acolher eventos locais, acomodar a zona norte para promover o desenvolvimento da prática da modalidade localmente, sendo que é a única pista existente na região. A grande novidade é que a pista vai receber este ano o campeonato nacional de juniores.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:08
 O que é? |  O que é? | favorito


Ministro da Educação e Cultura Aires Aly (dir.) acompanhado do Presidente da Federação Moçambicana de Futebol Feizal Sidat
A FEDERAÇÃO Moçambicana de Futebol (FMF), através do respectivo presidente, Feizal Sidat, ofereceu domingo em Lichinga 200 bolas e dois mil kits de material escolar à organização do IV Festival Nacional de Jogos Escolares, uma contribuição que vem dar resposta ao apelo manifestado pela Direcção de Programas Especiais no Ministério da Educação de forma a assegurar que o evento decorra sem sobressaltos e, quanto ao material escolar, contribuir para uma melhor educação dos petizes.

Antes, o conceituado técnico português Carlos Queiroz, que nasceu em Nampula, ofereceu igualmente seis bolas no final de uma das partidas da jornada inaugural, sábado.

O material escolar, em que vem estampada com a imagem dos “Mambas”, é uma oferta pessoal de Feizal Sidat, que sente que o desporto, em particular o futebol, e a educação podem estar conciliados e criar a mística para que os jovens atletas e estudantes se inspirem nos “Mambas”.

“Com este gesto queremos que os jovens estudem e pratiquem o desporto, sendo que o país necessita de atletas inteligentes que possam singrar e dar a mística de orgulhosamente moçambicanos”, sublinhou, adicionando que “viemos aqui buscar futuros “Mambinhas”.

A propósito disso, Feizal Sidat anunciou a selecção de dois jovens estudantes da equipa de futebol do Niassa para integrarem a selecção nacional de sub-17, os “Mambinhas”, que em Agosto irá disputar o Torneio da COSAFA na vizinha Suazilândia.

Por seu turno, o Ministro da Educação e Cultura, Aires Aly, salientou que o Governo está a esboçar planos para que os estudantes tenham capacidade física, académica e desportiva, uma vez que já concluiu que a escola é a principal fonte de talentos, que são tantos e que podem levar Moçambique a um lugar de relevo a nível internacional.

“Precisamos de um trabalho de coordenação com as federações de modo que os diversos talentos que saem dos jogos escolares possam alimentar a alta competição”, disse na ocasião Aires Aly.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:00
 O que é? |  O que é? | favorito


Ministro da Educação e Cultura Aires Aly (dir.) acompanhado do Presidente da Federação Moçambicana de Futebol Feizal Sidat
A FEDERAÇÃO Moçambicana de Futebol (FMF), através do respectivo presidente, Feizal Sidat, ofereceu domingo em Lichinga 200 bolas e dois mil kits de material escolar à organização do IV Festival Nacional de Jogos Escolares, uma contribuição que vem dar resposta ao apelo manifestado pela Direcção de Programas Especiais no Ministério da Educação de forma a assegurar que o evento decorra sem sobressaltos e, quanto ao material escolar, contribuir para uma melhor educação dos petizes.

Antes, o conceituado técnico português Carlos Queiroz, que nasceu em Nampula, ofereceu igualmente seis bolas no final de uma das partidas da jornada inaugural, sábado.

O material escolar, em que vem estampada com a imagem dos “Mambas”, é uma oferta pessoal de Feizal Sidat, que sente que o desporto, em particular o futebol, e a educação podem estar conciliados e criar a mística para que os jovens atletas e estudantes se inspirem nos “Mambas”.

“Com este gesto queremos que os jovens estudem e pratiquem o desporto, sendo que o país necessita de atletas inteligentes que possam singrar e dar a mística de orgulhosamente moçambicanos”, sublinhou, adicionando que “viemos aqui buscar futuros “Mambinhas”.

A propósito disso, Feizal Sidat anunciou a selecção de dois jovens estudantes da equipa de futebol do Niassa para integrarem a selecção nacional de sub-17, os “Mambinhas”, que em Agosto irá disputar o Torneio da COSAFA na vizinha Suazilândia.

Por seu turno, o Ministro da Educação e Cultura, Aires Aly, salientou que o Governo está a esboçar planos para que os estudantes tenham capacidade física, académica e desportiva, uma vez que já concluiu que a escola é a principal fonte de talentos, que são tantos e que podem levar Moçambique a um lugar de relevo a nível internacional.

“Precisamos de um trabalho de coordenação com as federações de modo que os diversos talentos que saem dos jogos escolares possam alimentar a alta competição”, disse na ocasião Aires Aly.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:00
 O que é? |  O que é? | favorito


O CLUBE Golfinhos de Maputo, o mais destacado nos últimos anos em natação,
AS eleições para os novos corpos gerentes da Federação Moçambicana de Natação (FMN) já têm datas marcadas, depois de várias promessas que chegaram a desacreditar a acção da Comissão Administrativa da instituição constituída para criar condições para a realização da assembleia geral, tendo como objectivo principal a aprovação de estatutos que irão guiar o seu funcionamento e a escolha de uma nova direcção depois do vazio que se instalou com a impugnação do último escrutínio realizado em 2007 devido a diversas irregularidades detectadas no processo.

A assembleia geral terá finalmente lugar de 7 a 8 de Agosto em Maputo, concluída a proposta dos estatutos e do regulamento geral. As Associações da Cidade de Maputo e de Sofala, as únicas reconhecidas a nível do país, já deram o seu parecer sobre estes documentos e neste momento decorre a respectiva harmonização.

A comissão produziu igualmente o regulamento eleitoral que vai guiar o escrutínio. O período de entrega de candidaturas para as eleições em perspectiva será anunciado dentro de dias para permitir que os interessados participem no processo.

Dentre os vários pontos na agenda, a assembleia geral vai, para além de debater e aprovar os estatutos e o regulamento da FMN, apreciar o relatório de actividades e de contas de 2008, que se circunscreve apenas às acções levadas a cabo pela comissão, nomeadamente a realização do Campeonato Nacional de Verão, em Dezembro, e a participação no campeonato regional na África do Sul, em Janeiro do ano em curso.

A comissão, que foi criada em Outubro do ano passado para preencher o vazio de direcção que se alastrou com a impugnação das eleições em finais de 2007, deverá justificar perto de um milhão de meticais por estas e outras realizações efectuadas durante o seu mandato.

MOMED ESSAQUE NA CORRIDA?

Fonte próxima da comissão administrativa da FMN revelou que Momed Essaque, um dos membros da comissão, é um dos candidatos às eleições, estando neste momento a preparar a sua lista.

De referir que Momed Essaque ocupou igualmente um dos cargos de vice-presidente da mesa da assembleia na direcção anterior liderada por Yolanda Mussá, que foi destituída após ser eleita num processo manchado por irregularidades, que determinaram a impugnação do escrutínio de 2007.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:52
 O que é? |  O que é? | favorito

A QUINTA prova do Campeonato de Karts mcel da Cidade de Maputo, prevista para o dia 19 do mês em curso, promete uma disputa muito interessante nas classes do Max Challenge e GP Júnior face à rivalidade que é justificada pela pontuação que se regista entre os ocupantes dos lugares cimeiros concluídas as primeiras quatro provas das 10 previstas.

Motores vão roncar bem alto no dia 19 deste mês
Os pilotos Bruno Campos, actual líder da principal competição, e Connor Hughes, nas costas do comandante, vão protagonizar um duelo interessante e que pode ditar outra sorte na linha da frente da classificação actual. Bruno Campos tem a vantagem de seis pontos em relação a Connor Hughes (134-128), que se impôs na última prova ao conseguir a pontuação máxima, mas não suficiente para afastar àauele do comando. Nessa prova, Bruno Campos caiu na quarta posição, atrás de Cristian Bouché e Pedro Perino.

Não podem ser colocados de fora os pilotos Tiago Fonseca e Norberto Varinde Júnior, nos lugares subsequentes, com respectivamente 111 e 103 pontos, sendo que são 45 pontos repartidos em três mangas que estarão em disputa, mais um que é atribuído à“pole position”.

Nos GP Júnior, a luta envolve o trio da frente, nomeadamente Tomás Brazuna, Aidan Hughes e Tiaz de Matos, com respectivamente 159, 149 e 137 pontos. Na mira dos lugares cimeiros está igualmente o piloto Victor Figueiredo, com 109 pontos.

A probabilidade de se ter um novo líder nesta classe é tão provável como nos Max Challenge. Aliás, Aidan Hughes deu o aviso na última corrida, em que superou o líder da classe e seu mais directo perseguidor, obtendo também a pontuação máxima, uma vez ter dominado as três mangas. Nessa prova, Tomás Brazuna foi relegado ao terceiro posto, atrás de Tiaz de Matos.

Por último, Megan Prinsloo goza de uma certa tranquilidade em relação ao seu mais directo perseguidor na classe dos Max Júnior, Fredie Nunes, a quem leva a vantagem de 35 pontos (162-127), que é difícil de superar numa só prova. O piloto Manuel Brazuna, no encalço de Fredide Nunes, será um obstáculo a ter em conta, pois está em condições de alcançar o segundo lugar, caso o seu oponente mais directo não se precaver. A segunda posição obtida na última corrida demonstrou que está à altura de melhorar a sua classificação. A última prova teve como vencedor Benjamin Heineken, tendo Megan Prinsllo quedado na terceira posição
publicado por Vaxko Zakarias às 12:52
 O que é? |  O que é? | favorito


O CLUBE Golfinhos de Maputo, o mais destacado nos últimos anos em natação,
AS eleições para os novos corpos gerentes da Federação Moçambicana de Natação (FMN) já têm datas marcadas, depois de várias promessas que chegaram a desacreditar a acção da Comissão Administrativa da instituição constituída para criar condições para a realização da assembleia geral, tendo como objectivo principal a aprovação de estatutos que irão guiar o seu funcionamento e a escolha de uma nova direcção depois do vazio que se instalou com a impugnação do último escrutínio realizado em 2007 devido a diversas irregularidades detectadas no processo.

A assembleia geral terá finalmente lugar de 7 a 8 de Agosto em Maputo, concluída a proposta dos estatutos e do regulamento geral. As Associações da Cidade de Maputo e de Sofala, as únicas reconhecidas a nível do país, já deram o seu parecer sobre estes documentos e neste momento decorre a respectiva harmonização.

A comissão produziu igualmente o regulamento eleitoral que vai guiar o escrutínio. O período de entrega de candidaturas para as eleições em perspectiva será anunciado dentro de dias para permitir que os interessados participem no processo.

Dentre os vários pontos na agenda, a assembleia geral vai, para além de debater e aprovar os estatutos e o regulamento da FMN, apreciar o relatório de actividades e de contas de 2008, que se circunscreve apenas às acções levadas a cabo pela comissão, nomeadamente a realização do Campeonato Nacional de Verão, em Dezembro, e a participação no campeonato regional na África do Sul, em Janeiro do ano em curso.

A comissão, que foi criada em Outubro do ano passado para preencher o vazio de direcção que se alastrou com a impugnação das eleições em finais de 2007, deverá justificar perto de um milhão de meticais por estas e outras realizações efectuadas durante o seu mandato.

MOMED ESSAQUE NA CORRIDA?

Fonte próxima da comissão administrativa da FMN revelou que Momed Essaque, um dos membros da comissão, é um dos candidatos às eleições, estando neste momento a preparar a sua lista.

De referir que Momed Essaque ocupou igualmente um dos cargos de vice-presidente da mesa da assembleia na direcção anterior liderada por Yolanda Mussá, que foi destituída após ser eleita num processo manchado por irregularidades, que determinaram a impugnação do escrutínio de 2007.

publicado por Vaxko Zakarias às 12:52
 O que é? |  O que é? | favorito

A QUINTA prova do Campeonato de Karts mcel da Cidade de Maputo, prevista para o dia 19 do mês em curso, promete uma disputa muito interessante nas classes do Max Challenge e GP Júnior face à rivalidade que é justificada pela pontuação que se regista entre os ocupantes dos lugares cimeiros concluídas as primeiras quatro provas das 10 previstas.

Motores vão roncar bem alto no dia 19 deste mês
Os pilotos Bruno Campos, actual líder da principal competição, e Connor Hughes, nas costas do comandante, vão protagonizar um duelo interessante e que pode ditar outra sorte na linha da frente da classificação actual. Bruno Campos tem a vantagem de seis pontos em relação a Connor Hughes (134-128), que se impôs na última prova ao conseguir a pontuação máxima, mas não suficiente para afastar àauele do comando. Nessa prova, Bruno Campos caiu na quarta posição, atrás de Cristian Bouché e Pedro Perino.

Não podem ser colocados de fora os pilotos Tiago Fonseca e Norberto Varinde Júnior, nos lugares subsequentes, com respectivamente 111 e 103 pontos, sendo que são 45 pontos repartidos em três mangas que estarão em disputa, mais um que é atribuído à“pole position”.

Nos GP Júnior, a luta envolve o trio da frente, nomeadamente Tomás Brazuna, Aidan Hughes e Tiaz de Matos, com respectivamente 159, 149 e 137 pontos. Na mira dos lugares cimeiros está igualmente o piloto Victor Figueiredo, com 109 pontos.

A probabilidade de se ter um novo líder nesta classe é tão provável como nos Max Challenge. Aliás, Aidan Hughes deu o aviso na última corrida, em que superou o líder da classe e seu mais directo perseguidor, obtendo também a pontuação máxima, uma vez ter dominado as três mangas. Nessa prova, Tomás Brazuna foi relegado ao terceiro posto, atrás de Tiaz de Matos.

Por último, Megan Prinsloo goza de uma certa tranquilidade em relação ao seu mais directo perseguidor na classe dos Max Júnior, Fredie Nunes, a quem leva a vantagem de 35 pontos (162-127), que é difícil de superar numa só prova. O piloto Manuel Brazuna, no encalço de Fredide Nunes, será um obstáculo a ter em conta, pois está em condições de alcançar o segundo lugar, caso o seu oponente mais directo não se precaver. A segunda posição obtida na última corrida demonstrou que está à altura de melhorar a sua classificação. A última prova teve como vencedor Benjamin Heineken, tendo Megan Prinsllo quedado na terceira posição
publicado por Vaxko Zakarias às 12:52
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins teve uma despedida em grande da 39ª edição do Campeonato do Mundo de Vigo/Pontevedra, ao golear sábado a Colômbia, por 4-1, garantido assim a 11ª posição.

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins teve uma despedida em grande da 39ª edição do Campeonato do Mundo de Vigo/Pontevedra
A vitória da equipa nacional foi toda ela construída na primeira parte, visto que os golos surgiram na primeira parte. José Soares, Kiko, Bruno Adrião e Maninho foram os autores dos tentos que proporcionaram a Moçambique uma despedida em grande, a imagem daquela equipa determinada que se viu nos jogos diante da Angola e a Holanda. Aliás, na primeira fase, a turma nacional havia empatado com a formação colombiana a zero bola, numa partida em que merecia ganhar.

No derradeiro jogo, para decidir o 11º lugar, o combinado nacional deixou vincada a sua hegemonia perante uma Colômbia que não teve pernas para acompanhar o ritmo da equipa nacional que mesmo tendo baixado o nível exibicional na etapa complementar, período em que não chegou a marcar golos, mereceu ganhar com toda a justiça.

Foi pena mesmo o décimo primeiro lugar ter um sabor amargo para uma selecção que sonhava em transitar para os quartos-de-final e que acaba no final por se conformar com a manutenção, depois de ter falhado também a nona posição, um objectivo válido que se propunha nos grupos de selecções que ficaram pelo caminho na primeira fase.

Aliás, antes do desafio de ontem era visível na faz que e dos jogadores moçambicanos estavam muito descontraídos, afinal o objectivo: manutenção entre as 16 melhores selecções do mundo, foi cumprido. Talvez por isso tivessem realizado uma das exibições mais bem conseguidas entre os seis jogos efectuados, a saber: Espanha (0-7), Angola (2-2), Colômbia (0-0), na fase de grupos, Holanda (3-0), Alemanha (2-7) e Colômbia (4-1).

No cômputo geral, Moçambique teve uma prestação aceitável, se se atender que em seis jogos perdeu apenas dois. Um nota a realçar é que esteve igual em número de vitórias, derrotas e empates, dois cada.

MOÇAMBIQUE, 4 - COLÓMBIA, 1: HOUVE PATRIOTISMO!

Maninho uns dos que brilhou em Pretória
FOI um prazer ver a Selecção Nacional de Hóquei em Patins jogar na tarde de sábado no Pavilhão Municipal de Pontevedra diante da Colômbia. Para satisfação do povo moçambicano, a equipa nacional apareceu para o jogo com a formação sul-americana completamente determinada.

Houve realmente patriotismo porque defenderam as cores nacionais com “unhas e dentes” e suaram a camisola até à soar a apitadela final. Desde muito cedo percebeu-se que a equipa moçambicana estava decidida a limpar a má imagem deixada frente aos alemães pela forma fugaz e enérgica como entrou no jogo.

Aos 52 segundos Paulo Pereira causou o primeiro sinal de perigo junto à baliza contrária. O mesmo, minutos depois, desferiu uma portentosa “stickada”, mas valeu na ocasião a atenção de Juan Nieto, guarda-redes da Colômbia. Mas foi do “stick” de José Soares que saiu o tiro que abriu o marcador. Uma vantagem já merecida por aquilo que o combinado nacional havia feito até então. Estavam decorridos sete minutos e a alegria tomava conta de todo o grupo.

Galvanizado pelo golo, Moçambique cresceu ainda mais na partida e poderia segundos depois ter ampliado o “score” por Kiko. Mas antes disso Paulo Pereira teve a oportunidade de avolumar a vantagem na sequência de um penalte, mas fê-lo sem convicção e o “keeper” colombiano agradeceu.

KIKO ENDIABRADO

A aposta de José Barberá, seleccionador nacional, em substituir Bruno Pimentel por Kiko, pode-se considerar certa, visto que justificou na plenitude a confiança que lhe foi dada.

Kiko já havia dado mostras frente à Holanda que merecia jogar de início, até porque o capitão Bruno Pimentel contraiu uma lesão contra Angola, obrigando-o a jogar de forma condicionada os restantes jogos.

No embate de ontem Kiko “abriu o livro” e realizou uma exibição cinco estrelas e esteve envolvido nos dois primeiros golos. No primeiro foi ele que efectuou a jogada que proporcionou o golo a José Soares. Depois foi ele que iniciou e concluiu a jogada do segundo golo. Kiko arrancou pelo meio e disparou forte e certeiro. Mas, mais do que marcar, Kiko jogou e fez jogar, esteve bem tanto a atacar com a defender.

EXPULSÃO DE SOARES

Três minutos após o golo a equipa nacional debateu-se com uma contrariedade: a expulsão de José Soares, que por ter alegadamente agredido um adversário viu o cartão azul, o que obriga a ficar cinco minutos de fora.

O certo, porém, é que José Soares considera-se ter sido injustiçado e já no banco assiste Paulo Pereira a ser agredido.

Enervado com a situação, este jogador insurgiu-se contra o árbitro e acabou vendo cartão vermelho aos 15 minutos. Uma baixa que felizmente não acabou comprometendo o triunfo da equipa moçambicana, visto que segundos depois Bruno Adrião, na transformação de um livre directo da linha dos sete metros, fez o 3-0, o terceiro na sua conta pessoal na competição.

ARNALDO BRILHA

Numa etapa inicial de luxo, Arnaldo Queiroz, que foi a grande surpresa no cinco inicial ao substituir na baliza Nuno Adrião, realizou uma exibição que tão cedo não se esquecerá. Esteve numa tarde super-inspirada e defendeu quase tudo que havia para defender. Foi vezes sem conta aplaudido. Foi pena ter sofrido aquele golo apontado por Raul Raigosa a três minutos do final, quando o marcador assinalava 4-1 a favor de Moçambique. Maninho foi o autor do quatro golo da equipa moçambicana ainda na primeira parte.

FICHA TÉCNICA: ÁRBITROS: Carsten Niestroy (Alemanha) e Francisco Garcia (Espanha)

MOÇAMBIQUE: Arnaldo Queiróz; Bruno Adrião, Kiko, Paulo Pereira e José Soares.

COLÓMBIA: Nieto; Javier Mera, Diego Ochoa, Javier Mora e Néstor Ramirez

FASE DE GRUPOS MAIS REGULAR DE SEMPRE


APESAR de não ter conseguido atingir a sua melhor classificação de sempre, o oitavo lugar alcançado no Campeonato do Mundo de San Juan em 2001, na Argentina, onde logrou chegar aos quartos-de-final sem ter alcançado a nona posição do “Mundial” de Montreux 2007 a equipa moçambicana de hóquei em patins acabou fazendo história na fase de grupos, visto que das três partidas realizadas perdeu uma e frente à bicampeã do mundo, a Espanha, e empatou duas frente a Angola e Colômbia. Um feito que ainda não tinha sido alcançado desde a estreia no México em 1978.

Em San Juan, Moçambique defrontou apenas duas equipas na fase de grupos, já que à última hora a Nova Zelândia disistiu. Nesse campeonato do mundo de há oito anos o combinado nacional cometeu a proeza de ganhar a Suíça, triunfo que lhe valeu a passagem aos “quartos”. Mas em mundiais em que estarão envolvidas quatro equipas o máximo que o Moçambique conseguiu foi empatar um jogo e perder os restantes.

MELHOR MARCADOR REPARTIDO A TRÊS

DESTA vez não coube a Paulo Pereira, o “artilheiro” da Selecção Nacional, destacar-se na lista dos melhores marcadores, como tinha acontecido nos três mundiais anteriores em que participou, designadamente Oliveira de Azémeis (Portugal), em 2003, Montivideu (Uruguai), 2006, e Montreux (Suíça), 2007. Paulo Pereira não esteve com a pontaria tão afinada e apontou três golos, mesmo número que José Soares e Bruno Adrião.

À entrada para último jogo Paulo Pereira liderava a lista dos melhores com três golos, mas ficou em branco e foi alcançado pelos referidos dois companheiros de equipa.

Os irmãos Esculudes, Kiko e Maninho fizeram um golo cada, obtidos curiosamente no desafio de sábado diante da Colômbia.

ORGANIZAÇÃO DO MUNDIAL 2011: MUITA EMOÇÃO NA PASSAGEM DO TESTEMUNHO


LOGO após a final seguiu-se um momento que ficará para sempre na História. O nome de Moçambique esteve no centro das atenções das cerca de quatro mil pessoas que abarrotavam o pavilhão de Vigo. Era o momento há muito esperado, sobretudo pelos moçambicanos, pois o país entra para a gala dos organizadores do “mundial” do hóquei em patins. E o testemunho foi entregue ao Ministro do Turismo e da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana Jr., que recebeu, como sinal de transmissão dessa responsabilidade, a bandeira do Comité Internacional de Hóquei em Patins (CIRH).

A cerimónia foi muito curta, não tendo contemplado qualquer discurso. Durou pouco menos de cinco minutos, mas que significaram momentos de muita emoção, sobretudo para os moçambicanos presentes (sobretudo os atletas) que se encontravam em Vigo.

Cândido Coelho exibe a oferta (I.Pascoal)
A anteceder a esta cerimónia procedeu-se à assinatura do contrato-programa do mundial entre o Governo e a federação moçambicanos, representados pelo ministro Sumbana Júnior e por Cândido Coelho, respectivamente, e o CIRH, por Harro Strusberg, seu presidente.

ESPANHA TRICAMPEÃ DO MUNDO

A ESPANHA sagrou-se na noite de sábado tricampeã do mundo, ao vencer na final a Argentina, por 3-1. Ao intervalo a selecção espanhola vencia por 1-0, com um golo de Jordi Bargalló.

Na segunda parte a Argentina ainda chegou ao empate, por Carlos Nicollia, aos oito minutos, mas a reacção dos espanhóis foi pronta e sete minutos depois chegou ao 2-1 com um golo de belo efeito apontado por Marc Gual. A equipa da casa, que acabou sendo a equipa mais eficaz, fez o golo da tranquilidade numa contra-ataque excelentemente concluído por Jordi Adroher a quatro minutos do fim.

EUA, HOLANDA E ANDORRA DESPROMOVIDOS

Estados Unidos, Holanda e Andorra foram despromovidos ao “Mundial” do Grupo B, ao ocuparem as três últimas posições do campeonato. A Holanda foi a última a ser condenada à descida ao segundo escalão ao perder com a Inglaterra, por 2-3. Já a Andorra, depois de uma primeira fase em que deixou uma boa imagem, apesar de não ter transitado para os quartos-de-final, acabou se quedando na última posição. Os EUA voltam a descer de divisão depois de no ano transacto terem subido ao grupo principal como campeõs do Grupo B.

RESULTADOS FINAL:

Espanha-Argentina (3-1)

3° e 4° CLASSIFICADO: Portugal-Brasil (8-3)

5° e 6°: França-Angola (3-2)

7° e 8°: Itália-Suíça (1-0)

9°e 10° Chile-Alemanha (3-2)

11° e 12° Moçambique-Colômbia (4-1)

13° e 14° Inglaterra-Holanda (3-2)

15° e 16°: EUA-Andorra (4-3)

Ivo Tavares, em Vigo

publicado por Vaxko Zakarias às 12:44
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins teve uma despedida em grande da 39ª edição do Campeonato do Mundo de Vigo/Pontevedra, ao golear sábado a Colômbia, por 4-1, garantido assim a 11ª posição.

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins teve uma despedida em grande da 39ª edição do Campeonato do Mundo de Vigo/Pontevedra
A vitória da equipa nacional foi toda ela construída na primeira parte, visto que os golos surgiram na primeira parte. José Soares, Kiko, Bruno Adrião e Maninho foram os autores dos tentos que proporcionaram a Moçambique uma despedida em grande, a imagem daquela equipa determinada que se viu nos jogos diante da Angola e a Holanda. Aliás, na primeira fase, a turma nacional havia empatado com a formação colombiana a zero bola, numa partida em que merecia ganhar.

No derradeiro jogo, para decidir o 11º lugar, o combinado nacional deixou vincada a sua hegemonia perante uma Colômbia que não teve pernas para acompanhar o ritmo da equipa nacional que mesmo tendo baixado o nível exibicional na etapa complementar, período em que não chegou a marcar golos, mereceu ganhar com toda a justiça.

Foi pena mesmo o décimo primeiro lugar ter um sabor amargo para uma selecção que sonhava em transitar para os quartos-de-final e que acaba no final por se conformar com a manutenção, depois de ter falhado também a nona posição, um objectivo válido que se propunha nos grupos de selecções que ficaram pelo caminho na primeira fase.

Aliás, antes do desafio de ontem era visível na faz que e dos jogadores moçambicanos estavam muito descontraídos, afinal o objectivo: manutenção entre as 16 melhores selecções do mundo, foi cumprido. Talvez por isso tivessem realizado uma das exibições mais bem conseguidas entre os seis jogos efectuados, a saber: Espanha (0-7), Angola (2-2), Colômbia (0-0), na fase de grupos, Holanda (3-0), Alemanha (2-7) e Colômbia (4-1).

No cômputo geral, Moçambique teve uma prestação aceitável, se se atender que em seis jogos perdeu apenas dois. Um nota a realçar é que esteve igual em número de vitórias, derrotas e empates, dois cada.

MOÇAMBIQUE, 4 - COLÓMBIA, 1: HOUVE PATRIOTISMO!

Maninho uns dos que brilhou em Pretória
FOI um prazer ver a Selecção Nacional de Hóquei em Patins jogar na tarde de sábado no Pavilhão Municipal de Pontevedra diante da Colômbia. Para satisfação do povo moçambicano, a equipa nacional apareceu para o jogo com a formação sul-americana completamente determinada.

Houve realmente patriotismo porque defenderam as cores nacionais com “unhas e dentes” e suaram a camisola até à soar a apitadela final. Desde muito cedo percebeu-se que a equipa moçambicana estava decidida a limpar a má imagem deixada frente aos alemães pela forma fugaz e enérgica como entrou no jogo.

Aos 52 segundos Paulo Pereira causou o primeiro sinal de perigo junto à baliza contrária. O mesmo, minutos depois, desferiu uma portentosa “stickada”, mas valeu na ocasião a atenção de Juan Nieto, guarda-redes da Colômbia. Mas foi do “stick” de José Soares que saiu o tiro que abriu o marcador. Uma vantagem já merecida por aquilo que o combinado nacional havia feito até então. Estavam decorridos sete minutos e a alegria tomava conta de todo o grupo.

Galvanizado pelo golo, Moçambique cresceu ainda mais na partida e poderia segundos depois ter ampliado o “score” por Kiko. Mas antes disso Paulo Pereira teve a oportunidade de avolumar a vantagem na sequência de um penalte, mas fê-lo sem convicção e o “keeper” colombiano agradeceu.

KIKO ENDIABRADO

A aposta de José Barberá, seleccionador nacional, em substituir Bruno Pimentel por Kiko, pode-se considerar certa, visto que justificou na plenitude a confiança que lhe foi dada.

Kiko já havia dado mostras frente à Holanda que merecia jogar de início, até porque o capitão Bruno Pimentel contraiu uma lesão contra Angola, obrigando-o a jogar de forma condicionada os restantes jogos.

No embate de ontem Kiko “abriu o livro” e realizou uma exibição cinco estrelas e esteve envolvido nos dois primeiros golos. No primeiro foi ele que efectuou a jogada que proporcionou o golo a José Soares. Depois foi ele que iniciou e concluiu a jogada do segundo golo. Kiko arrancou pelo meio e disparou forte e certeiro. Mas, mais do que marcar, Kiko jogou e fez jogar, esteve bem tanto a atacar com a defender.

EXPULSÃO DE SOARES

Três minutos após o golo a equipa nacional debateu-se com uma contrariedade: a expulsão de José Soares, que por ter alegadamente agredido um adversário viu o cartão azul, o que obriga a ficar cinco minutos de fora.

O certo, porém, é que José Soares considera-se ter sido injustiçado e já no banco assiste Paulo Pereira a ser agredido.

Enervado com a situação, este jogador insurgiu-se contra o árbitro e acabou vendo cartão vermelho aos 15 minutos. Uma baixa que felizmente não acabou comprometendo o triunfo da equipa moçambicana, visto que segundos depois Bruno Adrião, na transformação de um livre directo da linha dos sete metros, fez o 3-0, o terceiro na sua conta pessoal na competição.

ARNALDO BRILHA

Numa etapa inicial de luxo, Arnaldo Queiroz, que foi a grande surpresa no cinco inicial ao substituir na baliza Nuno Adrião, realizou uma exibição que tão cedo não se esquecerá. Esteve numa tarde super-inspirada e defendeu quase tudo que havia para defender. Foi vezes sem conta aplaudido. Foi pena ter sofrido aquele golo apontado por Raul Raigosa a três minutos do final, quando o marcador assinalava 4-1 a favor de Moçambique. Maninho foi o autor do quatro golo da equipa moçambicana ainda na primeira parte.

FICHA TÉCNICA: ÁRBITROS: Carsten Niestroy (Alemanha) e Francisco Garcia (Espanha)

MOÇAMBIQUE: Arnaldo Queiróz; Bruno Adrião, Kiko, Paulo Pereira e José Soares.

COLÓMBIA: Nieto; Javier Mera, Diego Ochoa, Javier Mora e Néstor Ramirez

FASE DE GRUPOS MAIS REGULAR DE SEMPRE


APESAR de não ter conseguido atingir a sua melhor classificação de sempre, o oitavo lugar alcançado no Campeonato do Mundo de San Juan em 2001, na Argentina, onde logrou chegar aos quartos-de-final sem ter alcançado a nona posição do “Mundial” de Montreux 2007 a equipa moçambicana de hóquei em patins acabou fazendo história na fase de grupos, visto que das três partidas realizadas perdeu uma e frente à bicampeã do mundo, a Espanha, e empatou duas frente a Angola e Colômbia. Um feito que ainda não tinha sido alcançado desde a estreia no México em 1978.

Em San Juan, Moçambique defrontou apenas duas equipas na fase de grupos, já que à última hora a Nova Zelândia disistiu. Nesse campeonato do mundo de há oito anos o combinado nacional cometeu a proeza de ganhar a Suíça, triunfo que lhe valeu a passagem aos “quartos”. Mas em mundiais em que estarão envolvidas quatro equipas o máximo que o Moçambique conseguiu foi empatar um jogo e perder os restantes.

MELHOR MARCADOR REPARTIDO A TRÊS

DESTA vez não coube a Paulo Pereira, o “artilheiro” da Selecção Nacional, destacar-se na lista dos melhores marcadores, como tinha acontecido nos três mundiais anteriores em que participou, designadamente Oliveira de Azémeis (Portugal), em 2003, Montivideu (Uruguai), 2006, e Montreux (Suíça), 2007. Paulo Pereira não esteve com a pontaria tão afinada e apontou três golos, mesmo número que José Soares e Bruno Adrião.

À entrada para último jogo Paulo Pereira liderava a lista dos melhores com três golos, mas ficou em branco e foi alcançado pelos referidos dois companheiros de equipa.

Os irmãos Esculudes, Kiko e Maninho fizeram um golo cada, obtidos curiosamente no desafio de sábado diante da Colômbia.

ORGANIZAÇÃO DO MUNDIAL 2011: MUITA EMOÇÃO NA PASSAGEM DO TESTEMUNHO


LOGO após a final seguiu-se um momento que ficará para sempre na História. O nome de Moçambique esteve no centro das atenções das cerca de quatro mil pessoas que abarrotavam o pavilhão de Vigo. Era o momento há muito esperado, sobretudo pelos moçambicanos, pois o país entra para a gala dos organizadores do “mundial” do hóquei em patins. E o testemunho foi entregue ao Ministro do Turismo e da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana Jr., que recebeu, como sinal de transmissão dessa responsabilidade, a bandeira do Comité Internacional de Hóquei em Patins (CIRH).

A cerimónia foi muito curta, não tendo contemplado qualquer discurso. Durou pouco menos de cinco minutos, mas que significaram momentos de muita emoção, sobretudo para os moçambicanos presentes (sobretudo os atletas) que se encontravam em Vigo.

Cândido Coelho exibe a oferta (I.Pascoal)
A anteceder a esta cerimónia procedeu-se à assinatura do contrato-programa do mundial entre o Governo e a federação moçambicanos, representados pelo ministro Sumbana Júnior e por Cândido Coelho, respectivamente, e o CIRH, por Harro Strusberg, seu presidente.

ESPANHA TRICAMPEÃ DO MUNDO

A ESPANHA sagrou-se na noite de sábado tricampeã do mundo, ao vencer na final a Argentina, por 3-1. Ao intervalo a selecção espanhola vencia por 1-0, com um golo de Jordi Bargalló.

Na segunda parte a Argentina ainda chegou ao empate, por Carlos Nicollia, aos oito minutos, mas a reacção dos espanhóis foi pronta e sete minutos depois chegou ao 2-1 com um golo de belo efeito apontado por Marc Gual. A equipa da casa, que acabou sendo a equipa mais eficaz, fez o golo da tranquilidade numa contra-ataque excelentemente concluído por Jordi Adroher a quatro minutos do fim.

EUA, HOLANDA E ANDORRA DESPROMOVIDOS

Estados Unidos, Holanda e Andorra foram despromovidos ao “Mundial” do Grupo B, ao ocuparem as três últimas posições do campeonato. A Holanda foi a última a ser condenada à descida ao segundo escalão ao perder com a Inglaterra, por 2-3. Já a Andorra, depois de uma primeira fase em que deixou uma boa imagem, apesar de não ter transitado para os quartos-de-final, acabou se quedando na última posição. Os EUA voltam a descer de divisão depois de no ano transacto terem subido ao grupo principal como campeõs do Grupo B.

RESULTADOS FINAL:

Espanha-Argentina (3-1)

3° e 4° CLASSIFICADO: Portugal-Brasil (8-3)

5° e 6°: França-Angola (3-2)

7° e 8°: Itália-Suíça (1-0)

9°e 10° Chile-Alemanha (3-2)

11° e 12° Moçambique-Colômbia (4-1)

13° e 14° Inglaterra-Holanda (3-2)

15° e 16°: EUA-Andorra (4-3)

Ivo Tavares, em Vigo

publicado por Vaxko Zakarias às 12:44
 O que é? |  O que é? | favorito
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
18
19
25
26
27
29
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO