Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quarta-feira, 17 DE Junho 2009

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins está desde sexta-feira na Catalunha, Espanha, a cumprir a segunda fase de preparação tendo em vista a sua participação no Campeonato do Mundo do Grupo A a ter lugar nas cidades espanholas de Vigo e Pontevedra entre os dias 4 e 11 do próximo mês.

Confirmada a ausência de Bruno Adrião (dir.) do “Mundial”
Após um fim-de-semana que serviu para organizar os processos de treinamento, bem como para os jogadores se ambientar ao calor tórrido da Catalunha, na segunda-feira foi dia de dizer mãos à obra. Na ausência de Pedro Pimentel, treinador principal, que devido a motivos profissionais só deverá se juntar ao resto do grupo na próxima semana, Júlio Mungói, treinador adjunto e José Barbarez, técnico espanhol que apoiará o combinado nacional nos treinos orientaram a primeira sessão em terras ibéricas.

O treino serviu para aprimorar todos os aspectos: técnico-táctico e físico, numa altura em que falta pouco menos de um mês para que a elite do hóquei em patins comece a desfilar em Vigo e Potenvedra, sendo que Moçambique ficará instalado na primeira cidade e terá a honra de dar a “stickada” inicial frente à anfitriã Espanha.

Os treinos foram divididos em duas partes de manhã os técnicos puxaram pelo físico e à tarde privilegiaram a técnica e ensaiaram diferentes processos tácticos. É neste último aspecto que o técnico espanhol pode ser uma verdadeira mais-valia, visto ser conhecedor da forma de actuar da Espanha. Para além dos espanhóis, a turma moçambicana terá que ombrear na fase de grupos com a Colômbia e Angola.

No sentido de dar mais competitividade e limar algumas arestas, a Selecção Nacional tem previsto jogos de controlo frente a equipas espanholas no decorrer desta semana. Irão permitir aos técnicos ter uma ideia mais detalhada da actual condição da equipa, até para saberem quais são os jogadores que merecem maior confiança visto que quatro serão dispensados se se atender que são 14 os convocados, mas só dez podem integrar a convocatória final.

BRUNO ADRIÃO FORA DE JOGO

Está confirmada a ausência do internacional moçambicano Bruno Adrião do Mundial. Desde o princípio da preparação há cerca de dois meses que o jogador vinha mostrando indisponibilidade em dar o seu contributo pelo facto de não estar a jogar, tendo ainda alegado motivos pessoais.

Mas esperava-se que voltasse atrás na sua decisão, até porque é um jogador que nos “Mundiais” de Oliveira de Azeméis (2003), Montivideu (2006) e Montreux (2007) desempenhou um papel nuclear na selecção.

MERCÊ MUNGÓI JUNTA-SE AO GRUPO

E é para colmatar esta lacuna que à última hora, Mercê Mungói seguiu para o estágio da Catalunha após ter sido dado como uma carta fora do baralho aquando do anúncio da convocatória.

Mercê Mungói, o novato da selecção, terá assim a oportunidade de mostrar o seu valor extramuros e quiçá lutar para estar na convocatória final.

TRIO “LUSO” ESPERADO

Para que o grupo de jogadores fique completo só falta que Paulo Pereira, Nuno Adrião e José Soares se juntem à Selecção Nacional, algo que deverá acontecer brevemente.

Bruno Pimentel, “capitão” da Selecção Nacional de Hoquei
Tudo indica que José Soares será o primeiro a desembarcar na Catalunha, enquanto Paulo Pereira, o “artilheiro” da equipa, e Nuno Adrião, dono da baliza nacional, têm prevista a partida (Lisboa-Catalunha) para o próximo dia 25.

Quem já está a treinar com a selecção é o capitão Bruno Pimentel, que devido a motivos profissionais só seguiu na manhã do último sábado.

Neste momento são onze os atletas que estão a cumprir o estágio pré-competitivo, a saber:

GUARDA-REDES – Arnaldo Queiroz e Lucas Cossa.

JOGADORES DE CAMPO – Bruno Pimentel, Wilson Sigallete (Siga), Spiros Esculudes (Kiko), David Pimentel, Nelson Costa, Ilídio Canda, Ivan Esculudes (Maninho), Nelson Miquessene (Mafamba) e Mercê Mungói.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:28
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins está desde sexta-feira na Catalunha, Espanha, a cumprir a segunda fase de preparação tendo em vista a sua participação no Campeonato do Mundo do Grupo A a ter lugar nas cidades espanholas de Vigo e Pontevedra entre os dias 4 e 11 do próximo mês.

Confirmada a ausência de Bruno Adrião (dir.) do “Mundial”
Após um fim-de-semana que serviu para organizar os processos de treinamento, bem como para os jogadores se ambientar ao calor tórrido da Catalunha, na segunda-feira foi dia de dizer mãos à obra. Na ausência de Pedro Pimentel, treinador principal, que devido a motivos profissionais só deverá se juntar ao resto do grupo na próxima semana, Júlio Mungói, treinador adjunto e José Barbarez, técnico espanhol que apoiará o combinado nacional nos treinos orientaram a primeira sessão em terras ibéricas.

O treino serviu para aprimorar todos os aspectos: técnico-táctico e físico, numa altura em que falta pouco menos de um mês para que a elite do hóquei em patins comece a desfilar em Vigo e Potenvedra, sendo que Moçambique ficará instalado na primeira cidade e terá a honra de dar a “stickada” inicial frente à anfitriã Espanha.

Os treinos foram divididos em duas partes de manhã os técnicos puxaram pelo físico e à tarde privilegiaram a técnica e ensaiaram diferentes processos tácticos. É neste último aspecto que o técnico espanhol pode ser uma verdadeira mais-valia, visto ser conhecedor da forma de actuar da Espanha. Para além dos espanhóis, a turma moçambicana terá que ombrear na fase de grupos com a Colômbia e Angola.

No sentido de dar mais competitividade e limar algumas arestas, a Selecção Nacional tem previsto jogos de controlo frente a equipas espanholas no decorrer desta semana. Irão permitir aos técnicos ter uma ideia mais detalhada da actual condição da equipa, até para saberem quais são os jogadores que merecem maior confiança visto que quatro serão dispensados se se atender que são 14 os convocados, mas só dez podem integrar a convocatória final.

BRUNO ADRIÃO FORA DE JOGO

Está confirmada a ausência do internacional moçambicano Bruno Adrião do Mundial. Desde o princípio da preparação há cerca de dois meses que o jogador vinha mostrando indisponibilidade em dar o seu contributo pelo facto de não estar a jogar, tendo ainda alegado motivos pessoais.

Mas esperava-se que voltasse atrás na sua decisão, até porque é um jogador que nos “Mundiais” de Oliveira de Azeméis (2003), Montivideu (2006) e Montreux (2007) desempenhou um papel nuclear na selecção.

MERCÊ MUNGÓI JUNTA-SE AO GRUPO

E é para colmatar esta lacuna que à última hora, Mercê Mungói seguiu para o estágio da Catalunha após ter sido dado como uma carta fora do baralho aquando do anúncio da convocatória.

Mercê Mungói, o novato da selecção, terá assim a oportunidade de mostrar o seu valor extramuros e quiçá lutar para estar na convocatória final.

TRIO “LUSO” ESPERADO

Para que o grupo de jogadores fique completo só falta que Paulo Pereira, Nuno Adrião e José Soares se juntem à Selecção Nacional, algo que deverá acontecer brevemente.

Bruno Pimentel, “capitão” da Selecção Nacional de Hoquei
Tudo indica que José Soares será o primeiro a desembarcar na Catalunha, enquanto Paulo Pereira, o “artilheiro” da equipa, e Nuno Adrião, dono da baliza nacional, têm prevista a partida (Lisboa-Catalunha) para o próximo dia 25.

Quem já está a treinar com a selecção é o capitão Bruno Pimentel, que devido a motivos profissionais só seguiu na manhã do último sábado.

Neste momento são onze os atletas que estão a cumprir o estágio pré-competitivo, a saber:

GUARDA-REDES – Arnaldo Queiroz e Lucas Cossa.

JOGADORES DE CAMPO – Bruno Pimentel, Wilson Sigallete (Siga), Spiros Esculudes (Kiko), David Pimentel, Nelson Costa, Ilídio Canda, Ivan Esculudes (Maninho), Nelson Miquessene (Mafamba) e Mercê Mungói.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:28
 O que é? |  O que é? | favorito

À SEMELHANÇA do que sucedeu em relação à Tunísia, a agência Golden Travel levará ao Quénia adeptos moçambicanos, que no “teatro das operações” irão emprestar o seu calor à Selecção Nacional.

Adepto dos Mambas
O voo transportando os mais de 100 excursionistas fará o trajecto Maputo-Nairobi directo, com partida pelas 5.00 horas e chegada às 10.00.

À medida que nos aproximamos do ansiosamente aguardado sábado, dia do jogo em Nairobi, cresce vertiginosamente o movimento de inscrição dos adeptos interessados em viajar nesta excursão, pelo que, segundo a Direcção da Golden Travel, não tardará até que se atinja o número-limite preconizado, isto devido à capacidade do avião.

Entretanto, tendo em conta os custos de operação, os adeptos inscritos nas diferentes províncias do país viajarão até Maputo, local de embarque de todos os excursionistas. Recorde-se que o regresso de Nairobi verificar-se-á no domingo.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:14
 O que é? |  O que é? | favorito

À SEMELHANÇA do que sucedeu em relação à Tunísia, a agência Golden Travel levará ao Quénia adeptos moçambicanos, que no “teatro das operações” irão emprestar o seu calor à Selecção Nacional.

Adepto dos Mambas
O voo transportando os mais de 100 excursionistas fará o trajecto Maputo-Nairobi directo, com partida pelas 5.00 horas e chegada às 10.00.

À medida que nos aproximamos do ansiosamente aguardado sábado, dia do jogo em Nairobi, cresce vertiginosamente o movimento de inscrição dos adeptos interessados em viajar nesta excursão, pelo que, segundo a Direcção da Golden Travel, não tardará até que se atinja o número-limite preconizado, isto devido à capacidade do avião.

Entretanto, tendo em conta os custos de operação, os adeptos inscritos nas diferentes províncias do país viajarão até Maputo, local de embarque de todos os excursionistas. Recorde-se que o regresso de Nairobi verificar-se-á no domingo.

publicado por Vaxko Zakarias às 13:14
 O que é? |  O que é? | favorito

AO vencer o 1º de Maio por duas bolas a uma, o Matchedje de Quelimane, ganhou o direito de representar a província da Zambézia na fase nacional da Taça de Moçambique.

O MATCHEDJE quebrou o silêncio. Era até agora a única equipa das da cidade de Maputo que irão disputar o Moçambola-2009
No jogo da final a nível da província da Zambézia, os “militares” conseguiram o feito histórico através de dois preciosos tentos apontados na segunda metade do prédio. Contra todas as expectativas em torno do jogo, a turma “militar” foi bastante arrojada perante o teórico favoritismo do 1º de Maio.

Quando o jogo começou quase o Matchedje potenciou aspectos defensivos para neutralizar as investidas do adversário. Muitos lances de contra-ataque gizados pelo 1º de Maio encontravam uma cortina defensiva bastante coesa, onde os papéis de Tchetchu, Mingo, Sousa e Benziro, no meio campo, foram equivalentes para neutralizar o eixo atacante do adversário.

Mesmo assim, aos vinte e três minutos da primeira parte, Babugy violou a baliza dos “militares” através de um forte remate, fazendo anichar o esférico na baliza defendida por Lugiu. Foi um autêntico “balde de água fria” para uma equipa que estava a defender se bem e de vez enquando saia do seu reduto mais recuado para incomodar a defensiva contrária.

Depois deste golo, o jogo entrou numa fase menos boa com os jogadores de ambos os conjuntos a actuarem com bastante nervosismo. Foi um autêntico “ping pong” até ao final dos primeiros quarenta e cinco minutos.

Na segunda metade, Vasquinho, o treinador “militar” operou algumas substituições para imprimir maior agressividade ao sector atacante. Saiu Faizal e entrou Correia Mendes que na sua segunda aparição no reduto do adversário igualou a partida para o delírio de milhares de almas vivas que estiveram no campo dos “locomotivas” de Quelimane.

Uma nova página estava aberta na história deste jogo. O favoritismo do 1º de Maio diluiu-se completamente. O treinador José Lobo teve que ficar maior parte do tempo a orientar o jogo de pé, mandando ordens para o campo. Mesmo assim, continuavam os “militares” mais galvanizados e com muita astúcia atacante. Aos trinta e nove minutos, Kil, do Matchedje, fez o segundo tento que aniquilo por completo as aspirações do 1º de Maio conquistar a taça como era sua pretensão.

A partir daqui, os “militares” controlaram o jogo até ao final e nalgumas vezes simulavam lesões constantes, o que obrigou Daniel Viegas, o juiz principal da contenda, a usar o cartão amarelo para disciplinar os jogadores.

Daniel Viegas realizou um bom trabalho. Foi coadjuvado nas suas funções por Domingos Manico e Renato Cândido. O quarto arbitro foi Eugênio de Sousa.

MATCHEDJE: Lugiu; Tchetchu, Mingo, Sousa, Benziro, Faizal (Correira Mendes), Jeque ( Armando) Domingos, Vitchu, Kil e Lizara.

1º DE MAIO: Elias; César, Zeca, Sergito, Babugy, Teles, Vino, Simon, Master, Danilo (Sande) e Frio.

Jocas Achar

publicado por Vaxko Zakarias às 12:47
 O que é? |  O que é? | favorito

AO vencer o 1º de Maio por duas bolas a uma, o Matchedje de Quelimane, ganhou o direito de representar a província da Zambézia na fase nacional da Taça de Moçambique.

O MATCHEDJE quebrou o silêncio. Era até agora a única equipa das da cidade de Maputo que irão disputar o Moçambola-2009
No jogo da final a nível da província da Zambézia, os “militares” conseguiram o feito histórico através de dois preciosos tentos apontados na segunda metade do prédio. Contra todas as expectativas em torno do jogo, a turma “militar” foi bastante arrojada perante o teórico favoritismo do 1º de Maio.

Quando o jogo começou quase o Matchedje potenciou aspectos defensivos para neutralizar as investidas do adversário. Muitos lances de contra-ataque gizados pelo 1º de Maio encontravam uma cortina defensiva bastante coesa, onde os papéis de Tchetchu, Mingo, Sousa e Benziro, no meio campo, foram equivalentes para neutralizar o eixo atacante do adversário.

Mesmo assim, aos vinte e três minutos da primeira parte, Babugy violou a baliza dos “militares” através de um forte remate, fazendo anichar o esférico na baliza defendida por Lugiu. Foi um autêntico “balde de água fria” para uma equipa que estava a defender se bem e de vez enquando saia do seu reduto mais recuado para incomodar a defensiva contrária.

Depois deste golo, o jogo entrou numa fase menos boa com os jogadores de ambos os conjuntos a actuarem com bastante nervosismo. Foi um autêntico “ping pong” até ao final dos primeiros quarenta e cinco minutos.

Na segunda metade, Vasquinho, o treinador “militar” operou algumas substituições para imprimir maior agressividade ao sector atacante. Saiu Faizal e entrou Correia Mendes que na sua segunda aparição no reduto do adversário igualou a partida para o delírio de milhares de almas vivas que estiveram no campo dos “locomotivas” de Quelimane.

Uma nova página estava aberta na história deste jogo. O favoritismo do 1º de Maio diluiu-se completamente. O treinador José Lobo teve que ficar maior parte do tempo a orientar o jogo de pé, mandando ordens para o campo. Mesmo assim, continuavam os “militares” mais galvanizados e com muita astúcia atacante. Aos trinta e nove minutos, Kil, do Matchedje, fez o segundo tento que aniquilo por completo as aspirações do 1º de Maio conquistar a taça como era sua pretensão.

A partir daqui, os “militares” controlaram o jogo até ao final e nalgumas vezes simulavam lesões constantes, o que obrigou Daniel Viegas, o juiz principal da contenda, a usar o cartão amarelo para disciplinar os jogadores.

Daniel Viegas realizou um bom trabalho. Foi coadjuvado nas suas funções por Domingos Manico e Renato Cândido. O quarto arbitro foi Eugênio de Sousa.

MATCHEDJE: Lugiu; Tchetchu, Mingo, Sousa, Benziro, Faizal (Correira Mendes), Jeque ( Armando) Domingos, Vitchu, Kil e Lizara.

1º DE MAIO: Elias; César, Zeca, Sergito, Babugy, Teles, Vino, Simon, Master, Danilo (Sande) e Frio.

Jocas Achar

publicado por Vaxko Zakarias às 12:47
 O que é? |  O que é? | favorito

LUÍS Filipe Viera Carvalha, conhecido por Litos, despediu-se domingo passado dos sócios do Maxaquene identificados com a direcção anterior, presidida por Rafindine Mahomed, em Boane

LUÍS Filipe Viera Carvalha, conhecido por Litos, despediu-se domingo passado dos sócios do Maxaquene
Na hora do adeus o técnico português emocionou-se bastante ao ponto de deixar cair lágrimas por se considerar “injustiçado” pela Comissão Gestora do Clube dos Desportos da Maxaquene, que o acusa de estar a dever à colectividade, alegadamente por ter recebido por duas vezes salários de Novembro de 2008 a Março de 2009.

“Não sou ladrão. Peço desculpas. Vou-me embora”, foi com estas palavras que Litos pôs de parte qualquer possibilidade de rever a sua decisão de deixar o Maxaquene e Moçambique como queriam os cerca de cinquenta sócios nesse almoço de despedida.

Para deixar claro que em nenhum momento faltou ao compromisso no Maxaquene, Litos disse que “o homem do norte de Portugal respeita sempre os seus compromissos”, sublinhando a seguir que “ganho o que valho, mesmo assim, reduzi o salário de dez para cinco mil dólares quando aceitei vir treinar a equipa principal do Maxaquene”.

Na quinta de Rafindine Mahomed, situada a cerca de cinco quilómetros da sede do distrito de Boane, Litos revelou que até à hora em “que começou a sabotagem” estava a treinar o Maxaquene para ser campeão este ano, embora publicamente o discurso fosse de preparar uma equipa para nos próximos dois ou três anos subir ao pódio.

O ex-treinador do Estoril vai treinar o Maxaquene de Moçambique
“Eu nunca quis ser aventureiro. Vim cá porque Carlos Queirós e Rui Caçador disseram-me que aqui ia ser campeão. Se houvesse aproximação entre as pessoas do clube certamente que não regressava a Portugal tão já e seria campeão. Portanto, eu assumi o compromisso para vir ser campeão em 2009. Isso é o que eu dizia internamente. Aquilo de daqui a dois ou três anos era mentira”. E aconselhou aos sócios do Maxaquene para que falem do futebol e não de malandrices.

“Falemos de futebol e não de malandrices. Não saio por causa da casa. Onde eu vivo não é casa de luxo, é casa onde gosto de viver. E ele (Etiasse que apareceu na imprensa a dizer inverdades) assumiu tudo. A tal casa da LAM não se dispunha de segurança para as minhas filhas e a minha mulher”.

O treinador revelou que negou reunir no clube com os elementos da comissão, tendo preferido que o fizessem na presença do seu advogado noutro local “onde chegaram tardiamente e pediram desculpas e eu lhes disse que isto é Moçambique, onde impus disciplina nos meus jogadores”.

Noutro momento da conversa, o treinador referiu que “nem as passagens que foram garantidas! Agora não. Agora vou-me embora….” Retirou-se para o seu carro a chorar.

“Um homem chora quando é injustiçado, como eu fui injustiçado na última semana por Etiasse, que se identificou como sendo vice-presidente da comissão.

Adeus! Sexta-feira sigo para Portugal e sábado assistirei ao jogo do meu filho”, palavras com que Litos formalizou a sua despedida, depois de ter ouvido dos sócios a estratégia que será usada para o seu regresso daqui a dois ou três meses, que passa por um abaixo-assinado e uma manifestação junto da sede das Linhas Aéreas de Moçambique (um dos patrocinadores do clube) a exigir urgência nas eleições de novos corpos gerentes “porque esta comissão não representa os interesses de todos os sócios”.

Sebastião Tovene, o ainda chefe da “Comissão dos Sócios”, tal como se vincou no encontro, chegou a afirmar que “não podemos admitir tal golpe.

Tudo faremos para repor a ordem no clube”. Este grupo não aceita que a Comissão Gestora do clube continue composta maioritariamente por elementos da lista eleitoral do candidato Salomone Cossa, contra um da lista do candidato Xavier Munjovo.

Alguns jogadores que estiveram presentes nesse almoço de despedida manifestaram o seu desagrado pela saída do técnico, a quem disseram “nós queremos que o mister fique”.

Manuel Meque

publicado por Vaxko Zakarias às 12:28
 O que é? |  O que é? | favorito

LUÍS Filipe Viera Carvalha, conhecido por Litos, despediu-se domingo passado dos sócios do Maxaquene identificados com a direcção anterior, presidida por Rafindine Mahomed, em Boane

LUÍS Filipe Viera Carvalha, conhecido por Litos, despediu-se domingo passado dos sócios do Maxaquene
Na hora do adeus o técnico português emocionou-se bastante ao ponto de deixar cair lágrimas por se considerar “injustiçado” pela Comissão Gestora do Clube dos Desportos da Maxaquene, que o acusa de estar a dever à colectividade, alegadamente por ter recebido por duas vezes salários de Novembro de 2008 a Março de 2009.

“Não sou ladrão. Peço desculpas. Vou-me embora”, foi com estas palavras que Litos pôs de parte qualquer possibilidade de rever a sua decisão de deixar o Maxaquene e Moçambique como queriam os cerca de cinquenta sócios nesse almoço de despedida.

Para deixar claro que em nenhum momento faltou ao compromisso no Maxaquene, Litos disse que “o homem do norte de Portugal respeita sempre os seus compromissos”, sublinhando a seguir que “ganho o que valho, mesmo assim, reduzi o salário de dez para cinco mil dólares quando aceitei vir treinar a equipa principal do Maxaquene”.

Na quinta de Rafindine Mahomed, situada a cerca de cinco quilómetros da sede do distrito de Boane, Litos revelou que até à hora em “que começou a sabotagem” estava a treinar o Maxaquene para ser campeão este ano, embora publicamente o discurso fosse de preparar uma equipa para nos próximos dois ou três anos subir ao pódio.

O ex-treinador do Estoril vai treinar o Maxaquene de Moçambique
“Eu nunca quis ser aventureiro. Vim cá porque Carlos Queirós e Rui Caçador disseram-me que aqui ia ser campeão. Se houvesse aproximação entre as pessoas do clube certamente que não regressava a Portugal tão já e seria campeão. Portanto, eu assumi o compromisso para vir ser campeão em 2009. Isso é o que eu dizia internamente. Aquilo de daqui a dois ou três anos era mentira”. E aconselhou aos sócios do Maxaquene para que falem do futebol e não de malandrices.

“Falemos de futebol e não de malandrices. Não saio por causa da casa. Onde eu vivo não é casa de luxo, é casa onde gosto de viver. E ele (Etiasse que apareceu na imprensa a dizer inverdades) assumiu tudo. A tal casa da LAM não se dispunha de segurança para as minhas filhas e a minha mulher”.

O treinador revelou que negou reunir no clube com os elementos da comissão, tendo preferido que o fizessem na presença do seu advogado noutro local “onde chegaram tardiamente e pediram desculpas e eu lhes disse que isto é Moçambique, onde impus disciplina nos meus jogadores”.

Noutro momento da conversa, o treinador referiu que “nem as passagens que foram garantidas! Agora não. Agora vou-me embora….” Retirou-se para o seu carro a chorar.

“Um homem chora quando é injustiçado, como eu fui injustiçado na última semana por Etiasse, que se identificou como sendo vice-presidente da comissão.

Adeus! Sexta-feira sigo para Portugal e sábado assistirei ao jogo do meu filho”, palavras com que Litos formalizou a sua despedida, depois de ter ouvido dos sócios a estratégia que será usada para o seu regresso daqui a dois ou três meses, que passa por um abaixo-assinado e uma manifestação junto da sede das Linhas Aéreas de Moçambique (um dos patrocinadores do clube) a exigir urgência nas eleições de novos corpos gerentes “porque esta comissão não representa os interesses de todos os sócios”.

Sebastião Tovene, o ainda chefe da “Comissão dos Sócios”, tal como se vincou no encontro, chegou a afirmar que “não podemos admitir tal golpe.

Tudo faremos para repor a ordem no clube”. Este grupo não aceita que a Comissão Gestora do clube continue composta maioritariamente por elementos da lista eleitoral do candidato Salomone Cossa, contra um da lista do candidato Xavier Munjovo.

Alguns jogadores que estiveram presentes nesse almoço de despedida manifestaram o seu desagrado pela saída do técnico, a quem disseram “nós queremos que o mister fique”.

Manuel Meque

publicado por Vaxko Zakarias às 12:28
 O que é? |  O que é? | favorito

A LIDERANÇA do Campeonato Provincial de Cabo Delgado pelo Beira-Mar de Natite foi mesmo “sol de pouca dura”, tendo já na segunda jornada sido derrotado com um “score” histórico de 0-6, frente ao Ferroviário de Pemba, que tudo está a fazer para justificar a sua presença, na temporada passada, no Moçambola e a sua apetência em lá regressar.

O “Pembinha”, a segunda equipa teoricamente mais próxima do ceptro para o qual se luta neste campeonato, recebeu o Desportivo de Mocímboa da Praia e derrotou-o por 2-0, enquanto o Futebol Clube de Ingonane vai se apresentando como um conjunto disposto a ir aonde puder, bateu o Desportivo de Pemba por 1-0.

Assim, o Beira-Mar, que numa verdadeira “erecção matinal” começou por se colocar a comandar a tabela, na primeira jornada, por ter derrotado o Desportivo de Pemba, na segunda não teve argumentos para não descer para a terceira posição e esta última equipa está desde à madrugada a dar mostras de que quer chefiar a tabela de baixo para cima, a única que ainda não pontuou.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:53
 O que é? |  O que é? | favorito

A LIDERANÇA do Campeonato Provincial de Cabo Delgado pelo Beira-Mar de Natite foi mesmo “sol de pouca dura”, tendo já na segunda jornada sido derrotado com um “score” histórico de 0-6, frente ao Ferroviário de Pemba, que tudo está a fazer para justificar a sua presença, na temporada passada, no Moçambola e a sua apetência em lá regressar.

O “Pembinha”, a segunda equipa teoricamente mais próxima do ceptro para o qual se luta neste campeonato, recebeu o Desportivo de Mocímboa da Praia e derrotou-o por 2-0, enquanto o Futebol Clube de Ingonane vai se apresentando como um conjunto disposto a ir aonde puder, bateu o Desportivo de Pemba por 1-0.

Assim, o Beira-Mar, que numa verdadeira “erecção matinal” começou por se colocar a comandar a tabela, na primeira jornada, por ter derrotado o Desportivo de Pemba, na segunda não teve argumentos para não descer para a terceira posição e esta última equipa está desde à madrugada a dar mostras de que quer chefiar a tabela de baixo para cima, a única que ainda não pontuou.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:53
 O que é? |  O que é? | favorito

A ÁFRICA do Sul joga hoje frente à Nova Zelândia, a partir das 20.30 horas, uma cartada decisiva nas contas do apuramento para as meias-finais da Taça das Confederações de Futebol, em desafio da segunda jornada do Grupo A.

SELECÇÃO sul-africana
Na primeira jornada a selecção sul-africana empatou a zero golo com o Iraque, enquanto a Nova Zelândia foi goleada pela Espanha, por 0-5.


A África do Sul partilha a segunda posição com o Iraque com um ponto. A Espanha lidera com três pontos, enquanto a Nova Zelândia é o “lanterna vermelha”.

Assim sendo, os “Bafana Bafana”, orientada pelo técnico brasileiro Joel Santana, têm que ganhar de modo a não comprometer a passagem para as meias-finais, até porque na última jornada defrontam a difícil formação espanhola, campeã europeia.

Noutra partida do dia, a Espanha e Iraque medem forças a partir das 16.00 horas.

Amanhã realizam-se os embates do Grupo B, a saber: Brasil-EUA, às 16.00 horas, e Itália- Egipto a partir das 20.00 horas.

A Itália e o Brasil vão à frente com três pontos, embora os italianos tenham melhor “goal-average”.Fernando Torres da Espanha lidera a lista dos melhores marcadores com três golos, seguido de Kaká do Brasil, Zidan do Egipto e Rossi da Itália, todos com dois.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:47
 O que é? |  O que é? | favorito

A ÁFRICA do Sul joga hoje frente à Nova Zelândia, a partir das 20.30 horas, uma cartada decisiva nas contas do apuramento para as meias-finais da Taça das Confederações de Futebol, em desafio da segunda jornada do Grupo A.

SELECÇÃO sul-africana
Na primeira jornada a selecção sul-africana empatou a zero golo com o Iraque, enquanto a Nova Zelândia foi goleada pela Espanha, por 0-5.


A África do Sul partilha a segunda posição com o Iraque com um ponto. A Espanha lidera com três pontos, enquanto a Nova Zelândia é o “lanterna vermelha”.

Assim sendo, os “Bafana Bafana”, orientada pelo técnico brasileiro Joel Santana, têm que ganhar de modo a não comprometer a passagem para as meias-finais, até porque na última jornada defrontam a difícil formação espanhola, campeã europeia.

Noutra partida do dia, a Espanha e Iraque medem forças a partir das 16.00 horas.

Amanhã realizam-se os embates do Grupo B, a saber: Brasil-EUA, às 16.00 horas, e Itália- Egipto a partir das 20.00 horas.

A Itália e o Brasil vão à frente com três pontos, embora os italianos tenham melhor “goal-average”.Fernando Torres da Espanha lidera a lista dos melhores marcadores com três golos, seguido de Kaká do Brasil, Zidan do Egipto e Rossi da Itália, todos com dois.

publicado por Vaxko Zakarias às 11:47
 O que é? |  O que é? | favorito

DÉLCIO e Augusto, a dupla de vólei de praia em federados masculinos seleccionada para representar o país nos Jogos da Lusofonia de 11 a 19 do próximo mês em Lisboa, Portugal, iniciou no pretérito fim-de-semana a sua preparação.

Fazendo Desporto com a mulher(dia 7 de Abril)
A primeira sessão de treino realizou-se domingo na praia da Costa do Sol (zona da Miramar) tendo para o efeito disputado o Torneio Tintas Cin.

Pode-se dizer que Délcio/Augusto iniciou em grande a sua preparação visto que ocupou a primeira posição, destronando os pares formados por Litos/Macamo e Didi/Carlos, que se classificaram na segunda e terceira posições, respectivamente.

Moçambique estará representado no vólei de praia pelos masculinos que conseguiram melhor prestação no Torneio Internacional da Zona VI disputado mês passado no país, tendo ocupado a primeira posição.

No entanto, a classe feminina também participou no “Tintas Cin” tendo Guigui/Constância ficado em primeiro lugar.

Amélia/Rezia e Celeste/Raquel classificaram-se em segundo e terceiro lugares, respectivamente. Na classe recreativa, a Massiniqueira venceu, relegando as formações da Elite para o segundo posto e dos Folgados para o terceiro.

Masm, as atenções estiveram inteiramente viradas para Délcio e Augusto que têm a tarefa de defender as cores nacionais pela primeira vez nos Jogos da Lusofonia.

A dupla é actualmente a campeã nacional da modalidade.

publicado por Vaxko Zakarias às 10:28
 O que é? |  O que é? | favorito

DÉLCIO e Augusto, a dupla de vólei de praia em federados masculinos seleccionada para representar o país nos Jogos da Lusofonia de 11 a 19 do próximo mês em Lisboa, Portugal, iniciou no pretérito fim-de-semana a sua preparação.

Fazendo Desporto com a mulher(dia 7 de Abril)
A primeira sessão de treino realizou-se domingo na praia da Costa do Sol (zona da Miramar) tendo para o efeito disputado o Torneio Tintas Cin.

Pode-se dizer que Délcio/Augusto iniciou em grande a sua preparação visto que ocupou a primeira posição, destronando os pares formados por Litos/Macamo e Didi/Carlos, que se classificaram na segunda e terceira posições, respectivamente.

Moçambique estará representado no vólei de praia pelos masculinos que conseguiram melhor prestação no Torneio Internacional da Zona VI disputado mês passado no país, tendo ocupado a primeira posição.

No entanto, a classe feminina também participou no “Tintas Cin” tendo Guigui/Constância ficado em primeiro lugar.

Amélia/Rezia e Celeste/Raquel classificaram-se em segundo e terceiro lugares, respectivamente. Na classe recreativa, a Massiniqueira venceu, relegando as formações da Elite para o segundo posto e dos Folgados para o terceiro.

Masm, as atenções estiveram inteiramente viradas para Délcio e Augusto que têm a tarefa de defender as cores nacionais pela primeira vez nos Jogos da Lusofonia.

A dupla é actualmente a campeã nacional da modalidade.

publicado por Vaxko Zakarias às 10:28
 O que é? |  O que é? | favorito
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
15
20
21
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO