Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quinta-feira, 07 DE Maio 2009

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins inicia amanhã, no pavilhão anexo do Estrela Vermelha, a derradeira fase da sua preparação interna com vista ao Campeonato do Mundo do Grupo A, a decorrer entre os dias 3 e 11 de Julho, nas cidades espanholas de Vigo e Pontevedra.

Selecção Nacional de hóquei em patins
Para o efeito, 17 jogadores, dos 21 que corporizam a pré-convocatória elaborada pelos técnicos Pedro Pimentel e Júlio Mungói, entram em acção para uma etapa de treinamento mais objectiva, antes do estágio na Catalunha, programado para acontecer duas semanas antes da prova.

Dos atletas que neste momento integram o combinado nacional, sete são do Desportivo e cinco do Ferroviário, coincidentemente, as formações dos “misters” Pimentel e Mungói. Por seu turno, o Maxaquene contribui com quatro elementos e o Estrela Vermelha com apenas um, perfazendo 17 o grupo dos que actuam internamente. De Portugal, a convocatória inclui quatro hoquistas, a saber: Nuno Adrião, Paulo Pereira, José Soares e Bruno Adrião, que se juntarão aos seus colegas na Catalunha.

Entretanto, segundo soubemos, Bruno Adrião muito provavelmente não irá integrar o time, devido a motivos pessoais. A confirmar-se a sua ausência, sendo um dos jogadores preponderantes na selecção, a equipa técnica terá que levar para Vigo, cidade onde estará instalada a turma moçambicana, sete atletas dos que evoluem no país, e não seis como estava previsto. Dos 21 pré-convocados, apenas 10 integrarão o lote final que em Julho defenderá as cores nacionais.

NOVIDADES NA SELECÇÃO

A primeira sessão de treinos da selecção será marcada pela integração, pela primeira vez no time nacional, de Mercê Mungói, o único jogador do Estrela Vermelha convocado. A chamada deste jovem atleta, que tanto no Torneio de Abertura como na Taça Fernando Duarte revelou ter potencial, enquadra-se no plano de renovação da equipa, que em 2011 será a anfitriã do Campeonato Mundial.

A preparação que amanhã se inicia comporta duas fases: primeira, a decorrer em Maputo até à segunda quinzena de Junho; e a segunda, duas semanas antes do campeonato, na Catalunha, consistindo num estágio pré-competitivo e jogos de controlo de permeio. Nessa altura, o seleccionador Pedro Pimentel contará com o apoio do técnico espanhol José Barbarez, para além do seu adjunto Júlio Mungói.

Recorde-se que nesta 39ª edição do Campeonato Mundial de Hóquei em Patins do Grupo A, Moçambique está adstrito ao Grupo A, em Vigo, tendo como cabeça-de-série a Espanha, bicampeã do mundo. As outras equipas são de Angola e da Colômbia.

Em relação aos outros grupos, Suíça, Brasil, Andorra e Holanda compõem o B, igualmente em Vigo; Argentina, Portugal, Chile e Estados Unidos fazem parte do C, em Pontevedra; Itália, França, Alemanha e Inglaterra aglutinam-se no D, nesta mesma cidade.

Os pré-convocados para a selecção são os seguintes:

Desportivo - Arnaldo Queiroz, Nuno Tavares, Nelson Costa, Hélder Costa, David Pimentel, José Wilson Sigallete (Siga) e Bruno Pimentel.

Ferroviário - Lucas Cossa, Ivan Esculudes (Maninho), Spiros Esculudes (Kiko), Nelson Miquessene (Mafamba) e Ilídio Canda.

Maxaquene - Hélder Mateus, Stélio Paulo, Josuel dos Santos e Arsénio Farranguane.

Estrela Vermelha - Mercê Mungói.

Clube Hóquei de Cascais - Paulo Pereira.

Santa Clara - José Soares.

Clube de Oeiras - Nuno Adrião

Bruno Adrião (sem clube)

publicado por Vaxko Zakarias às 15:33
 O que é? |  O que é? | favorito

A SELECÇÃO Nacional de Hóquei em Patins inicia amanhã, no pavilhão anexo do Estrela Vermelha, a derradeira fase da sua preparação interna com vista ao Campeonato do Mundo do Grupo A, a decorrer entre os dias 3 e 11 de Julho, nas cidades espanholas de Vigo e Pontevedra.

Selecção Nacional de hóquei em patins
Para o efeito, 17 jogadores, dos 21 que corporizam a pré-convocatória elaborada pelos técnicos Pedro Pimentel e Júlio Mungói, entram em acção para uma etapa de treinamento mais objectiva, antes do estágio na Catalunha, programado para acontecer duas semanas antes da prova.

Dos atletas que neste momento integram o combinado nacional, sete são do Desportivo e cinco do Ferroviário, coincidentemente, as formações dos “misters” Pimentel e Mungói. Por seu turno, o Maxaquene contribui com quatro elementos e o Estrela Vermelha com apenas um, perfazendo 17 o grupo dos que actuam internamente. De Portugal, a convocatória inclui quatro hoquistas, a saber: Nuno Adrião, Paulo Pereira, José Soares e Bruno Adrião, que se juntarão aos seus colegas na Catalunha.

Entretanto, segundo soubemos, Bruno Adrião muito provavelmente não irá integrar o time, devido a motivos pessoais. A confirmar-se a sua ausência, sendo um dos jogadores preponderantes na selecção, a equipa técnica terá que levar para Vigo, cidade onde estará instalada a turma moçambicana, sete atletas dos que evoluem no país, e não seis como estava previsto. Dos 21 pré-convocados, apenas 10 integrarão o lote final que em Julho defenderá as cores nacionais.

NOVIDADES NA SELECÇÃO

A primeira sessão de treinos da selecção será marcada pela integração, pela primeira vez no time nacional, de Mercê Mungói, o único jogador do Estrela Vermelha convocado. A chamada deste jovem atleta, que tanto no Torneio de Abertura como na Taça Fernando Duarte revelou ter potencial, enquadra-se no plano de renovação da equipa, que em 2011 será a anfitriã do Campeonato Mundial.

A preparação que amanhã se inicia comporta duas fases: primeira, a decorrer em Maputo até à segunda quinzena de Junho; e a segunda, duas semanas antes do campeonato, na Catalunha, consistindo num estágio pré-competitivo e jogos de controlo de permeio. Nessa altura, o seleccionador Pedro Pimentel contará com o apoio do técnico espanhol José Barbarez, para além do seu adjunto Júlio Mungói.

Recorde-se que nesta 39ª edição do Campeonato Mundial de Hóquei em Patins do Grupo A, Moçambique está adstrito ao Grupo A, em Vigo, tendo como cabeça-de-série a Espanha, bicampeã do mundo. As outras equipas são de Angola e da Colômbia.

Em relação aos outros grupos, Suíça, Brasil, Andorra e Holanda compõem o B, igualmente em Vigo; Argentina, Portugal, Chile e Estados Unidos fazem parte do C, em Pontevedra; Itália, França, Alemanha e Inglaterra aglutinam-se no D, nesta mesma cidade.

Os pré-convocados para a selecção são os seguintes:

Desportivo - Arnaldo Queiroz, Nuno Tavares, Nelson Costa, Hélder Costa, David Pimentel, José Wilson Sigallete (Siga) e Bruno Pimentel.

Ferroviário - Lucas Cossa, Ivan Esculudes (Maninho), Spiros Esculudes (Kiko), Nelson Miquessene (Mafamba) e Ilídio Canda.

Maxaquene - Hélder Mateus, Stélio Paulo, Josuel dos Santos e Arsénio Farranguane.

Estrela Vermelha - Mercê Mungói.

Clube Hóquei de Cascais - Paulo Pereira.

Santa Clara - José Soares.

Clube de Oeiras - Nuno Adrião

Bruno Adrião (sem clube)

publicado por Vaxko Zakarias às 15:33
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTÁ consumada a primeira “chicotada psicológica” no Moçambola-2009! Trata-se da demissão de Sérgio Faife Matsolo, do cargo de treinador do Ferroviário de Nampula, na sequência dos maus resultados que a equipa vem tendo na prova, facto que se traduz no penúltimo lugar que ocupa na tabela classificativa.

Sérgio Faife Matsolo, ex treinador do Ferroviário de Nampula
Antoninho Muchanga, técnico-adjunto, irá provisoriamente orientar os “locomotivas”, enquanto não for indicado o novo treinador.

A derrota dos nampulenses, por uma bola sem resposta, frente ao FC Lichinga, no passado domingo, no Estádio Municipal 1º de Maio, terá estado na origem da decisão da Direcção do clube de prescindir dos serviços de Faife, mesmo antes de terminar o vínculo contratual (31 de Dezembro de 2009).

Faife, que havia sido contratado esta época com a missão de colocar os “locomotivas” da capital nortenha nos lugares cimeiros do Campeonato Nacional, não estava, segundo a Direcção da colectividade, a corresponder aos objectivos traçados por esta. O Ferroviário de Nampula ocupa a penúltima posição com apenas cinco pontos, frutos de outros tantos empates.

Entretanto, reagindo à sua demissão, Faife disse que esta decisão não era de estranhar, já que quando os resultados não aparecem o sacrificado é sempre o treinador. O técnico afirmou ter feito tudo o que esteve ao seu alcance para dar vitórias aos nampulenses, mas as graves lacunas de finalização não permitiram que tal fosse possível. “A nossa produção ofensiva nunca chegou a ser materializada em golos e, quando assim é, torna-se impossível ganhar jogos”, sublinhou.

Questionado se saía magoado, Faife, peremptoriamente, respondeu: “De forma nenhuma! Sempre fui bem tratado. Saio triste por não ter conseguido vencer neste clube. Desejo-lhe sucessos em tudo”.

Falando sobre o futuro, disse que, neste momento, ainda não pensou no nome do clube que irá treinar, até porque ainda não lhe surgiram propostas. “Preciso de resolver alguns assuntos com a Direcção do Ferroviário de Nampula e só depois terei cabeça para pensar no passo a seguir. Talvez nos próximos três dias comece a desenhar algo mais preciso”, concluiu o jovem “mister”, que regressa a Maputo ainda esta semana.

Os resultados do Ferroviário de Nampula até aqui registados no Moçambola-2009 são os seguintes:

1ª jornada - Ferroviário de Maputo, 2-Ferroviário de Nampula, 0

2ª jornada - Ferroviário de Nampula, 0-Desportivo, 0

3ª jornada - Ferroviário de Nampula, 2-Maxaquene, 2

4ª jornada – Textáfrica, 0-Ferroviário de Nampula, 0

5ª jornada - Ferroviário de Nampula, 1-Matchedje, 1

6ª jornada – HCB de Songo, 1-Ferroviário de Nampula, 0

7ª jornada - Ferroviário de Nampula, 0-Atlético Muçulmano, 0

8ª jornada - FC Lichinga, 1-Ferroviário de Nampula, 0

publicado por Vaxko Zakarias às 15:25
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTÁ consumada a primeira “chicotada psicológica” no Moçambola-2009! Trata-se da demissão de Sérgio Faife Matsolo, do cargo de treinador do Ferroviário de Nampula, na sequência dos maus resultados que a equipa vem tendo na prova, facto que se traduz no penúltimo lugar que ocupa na tabela classificativa.

Sérgio Faife Matsolo, ex treinador do Ferroviário de Nampula
Antoninho Muchanga, técnico-adjunto, irá provisoriamente orientar os “locomotivas”, enquanto não for indicado o novo treinador.

A derrota dos nampulenses, por uma bola sem resposta, frente ao FC Lichinga, no passado domingo, no Estádio Municipal 1º de Maio, terá estado na origem da decisão da Direcção do clube de prescindir dos serviços de Faife, mesmo antes de terminar o vínculo contratual (31 de Dezembro de 2009).

Faife, que havia sido contratado esta época com a missão de colocar os “locomotivas” da capital nortenha nos lugares cimeiros do Campeonato Nacional, não estava, segundo a Direcção da colectividade, a corresponder aos objectivos traçados por esta. O Ferroviário de Nampula ocupa a penúltima posição com apenas cinco pontos, frutos de outros tantos empates.

Entretanto, reagindo à sua demissão, Faife disse que esta decisão não era de estranhar, já que quando os resultados não aparecem o sacrificado é sempre o treinador. O técnico afirmou ter feito tudo o que esteve ao seu alcance para dar vitórias aos nampulenses, mas as graves lacunas de finalização não permitiram que tal fosse possível. “A nossa produção ofensiva nunca chegou a ser materializada em golos e, quando assim é, torna-se impossível ganhar jogos”, sublinhou.

Questionado se saía magoado, Faife, peremptoriamente, respondeu: “De forma nenhuma! Sempre fui bem tratado. Saio triste por não ter conseguido vencer neste clube. Desejo-lhe sucessos em tudo”.

Falando sobre o futuro, disse que, neste momento, ainda não pensou no nome do clube que irá treinar, até porque ainda não lhe surgiram propostas. “Preciso de resolver alguns assuntos com a Direcção do Ferroviário de Nampula e só depois terei cabeça para pensar no passo a seguir. Talvez nos próximos três dias comece a desenhar algo mais preciso”, concluiu o jovem “mister”, que regressa a Maputo ainda esta semana.

Os resultados do Ferroviário de Nampula até aqui registados no Moçambola-2009 são os seguintes:

1ª jornada - Ferroviário de Maputo, 2-Ferroviário de Nampula, 0

2ª jornada - Ferroviário de Nampula, 0-Desportivo, 0

3ª jornada - Ferroviário de Nampula, 2-Maxaquene, 2

4ª jornada – Textáfrica, 0-Ferroviário de Nampula, 0

5ª jornada - Ferroviário de Nampula, 1-Matchedje, 1

6ª jornada – HCB de Songo, 1-Ferroviário de Nampula, 0

7ª jornada - Ferroviário de Nampula, 0-Atlético Muçulmano, 0

8ª jornada - FC Lichinga, 1-Ferroviário de Nampula, 0

publicado por Vaxko Zakarias às 15:25
 O que é? |  O que é? | favorito

O MANCHESTER United apurou-se para a final da Liga dos Campeões Europeus e vai defender o título conquistado na época passada, depois de ter vencido, terça-feira, em Londres, o Arsenal por 3-1, na segunda “mão” das meias-finais da prova.

Manchester fez a festa
Após o triunfo em Old Trafford por 1-0, há uma semana, esperava-se emoção na capital inglesa, mas o conjunto de Alex Ferguson começou cedo a resolver a questão da presença no encontro decisivo do Estádio Olímpico de Roma, agendado para 27 de Maio.

Os “gunners” não tinham sofrido qualquer golo no Arsenal Stadium na presente temporada da “Champions League” e nos derradeiros 514 minutos, mas Ji-Sung Park e Cristiano Ronaldo, de livre directo, trataram de quebrar o registo por duas vezes nos primeiros 11 minutos, antes de o internacional português bisar na segunda parte. Robin van Persie reduziu de penalte a 14 minutos do fim, num lance em que Darren Fletcher foi expulso, pelo que irá assim falhar a final.

A vitória do United, vencedor da competição em três ocasiões e que pode tornar-se na primeira equipa a revalidar o título com êxito, interrompeu também a série de 24 desafios seguidos do Arsenal sem perder em casa na prova e que durava desde Abril de 2004.

O Arsenal até criou o primeiro lance de perigo pouco depois do apito do árbitro, quando um remate de Cesc Fàbregas, perto da área, quase traiu o guarda-redes Edwin van der Sar, após a bola ter tabelado nos dois defesas-centrais do United, Rio Ferdinand e Nemanja Vidić, antes de sair pela linha do fundo, mas, na primeira vez em que chegaram à baliza adversária, aos oito minutos, os forasteiros inauguraram o marcador.

Anderson abriu para Ronaldo na esquerda, o extremo português cruzou atrasado para o coração da área e Kieran Gibbs, que parecia ter o lance controlado, escorregou e deixou Park sozinho que, perante o guarda-redes Manuel Almunia, não perdoou.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:32
 O que é? |  O que é? | favorito

O MANCHESTER United apurou-se para a final da Liga dos Campeões Europeus e vai defender o título conquistado na época passada, depois de ter vencido, terça-feira, em Londres, o Arsenal por 3-1, na segunda “mão” das meias-finais da prova.

Manchester fez a festa
Após o triunfo em Old Trafford por 1-0, há uma semana, esperava-se emoção na capital inglesa, mas o conjunto de Alex Ferguson começou cedo a resolver a questão da presença no encontro decisivo do Estádio Olímpico de Roma, agendado para 27 de Maio.

Os “gunners” não tinham sofrido qualquer golo no Arsenal Stadium na presente temporada da “Champions League” e nos derradeiros 514 minutos, mas Ji-Sung Park e Cristiano Ronaldo, de livre directo, trataram de quebrar o registo por duas vezes nos primeiros 11 minutos, antes de o internacional português bisar na segunda parte. Robin van Persie reduziu de penalte a 14 minutos do fim, num lance em que Darren Fletcher foi expulso, pelo que irá assim falhar a final.

A vitória do United, vencedor da competição em três ocasiões e que pode tornar-se na primeira equipa a revalidar o título com êxito, interrompeu também a série de 24 desafios seguidos do Arsenal sem perder em casa na prova e que durava desde Abril de 2004.

O Arsenal até criou o primeiro lance de perigo pouco depois do apito do árbitro, quando um remate de Cesc Fàbregas, perto da área, quase traiu o guarda-redes Edwin van der Sar, após a bola ter tabelado nos dois defesas-centrais do United, Rio Ferdinand e Nemanja Vidić, antes de sair pela linha do fundo, mas, na primeira vez em que chegaram à baliza adversária, aos oito minutos, os forasteiros inauguraram o marcador.

Anderson abriu para Ronaldo na esquerda, o extremo português cruzou atrasado para o coração da área e Kieran Gibbs, que parecia ter o lance controlado, escorregou e deixou Park sozinho que, perante o guarda-redes Manuel Almunia, não perdoou.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:32
 O que é? |  O que é? | favorito

O PILOTO Bruno Campos tornou-se novo líder da Taça de Moçambique de Karts na classe do Max Challenge, com a anulação da primeira prova da categoria devido ao facto de não se ter registado o número mínimo de inscrições (quatro) – havia apenas três pilotos para a competição.

Bruno Campos (centro) é o novo líder do Max Challenge
No entanto, a organização decidiu, depois de recorrer ao regulamento da prova, validar apenas a segunda prova, ganha por Bruno Campos, no último domingo, projectando-o assim para o pódio, que antes pertencia a Tiago Fonseca, ora relegado ao terceiro plano, atrás de Norberto Varinde, antes detentor do terceiro lugar.

Porém, Bruno Campos não goza de nenhuma tranquilidade e nem pode clamar favoritismo, pois a diferença que lhe separa dos dois é mínima, facto que abre espaço para uma luta renhida na derradeira prova, curiosamente a próxima, agendada para o dia 25 de Junho.

A mesma medida foi aplicada no Max Júnior, onde igualmente se registou um número ínfimo de inscrições (dois). Porém, o piloto Megan Prinsloo manteve-se impune, pois voltou a liderar a prova de domingo, mas também não goza de nenhum conforto em relação ao segundo classificado, Benjamin Heineken. Na terceira posição está Manuel Brazuna, mas não tão longe do pódio.

De salientar que Tomás Brazuna lidera confortavelmente a prova dos GP Júnior, tendo como directos perseguidores Laher Maciel e Luachimo Mergulho.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:11
 O que é? |  O que é? | favorito

O PILOTO Bruno Campos tornou-se novo líder da Taça de Moçambique de Karts na classe do Max Challenge, com a anulação da primeira prova da categoria devido ao facto de não se ter registado o número mínimo de inscrições (quatro) – havia apenas três pilotos para a competição.

Bruno Campos (centro) é o novo líder do Max Challenge
No entanto, a organização decidiu, depois de recorrer ao regulamento da prova, validar apenas a segunda prova, ganha por Bruno Campos, no último domingo, projectando-o assim para o pódio, que antes pertencia a Tiago Fonseca, ora relegado ao terceiro plano, atrás de Norberto Varinde, antes detentor do terceiro lugar.

Porém, Bruno Campos não goza de nenhuma tranquilidade e nem pode clamar favoritismo, pois a diferença que lhe separa dos dois é mínima, facto que abre espaço para uma luta renhida na derradeira prova, curiosamente a próxima, agendada para o dia 25 de Junho.

A mesma medida foi aplicada no Max Júnior, onde igualmente se registou um número ínfimo de inscrições (dois). Porém, o piloto Megan Prinsloo manteve-se impune, pois voltou a liderar a prova de domingo, mas também não goza de nenhum conforto em relação ao segundo classificado, Benjamin Heineken. Na terceira posição está Manuel Brazuna, mas não tão longe do pódio.

De salientar que Tomás Brazuna lidera confortavelmente a prova dos GP Júnior, tendo como directos perseguidores Laher Maciel e Luachimo Mergulho.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:11
 O que é? |  O que é? | favorito
Ministro Sumbana na fábrica de bolas (C. BERNARDO)
O Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, esteve ontem no local para se inteirar dos trabalhos em curso e do grau de implementação do projecto, que envolve especialistas brasileiros.

A nossa Reportagem, que também esteve no local, acompanhou de perto o processo de fabrico de bolas para diversas modalidades, essencialmente destinadas à massificação desportiva.

O gerente do projecto visando a instalação da fábrica de bolas em Moçambique, o brasileiro Gerêncio Nelcyr de Bem, disse que já foram produzidas perto de 300 bolas, desde que há duas semanas iniciou o treinamento prático dos jovens moçambicanos, seleccionados através de um concurso público. Salientou que a capacidade de produção do pessoal em formação poderá atingir, semanalmente, 400 exemplares, atendendo que, por dia, a média é de duas/três bolas por cada um.

Gerêncio Nelcyr de Bem revelou que o equipamento instalado e o material disponível é suficiente para a produção de 7500 bolas para cinco modalidades, designadamente futebol, basquetebol, voleibol, futsal e andebol. Segundo ele, o limite de produção será determinado pelo investimento que o Governo moçambicano for a fazer em termos de recursos financeiros e humanos, para a formação de mais pessoal e capacitação dos que já foram treinados.

O Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, visivelmente satisfeito com a execução do projecto, não falou de uma produção à escala nacional, por enquanto, mas equacionou a possibilidade de formação de mais pessoal e sua especialização nesta matéria para, no futuro, servir de promotor de produção local em diversos pontos do país.

Gerêncio de Bem revelou que três dos melhores seleccionados seguirão para o Brasil, para um estágio de um mês na Unidade de Produção de Bolas do Ministério do Desporto daquele país latino-americano.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:09
 O que é? |  O que é? | favorito
Ministro Sumbana na fábrica de bolas (C. BERNARDO)
O Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, esteve ontem no local para se inteirar dos trabalhos em curso e do grau de implementação do projecto, que envolve especialistas brasileiros.

A nossa Reportagem, que também esteve no local, acompanhou de perto o processo de fabrico de bolas para diversas modalidades, essencialmente destinadas à massificação desportiva.

O gerente do projecto visando a instalação da fábrica de bolas em Moçambique, o brasileiro Gerêncio Nelcyr de Bem, disse que já foram produzidas perto de 300 bolas, desde que há duas semanas iniciou o treinamento prático dos jovens moçambicanos, seleccionados através de um concurso público. Salientou que a capacidade de produção do pessoal em formação poderá atingir, semanalmente, 400 exemplares, atendendo que, por dia, a média é de duas/três bolas por cada um.

Gerêncio Nelcyr de Bem revelou que o equipamento instalado e o material disponível é suficiente para a produção de 7500 bolas para cinco modalidades, designadamente futebol, basquetebol, voleibol, futsal e andebol. Segundo ele, o limite de produção será determinado pelo investimento que o Governo moçambicano for a fazer em termos de recursos financeiros e humanos, para a formação de mais pessoal e capacitação dos que já foram treinados.

O Ministro da Juventude e Desportos, Fernando Sumbana, visivelmente satisfeito com a execução do projecto, não falou de uma produção à escala nacional, por enquanto, mas equacionou a possibilidade de formação de mais pessoal e sua especialização nesta matéria para, no futuro, servir de promotor de produção local em diversos pontos do país.

Gerêncio de Bem revelou que três dos melhores seleccionados seguirão para o Brasil, para um estágio de um mês na Unidade de Produção de Bolas do Ministério do Desporto daquele país latino-americano.

publicado por Vaxko Zakarias às 14:09
 O que é? |  O que é? | favorito
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
16
17
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO