Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 04 DE Maio 2009

“Tricolores” cada vez mais distantes dos líderes do campeonato nacional de futebol.

Jgo entre o Ferroviario do Maputo e o Estrela Vermelha

O Maxaquene sofreu a terceira derrota consecutiva

no Moçambola-2009, ao perder diante do Atlético Muçulmano por uma bola sem resposta, em partida da oitava jornada da prova realizada no último sábado.

O Atlético entrou para a partida com a convicção de vencer e ultrapassar o Maxaquene na tabela classificativa, e foi o que se viu desde os primeiros minutos da primeira parte.

Mas foi necessário esperar 17 minutos para ver uma jogada de perigo, e logo na baliza do Maxaquene. Eboh do lado esquerdo fez um cruzamento milimétrico para a cabeça de Décio, mas o desviu foi mal feito e a bola saiu ao lado.

Depois, todas as jogadas eram feitas a nível do meio campo, até que aos 40 minutos aconteceu o lance que decidiu o jogo. Eboh entrou com perigo na grande área do Maxaquene pela esquerda e, quando se preparava para rematar, eis que a sua camusola é puxada por Narciso.

O árbitro Mateus Infante não teve dúvidas e apontou para a marca da grande penalidade. Clarêncio, chamado a converter, não disperdiçou e atirou a contar.

No regresso do descanso, o Maxaquene entrou com outra postura e encurralou o adversário na sua zona mais recuada e passou a dominar o jogo. As substituições efectuadas por Litos surtiram efeitos, porque o Maxaquene passou a atacar mais, com o recém-entrado Mustafá II a ser o jogador mais batalhador no ataque “tricolor”. Por duas vezes, Mustafá II tentou a sorte e fez jogar todos os seus colegas, mas a defesa “muçulmana” estava determinada a terminar o jogo com a vitória.

Já quase no fim do jogo, foi Artur Farias que tentou a sua sorte na cobrança de um livre apontado por Macamito, mas o seu cabeceamento saiu por cima da barra.

No final do jogo, Litos disse que não ia atirar a toalha ao chão por recomendação da direcção, visto que o seu contrato com os “tricolores” é de 2 anos renováveis. De acordo com Litos, não prometeu o título à direcção, mas sim a restruturação da equipa principal.

Alfredo Júnior

publicado por Vaxko Zakarias às 16:30
 O que é? |  O que é? | favorito

“Tricolores” cada vez mais distantes dos líderes do campeonato nacional de futebol.

Jgo entre o Ferroviario do Maputo e o Estrela Vermelha

O Maxaquene sofreu a terceira derrota consecutiva

no Moçambola-2009, ao perder diante do Atlético Muçulmano por uma bola sem resposta, em partida da oitava jornada da prova realizada no último sábado.

O Atlético entrou para a partida com a convicção de vencer e ultrapassar o Maxaquene na tabela classificativa, e foi o que se viu desde os primeiros minutos da primeira parte.

Mas foi necessário esperar 17 minutos para ver uma jogada de perigo, e logo na baliza do Maxaquene. Eboh do lado esquerdo fez um cruzamento milimétrico para a cabeça de Décio, mas o desviu foi mal feito e a bola saiu ao lado.

Depois, todas as jogadas eram feitas a nível do meio campo, até que aos 40 minutos aconteceu o lance que decidiu o jogo. Eboh entrou com perigo na grande área do Maxaquene pela esquerda e, quando se preparava para rematar, eis que a sua camusola é puxada por Narciso.

O árbitro Mateus Infante não teve dúvidas e apontou para a marca da grande penalidade. Clarêncio, chamado a converter, não disperdiçou e atirou a contar.

No regresso do descanso, o Maxaquene entrou com outra postura e encurralou o adversário na sua zona mais recuada e passou a dominar o jogo. As substituições efectuadas por Litos surtiram efeitos, porque o Maxaquene passou a atacar mais, com o recém-entrado Mustafá II a ser o jogador mais batalhador no ataque “tricolor”. Por duas vezes, Mustafá II tentou a sorte e fez jogar todos os seus colegas, mas a defesa “muçulmana” estava determinada a terminar o jogo com a vitória.

Já quase no fim do jogo, foi Artur Farias que tentou a sua sorte na cobrança de um livre apontado por Macamito, mas o seu cabeceamento saiu por cima da barra.

No final do jogo, Litos disse que não ia atirar a toalha ao chão por recomendação da direcção, visto que o seu contrato com os “tricolores” é de 2 anos renováveis. De acordo com Litos, não prometeu o título à direcção, mas sim a restruturação da equipa principal.

Alfredo Júnior

publicado por Vaxko Zakarias às 16:30
 O que é? |  O que é? | favorito

Os três clubes partilham a liderança da prova,com 19 pontos, e na próxima jornada têm embates que vão influenciar as suas posições na tabela classificativa

Tó esteve em branco na oitava jornada do Moçambola

A oitava jornada do Moçambola 2009 teve a particularidade de colocar três equipas no topo da classificação do campeonato nacional de futebol. Com efeito, o Costa do Sol registou a sua primeira derrota na edição 2009 da prova, pois foi à cidade da Beira sofrer o seu primeiro desaire diante do Ferroviário local, por escasso um zero, mas suficiente para conferir mais uma vitória à equipa de Aquil Marcelino, que vai ganhando terreno, após início titubeante na prova.

Com esta derrota, os “canarinhos” foram alcançados no topo da classificação pelo Ferroviário de Maputo e pela Liga Muçulmana, que saíram vitoriosos nos confrontos do pretérito fim-de-semana.

Os campeões nacionais, que estiveram a perder, tiveram que suar as estoupinhas para garantir um triunfo por 2-3, no terreno do Ferroviário de Nacala, que se deu “ao luxo” de falhar uma grande penalidade. Por outro lado, a Liga Muçulmana de Maputo, sem fazer um jogo brilhante, derrotou por uma bola sem resposta ao FC Lichinga.

Com estes defecho, Ferroviário de Maputo, Costa do Sol e Liga Muçulmana partilham a liderança do Moçambola 2009, todos com 19 pontos, ao cabo de oito jornadas.

Maxaquene perde pela terceira vez consecutiva

Uma das notas de realce da oitava jornada do campeonato nacional de Futebol vai para a terceira derrota consecutiva do Maxaquene na prova, pois os “tricolores”, orientados pelo português Litos, saíram derrotados, no confronto realizado no seu ex-campo, na baixa de Maputo, diante do Atlético Muçulmano que marcou um único golo, mas suficiente para somar o seu 12º ponto na prova.

O Desportivo de Maputo, que foi ao estádio da Machava para defrontar o Matchedje, teve que trabalhar bastante para ultrapassar a “armada defensiva” montada por Nacir Armando e que foi quebrada aos 85 minuto, com o golo “alvi-negro” a ser apontado por Nelson, numa partida que esteve oito minutos interrompida devido à intensa chuva que caiu na tarde de ontem na capital do país.

Outro destaque desta jornada vai para a vitória do FC Lichinga, por 1-0, diante do Ferroviário de Nampula, numa partida que serviu para o “ajuste de contas” entre os antigos jogadores da equipa de Niassa e a massa associativa do clube, que continua aborrecida com a saída de cerca de 14 jogadores e da equipa técnica chefiada por Sérgio Faife, que continua em “maus lençóis” nos “locomotivas” de Nampula.

Palmas vão também para o HCB do Songo que recebeu e venceu o Textáfrica do Chimoio, que não contou com os préstimos do sul-africano Surprise e saiu derrotado por uma bola sem resposta.

Desportivo vs Costa do Sol é o “derby” que se segue

A nona jornada do Moçambola 2009 tem como destaque o jogo entre o Desportivo de Maputo e o Costa do Sol, partida que terá lugar no estádio 1º de Maio e que irá ter influência directa na classificação da prova.

Outro confronto que vai implicar mexidas na tabela classificativa é o que vai envolver o Ferroviário de Maputo e a Liga Muçulmana, duas equipas que partilham a liderança da prova.

Matchedje vs HCB do Songo e Maxaquene vs FC Lichinga são outro dois jogos que prenderão as atenções dos adeptos do futebol moçambicano, enquanto o Atlético Muçulmano tem uma deslocação difícil ao terreno do Textáfrica do Chimoio, que vem de duas derrotas. O Chingale de Tete vai medir forças com o Ferroviário da Beira.

Alfredo Júnior
publicado por Vaxko Zakarias às 16:22
 O que é? |  O que é? | favorito

Os três clubes partilham a liderança da prova,com 19 pontos, e na próxima jornada têm embates que vão influenciar as suas posições na tabela classificativa

Tó esteve em branco na oitava jornada do Moçambola

A oitava jornada do Moçambola 2009 teve a particularidade de colocar três equipas no topo da classificação do campeonato nacional de futebol. Com efeito, o Costa do Sol registou a sua primeira derrota na edição 2009 da prova, pois foi à cidade da Beira sofrer o seu primeiro desaire diante do Ferroviário local, por escasso um zero, mas suficiente para conferir mais uma vitória à equipa de Aquil Marcelino, que vai ganhando terreno, após início titubeante na prova.

Com esta derrota, os “canarinhos” foram alcançados no topo da classificação pelo Ferroviário de Maputo e pela Liga Muçulmana, que saíram vitoriosos nos confrontos do pretérito fim-de-semana.

Os campeões nacionais, que estiveram a perder, tiveram que suar as estoupinhas para garantir um triunfo por 2-3, no terreno do Ferroviário de Nacala, que se deu “ao luxo” de falhar uma grande penalidade. Por outro lado, a Liga Muçulmana de Maputo, sem fazer um jogo brilhante, derrotou por uma bola sem resposta ao FC Lichinga.

Com estes defecho, Ferroviário de Maputo, Costa do Sol e Liga Muçulmana partilham a liderança do Moçambola 2009, todos com 19 pontos, ao cabo de oito jornadas.

Maxaquene perde pela terceira vez consecutiva

Uma das notas de realce da oitava jornada do campeonato nacional de Futebol vai para a terceira derrota consecutiva do Maxaquene na prova, pois os “tricolores”, orientados pelo português Litos, saíram derrotados, no confronto realizado no seu ex-campo, na baixa de Maputo, diante do Atlético Muçulmano que marcou um único golo, mas suficiente para somar o seu 12º ponto na prova.

O Desportivo de Maputo, que foi ao estádio da Machava para defrontar o Matchedje, teve que trabalhar bastante para ultrapassar a “armada defensiva” montada por Nacir Armando e que foi quebrada aos 85 minuto, com o golo “alvi-negro” a ser apontado por Nelson, numa partida que esteve oito minutos interrompida devido à intensa chuva que caiu na tarde de ontem na capital do país.

Outro destaque desta jornada vai para a vitória do FC Lichinga, por 1-0, diante do Ferroviário de Nampula, numa partida que serviu para o “ajuste de contas” entre os antigos jogadores da equipa de Niassa e a massa associativa do clube, que continua aborrecida com a saída de cerca de 14 jogadores e da equipa técnica chefiada por Sérgio Faife, que continua em “maus lençóis” nos “locomotivas” de Nampula.

Palmas vão também para o HCB do Songo que recebeu e venceu o Textáfrica do Chimoio, que não contou com os préstimos do sul-africano Surprise e saiu derrotado por uma bola sem resposta.

Desportivo vs Costa do Sol é o “derby” que se segue

A nona jornada do Moçambola 2009 tem como destaque o jogo entre o Desportivo de Maputo e o Costa do Sol, partida que terá lugar no estádio 1º de Maio e que irá ter influência directa na classificação da prova.

Outro confronto que vai implicar mexidas na tabela classificativa é o que vai envolver o Ferroviário de Maputo e a Liga Muçulmana, duas equipas que partilham a liderança da prova.

Matchedje vs HCB do Songo e Maxaquene vs FC Lichinga são outro dois jogos que prenderão as atenções dos adeptos do futebol moçambicano, enquanto o Atlético Muçulmano tem uma deslocação difícil ao terreno do Textáfrica do Chimoio, que vem de duas derrotas. O Chingale de Tete vai medir forças com o Ferroviário da Beira.

Alfredo Júnior
publicado por Vaxko Zakarias às 16:22
 O que é? |  O que é? | favorito

O Desportivo de Maputo venceu ontem o Matchedje por um a zero, em desafio da oitava jornada do Moçambola-2009.

Nelson trocou os olhos a Caló na direita do seu ataque e já dentro da área sofreu um ligeiro toque

O único tento do jogo foi apontado por Nelson, aos 40 minutos da etapa complementar. Numa primeira parte fraca e com poucos lances dignos de realce, o Desportivo de Maputo criou a primeira situação de perigo aos três minutos, num centro de Josué com a bola a ganhar trajectória e a embater caprichosamente no travessão.

Aos 24 minutos, devido à chuva que caiu na tarde de ontem em Maputo, causando fraca visibilidade, Estêvão Matsinhe e seus pares decidiram interromper momentaneamente a partida. Depois da chuva parar, registo para um livre apontado por Zainadine Júnior, com o esférico a passar a escassos centímetros do travessão.

Até ao intervalo, não houve registo de lances de perigo. Na segunda parte, o Desportivo de Maputo instalou-se no meio campo dos “militares”, mas os seus avançados sentiam muitas dificuldades para furar a densa muralha defensiva do adversário.

O Matchedje, por sua vez, povoou o seu meio campo e procurava surpreender o Desportivo de Maputo, com contra-ataques rápidos. Aos 57 minutos, Zainadine Júnior ganhou espaço na direita e fez um centro remate com a defesa do Matchedje a falhar a intercepção da bola. Esta sobrou para Muandro que rematou sem enquadramento com a baliza.

Nesta etapa, os pupilos de Artur Semedo mandavam no jogo mas pecavam, sobremaneira, no último reduto do Matchedje.

À passagem do minuto 33, Nelson trocou os olhos a Caló na direita do seu ataque e já dentro da área sofreu um ligeiro toque, mas Estêvão Matsinhe mandou o jogo prosseguir admoestando o atleta “alvi-negro” com o cartão amarelo.

A cinco minutos do final da partida, Nelson, numa brilhante jogada individual, rematou forte e colocou a bola com o pé esquerdo no fundo das malhas. Era a alegria dos adeptos do Desportivo de Maputo que sofreram até ao fim do jogo.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:17
 O que é? |  O que é? | favorito

O Desportivo de Maputo venceu ontem o Matchedje por um a zero, em desafio da oitava jornada do Moçambola-2009.

Nelson trocou os olhos a Caló na direita do seu ataque e já dentro da área sofreu um ligeiro toque

O único tento do jogo foi apontado por Nelson, aos 40 minutos da etapa complementar. Numa primeira parte fraca e com poucos lances dignos de realce, o Desportivo de Maputo criou a primeira situação de perigo aos três minutos, num centro de Josué com a bola a ganhar trajectória e a embater caprichosamente no travessão.

Aos 24 minutos, devido à chuva que caiu na tarde de ontem em Maputo, causando fraca visibilidade, Estêvão Matsinhe e seus pares decidiram interromper momentaneamente a partida. Depois da chuva parar, registo para um livre apontado por Zainadine Júnior, com o esférico a passar a escassos centímetros do travessão.

Até ao intervalo, não houve registo de lances de perigo. Na segunda parte, o Desportivo de Maputo instalou-se no meio campo dos “militares”, mas os seus avançados sentiam muitas dificuldades para furar a densa muralha defensiva do adversário.

O Matchedje, por sua vez, povoou o seu meio campo e procurava surpreender o Desportivo de Maputo, com contra-ataques rápidos. Aos 57 minutos, Zainadine Júnior ganhou espaço na direita e fez um centro remate com a defesa do Matchedje a falhar a intercepção da bola. Esta sobrou para Muandro que rematou sem enquadramento com a baliza.

Nesta etapa, os pupilos de Artur Semedo mandavam no jogo mas pecavam, sobremaneira, no último reduto do Matchedje.

À passagem do minuto 33, Nelson trocou os olhos a Caló na direita do seu ataque e já dentro da área sofreu um ligeiro toque, mas Estêvão Matsinhe mandou o jogo prosseguir admoestando o atleta “alvi-negro” com o cartão amarelo.

A cinco minutos do final da partida, Nelson, numa brilhante jogada individual, rematou forte e colocou a bola com o pé esquerdo no fundo das malhas. Era a alegria dos adeptos do Desportivo de Maputo que sofreram até ao fim do jogo.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:17
 O que é? |  O que é? | favorito

O Ferroviário da Beira entrou para esta jornada decidida a levar de vencida o Costa do Sol, que foi para o caldeirão do Chiveve na qualidade do líder do Moçambola.

Os pupilos de Aquil Marcelino privilegiaram a troca rápida de bola

Os pupilos de Aquil Marcelino privilegiaram a troca rápida de bola, principalmente, a partir do meio campo adversário, facto que apanhou vezes sem conta os “canarinhos” desprevenidos desde o minuto inicial. Mas foi num toque de bola parada, que a equipa de Maputo viu as suas malhas a serem violadas no minuto 5, num livre cobrado por Timbe.

O Costa do Sol acusou o golo e não ficou de braços cruzados. contudo foi o Ferroviário da beira que continuou a dominar a partida até ao apito final do primeiro tempo.

Na segunda parte, o Costa do Sol apareceu com lições bem estudadas, com o treinador João Chissano a proceder à primeira substituição, tirou Silvério e no seu lugar colocou Júnior. Nada mudou. O “comboio” da Beira continuou a passearam a sua classe, tornando os “canarinhos” uma equipa vulgar.

Contudo, à entrada do último quarto de hora, o costa do Sol numa jogada de contra-ataque e por intermédio de Marufo conseguiu introduzir a bola na baliza contrária, mas foi prontamente anulado pela equipa de arbitragem, sob alegação de um fora de jogo.

A decisão deixou a turma e equipa técnica de Maputo furiosas, tendo até invadido as quatro linhas exigindo explicações aos árbitros. Foi necessária a intervenção da polícia para amainar os ânimos.

Na confusão, Ruben que já tinha uma cartolina amarela, acabou vendo a segunda, na sequencia de uma discussão com um dos árbitros auxiliares, facto que culminou com a sua expulsão.

Reduzido a 10 unidades, o Costa do sol não recorreu à defensiva, pelo contrário, continuou a jogar normalmente à busca do golo de empate, que não surgiu até ao apito final com os “locomotivas” beirenses a serem perdulários em várias ocasiões. Aliás, se a partida tivesse terminado com mais de 2 golos a favor do Ferroviário, aceitar-se-ia perfeitamente esse resultado.

Francisco Raiva

publicado por Vaxko Zakarias às 16:15
 O que é? |  O que é? | favorito

O Ferroviário da Beira entrou para esta jornada decidida a levar de vencida o Costa do Sol, que foi para o caldeirão do Chiveve na qualidade do líder do Moçambola.

Os pupilos de Aquil Marcelino privilegiaram a troca rápida de bola

Os pupilos de Aquil Marcelino privilegiaram a troca rápida de bola, principalmente, a partir do meio campo adversário, facto que apanhou vezes sem conta os “canarinhos” desprevenidos desde o minuto inicial. Mas foi num toque de bola parada, que a equipa de Maputo viu as suas malhas a serem violadas no minuto 5, num livre cobrado por Timbe.

O Costa do Sol acusou o golo e não ficou de braços cruzados. contudo foi o Ferroviário da beira que continuou a dominar a partida até ao apito final do primeiro tempo.

Na segunda parte, o Costa do Sol apareceu com lições bem estudadas, com o treinador João Chissano a proceder à primeira substituição, tirou Silvério e no seu lugar colocou Júnior. Nada mudou. O “comboio” da Beira continuou a passearam a sua classe, tornando os “canarinhos” uma equipa vulgar.

Contudo, à entrada do último quarto de hora, o costa do Sol numa jogada de contra-ataque e por intermédio de Marufo conseguiu introduzir a bola na baliza contrária, mas foi prontamente anulado pela equipa de arbitragem, sob alegação de um fora de jogo.

A decisão deixou a turma e equipa técnica de Maputo furiosas, tendo até invadido as quatro linhas exigindo explicações aos árbitros. Foi necessária a intervenção da polícia para amainar os ânimos.

Na confusão, Ruben que já tinha uma cartolina amarela, acabou vendo a segunda, na sequencia de uma discussão com um dos árbitros auxiliares, facto que culminou com a sua expulsão.

Reduzido a 10 unidades, o Costa do sol não recorreu à defensiva, pelo contrário, continuou a jogar normalmente à busca do golo de empate, que não surgiu até ao apito final com os “locomotivas” beirenses a serem perdulários em várias ocasiões. Aliás, se a partida tivesse terminado com mais de 2 golos a favor do Ferroviário, aceitar-se-ia perfeitamente esse resultado.

Francisco Raiva

publicado por Vaxko Zakarias às 16:15
 O que é? |  O que é? | favorito

A Liga Muçulmana, que vinha de uma derrota diante do Costa do Sol, entrou disposta a resolver o jogo logo no início da partida. Aos 2 minutos, os “muçulmanos” chegaram ao golo por intermédio de Sadomba, que concluiu da melhor forma um centro da direita do seu ataque.

Sadomba, que concluiu da  melhor forma um centro da direita do seu ataque.

O Chingale tentou reagir, mas o esforço foi por água abaixo.

Depois do golo, várias foram as oportunidades que a Liga teve para dilatar o “score”, mas sempre os avançados falhavam na concretização.

As duas equipas saíram para o intervalo com o resultado de 1-0 a favor dos “muçulmanos”.

Na etapa complementar, as duas equipas entraram com uma boa disposição e com a convicção de que podiam marcar mais golos.

A Liga Muçulmana procurava o segundo tento, enquanto “os canarinhos” de Tete tentavam chegar ao golo de empate.

Quase no final do encontro, Sadomba, na transformação de um livre na esquerda, viu a bola a passar a escassos centímetros do travessão.

Mesmo sob pressão dos “muçulmanos”, os homens de Tete não baixaram os braço, tentando complicar as intenções do seu adversário.

Do lado direito, Mavó, um dos jogadores mais experientes deste Moçambola, fazia cada vez mais jogadas espetaculares que culminavam com os cruzamentos para a área adversárias, mas sem o devido aproveitamento dos seus colegas. A Liga Muçulmana continuava a pressionar o adversário. Numa das jogadas, Filipe fez um centro para área contrária com indicações de golo iminente, mas a defesa do Chingale apareceu a aliviar.

E desta forma, o árbitro do encontro mandava terminar a partida com a vitória da Liga Muçulmana tangencial, por uma bola a zero. Com esta vitória, a Liga passa a somar 19 pontos, os mesmo do Costa do Sol, na maior prova futebolísticas de Moçambique.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:09
 O que é? |  O que é? | favorito

A Liga Muçulmana, que vinha de uma derrota diante do Costa do Sol, entrou disposta a resolver o jogo logo no início da partida. Aos 2 minutos, os “muçulmanos” chegaram ao golo por intermédio de Sadomba, que concluiu da melhor forma um centro da direita do seu ataque.

Sadomba, que concluiu da  melhor forma um centro da direita do seu ataque.

O Chingale tentou reagir, mas o esforço foi por água abaixo.

Depois do golo, várias foram as oportunidades que a Liga teve para dilatar o “score”, mas sempre os avançados falhavam na concretização.

As duas equipas saíram para o intervalo com o resultado de 1-0 a favor dos “muçulmanos”.

Na etapa complementar, as duas equipas entraram com uma boa disposição e com a convicção de que podiam marcar mais golos.

A Liga Muçulmana procurava o segundo tento, enquanto “os canarinhos” de Tete tentavam chegar ao golo de empate.

Quase no final do encontro, Sadomba, na transformação de um livre na esquerda, viu a bola a passar a escassos centímetros do travessão.

Mesmo sob pressão dos “muçulmanos”, os homens de Tete não baixaram os braço, tentando complicar as intenções do seu adversário.

Do lado direito, Mavó, um dos jogadores mais experientes deste Moçambola, fazia cada vez mais jogadas espetaculares que culminavam com os cruzamentos para a área adversárias, mas sem o devido aproveitamento dos seus colegas. A Liga Muçulmana continuava a pressionar o adversário. Numa das jogadas, Filipe fez um centro para área contrária com indicações de golo iminente, mas a defesa do Chingale apareceu a aliviar.

E desta forma, o árbitro do encontro mandava terminar a partida com a vitória da Liga Muçulmana tangencial, por uma bola a zero. Com esta vitória, a Liga passa a somar 19 pontos, os mesmo do Costa do Sol, na maior prova futebolísticas de Moçambique.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:09
 O que é? |  O que é? | favorito

A Liga Muçulmana, que vinha de uma derrota diante do Costa do Sol, entrou disposta a resolver o jogo logo no início da partida. Aos 2 minutos, os “muçulmanos” chegaram ao golo por intermédio de Sadomba, que concluiu da melhor forma um centro da direita do seu ataque.

Sadomba, que concluiu da  melhor forma um centro da direita do seu ataque.

O Chingale tentou reagir, mas o esforço foi por água abaixo.

Depois do golo, várias foram as oportunidades que a Liga teve para dilatar o “score”, mas sempre os avançados falhavam na concretização.

As duas equipas saíram para o intervalo com o resultado de 1-0 a favor dos “muçulmanos”.

Na etapa complementar, as duas equipas entraram com uma boa disposição e com a convicção de que podiam marcar mais golos.

A Liga Muçulmana procurava o segundo tento, enquanto “os canarinhos” de Tete tentavam chegar ao golo de empate.

Quase no final do encontro, Sadomba, na transformação de um livre na esquerda, viu a bola a passar a escassos centímetros do travessão.

Mesmo sob pressão dos “muçulmanos”, os homens de Tete não baixaram os braço, tentando complicar as intenções do seu adversário.

Do lado direito, Mavó, um dos jogadores mais experientes deste Moçambola, fazia cada vez mais jogadas espetaculares que culminavam com os cruzamentos para a área adversárias, mas sem o devido aproveitamento dos seus colegas. A Liga Muçulmana continuava a pressionar o adversário. Numa das jogadas, Filipe fez um centro para área contrária com indicações de golo iminente, mas a defesa do Chingale apareceu a aliviar.

E desta forma, o árbitro do encontro mandava terminar a partida com a vitória da Liga Muçulmana tangencial, por uma bola a zero. Com esta vitória, a Liga passa a somar 19 pontos, os mesmo do Costa do Sol, na maior prova futebolísticas de Moçambique.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:09
 O que é? |  O que é? | favorito

A Liga Muçulmana, que vinha de uma derrota diante do Costa do Sol, entrou disposta a resolver o jogo logo no início da partida. Aos 2 minutos, os “muçulmanos” chegaram ao golo por intermédio de Sadomba, que concluiu da melhor forma um centro da direita do seu ataque.

Sadomba, que concluiu da  melhor forma um centro da direita do seu ataque.

O Chingale tentou reagir, mas o esforço foi por água abaixo.

Depois do golo, várias foram as oportunidades que a Liga teve para dilatar o “score”, mas sempre os avançados falhavam na concretização.

As duas equipas saíram para o intervalo com o resultado de 1-0 a favor dos “muçulmanos”.

Na etapa complementar, as duas equipas entraram com uma boa disposição e com a convicção de que podiam marcar mais golos.

A Liga Muçulmana procurava o segundo tento, enquanto “os canarinhos” de Tete tentavam chegar ao golo de empate.

Quase no final do encontro, Sadomba, na transformação de um livre na esquerda, viu a bola a passar a escassos centímetros do travessão.

Mesmo sob pressão dos “muçulmanos”, os homens de Tete não baixaram os braço, tentando complicar as intenções do seu adversário.

Do lado direito, Mavó, um dos jogadores mais experientes deste Moçambola, fazia cada vez mais jogadas espetaculares que culminavam com os cruzamentos para a área adversárias, mas sem o devido aproveitamento dos seus colegas. A Liga Muçulmana continuava a pressionar o adversário. Numa das jogadas, Filipe fez um centro para área contrária com indicações de golo iminente, mas a defesa do Chingale apareceu a aliviar.

E desta forma, o árbitro do encontro mandava terminar a partida com a vitória da Liga Muçulmana tangencial, por uma bola a zero. Com esta vitória, a Liga passa a somar 19 pontos, os mesmo do Costa do Sol, na maior prova futebolísticas de Moçambique.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:09
 O que é? |  O que é? | favorito
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
16
17
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO