Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 19 DE Janeiro 2009
Joel Libombo, administrador da Organização Regional Anti-Doping (RADO), uma instituição sedeada em Maputo
MOÇAMBIQUE e Mali são os dois primeiros países africanos a beneficiarem de um pacote financeiro da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que deverá ser aplicado em programas de combate às várias formas de “doping” no desporto.

O montante, avaliado em 360 mil dólares norte-americanos, destina-se fundamentalmente à mecanização de vários programas de comunicação e educação desportiva, com vista a eliminar o “doping”. Assim, sobe para quatro o número de países contemplados, uma vez que Jamaica e Paraguai foram também abrangidos pelo fundo.

Joel Libombo, administrador da Organização Regional Anti-Doping (RADO), uma instituição sedeada em Maputo, disse, sexta-feira, que Moçambique e Mali apresentaram programas que espelham a total salvaguarda da legislação e regulamentação desportiva, daí que conseguiram aceder ao subsídio da UNESCO.

“Há várias componentes que devem ser seriamente asseguradas, entre elas a importação de determinados medicamentos, as componentes crime saúde pública e, depois, há também que não ferir a própria verdade desportiva”, disse Libombo.

A salvaguarda destes aspectos em termos de legislação e regulamentação desportiva deu a Moçambique e Mali a oportunidade de serem os dois primeiros países africanos que conseguiram o financiamento canalizado por aquela agência das Nações Unidas.

O administrador da RADO referiu, por outro lado, que o fundo, com duas vertentes básicas (comunicação e educação), é um valor acrescentado porque viabilizará os diversos programas preconizados no combate ao “doping”, garantindo a verdade desportiva.

Desta feita, no que tange à comunicação, a RADO, em Moçambique, dedicar-se-á à produção de cartazes de comunicação com imagens de prezadas figuras do desporto, visando, acima de tudo, transmitir mensagens de coragem, tenacidade e de sacrifício à nova geração de atletas para um desporto sadio e livre do “doping”.

Em relação à educação, serão produzidos livros e materiais educativos relativos aos procedimentos que um atleta deve seguir sempre que for abordado para uma testagem, as substâncias que pode consumir e os próprios medicamentos.

Aliás, estão igualmente contemplados outros materiais de educação que podem dar um contributo para que o atleta, os técnicos e todos os envolvidos no movimento possam educar os desportistas para não caírem nas malhas do “doping”.

Nos Jogos da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), com excepção da África do Sul, anfitriã, seis países participaram nos testes anti-“doping” e uma atleta moçambicana fez parte do grupo. Os respectivos resultados serão conhecidos dentro de uma semana, onde saber-se-á se todos foram qualificados. Os testes, sob supervisão da SAIDS (South African Institute for Drug Free Sport), consistiram em 50 exames aos vários atletas envolvidos.

Joel Libombo apela aos países a criarem organizações nacionais de combate ao “doping”, onde os governos, os comités olímpicos e as várias associações possam fazer cumprir as normas por eles aprovadas (os regulamentos anti-“doping”). Reitera, igualmente, a necessidade de maior divulgação e comparticipação de todos os parceiros, desde as federações, os governos, as organizações desportivas escolares e outras para que os atletas saibam que o uso do “doping” é prejudicial à saúde, é uma mentira desportiva, uma ofensa à saúde pública, mas sobretudo um crime.

A RADO tem como visão livrar o desporto das drogas na Zona VI, através da promoção e coordenação do combate ao “doping” e garantir que o desporto, em geral, pugne por valores nobres, independência, responsabilidade, abordagem ética, profissionalismo entre outras normas.

AIM

publicado por Vaxko Zakarias às 17:00
 O que é? |  O que é? | favorito
Joel Libombo, administrador da Organização Regional Anti-Doping (RADO), uma instituição sedeada em Maputo
MOÇAMBIQUE e Mali são os dois primeiros países africanos a beneficiarem de um pacote financeiro da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que deverá ser aplicado em programas de combate às várias formas de “doping” no desporto.

O montante, avaliado em 360 mil dólares norte-americanos, destina-se fundamentalmente à mecanização de vários programas de comunicação e educação desportiva, com vista a eliminar o “doping”. Assim, sobe para quatro o número de países contemplados, uma vez que Jamaica e Paraguai foram também abrangidos pelo fundo.

Joel Libombo, administrador da Organização Regional Anti-Doping (RADO), uma instituição sedeada em Maputo, disse, sexta-feira, que Moçambique e Mali apresentaram programas que espelham a total salvaguarda da legislação e regulamentação desportiva, daí que conseguiram aceder ao subsídio da UNESCO.

“Há várias componentes que devem ser seriamente asseguradas, entre elas a importação de determinados medicamentos, as componentes crime saúde pública e, depois, há também que não ferir a própria verdade desportiva”, disse Libombo.

A salvaguarda destes aspectos em termos de legislação e regulamentação desportiva deu a Moçambique e Mali a oportunidade de serem os dois primeiros países africanos que conseguiram o financiamento canalizado por aquela agência das Nações Unidas.

O administrador da RADO referiu, por outro lado, que o fundo, com duas vertentes básicas (comunicação e educação), é um valor acrescentado porque viabilizará os diversos programas preconizados no combate ao “doping”, garantindo a verdade desportiva.

Desta feita, no que tange à comunicação, a RADO, em Moçambique, dedicar-se-á à produção de cartazes de comunicação com imagens de prezadas figuras do desporto, visando, acima de tudo, transmitir mensagens de coragem, tenacidade e de sacrifício à nova geração de atletas para um desporto sadio e livre do “doping”.

Em relação à educação, serão produzidos livros e materiais educativos relativos aos procedimentos que um atleta deve seguir sempre que for abordado para uma testagem, as substâncias que pode consumir e os próprios medicamentos.

Aliás, estão igualmente contemplados outros materiais de educação que podem dar um contributo para que o atleta, os técnicos e todos os envolvidos no movimento possam educar os desportistas para não caírem nas malhas do “doping”.

Nos Jogos da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), com excepção da África do Sul, anfitriã, seis países participaram nos testes anti-“doping” e uma atleta moçambicana fez parte do grupo. Os respectivos resultados serão conhecidos dentro de uma semana, onde saber-se-á se todos foram qualificados. Os testes, sob supervisão da SAIDS (South African Institute for Drug Free Sport), consistiram em 50 exames aos vários atletas envolvidos.

Joel Libombo apela aos países a criarem organizações nacionais de combate ao “doping”, onde os governos, os comités olímpicos e as várias associações possam fazer cumprir as normas por eles aprovadas (os regulamentos anti-“doping”). Reitera, igualmente, a necessidade de maior divulgação e comparticipação de todos os parceiros, desde as federações, os governos, as organizações desportivas escolares e outras para que os atletas saibam que o uso do “doping” é prejudicial à saúde, é uma mentira desportiva, uma ofensa à saúde pública, mas sobretudo um crime.

A RADO tem como visão livrar o desporto das drogas na Zona VI, através da promoção e coordenação do combate ao “doping” e garantir que o desporto, em geral, pugne por valores nobres, independência, responsabilidade, abordagem ética, profissionalismo entre outras normas.

AIM

publicado por Vaxko Zakarias às 17:00
 O que é? |  O que é? | favorito

AS formações dos bairros Zimpeto e Mafalala, nas séries “B” e “D”, juntaram-se aos restantes apurados aos quartos-de-final da XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec, que se disputam amanhã, terça-feira, nos Campos do Cape-Cape e Académica.

 Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec
Zimpeto e Mafalala, que concorriam às últimas vagas juntamente com Aeroporto (série “B”), 3 de Fevereiro e Inhaca (série “D”), respectivamente, acabaram concretizando o seu sonho na derradeira jornada da fase de grupos, realizada no último sábado.

Zimpeto foi bafejado pela sorte ao arrancar um empate diante do Aeroporto, que permitiu que mantivesse a vantagem de um ponto que detinha sobre aquele antes do confronto entre si.

Quem saiu orgulhoso na luta pelas últimas vagas é Mafalala, ao bater categoricamente o líder do grupo, Malhangalene, por 3-0, deixando atrás 3 de Fevereiro e Inhaca, que consigo concorriam para os quartos-de-final. Aliás, Mafalala partiu para a derradeira jornada com os mesmos pontos que 3 de Fevereiro e Inhaca e teve a sorte de ter sido o único vencedor, pois os seus oponentes saíram empatados sem abertura de contagem no jogo entre si.

Com este desfecho ficaram dissipadas as dúvidas que pairavam sobre a possibilidade de Mafalala poder seguir em frente, sendo um dos bairros tradicionais neste evento, à semelhança de Chamanculo, que assegurou a transição a uma jornada da conclusão da fase de grupos.

Aliás, as últimas edições têm trazido à prova a hegemonia destes conjuntos e de outros tidos como assíduos concorrentes ao título, casos do Maxaquene, campeão em título, entre outros que têm marcado presença na fase final, casos de Polana-Caniço e George Dimitrov. Isso pode notar-se nesta XX edição, em que aparecem muitos bairros com menor expressão nesta derradeira etapa do torneio. São casos do Zimpeto, na série “B”, Urbanização e FPLM, na “C”, e Malhangalene, na “D”.

Aliás, o Maxaquene é o grande ausente nesta edição, tendo sido afastado precocemente na fase distrital, perdendo desse modo a possibilidade de lutar pelo título.

Assim, a luta pelo primeiro lugar cinge-se a quatro equipas, nomeadamente Chamanculo, Mafalala, Luís Cabral e Inhagóia, que já se sagraram campeões neste torneio, sendo os primeiros dois bairros mais regulares.

Porém, Chamanculo e Mafalala têm estado a perder os seus créditos, por ultimamente não conseguirem impor-se aos “mais novos”, remetendo-se ao segundo plano. Prova disso, aparecem nos quartos-de-final na condição de acompanhantes, uma vez que não conseguiram destacar-se nos grupos onde estiveram inseridos.

25 DE JUNHO DEFENDE O TÍTULO FEMININO

Contrariamente ao Maxaquene, em masculinos, que muito cedo foi impedido de continuar na corrida pela defesa do título, a campeã 25 de Junho cimentou as esperanças de continuar na luta pelo segundo título consecutivo.

25 de Junho transitou para a fase que se segue juntamente com Aeroporto, na série “A”, e poderá disputar o título com Hulene, um dos assíduos concorrentes ao troféu. Hulene destacou-se na série “C”, com Polana-Caniço.

Porém, grande destaque vai para as formações dos bairros de Nsalene e Jardim, sem maior expressão no torneio, que transitaram na série “B”.

Os apurados da série “D”, a última, são Malhangalene e Albazine, também sem grande historial nesta prova.

SALVADOR NHANTUMBO

publicado por Vaxko Zakarias às 16:48
 O que é? |  O que é? | favorito

AS formações dos bairros Zimpeto e Mafalala, nas séries “B” e “D”, juntaram-se aos restantes apurados aos quartos-de-final da XX edição do Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec, que se disputam amanhã, terça-feira, nos Campos do Cape-Cape e Académica.

 Torneio de Futebol Infanto-Juvenil da Cidade de Maputo, vulgo Bebec
Zimpeto e Mafalala, que concorriam às últimas vagas juntamente com Aeroporto (série “B”), 3 de Fevereiro e Inhaca (série “D”), respectivamente, acabaram concretizando o seu sonho na derradeira jornada da fase de grupos, realizada no último sábado.

Zimpeto foi bafejado pela sorte ao arrancar um empate diante do Aeroporto, que permitiu que mantivesse a vantagem de um ponto que detinha sobre aquele antes do confronto entre si.

Quem saiu orgulhoso na luta pelas últimas vagas é Mafalala, ao bater categoricamente o líder do grupo, Malhangalene, por 3-0, deixando atrás 3 de Fevereiro e Inhaca, que consigo concorriam para os quartos-de-final. Aliás, Mafalala partiu para a derradeira jornada com os mesmos pontos que 3 de Fevereiro e Inhaca e teve a sorte de ter sido o único vencedor, pois os seus oponentes saíram empatados sem abertura de contagem no jogo entre si.

Com este desfecho ficaram dissipadas as dúvidas que pairavam sobre a possibilidade de Mafalala poder seguir em frente, sendo um dos bairros tradicionais neste evento, à semelhança de Chamanculo, que assegurou a transição a uma jornada da conclusão da fase de grupos.

Aliás, as últimas edições têm trazido à prova a hegemonia destes conjuntos e de outros tidos como assíduos concorrentes ao título, casos do Maxaquene, campeão em título, entre outros que têm marcado presença na fase final, casos de Polana-Caniço e George Dimitrov. Isso pode notar-se nesta XX edição, em que aparecem muitos bairros com menor expressão nesta derradeira etapa do torneio. São casos do Zimpeto, na série “B”, Urbanização e FPLM, na “C”, e Malhangalene, na “D”.

Aliás, o Maxaquene é o grande ausente nesta edição, tendo sido afastado precocemente na fase distrital, perdendo desse modo a possibilidade de lutar pelo título.

Assim, a luta pelo primeiro lugar cinge-se a quatro equipas, nomeadamente Chamanculo, Mafalala, Luís Cabral e Inhagóia, que já se sagraram campeões neste torneio, sendo os primeiros dois bairros mais regulares.

Porém, Chamanculo e Mafalala têm estado a perder os seus créditos, por ultimamente não conseguirem impor-se aos “mais novos”, remetendo-se ao segundo plano. Prova disso, aparecem nos quartos-de-final na condição de acompanhantes, uma vez que não conseguiram destacar-se nos grupos onde estiveram inseridos.

25 DE JUNHO DEFENDE O TÍTULO FEMININO

Contrariamente ao Maxaquene, em masculinos, que muito cedo foi impedido de continuar na corrida pela defesa do título, a campeã 25 de Junho cimentou as esperanças de continuar na luta pelo segundo título consecutivo.

25 de Junho transitou para a fase que se segue juntamente com Aeroporto, na série “A”, e poderá disputar o título com Hulene, um dos assíduos concorrentes ao troféu. Hulene destacou-se na série “C”, com Polana-Caniço.

Porém, grande destaque vai para as formações dos bairros de Nsalene e Jardim, sem maior expressão no torneio, que transitaram na série “B”.

Os apurados da série “D”, a última, são Malhangalene e Albazine, também sem grande historial nesta prova.

SALVADOR NHANTUMBO

publicado por Vaxko Zakarias às 16:48
 O que é? |  O que é? | favorito

A eliminação da Carlsberg Cup diante da Académica teve o condão de esgotar a paciência dos adeptos que, a meio da partida, já pediam a "cabeça" do técnico moçambicano Dauto Faquirá.

Dauto Faquira ex treinador do Vitori de Setubal
Na verdade, a ira apoderou-se dos indefectíveis sadinos ao aperceberem-se de que a sua equipa estaria arredada da competição que o mesmo Vitória almejou, brilhantemente, conquistar no seu ano de estreia. Desta vez, não será o mesmo conjunto, então orientado por... Carvalhal (muitas vezes se pediu ontem o regresso do ex-técnico), a marcar presença na final e, face à onda de protesto verificada, dificilmente será Daúto a dirigi-la no resto da temporada. Mas vamos aos factos.

O desaire anunciado começou a desenhar-se nos momentos iniciais do encontro. Sougou escapa-se a Robson (que reclamou falta) e oferece a bola a Carlos Aguiar que, sem dificuldade, abre o marcador. Sem que a Académica justificasse a prematura vantagem, a verdade é que o Setúbal se viu colocado numa posição incómoda e obrigado a correr atrás do prejuízo.

A Briosa, que entrara bem na partida, ganhou confiança e esse acabou por ser o pior inimigo do conjunto sadino. Daúto Faquirá, um pouco antinatura, prescindiu de Mateus e colocou Leandro Lima - que podia desempenhar esse papel - encostado à... ala direita. Resultado: a formação da casa ressentiu-se, desde cedo, da falta de um elo de ligação com o ataque, ao mesmo tempo que foi penoso verificar a forma como o camisola 20 tentava organizar o jogo desde um dos flancos.

Uma anarquia que o técnico, teimosamente, deixou estender para além do intervalo. Até que, aos 53 minutos, Daúto opera uma dupla substituição: Bruno Ribeiro e Mateus entram em cena e o conjunto ganha, finalmente, uma referência ofensiva. Coincidentemente, os do Sado chegam à igualdade através de um castigo máximo mas, pouco depois, Domingos Paciência lança uma cartada decisiva: Licá rende Éder e, no minuto seguinte, faz o 1-2. A onda de contestação a Faquirá aumenta de tom, não obstante os jogadores, alheios aos assobios, tentarem de todas as formas conquistar um ponto. Debalde.

Daúto Faquirá deixa comando técnico

Daúto Faquirá, treinador moçambicano do Vitória de Setúbal, está de saída do clube. A direção dos sadinos reuniu na noite de ontem, de urgência, com a equipa técnica e concluiu que a melhor solução perante os últimos resultados era o afastamento do técnico. Depois de aguentar a pressão dos sócios durante as últimas semanas, Luís Lourenço, o presidente, acabou assim por tomar a decisão mais aguardada pelos adeptos após a derrota caseira com a Académica.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:41
 O que é? |  O que é? | favorito

A eliminação da Carlsberg Cup diante da Académica teve o condão de esgotar a paciência dos adeptos que, a meio da partida, já pediam a "cabeça" do técnico moçambicano Dauto Faquirá.

Dauto Faquira ex treinador do Vitori de Setubal
Na verdade, a ira apoderou-se dos indefectíveis sadinos ao aperceberem-se de que a sua equipa estaria arredada da competição que o mesmo Vitória almejou, brilhantemente, conquistar no seu ano de estreia. Desta vez, não será o mesmo conjunto, então orientado por... Carvalhal (muitas vezes se pediu ontem o regresso do ex-técnico), a marcar presença na final e, face à onda de protesto verificada, dificilmente será Daúto a dirigi-la no resto da temporada. Mas vamos aos factos.

O desaire anunciado começou a desenhar-se nos momentos iniciais do encontro. Sougou escapa-se a Robson (que reclamou falta) e oferece a bola a Carlos Aguiar que, sem dificuldade, abre o marcador. Sem que a Académica justificasse a prematura vantagem, a verdade é que o Setúbal se viu colocado numa posição incómoda e obrigado a correr atrás do prejuízo.

A Briosa, que entrara bem na partida, ganhou confiança e esse acabou por ser o pior inimigo do conjunto sadino. Daúto Faquirá, um pouco antinatura, prescindiu de Mateus e colocou Leandro Lima - que podia desempenhar esse papel - encostado à... ala direita. Resultado: a formação da casa ressentiu-se, desde cedo, da falta de um elo de ligação com o ataque, ao mesmo tempo que foi penoso verificar a forma como o camisola 20 tentava organizar o jogo desde um dos flancos.

Uma anarquia que o técnico, teimosamente, deixou estender para além do intervalo. Até que, aos 53 minutos, Daúto opera uma dupla substituição: Bruno Ribeiro e Mateus entram em cena e o conjunto ganha, finalmente, uma referência ofensiva. Coincidentemente, os do Sado chegam à igualdade através de um castigo máximo mas, pouco depois, Domingos Paciência lança uma cartada decisiva: Licá rende Éder e, no minuto seguinte, faz o 1-2. A onda de contestação a Faquirá aumenta de tom, não obstante os jogadores, alheios aos assobios, tentarem de todas as formas conquistar um ponto. Debalde.

Daúto Faquirá deixa comando técnico

Daúto Faquirá, treinador moçambicano do Vitória de Setúbal, está de saída do clube. A direção dos sadinos reuniu na noite de ontem, de urgência, com a equipa técnica e concluiu que a melhor solução perante os últimos resultados era o afastamento do técnico. Depois de aguentar a pressão dos sócios durante as últimas semanas, Luís Lourenço, o presidente, acabou assim por tomar a decisão mais aguardada pelos adeptos após a derrota caseira com a Académica.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:41
 O que é? |  O que é? | favorito

PARA incentivar a participação da pequenada no Torneio Infantil de Futebol iniciado em Novembro último na cidade de Xai-Xai, contando com a participação de pouco mais de 2500 crianças, oriundas de diversos bairros da capital provincial de Gaza, Benjamim Uamusse, mais conhecido nos meandros desportivos simplesmente por Big-Ben, acaba de doar diverso material escolar constituído por esferográficas, cadernos, réguas, estojos de desenho, afiadores, pastas, entre outro, para a premiação dos atletas que se irão distinguir neste evento, que termina em finais deste mês.

O acto que teve lugar nas instalações da Direcção Provincial da Juventude e Desportos de Gaza, foi testemunhado por técnicos daquela instituição e agentes desportivos, serviu, de acordo com João Mucavel, director daquele “pelouro”, para lançar uma campanha tendente a encontrar alternativas que possam contribuir para a melhoria da qualidade do desporto que se pratica naquela parcela do país, depois de vários anos de estagnação, devido a problemas decorrentes das cheias de 2000 e outras intempéries que em muito concorreram para a fraca participação do empresariado local no apoio a esta actividade.

Segundo Mucavel, os apoios, ora dispensados à pequenada, deverão prosseguir com o envolvimento de outros patrocinadores, tendo em vista a formação dos futuros jogadores e sobretudo para a massificação da modalidade, mas que caberá ao Governo prosseguir com iniciativas visando proporcionar mais e melhores infra-estruturas para a prática desportiva.

“Este é o início de uma nova era na vida desportiva da província. Estamos a emitir sinais claros visando, a médio prazo, nos prepararmos com qualidade necessária para finalmente estarmos na grande festa nacional do futebol que é o Moçambola. O ambiente, por sinal, é muito bom, e este ano será decisivo para que as nossas aspirações passem de simples sonho para a realidade”, disse o Director da Juventude e Desportos de Gaza.

Por seu turno, Big-Ben disse que aquele gesto era uma simples massificação de desejo e da sua humildade participação, no engrandecimento da actividade desportiva em Xai-Xai, em particular, e para Gaza, em geral.

Segundo ele, a iniciativa é o prenúncio de um grande projecto que deverá culminar nos próximos tempos com a criação de uma academia desportiva, com maior enfoque à prática de futebol.

“Vim partilhar com outros agentes desportivos iniciativas visando proporcionar ao futebol, em particular, a qualidade necessária para se sonhar noutros voos. Queremo-nos juntar aos esforços das autoridades desportivas e da sociedade, em geral, nesta província, com vista a regressarmos a breve trecho às grandes competições nacionais. Todos seremos muito poucos neste esforço, visando reconduzir Gaza à fina-flor do futebol nacional”, disse Big-Ben

publicado por Vaxko Zakarias às 16:38
 O que é? |  O que é? | favorito

PARA incentivar a participação da pequenada no Torneio Infantil de Futebol iniciado em Novembro último na cidade de Xai-Xai, contando com a participação de pouco mais de 2500 crianças, oriundas de diversos bairros da capital provincial de Gaza, Benjamim Uamusse, mais conhecido nos meandros desportivos simplesmente por Big-Ben, acaba de doar diverso material escolar constituído por esferográficas, cadernos, réguas, estojos de desenho, afiadores, pastas, entre outro, para a premiação dos atletas que se irão distinguir neste evento, que termina em finais deste mês.

O acto que teve lugar nas instalações da Direcção Provincial da Juventude e Desportos de Gaza, foi testemunhado por técnicos daquela instituição e agentes desportivos, serviu, de acordo com João Mucavel, director daquele “pelouro”, para lançar uma campanha tendente a encontrar alternativas que possam contribuir para a melhoria da qualidade do desporto que se pratica naquela parcela do país, depois de vários anos de estagnação, devido a problemas decorrentes das cheias de 2000 e outras intempéries que em muito concorreram para a fraca participação do empresariado local no apoio a esta actividade.

Segundo Mucavel, os apoios, ora dispensados à pequenada, deverão prosseguir com o envolvimento de outros patrocinadores, tendo em vista a formação dos futuros jogadores e sobretudo para a massificação da modalidade, mas que caberá ao Governo prosseguir com iniciativas visando proporcionar mais e melhores infra-estruturas para a prática desportiva.

“Este é o início de uma nova era na vida desportiva da província. Estamos a emitir sinais claros visando, a médio prazo, nos prepararmos com qualidade necessária para finalmente estarmos na grande festa nacional do futebol que é o Moçambola. O ambiente, por sinal, é muito bom, e este ano será decisivo para que as nossas aspirações passem de simples sonho para a realidade”, disse o Director da Juventude e Desportos de Gaza.

Por seu turno, Big-Ben disse que aquele gesto era uma simples massificação de desejo e da sua humildade participação, no engrandecimento da actividade desportiva em Xai-Xai, em particular, e para Gaza, em geral.

Segundo ele, a iniciativa é o prenúncio de um grande projecto que deverá culminar nos próximos tempos com a criação de uma academia desportiva, com maior enfoque à prática de futebol.

“Vim partilhar com outros agentes desportivos iniciativas visando proporcionar ao futebol, em particular, a qualidade necessária para se sonhar noutros voos. Queremo-nos juntar aos esforços das autoridades desportivas e da sociedade, em geral, nesta província, com vista a regressarmos a breve trecho às grandes competições nacionais. Todos seremos muito poucos neste esforço, visando reconduzir Gaza à fina-flor do futebol nacional”, disse Big-Ben

publicado por Vaxko Zakarias às 16:38
 O que é? |  O que é? | favorito

O vice-presidente para o futebol do Paços de Ferreira, Carlos Barbosa, negou que o clube esteja à espera de qualquer reforço, desmentindo um jovem moçambicano retido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no Aeroporto de Lisboa.

Futebol Clube de Paços de Ferreira
“Não estamos à espera de qualquer reforço, de Moçambique ou de outro lado. Desconheço em absoluto. Não sei de nada”, disse à Agência Lusa Carlos Barbosa, no final do encontro da Taça da Liga, no qual os pacenses foram goleados pelo Sporting (5-1), no Estádio José Alvalade.

Um futebolista de 21 anos, oriundo de Moçambique, via Joanesburgo, África do Sul, foi retido pelas 17 horas por agentes do SEF nas instalações da Portela, apesar de possuir um visto do Consulado Português em Maputo, válido por 30 dias, segundo o presidente da Casa de Moçambique em Portugal, Enoque João.

O SEF terá impedido o jovem entrar em território português até estes serviços “falarem com o Paços de Ferreira”, já que o cidadão moçambicano afirmou estar em Portugal para um período de experiência como jogador na equipa da Capital do Móvel.

A Lusa apurou que o passageiro retido já integrou as selecções nacionais jovens de Moçambique e a equipa do Desportivo de Maputo. Entretanto, fonte do SEF no aeroporto de Lisboa confirmou à Lusa que o cidadão moçambicano está “com recusa de entrada” e que o processo “será reapreciado segunda-feira, após o SEF conseguir contactar o Paços de Ferreira”.

Trata-se de Hélder Martins Saíde, ou simplesmente, Michel

“Não estamos à espera de qualquer reforço, de Moçambique ou de outro lado. Desconheço em absoluto. Não sei de nada”, disse à Agência Lusa Carlos Barbosa, no final do encontro da Taça da Liga, no qual os pacenses foram goleados pelo Sporting (5-1), no Estádio José Alvalade.

Um futebolista de 21 anos, oriundo de Moçambique, via Joanesburgo, África do Sul, foi retido pelas 17 horas por agentes do SEF nas instalações da Portela, apesar de possuir um visto do Consulado Português em Maputo, válido por 30 dias, segundo o presidente da Casa de Moçambique em Portugal, Enoque João.

O SEF terá impedido o jovem entrar em território português até estes serviços “falarem com o Paços de Ferreira”, já que o cidadão moçambicano afirmou estar em Portugal para um período de experiência como jogador na equipa da Capital do Móvel.

A Lusa apurou que o passageiro retido já integrou as selecções nacionais jovens de Moçambique e a equipa do Desportivo de Maputo. Entretanto, fonte do SEF no aeroporto de Lisboa confirmou à Lusa que o cidadão moçambicano está “com recusa de entrada” e que o processo** “será reapreciado segunda-feira, após o SEF conseguir contactar o Paços de Ferreira”.

Trata-se de Hélder Martins Saíde, ou simplesmente, Michel

publicado por Vaxko Zakarias às 16:30
 O que é? |  O que é? | favorito

O vice-presidente para o futebol do Paços de Ferreira, Carlos Barbosa, negou que o clube esteja à espera de qualquer reforço, desmentindo um jovem moçambicano retido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no Aeroporto de Lisboa.

Futebol Clube de Paços de Ferreira
“Não estamos à espera de qualquer reforço, de Moçambique ou de outro lado. Desconheço em absoluto. Não sei de nada”, disse à Agência Lusa Carlos Barbosa, no final do encontro da Taça da Liga, no qual os pacenses foram goleados pelo Sporting (5-1), no Estádio José Alvalade.

Um futebolista de 21 anos, oriundo de Moçambique, via Joanesburgo, África do Sul, foi retido pelas 17 horas por agentes do SEF nas instalações da Portela, apesar de possuir um visto do Consulado Português em Maputo, válido por 30 dias, segundo o presidente da Casa de Moçambique em Portugal, Enoque João.

O SEF terá impedido o jovem entrar em território português até estes serviços “falarem com o Paços de Ferreira”, já que o cidadão moçambicano afirmou estar em Portugal para um período de experiência como jogador na equipa da Capital do Móvel.

A Lusa apurou que o passageiro retido já integrou as selecções nacionais jovens de Moçambique e a equipa do Desportivo de Maputo. Entretanto, fonte do SEF no aeroporto de Lisboa confirmou à Lusa que o cidadão moçambicano está “com recusa de entrada” e que o processo “será reapreciado segunda-feira, após o SEF conseguir contactar o Paços de Ferreira”.

Trata-se de Hélder Martins Saíde, ou simplesmente, Michel

“Não estamos à espera de qualquer reforço, de Moçambique ou de outro lado. Desconheço em absoluto. Não sei de nada”, disse à Agência Lusa Carlos Barbosa, no final do encontro da Taça da Liga, no qual os pacenses foram goleados pelo Sporting (5-1), no Estádio José Alvalade.

Um futebolista de 21 anos, oriundo de Moçambique, via Joanesburgo, África do Sul, foi retido pelas 17 horas por agentes do SEF nas instalações da Portela, apesar de possuir um visto do Consulado Português em Maputo, válido por 30 dias, segundo o presidente da Casa de Moçambique em Portugal, Enoque João.

O SEF terá impedido o jovem entrar em território português até estes serviços “falarem com o Paços de Ferreira”, já que o cidadão moçambicano afirmou estar em Portugal para um período de experiência como jogador na equipa da Capital do Móvel.

A Lusa apurou que o passageiro retido já integrou as selecções nacionais jovens de Moçambique e a equipa do Desportivo de Maputo. Entretanto, fonte do SEF no aeroporto de Lisboa confirmou à Lusa que o cidadão moçambicano está “com recusa de entrada” e que o processo** “será reapreciado segunda-feira, após o SEF conseguir contactar o Paços de Ferreira”.

Trata-se de Hélder Martins Saíde, ou simplesmente, Michel

publicado por Vaxko Zakarias às 16:30
 O que é? |  O que é? | favorito

À SEMELHANÇA do Ferroviário de Maputo e da Liga Muçulmana que semana passada fixaram a sua base de preparação na África do Sul para prosseguirem a preparação para a presente época futebolística, o Desportivo irá igualmente fazê-lo a partir desta.

Os “alvi-negros” jogam este domingo com o Têxtil do Púnguè, para a primeira “mão” da Supertaça.

A viagem da equipa “alvi-negra”, que esta temporada será treinada por Artur Semedo, está prevista para o dia 25 de Janeiro e terá a duração de cinco a seis dias, segundo Hassane Jamaldine, director do Departamento de Futebol da colectividade.

Na África do Sul, mais concretamente em Joanesburgo, o Desportivo realizará dois jogos-treino frente ao Wits Universit e Jomo Cosmos, sendo que esta última tem como adjunto o moçambicano Mano Mano, que este ano decidiu pendurar as chuteiras dando assim início à carreira de treinador.

Depois do estágio na África do Sul, o Desportivo deverá efectuar mais algumas sessões de treino na Namaacha, antes de regressar à cidade de Maputo para se instalar de vez e continuar a sua preparação.

Os “alvi-negros” serão postos à prova no próximo mês com a disputa da Taça de Honra, onde participam equipas de “top” do país, casos do Ferroviário de Maputo, Costa do Sol e Maxaquene.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:15
 O que é? |  O que é? | favorito

À SEMELHANÇA do Ferroviário de Maputo e da Liga Muçulmana que semana passada fixaram a sua base de preparação na África do Sul para prosseguirem a preparação para a presente época futebolística, o Desportivo irá igualmente fazê-lo a partir desta.

Os “alvi-negros” jogam este domingo com o Têxtil do Púnguè, para a primeira “mão” da Supertaça.

A viagem da equipa “alvi-negra”, que esta temporada será treinada por Artur Semedo, está prevista para o dia 25 de Janeiro e terá a duração de cinco a seis dias, segundo Hassane Jamaldine, director do Departamento de Futebol da colectividade.

Na África do Sul, mais concretamente em Joanesburgo, o Desportivo realizará dois jogos-treino frente ao Wits Universit e Jomo Cosmos, sendo que esta última tem como adjunto o moçambicano Mano Mano, que este ano decidiu pendurar as chuteiras dando assim início à carreira de treinador.

Depois do estágio na África do Sul, o Desportivo deverá efectuar mais algumas sessões de treino na Namaacha, antes de regressar à cidade de Maputo para se instalar de vez e continuar a sua preparação.

Os “alvi-negros” serão postos à prova no próximo mês com a disputa da Taça de Honra, onde participam equipas de “top” do país, casos do Ferroviário de Maputo, Costa do Sol e Maxaquene.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:15
 O que é? |  O que é? | favorito

ARTUR Semedo tem uma “boa dor de cabeça” por resolver nos próximos dias. É que o agora treinador do Desportivo tinha determinado que após o treino de sábado definiria quais seriam os 24 atletas que fariam parte do plantel para a presente época.

Artur Semedo, treinador do Ferroviário de Maputo,
Mas, de acordo com o técnico, está a ser difícil fazer anunciar a lista final, visto que só no treino de sábado estiveram no pelado “alvi-negro” cerca de 40 jogadores entre os que transitam da época passada, reforços e aquelas que tentam a sua sorte. A quantidade, de acordo com Semedo, parece aliar-se à qualidade, o que torna difícil fazer a triagem.

Todavia, Semedo remete para quarta-feira a decisão final. “Deveria ter definido a lista final dos 24 jogadores que pretendo no plantel. Mas como ainda não estou muito claro preferi não o fazer e esperar mais alguns dias. No sábado estiveram no treino perto de 40 jogadores, pois para além dos antigos e os reforços, temos os juniores e aqueles que estão a treinar à experiência. Torna-se difícil proceder à triagem, porque a maioria tem qualidade, mas penso que na quarta-feira poderei definir os jogadores que farão parte do plantel.

O técnico admite mesmo a possibilidade de ter que se dispensar alguns reforços ou que já faziam parte do plantel, uma vez que, segundo ele, juntando estes dois grupos excede o número de jogadores pretendido no plantel. “Neste momento entre os antigos e os reforços o plantel anda à volta de 26/27 jogadores e a avaliar por aquilo que pretendo terei que reduzir o grupo”, anotou.

Refira-se que o plantel apresentado pela direcção do Desportivo na abertura da época era de 26 jogadores, mas com a contratação de Julinho subiu para 27, facto que deixou o “mister” com mais opções de escolha e paradoxalmente aumentou as dificuldades em constituir uma equipa.

Questionado sobre como será se se confirmar a vinda de Cantona, este disse: e Será óptimo do ponto de vista de qualidade do plantel, mas isso implicará a dispensa de mais um”, sublinhou.Artur Semedo disse que para além dos 24 conta ter um jogador de reserva que em princípio será um
publicado por Vaxko Zakarias às 16:10
 O que é? |  O que é? | favorito

ARTUR Semedo tem uma “boa dor de cabeça” por resolver nos próximos dias. É que o agora treinador do Desportivo tinha determinado que após o treino de sábado definiria quais seriam os 24 atletas que fariam parte do plantel para a presente época.

Artur Semedo, treinador do Ferroviário de Maputo,
Mas, de acordo com o técnico, está a ser difícil fazer anunciar a lista final, visto que só no treino de sábado estiveram no pelado “alvi-negro” cerca de 40 jogadores entre os que transitam da época passada, reforços e aquelas que tentam a sua sorte. A quantidade, de acordo com Semedo, parece aliar-se à qualidade, o que torna difícil fazer a triagem.

Todavia, Semedo remete para quarta-feira a decisão final. “Deveria ter definido a lista final dos 24 jogadores que pretendo no plantel. Mas como ainda não estou muito claro preferi não o fazer e esperar mais alguns dias. No sábado estiveram no treino perto de 40 jogadores, pois para além dos antigos e os reforços, temos os juniores e aqueles que estão a treinar à experiência. Torna-se difícil proceder à triagem, porque a maioria tem qualidade, mas penso que na quarta-feira poderei definir os jogadores que farão parte do plantel.

O técnico admite mesmo a possibilidade de ter que se dispensar alguns reforços ou que já faziam parte do plantel, uma vez que, segundo ele, juntando estes dois grupos excede o número de jogadores pretendido no plantel. “Neste momento entre os antigos e os reforços o plantel anda à volta de 26/27 jogadores e a avaliar por aquilo que pretendo terei que reduzir o grupo”, anotou.

Refira-se que o plantel apresentado pela direcção do Desportivo na abertura da época era de 26 jogadores, mas com a contratação de Julinho subiu para 27, facto que deixou o “mister” com mais opções de escolha e paradoxalmente aumentou as dificuldades em constituir uma equipa.

Questionado sobre como será se se confirmar a vinda de Cantona, este disse: e Será óptimo do ponto de vista de qualidade do plantel, mas isso implicará a dispensa de mais um”, sublinhou.Artur Semedo disse que para além dos 24 conta ter um jogador de reserva que em princípio será um
publicado por Vaxko Zakarias às 16:10
 O que é? |  O que é? | favorito

“FAZER Básquete”, eis a principal motivação da nova Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo, que sábado tomou posse.

Trata-se de um elenco que tem à cabeça o dinâmico e “todo-o-terreno” dirigente Carlos Lima (Chicha), o qual teve a virtude de aglutinar diversas sensibilidades da bola-ao-cesto, entre jovens e veteranos, com destaque para ex-(ou ainda) craques como Khaimane e Beto de Deus, os técnicos António Azevedo e Armando Meque, assim como os árbitros Rui Albasini, Guidione Matsinhe e Célio Chiau, para além da continuidade do secretário-geral Hélder Amiel.

Como novo dinamismo, a equipa que agora entrou na ABCM fá-lo tendo como propósito capitalizar ainda mais os ganhos que a cidade de Maputo desfruta, entanto que maior e principal Associação do país. Trabalhar em estreita colaboração com os clubes, na sua qualidade de fazedores da modalidade, é outra bandeira erguida no mastro por Carlos Lima, que também olha para a formação, nomeadamente o mini-básquete, e a permanente actualização dos técnicos e dos árbitros como outro campo extremamente importante para o desenvolvimento da modalidade na capital do país.

Inácio Bernardo novo director dos Desportos
Aliás, parafraseando o Director Nacional dos Desportos, Inácio Bernardo, falando no acto da tomada de posse, Maputo, sendo o principal indicador de avaliação do estado da modalidade no país, obriga-se a ter uma estrutura dirigente bastante forte e dinâmica, tal como se propõe ser a nova Associação, que soube juntar elementos realmente conhecedores da modalidade, para além de uma juventude que promete insuflar a necessária vitalidade à instituição.

Não descurar o caminho desbravado pela Direcção cessante, liderada por Costa Júnior, foi recomendada pelos diversos intervenientes, pois, segundo sustentaram, há que reconhecer o grande trabalho levado a cabo por esta, que deixa importantes legados à equipa de Chicha, como por exemplo a legalização da Associação, uma das medidas fortemente defendidas pelo Governo.

No seu elenco, Carlos Lima, novo presidente da Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo, conta com Rui Loforte e Joaquim Machatine, na Mesa da Assembleia-Geral; Hélder Amiel secretário-geral, e Francisco Cera vogal de Direcção.

No Conselho Fiscal, Cristina Detepo e Sozinho; no Conselho Jurisdicional e de Disciplina, Beto de Deus; no Conselho Técnico, Khaimane de Deus, Armando Meque e Lúcia Ganhana; na Comissão de Árbitros Rui Albasini, Célio Chiau e Guidione Matsinhe; na Formação, Hernâni Mussa e, na Planificação, António Azevedo.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:08
 O que é? |  O que é? | favorito

“FAZER Básquete”, eis a principal motivação da nova Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo, que sábado tomou posse.

Trata-se de um elenco que tem à cabeça o dinâmico e “todo-o-terreno” dirigente Carlos Lima (Chicha), o qual teve a virtude de aglutinar diversas sensibilidades da bola-ao-cesto, entre jovens e veteranos, com destaque para ex-(ou ainda) craques como Khaimane e Beto de Deus, os técnicos António Azevedo e Armando Meque, assim como os árbitros Rui Albasini, Guidione Matsinhe e Célio Chiau, para além da continuidade do secretário-geral Hélder Amiel.

Como novo dinamismo, a equipa que agora entrou na ABCM fá-lo tendo como propósito capitalizar ainda mais os ganhos que a cidade de Maputo desfruta, entanto que maior e principal Associação do país. Trabalhar em estreita colaboração com os clubes, na sua qualidade de fazedores da modalidade, é outra bandeira erguida no mastro por Carlos Lima, que também olha para a formação, nomeadamente o mini-básquete, e a permanente actualização dos técnicos e dos árbitros como outro campo extremamente importante para o desenvolvimento da modalidade na capital do país.

Inácio Bernardo novo director dos Desportos
Aliás, parafraseando o Director Nacional dos Desportos, Inácio Bernardo, falando no acto da tomada de posse, Maputo, sendo o principal indicador de avaliação do estado da modalidade no país, obriga-se a ter uma estrutura dirigente bastante forte e dinâmica, tal como se propõe ser a nova Associação, que soube juntar elementos realmente conhecedores da modalidade, para além de uma juventude que promete insuflar a necessária vitalidade à instituição.

Não descurar o caminho desbravado pela Direcção cessante, liderada por Costa Júnior, foi recomendada pelos diversos intervenientes, pois, segundo sustentaram, há que reconhecer o grande trabalho levado a cabo por esta, que deixa importantes legados à equipa de Chicha, como por exemplo a legalização da Associação, uma das medidas fortemente defendidas pelo Governo.

No seu elenco, Carlos Lima, novo presidente da Associação de Basquetebol da Cidade de Maputo, conta com Rui Loforte e Joaquim Machatine, na Mesa da Assembleia-Geral; Hélder Amiel secretário-geral, e Francisco Cera vogal de Direcção.

No Conselho Fiscal, Cristina Detepo e Sozinho; no Conselho Jurisdicional e de Disciplina, Beto de Deus; no Conselho Técnico, Khaimane de Deus, Armando Meque e Lúcia Ganhana; na Comissão de Árbitros Rui Albasini, Célio Chiau e Guidione Matsinhe; na Formação, Hernâni Mussa e, na Planificação, António Azevedo.

publicado por Vaxko Zakarias às 16:08
 O que é? |  O que é? | favorito
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
15
17
18
21
24
25
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO