Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Quarta-feira, 10 DE Dezembro 2008

JÁ está definido. Em basquetebol, Moçambique garantiu as duas medalhas de prata, só pela presença na final, faltando o ouro, que teremos que o roubara Angola com quem vamos disputar as finais tanto em masculinos como em femininos.


Tudo ficou decidido ontem quando em femininos a Selecção Nacional voltou a passear a sua classe diante da mais fraca equipa desta prova, a Namíbia, vencendo por 133-22, enquanto em masculinos a vítima era a anfitriã, África do Sul. (79-55).


Estas duas medalhas de prata que a qualquer momento poderão se transformar em ouro juntam-se a outras três de bronze que Moçambique já garantiu em atletismo (duas) e natação (uma), através de Kudzanai Alberto, no salto em altura (1,90 metro) e de Manuel Chilaúle, nos 400 metros barreira, mais uma em 4x100 metros estafetas, conquistada pelo quarteto Géssica Stagno, Jéssica Cossa, Raquel Lourenço e Faina Salete, com o tempo de 4.33.87 minutos.

A África do Sul ficou com a medalha de ouro, ao fixar o tempo de 4.09.39 minutos, enquanto a Namíbia amealhava a de prata, com o registo de 4.20.65 minutos.

A expectativa a volta destes dois encontros com Angola em basquetebol vai crescendo a cada dia que passa e as Selecções Nacionais vão acreditando que tudo é possível, a avaliar pelos resultados que têm vindo a conseguir de jornada em jornada. Aliás, logo no início deste torneio ficou claro que o ouro seria, tanto em masculinos como em femininos, disputado pelos moçambicanos e angolanos. Chegados a este momento, o vaticínio acabou por se confirmar: Moçambique e Angola, em femininos e masculinos, vão ter que jogar pelo título e a respectiva medalha mais valiosa do evento.

Os angolanos, pelo menos os jornalistas com quem temos tido a oportunidade de trocar impressões a volta do evento, acreditam mais na equipa masculina, reconhecendo a aparente superioridade de Moçambique em femininos. Mas tudo é possível, uma vez que tanto em masculinos como em femininos ainda não se perdeu nenhum ponto e em nenhuma ocasião o seu basquetebol foi posto em causa, sendo por muitos considerado o mais prático, simples e bastante evoluído.

Contudo, é preciso que se tenha muito cuidado, principalmente em femininos, porque ontem, apesar de o resultado ter sido por uma margem esmagadora, as jogadoras moçambicanas denotaram falta de entrosamento, optando por rasgos individuais que se não forem corrigidos a tempo podem ser fatais frente à Angola.

Mas há muita confiança no seio da equipa técnica e das próprias jogadoras que querem levar o ouro para Moçambique pela segunda vez consecutiva, depois de o terem feito na edição passada na Namíbia.


Já em relação aos masculinos, que estão muito acima do que fizeram na Namíbia, todos acreditam que vão mesmo conquistar o ceptro, apesar de Angola possuir uma equipa fisicamente bem constituída com uma média de altura que roda o 1,90 metro.


Aliás, Moçambique para esta prova trouxe um pouco de tudo. Postes altos, como são os casos da dupla Edson Monjane e Edson Honwana, que nalgum momento desequilibram, principalmente o primeiro que até faz deliram o público com alguns smatchs. É caso para dizer que amanhã, na final, haverá faísca.

DEIXAR O PÁSSARO FUGIR

Depois de uma boa prestação no período da manhã, as nadadoras Géssica Stagno, nos 100 metros livres (1. 8.55), e Géssica Cossa, nos 100 costas (1.17.00), não conseguiram atingir o pódio já nas finais da tarde, ocuparam, respectivamente, o quinto lugar com o tempo de 1.06.15 e 1.18.15 minuto.

No sector masculino, Jossefa Guite e Nunes Gomes, ambos nos 200 metros livres, ficaram em sétimo e oitavo lugares, respectivamente, com 2.20.79 e 2.22.96 minutos.

Hoje Moçambique vai competir na prova dos 200 metros estilos masculinos através de Jossefa Guita, 50 metros livres femininos, Géssica Stagno e Géssica Cossa, e ainda nas estafetas de 4X100 em femininos.

MAIS UMA MEDALHA DE BRONZE

Afinal Moçambique teve mais uma medalha de bronze no boxe! Ninguém esperava quando o pugilista moçambicano, Almeida Francisco, da divisão dos 69 quilogramas foi chamado ao pódio.

A verdade é que na sua divisão só participaram três pugilistas e quando é assim o último (terceiro) também é condecorado.

Almeida Francisco havia perdido por incapacidade física ainda no primeiro assalto quando o resultado estava em 10-1 frente ao tswana Arnold Tsele. É caso para dizer que neste tipo de competições a sorte também conta.

Gil Carvalho, em Potchefstroom
publicado por Vaxko Zakarias às 13:47
 O que é? |  O que é? | favorito

JÁ está definido. Em basquetebol, Moçambique garantiu as duas medalhas de prata, só pela presença na final, faltando o ouro, que teremos que o roubara Angola com quem vamos disputar as finais tanto em masculinos como em femininos.


Tudo ficou decidido ontem quando em femininos a Selecção Nacional voltou a passear a sua classe diante da mais fraca equipa desta prova, a Namíbia, vencendo por 133-22, enquanto em masculinos a vítima era a anfitriã, África do Sul. (79-55).


Estas duas medalhas de prata que a qualquer momento poderão se transformar em ouro juntam-se a outras três de bronze que Moçambique já garantiu em atletismo (duas) e natação (uma), através de Kudzanai Alberto, no salto em altura (1,90 metro) e de Manuel Chilaúle, nos 400 metros barreira, mais uma em 4x100 metros estafetas, conquistada pelo quarteto Géssica Stagno, Jéssica Cossa, Raquel Lourenço e Faina Salete, com o tempo de 4.33.87 minutos.

A África do Sul ficou com a medalha de ouro, ao fixar o tempo de 4.09.39 minutos, enquanto a Namíbia amealhava a de prata, com o registo de 4.20.65 minutos.

A expectativa a volta destes dois encontros com Angola em basquetebol vai crescendo a cada dia que passa e as Selecções Nacionais vão acreditando que tudo é possível, a avaliar pelos resultados que têm vindo a conseguir de jornada em jornada. Aliás, logo no início deste torneio ficou claro que o ouro seria, tanto em masculinos como em femininos, disputado pelos moçambicanos e angolanos. Chegados a este momento, o vaticínio acabou por se confirmar: Moçambique e Angola, em femininos e masculinos, vão ter que jogar pelo título e a respectiva medalha mais valiosa do evento.

Os angolanos, pelo menos os jornalistas com quem temos tido a oportunidade de trocar impressões a volta do evento, acreditam mais na equipa masculina, reconhecendo a aparente superioridade de Moçambique em femininos. Mas tudo é possível, uma vez que tanto em masculinos como em femininos ainda não se perdeu nenhum ponto e em nenhuma ocasião o seu basquetebol foi posto em causa, sendo por muitos considerado o mais prático, simples e bastante evoluído.

Contudo, é preciso que se tenha muito cuidado, principalmente em femininos, porque ontem, apesar de o resultado ter sido por uma margem esmagadora, as jogadoras moçambicanas denotaram falta de entrosamento, optando por rasgos individuais que se não forem corrigidos a tempo podem ser fatais frente à Angola.

Mas há muita confiança no seio da equipa técnica e das próprias jogadoras que querem levar o ouro para Moçambique pela segunda vez consecutiva, depois de o terem feito na edição passada na Namíbia.


Já em relação aos masculinos, que estão muito acima do que fizeram na Namíbia, todos acreditam que vão mesmo conquistar o ceptro, apesar de Angola possuir uma equipa fisicamente bem constituída com uma média de altura que roda o 1,90 metro.


Aliás, Moçambique para esta prova trouxe um pouco de tudo. Postes altos, como são os casos da dupla Edson Monjane e Edson Honwana, que nalgum momento desequilibram, principalmente o primeiro que até faz deliram o público com alguns smatchs. É caso para dizer que amanhã, na final, haverá faísca.

DEIXAR O PÁSSARO FUGIR

Depois de uma boa prestação no período da manhã, as nadadoras Géssica Stagno, nos 100 metros livres (1. 8.55), e Géssica Cossa, nos 100 costas (1.17.00), não conseguiram atingir o pódio já nas finais da tarde, ocuparam, respectivamente, o quinto lugar com o tempo de 1.06.15 e 1.18.15 minuto.

No sector masculino, Jossefa Guite e Nunes Gomes, ambos nos 200 metros livres, ficaram em sétimo e oitavo lugares, respectivamente, com 2.20.79 e 2.22.96 minutos.

Hoje Moçambique vai competir na prova dos 200 metros estilos masculinos através de Jossefa Guita, 50 metros livres femininos, Géssica Stagno e Géssica Cossa, e ainda nas estafetas de 4X100 em femininos.

MAIS UMA MEDALHA DE BRONZE

Afinal Moçambique teve mais uma medalha de bronze no boxe! Ninguém esperava quando o pugilista moçambicano, Almeida Francisco, da divisão dos 69 quilogramas foi chamado ao pódio.

A verdade é que na sua divisão só participaram três pugilistas e quando é assim o último (terceiro) também é condecorado.

Almeida Francisco havia perdido por incapacidade física ainda no primeiro assalto quando o resultado estava em 10-1 frente ao tswana Arnold Tsele. É caso para dizer que neste tipo de competições a sorte também conta.

Gil Carvalho, em Potchefstroom
publicado por Vaxko Zakarias às 13:47
 O que é? |  O que é? | favorito




A VENDA do campo de futebol do Atlético Muçulmano ao Maxaquene ficou sem efeito, segundo revelou fonte próxima do clube. Segundo a mesma fonte, o negócio falhou porque o Maxaquene ainda não dispõe de dinheiro.


Esta declaração vem a coincidir com a informação avançada pela direcção do Atlético de que vai utilizar o seu campo para os jogos das Afrotaças, começando pelo embate com o Malanti Chiefs da Suazilândia em Fevereiro de 2009para a Taça das Taças de África, ou simplesmente Taça Nelson Mandela. Aliás, o Atlético já inscreveu o campo na Confederação
Africana de Futebol (CAF).


A compra do campo do Atlético dependia do negócio do espaço onde se situa o recinto de futebol do Maxaquene para fins comerciais. O negócio está embargado devido à necessidade da alteração do plano urbanístico.

Ou seja, o espaço que se pretende vender está, no actual plano urbanístico do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, destinado a fins desportivos e não comerciais. Assim, é preciso desenhar um novo projecto a ser submetido ao Conselho Municipal para a respectiva aprovação. O processo de elaboração do projecto ainda está em curso e tudo indica que levará tempo, o que não interessa ao Atlético.

Informações próximas dão conta de que o Maxaquene vai utilizar o seu campo para os próximos jogos do Moçambola, o que se confirmará durante o processo da inscrição das equipas participantes na prova organizada pela Liga Moçambicana de Futebol, em Janeiro.

A problemática a volta do negócio do campo do Atlético entre as direcções deste clube e do Maxaquene tornou-se mais evidente quando o presidente do Maxaquene, Rafindine Mahomed, veio a público dizer que o departamento do futebol passaria para aquele recinto no mês passado, facto que não chegou a acontecer.

E LITOS?


O impasse sobre o negócio do campo terá comprometido o plano que a direcção do Maxaquene havia esboçado com vista a relançar a equipa principal de futebol que, nos últimos anos, esteve longe da sua habitual performance passando a partilhar lugares da retaguarda com equipas sem grande expressão, como aconteceu na última temporada.

A compra do campo Atlético e a contratação do técnico português Litos constituíam uma grande estratégia para atingir esse objectivo. Porém, as coisas complicaram-se e a direcção do Maxaquene ainda não assinou o contrato com o treinador luso.


Contactado ontem pela nossa Reportagem, Litos disse que há várias situações que o clube está a tentar resolver, nomeadamente o impasse sobre o negócio do campo, sublinhando que as coisas não estão a decorrer como estava previsto e que o Maxaquene está neste momento à procura de soluções de modo que o grupo possa trabalhar num melhor ambiente.

DETALHES A VOLTA DO CONTRATO

Para ter o melhor esclarecimento do que está por detrás do atraso na contratação de Litos pelo Maxaquene, contactámos Samuel Maibasse, porta-voz dos tricolores, que nos contou sobre alguns problemas a volta do acordo, mas que não têm nada a ver com a direcção do clube, mas sim com um dos patrocinadores da colectividade.

Formalmente não assinámos contrato com Litos e não sei o que está a acontecer. Litos veio a Maputo com conhecimento do contrato e aceitou o acordo ainda em Portugal. Só que há um assunto que um dos patrocinadores do clube tratou com o treinador e que nós não sabíamos.

O técnico e patrocinador trataram de determinados assuntos que não têm a ver com o que nós acordámos com o técnico. É um pormenor que temos que resolver. No encontro entre o técnico e o patrocinador, houve promessas que Litos quer ver salvaguardados no contrato. Esse assunto teremos que resolver com o patrocinador hoje ou amanhã revelou.

Salvador Nhantumbo
publicado por Vaxko Zakarias às 13:42
 O que é? |  O que é? | favorito




A VENDA do campo de futebol do Atlético Muçulmano ao Maxaquene ficou sem efeito, segundo revelou fonte próxima do clube. Segundo a mesma fonte, o negócio falhou porque o Maxaquene ainda não dispõe de dinheiro.


Esta declaração vem a coincidir com a informação avançada pela direcção do Atlético de que vai utilizar o seu campo para os jogos das Afrotaças, começando pelo embate com o Malanti Chiefs da Suazilândia em Fevereiro de 2009para a Taça das Taças de África, ou simplesmente Taça Nelson Mandela. Aliás, o Atlético já inscreveu o campo na Confederação
Africana de Futebol (CAF).


A compra do campo do Atlético dependia do negócio do espaço onde se situa o recinto de futebol do Maxaquene para fins comerciais. O negócio está embargado devido à necessidade da alteração do plano urbanístico.

Ou seja, o espaço que se pretende vender está, no actual plano urbanístico do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, destinado a fins desportivos e não comerciais. Assim, é preciso desenhar um novo projecto a ser submetido ao Conselho Municipal para a respectiva aprovação. O processo de elaboração do projecto ainda está em curso e tudo indica que levará tempo, o que não interessa ao Atlético.

Informações próximas dão conta de que o Maxaquene vai utilizar o seu campo para os próximos jogos do Moçambola, o que se confirmará durante o processo da inscrição das equipas participantes na prova organizada pela Liga Moçambicana de Futebol, em Janeiro.

A problemática a volta do negócio do campo do Atlético entre as direcções deste clube e do Maxaquene tornou-se mais evidente quando o presidente do Maxaquene, Rafindine Mahomed, veio a público dizer que o departamento do futebol passaria para aquele recinto no mês passado, facto que não chegou a acontecer.

E LITOS?


O impasse sobre o negócio do campo terá comprometido o plano que a direcção do Maxaquene havia esboçado com vista a relançar a equipa principal de futebol que, nos últimos anos, esteve longe da sua habitual performance passando a partilhar lugares da retaguarda com equipas sem grande expressão, como aconteceu na última temporada.

A compra do campo Atlético e a contratação do técnico português Litos constituíam uma grande estratégia para atingir esse objectivo. Porém, as coisas complicaram-se e a direcção do Maxaquene ainda não assinou o contrato com o treinador luso.


Contactado ontem pela nossa Reportagem, Litos disse que há várias situações que o clube está a tentar resolver, nomeadamente o impasse sobre o negócio do campo, sublinhando que as coisas não estão a decorrer como estava previsto e que o Maxaquene está neste momento à procura de soluções de modo que o grupo possa trabalhar num melhor ambiente.

DETALHES A VOLTA DO CONTRATO

Para ter o melhor esclarecimento do que está por detrás do atraso na contratação de Litos pelo Maxaquene, contactámos Samuel Maibasse, porta-voz dos tricolores, que nos contou sobre alguns problemas a volta do acordo, mas que não têm nada a ver com a direcção do clube, mas sim com um dos patrocinadores da colectividade.

Formalmente não assinámos contrato com Litos e não sei o que está a acontecer. Litos veio a Maputo com conhecimento do contrato e aceitou o acordo ainda em Portugal. Só que há um assunto que um dos patrocinadores do clube tratou com o treinador e que nós não sabíamos.

O técnico e patrocinador trataram de determinados assuntos que não têm a ver com o que nós acordámos com o técnico. É um pormenor que temos que resolver. No encontro entre o técnico e o patrocinador, houve promessas que Litos quer ver salvaguardados no contrato. Esse assunto teremos que resolver com o patrocinador hoje ou amanhã revelou.

Salvador Nhantumbo
publicado por Vaxko Zakarias às 13:42
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTÁ finalmente encontrado o adversário da Selecção Nacional, Mambas, com vista à sua preparação para a última fase de qualificação para o Campeonato de África e do Mundo de 2010, a realizarem-se em Angola e na África do Sul, respectivamente.


Trata-se do Malawi, uma das selecções mais cotadas na região austral e que a par de Moçambique conseguiu transitar para a derradeira fase de qualificação para as duas competições.


O encontro realiza-se no Estádio da Machava a 11 de Fevereiro, data que, aliás, já havia sido adiantada por Filipe Johane, secretário-geral da Federação Moçambicana de Futebol (FMF).


O desafio frente ao Malawi será o último antes da estreia frente à Nigéria, a 29 de Março, pontuável para a primeira jornada do Grupo D. O jogo com os nigerianos terá como palco o Estádio da Machava. 

Segundo Filipe Johane, para este jogo Martin Nooij, seleccionador nacional, convocará os principais jogadores, visto ser o último ensaio e será a última oportunidade para tirar as devidas ilações sobre o nível técnico, táctico e físico da turma moçambicana.

A equipa será composta pelos jogadores que estiveram presentes na campanha de qualificação para a última fase. Ou seja todos os jogadores, quer os que jogam fora do país, quer dentro. Será uma equipa na máxima força afiançou.

No embate frente à Tanzania, realizado em Dar-es-Salaam, em que a equipa moçambicana perdeu por 0-1, Martin Nooij optou por não convocar as estrelas. Preferiu fazer algumas experiências convocando jogadores pouco utilizados, casos de Faife, Mexer, Nito e Alvarito, tendo preterido dos préstimos de habituais titulares, como são os casos de Mano, Simão, Genito, Paíto e Kampango.

Na fase de grupos de qualificação para o Mundial e CAN, Moçambique terá como adversários, para além da Nigéria, as selecções da Tunísia e do Quénia.

Por sua vez, o Malawi está integrado no Grupo E, juntamente com a Costa do Marfim, Burkina Faso e Guiné-Conacri. A estreia dos malawianos será frente à Costa do Marfim, em Abijan, a 28 de Março.

Na última partida amigável realizada a 22 de Outubro, em casa, o Malawi venceu a RDCongo por 2-1.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:39
 O que é? |  O que é? | favorito

ESTÁ finalmente encontrado o adversário da Selecção Nacional, Mambas, com vista à sua preparação para a última fase de qualificação para o Campeonato de África e do Mundo de 2010, a realizarem-se em Angola e na África do Sul, respectivamente.


Trata-se do Malawi, uma das selecções mais cotadas na região austral e que a par de Moçambique conseguiu transitar para a derradeira fase de qualificação para as duas competições.


O encontro realiza-se no Estádio da Machava a 11 de Fevereiro, data que, aliás, já havia sido adiantada por Filipe Johane, secretário-geral da Federação Moçambicana de Futebol (FMF).


O desafio frente ao Malawi será o último antes da estreia frente à Nigéria, a 29 de Março, pontuável para a primeira jornada do Grupo D. O jogo com os nigerianos terá como palco o Estádio da Machava. 

Segundo Filipe Johane, para este jogo Martin Nooij, seleccionador nacional, convocará os principais jogadores, visto ser o último ensaio e será a última oportunidade para tirar as devidas ilações sobre o nível técnico, táctico e físico da turma moçambicana.

A equipa será composta pelos jogadores que estiveram presentes na campanha de qualificação para a última fase. Ou seja todos os jogadores, quer os que jogam fora do país, quer dentro. Será uma equipa na máxima força afiançou.

No embate frente à Tanzania, realizado em Dar-es-Salaam, em que a equipa moçambicana perdeu por 0-1, Martin Nooij optou por não convocar as estrelas. Preferiu fazer algumas experiências convocando jogadores pouco utilizados, casos de Faife, Mexer, Nito e Alvarito, tendo preterido dos préstimos de habituais titulares, como são os casos de Mano, Simão, Genito, Paíto e Kampango.

Na fase de grupos de qualificação para o Mundial e CAN, Moçambique terá como adversários, para além da Nigéria, as selecções da Tunísia e do Quénia.

Por sua vez, o Malawi está integrado no Grupo E, juntamente com a Costa do Marfim, Burkina Faso e Guiné-Conacri. A estreia dos malawianos será frente à Costa do Marfim, em Abijan, a 28 de Março.

Na última partida amigável realizada a 22 de Outubro, em casa, o Malawi venceu a RDCongo por 2-1.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:39
 O que é? |  O que é? | favorito

O GUARDA-REDES da Liga Muçulmana Soarito poderá nos próximos dias transferir-se para o Maxaquene por empréstimo. Segundo fonte dos tricolores a transferência está presa por pormenores burocráticos, que deverão ficar resolvidos num 
futuro muito próximo.


A confirmar-se a transferência, a baliza tricolor passará a contar com um dos melhores keepers nacionais, que terá a concorrência de Nelinho, que até realizou boas exibições na época 2008.


Esta é, aliás, uma negociação que poderá beneficiar não só o Maxaquene, como o próprio jogador e a Liga Muçulmana, já que Soarito terá mais oportunidades de jogar nos tricolores se se atender que nos muçulmanos tinha a forte concorrência do internacional Marcelino. Por outro lado, o atleta ganhará valor, o que pode ser bom para a Liga em termos financeiros.

Soarito notabilizou-se ao serviço do Têxtil do Púnguè nas épocas 2006 e 2007, tendo por isso despertado a cobiça de vários clubes da capital, acabando por assinar pela Liga Muçulmana. 

Entretanto, paira a dúvida se Kito permanecerá no Maxaquene, visto que ainda não renovou o contrato. Segundo a fonte do clube, o defesa central, que se evidenciou no Ferroviário de Maputo, tem propostas de outros clubes nacionais pelo que deve estar a analisar qual o melhor caminho a seguir.

De resto, o plantel do Maxaquene será composto pelos jogadores que realizaram a época passada, cujo rescaldo é desastroso: décima posição no Moçambola e eliminação nos quartos-de-final da Taça de Moçambique.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:37
 O que é? |  O que é? | favorito

O GUARDA-REDES da Liga Muçulmana Soarito poderá nos próximos dias transferir-se para o Maxaquene por empréstimo. Segundo fonte dos tricolores a transferência está presa por pormenores burocráticos, que deverão ficar resolvidos num 
futuro muito próximo.


A confirmar-se a transferência, a baliza tricolor passará a contar com um dos melhores keepers nacionais, que terá a concorrência de Nelinho, que até realizou boas exibições na época 2008.


Esta é, aliás, uma negociação que poderá beneficiar não só o Maxaquene, como o próprio jogador e a Liga Muçulmana, já que Soarito terá mais oportunidades de jogar nos tricolores se se atender que nos muçulmanos tinha a forte concorrência do internacional Marcelino. Por outro lado, o atleta ganhará valor, o que pode ser bom para a Liga em termos financeiros.

Soarito notabilizou-se ao serviço do Têxtil do Púnguè nas épocas 2006 e 2007, tendo por isso despertado a cobiça de vários clubes da capital, acabando por assinar pela Liga Muçulmana. 

Entretanto, paira a dúvida se Kito permanecerá no Maxaquene, visto que ainda não renovou o contrato. Segundo a fonte do clube, o defesa central, que se evidenciou no Ferroviário de Maputo, tem propostas de outros clubes nacionais pelo que deve estar a analisar qual o melhor caminho a seguir.

De resto, o plantel do Maxaquene será composto pelos jogadores que realizaram a época passada, cujo rescaldo é desastroso: décima posição no Moçambola e eliminação nos quartos-de-final da Taça de Moçambique.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:37
 O que é? |  O que é? | favorito

LUCAS Sinoia e Paulo Jorge manifestam-se muito preocupados com o silêncio da Associação Moçambicana de Pugilistas (AMP) e do empresário Shafee Sidat, que se propuseram a organizar e patrocinar, respectivamente, o combate semi-profissional entre os dois pugilistas, em princípio agendado para sábado, 13 de Dezembro, mas preferivelmente apontado para o dia 20 ou princípios de Janeiro.


Sinóia apresentou-nos há dias as feridas que os treinos para esse combate lhe estão a provocar nos punhos, porque, conforme as suas palavras, não se quer envergonhar nem defraudar o público nesse dia.

Paulo Jorge não se cansa de nos consultar para quando está marcado o seu combate com Sinóia, sempre com a promessa de que ele será o vencedor.

Os dois não se temem, mas nenhum deles parece estar disposto a subir ao ringue por pouco dinheiro. Sinoia só aceita subir ao ringue se fores garantidos 100 mil meticais para o vencedor, contra os 75 mil meticais prometidos pelo empresário Shafee Sidat, o mesmo que patrocinou o combate Paulo Jorge/Nelson Benjamim, em que o vencedor (Paulo Jorge) recebeu 50 mil meticais e o vencido (Nelson Benjamim) 20 mil meticais. 

Perante o impasse provocado pelo valor de premiação para o vencedor, a AMP procura no seio do empresariado nacional quem possa satisfazer a exigência de Lucas Sinoia, que, afinal de contas, não é contrariada por Paulo Jorge. Tudo indica que cedo ou tarde esse grande combate será realizado de forma nobre como é caracterizado o boxe.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:33
 O que é? |  O que é? | favorito

LUCAS Sinoia e Paulo Jorge manifestam-se muito preocupados com o silêncio da Associação Moçambicana de Pugilistas (AMP) e do empresário Shafee Sidat, que se propuseram a organizar e patrocinar, respectivamente, o combate semi-profissional entre os dois pugilistas, em princípio agendado para sábado, 13 de Dezembro, mas preferivelmente apontado para o dia 20 ou princípios de Janeiro.


Sinóia apresentou-nos há dias as feridas que os treinos para esse combate lhe estão a provocar nos punhos, porque, conforme as suas palavras, não se quer envergonhar nem defraudar o público nesse dia.

Paulo Jorge não se cansa de nos consultar para quando está marcado o seu combate com Sinóia, sempre com a promessa de que ele será o vencedor.

Os dois não se temem, mas nenhum deles parece estar disposto a subir ao ringue por pouco dinheiro. Sinoia só aceita subir ao ringue se fores garantidos 100 mil meticais para o vencedor, contra os 75 mil meticais prometidos pelo empresário Shafee Sidat, o mesmo que patrocinou o combate Paulo Jorge/Nelson Benjamim, em que o vencedor (Paulo Jorge) recebeu 50 mil meticais e o vencido (Nelson Benjamim) 20 mil meticais. 

Perante o impasse provocado pelo valor de premiação para o vencedor, a AMP procura no seio do empresariado nacional quem possa satisfazer a exigência de Lucas Sinoia, que, afinal de contas, não é contrariada por Paulo Jorge. Tudo indica que cedo ou tarde esse grande combate será realizado de forma nobre como é caracterizado o boxe.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:33
 O que é? |  O que é? | favorito

O internacional moçambicano Dário Khan irá nas próximas três temporadas representar o Ismaily do Egipto. Dário Khan troca assim o Al-Hilal do Sudão, clube onde jogava há três anos, pelo futebol egípcio,o mais competitivo do Continente Africano.




Esta é uma transferência já esperada, já que o defesa central da Selecção nNcional já tinha colocado a hipótese de desvincular-se do Al-Hilal no final do ano e rumar para um futebol mais competitivo e atraente como é o egípcio.

Sobe assim para três o número de moçambicanos a jogarem no país dos Faraós, visto que Mano, igualmente defesa central, e o guarda-redes Kampango alinham pelo Al Ittihad e Al Tersana.

O Ismaily de Dário Khan ocupa a terceira posição com 23 pontos e menos um que o ENPPI e cinco que o Petroject, segundo e primeiro classificados, respectivamente. 

O Petroject é a grande surpresa do Campeonato do Egipto estando a liderar isolado a prova a frente dos crónicos candidatos casos do Al Ahly e Zamalek, quinto e sexto classificados, respectivamente
publicado por Vaxko Zakarias às 13:30
 O que é? |  O que é? | favorito

O internacional moçambicano Dário Khan irá nas próximas três temporadas representar o Ismaily do Egipto. Dário Khan troca assim o Al-Hilal do Sudão, clube onde jogava há três anos, pelo futebol egípcio,o mais competitivo do Continente Africano.




Esta é uma transferência já esperada, já que o defesa central da Selecção nNcional já tinha colocado a hipótese de desvincular-se do Al-Hilal no final do ano e rumar para um futebol mais competitivo e atraente como é o egípcio.

Sobe assim para três o número de moçambicanos a jogarem no país dos Faraós, visto que Mano, igualmente defesa central, e o guarda-redes Kampango alinham pelo Al Ittihad e Al Tersana.

O Ismaily de Dário Khan ocupa a terceira posição com 23 pontos e menos um que o ENPPI e cinco que o Petroject, segundo e primeiro classificados, respectivamente. 

O Petroject é a grande surpresa do Campeonato do Egipto estando a liderar isolado a prova a frente dos crónicos candidatos casos do Al Ahly e Zamalek, quinto e sexto classificados, respectivamente
publicado por Vaxko Zakarias às 13:30
 O que é? |  O que é? | favorito

É DEFINITIVO: o Campeonato Nacional de Basquetebol Seniores femininos arranca dia 17 e não a 14, como estava anteriormente previsto.


Esta alteração de datas deveu-se ao facto de três equipas da capital do país, nomeadamente Ferroviário, APolitécnica e Maxaquene terem submetido uma carta a solicitar o adiamento por terem algumas jogadoras nos Jogos da SADC e da FEDEM, pedido que foi prontamente aceite pela Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB).


Posto isto, Ilídio Caifaz, presidente da FMB, assegura que o Nacional arranca na próxima semana e não sofrerá mais alterações.

A prova realiza-se este ano na capital do país, mais concretamente no pavilhão do Maxaquene, estando já confirmadas as presenças do Ferroviário de Maputo, APolitécnica, Maxaquene e Desportivo, todas da capital do país.

Esta prova irá decorrer no mesmo período do Nacional em seniores masculinos, denominado Liga Vodacom, cujo o arranque dos play-off está agendado para domingo.

A FMB pretende com a realização das provas em simultâneo juntar a família do básquete e proporcionar ao público maiores níveis de espectacularidade e emoção. 

O facto de APolitécnica ser o detentor do título e o Ferroviário o actual campeão da cidade coloca-os como potenciais favoritos à conquista do troféu. Mas este favoritismo pode ser insignificante se se atender que estará em prova um campeão africano, o Desportivo, que se adivinha entrará em campo com níveis de competitividade superiores aos seus directos concorrentes.

As alvi-negras trazem a coroa de campeãs africanas, pelo que do ponto de vista anímico os índices são altos. Há que contar com o facto da senegalesa Anicka Sy, a norte-americana Yolanda Jones e a moçambicana Deolinda Ngulela que actua na Liga Norte Americana continuarem a ser reforços do Desportivo.

Espera-se, deste modo, vida difícil para os adversários das comandadas de Nazir Salé.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:27
 O que é? |  O que é? | favorito

É DEFINITIVO: o Campeonato Nacional de Basquetebol Seniores femininos arranca dia 17 e não a 14, como estava anteriormente previsto.


Esta alteração de datas deveu-se ao facto de três equipas da capital do país, nomeadamente Ferroviário, APolitécnica e Maxaquene terem submetido uma carta a solicitar o adiamento por terem algumas jogadoras nos Jogos da SADC e da FEDEM, pedido que foi prontamente aceite pela Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB).


Posto isto, Ilídio Caifaz, presidente da FMB, assegura que o Nacional arranca na próxima semana e não sofrerá mais alterações.

A prova realiza-se este ano na capital do país, mais concretamente no pavilhão do Maxaquene, estando já confirmadas as presenças do Ferroviário de Maputo, APolitécnica, Maxaquene e Desportivo, todas da capital do país.

Esta prova irá decorrer no mesmo período do Nacional em seniores masculinos, denominado Liga Vodacom, cujo o arranque dos play-off está agendado para domingo.

A FMB pretende com a realização das provas em simultâneo juntar a família do básquete e proporcionar ao público maiores níveis de espectacularidade e emoção. 

O facto de APolitécnica ser o detentor do título e o Ferroviário o actual campeão da cidade coloca-os como potenciais favoritos à conquista do troféu. Mas este favoritismo pode ser insignificante se se atender que estará em prova um campeão africano, o Desportivo, que se adivinha entrará em campo com níveis de competitividade superiores aos seus directos concorrentes.

As alvi-negras trazem a coroa de campeãs africanas, pelo que do ponto de vista anímico os índices são altos. Há que contar com o facto da senegalesa Anicka Sy, a norte-americana Yolanda Jones e a moçambicana Deolinda Ngulela que actua na Liga Norte Americana continuarem a ser reforços do Desportivo.

Espera-se, deste modo, vida difícil para os adversários das comandadas de Nazir Salé.
publicado por Vaxko Zakarias às 13:27
 O que é? |  O que é? | favorito
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO