Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 26 DE Março 2012
Dynamos do Zimbabwe

O EMPATE a duas bolas obtido pela Liga Muçulmana frente ao Dynamos do Zimbabwe teve um sabor amargo, isto porque ficaram por marcar mais golos, sobretudo na segunda parte, período em que o campeão nacional deixou de respeitar em demasia a formação zimbabweana e passou a acreditar mais no seu potencial.

 

Ouso afirmar que se a Liga não tivesse levado tanto em consideração a superioridade do palmarés e até de experiência do panorama futebolístico continental do Dynamos, outro galo teria cantado.  Aliás, o facto de Semedo ter apresentado um “onze” sem nenhuma referência de ataque e ter optado por povoar o meio-campo reflecte, por si só, o receio existente.

 

No entanto, contra todas as dificuldades que podiam advir da ausência dos chamados “artilheiros”, a Liga, na sequência de um pontapé de canto, criou uma situação flagrante de golo e esteve bem perto de inaugurar o marcador, aos seis minutos, quando Carlitos desferiu um cabeceamento forte e colocado, valeu a intervenção do guarda-redes zimbabweano.

 

Este lance veio apenas disfarçar a falta de um verdadeiro homem de área já que daí para a frente a Liga não conseguiu criar uma situação de ataque digna de registo pese embora os “muçulmanos” tenham ficado a pedir uma grande penalidade, quanto a nós existente, visto que Magaripo terá metido mão à bola após centro de Telinho.

 

Telinho que mostrava ser o homem de ataque agressivo voltou a estar em evidência aos 19 minutos quando rematou forte com o “keeper” contrário a desviar com uma palmada para canto.

 

Contrariamente à Liga, o Dynamos procurava jogar na defensiva, explorando ao máximo os pontos fraco da defensiva contrária. E foi propriamente num deslize da equipa muçulmana que o Dynamos chegou ao golo, aos 21 minutos, por intermédio de Chinyama. O avançado, tira proveito da falha de marcação da defesa muçulmana, com espaço livre pela frente galga alguns metros até tirar Nelinho do caminho e dar o toque vitorioso.

 

Os forasteiros cresceram e aos 26 minutos poderiam ter dilatado a vantagem, mas Nelinho teve uma excelente defesa.

Neste período, ficou evidente que era preciso mexer na equipa muçulmana para dar à volta ao marcador e a solução passava claramente por reforçar o ataque, embora Telinho e Muandro tentassem remar contra a sólida defesa zimbabweana.

 

Foi preciso esperar quase 20 minutos para ver um remate da Liga, outra vez por Telinho. Mas como o futebol não é uma ciência exacta e por vezes acontecem coisas inesperadas foi no mais “morto” período do encontro que a Liga chegou ao golo em cima dos 45 minutos. O médio mostrou ter faro de golo ao aproveitar um mau alívio da defesa contrária – mesmo em cima da linha – após cabeceamento de Muandro.

 

A Liga chegava ao empate na melhor jogada de encontro onde é de assinalar a abertura fantástica de Carlitos para Cantona executar um cruzamento milimétrico com Muandro a subir ao “primeiro andar” a cabecear colocado pena mesmo é que a defesa do Dynamos tenha rechaçado, mas não conseguiu evitar a recarga vitoriosa de Telinho.

 

O golo apareceu em bom momento, visto que veio dar alento aos comandados de Artur Semedo para etapa complementar.

Já com Reginaldo na equipa, que entrou para o lugar de Cantona, a Liga foi mais atrevida no ataque fazendo antever uma segunda parte triunfal. Mas sofreu um grande balde água fria quando estavam jogados 49 minutos com Chinyama a desferir um remate portentoso não dando quaisquer chances de defesa a Nelinho.

 

A Liga respondeu de pronto com um remate de Telinho. No seguimento da jogada, foi Nelson a cabecear por cima da trave. Estes lances galvanizaram o campeão nacional e aos 73 minutos, voltou a gritar-se golo. Muandro respondeu com categoria a um cruzamento de Nelson e restabeleceu a igualdade (2-2). Um resultado que já se justificava dado o ascendente atacante da Liga e as oportunidades de golo criadas.  

Aos 84 minutos, Sonito, que também já tinha entrado para o lugar de Carlitos, “roubou” a bola a Mbava e já na zona da meia-lua rematou para uma defesa arrojada do “keeper” zimbabweano.

Antes disso, Reginaldo tinha criado apuros junto a baliza de Arupon.

O árbitro do encontro, o namibiano Rainhold Shikongo, realizou um trabalho aceitável.

 

FICHA TÉCNICA


ÁRBITRO: Rainhold Shikongo, auxiliado por David Shaanika e Simson Shahunga. Quarto árbitro: Alex Tiyeho

LIGA MUÇULMANA: Nelinho; Aguiar, Mayunda, Kalima e Mustafa; Zé Luís, Carlitos (Sonito), Muandro, Cantona (Nelson) e Micas (Reginaldo); Telinho.

 

DYNAMOS FC: Washington Arupon; Dario Kutyauripo, Augustine Mbava, George Magaripo e Patson; Leo Kurauzivione (Mutuma), Devon Chafi (Mukapa), Tawanda Muparati (Chafa) e Martin Vengesai; Denver Mukamba e Takesure Chinyama. 

 

DISCIPLINA: Cartão amarelo para Kalima e Dario Kutyauripo, Makopa e Denver Mukamba.

 

GOLOS: Chinyama (21 e 49 min), Telinho (45 min) e Muandro (73 min).
  • Ivo Tavares

 

Fonte:Jornal Noticias

publicado por Vaxko Zakarias às 12:12
 O que é? |  O que é? | favorito
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
17
18
19
20
21
23
24
25
31
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO