Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 28 DE Setembro 2009

VERDADEIRA batalha pelos três pontos, foi o que se viu ontem no campo do Costa do Sol com a equipa da casa a levar a melhor com golo do inevitável pequeno/grande jogador Ruben. Já era de prever esta luta sem precedentes, porque nestas alturas do Moçambola ninguém quer ficar atrás.

Jogo entre o Ferroviario e Costa do Sol
O Costa do Sol entrou bastante pressionante. Colocou todo o seu arsenal virado para a baliza de Muhamed e criou sempre espaços vazios, aproveitando, muito bem, a velocidade pelos flancos de Josimar, Marufo, Tó e, por vezes, Silvério. Ruben aparecia nas costas e era o verdadeiro “maestro”. Era ele que rodopiava e abria espaços vazios com aqueles seus pezinhos de lã, mas de grande obreiro. Dito, era o outro jogador que aparecia em cunha, ficando Mambo para as compensações no grande círculo. João, Kito e Jonas eram autênticos bombeiros, com o segundo a ir sempre à “racha”.

O Ferroviário tremia. Danito Parruque enchia o campo, bem secundado por Hagy. Mas era Mendes que dava mais nas vistas com alguns rasgos individuais que faziam vibrar os adversários. Na frente estava a dupla Luís/Jerry a tentar as penetrações. Mas os espaços estavam tão fechados que nem uma agulha podia penetrar. Na retaguarda, Tony comandava a defensiva, onde Jotamo, Zabula e Fredy não permitiam brincadeiras.

O jogo corria a uma velocidade estonteante, mas poucas eram as ocasiões de golo, tendo na primeira, de grande perigo, Josimar chutado para a defesa apertada de Muhamed.

O Ferroviário, aos poucos, foi ganhando terreno. Numa dessas subidas teria inaugurado o marcador, quando na sequência de um canto, Antoninho embrulhou-se com companheiros e adversários, aparecendo sobre a linha de golo um defesa a sacudir com muita autoridade.

O Costa do Sol sempre que fosse ao ataque o fazia com muito perigo. E numa dessas subidas, aos 28 minutos, Ruben - este grande jogador! – penetrou pela esquerda. Levantou a cabeça. Viu que os companheiros estavam ligeiramente atrasados. Arriscou com um remate/cruzamento em arco. A bola, na trajectória, embateu no pé de um defesa e rapidamente mudou de direcção, traindo, deste modo, o guarda-redes. Era verdadeira festa “canarinha”.

O Ferroviário foi à busca da igualdade. Mendes, inconformado, foi a todas e por duas vezes obrigou Antoninho a defesas de recurso. O mesmo Antoninho evitou um golo certo com um mergulho espectacular à segunda tentativa, a tirar a bola da ponta da bota de Mendes.

Momentos depois, veio o intervalo.

SEGUNDA PARTE

À “LOCOMOTIVA”

Ninguém pode contestar se dissermos que na segunda parte o Ferroviário sufocou o adversário. Mas há que ter em conta que o Costa do Sol jogava o que lhe convinha, porque sabia que estava em vantagem e tinha que ter muitas cautelas para não permitir o empate. Nalguns casos, embora de forma exagerada, os seus jogadores simularam lesões para ganharem tempo. Aqui, questiona-se ao árbitro: afinal para que servem os cartões que leva no bolso?

Mas como dizíamos, o Ferroviário entrou para a etapa conclusiva muito pressionante. Encostou o seu adversário às cordas, contudo, não encontrava espaço para o “KO”.

A dupla Luís/Jerry não atinava como de costume. Chiquinho Conde injectava sangue novo e acenava constantemente para que a bola fosse rapidamente transportada para a área contrária.

João Chissano respondia também com algumas substituições, sendo a que mais produziu efeitos, a de Artur Comboio, que com a sua experiência, veio controlar o meio-campo do lado direito.

A vez já era dos Artur’s, porque doutro lado também tinha entrado o Manhiça, que com dois remates violentos, abanou a defensiva “canarinha”.

Já na ponta final, Josimar entrou na área. Levantou a bola para a zona dos braços de Jotamo. O público reclamou penalte. Terá existido? Julgamos que o árbitro estava ali pertinho e decidiu por aquilo que viu.

Mas a história estava escrita: o Costa do Sol iria ganhar por 1-0. E… ganhou mesmo!

No final do jogo houve festa por parte dos “canarinhos”, mas os “locomotivas” também sentiram-se ressarcidos, pois sabiam que o seu rival, o Desportivo, tinha perdido em Tete.

A equipa de arbitragem teve alguns deslizes, principalmente no capítulo disciplinar. Sentiu-se muito pressionada e nalgumas ocasiões cedeu. Apenas dizer aos árbitros que têm que ser mais coerentes nas suas decisões.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Estevão Matsinhe; Gimo Patrício e Arsénio Marrengula. Bernardino dos Santos foi o quarto.

COSTA DO SOL: Antoninho; João, Kito, Jonas, Dito, Mambo (Nhabanga), Josimar, Silvério (Artur Comboio), Ruben, Tó e Marufo (Samito).

FER. MAPUTO: Muhamed; Zabula, Tony, Jotamo, Fredy, Hagy, Danito (Maurício), Joca (Artur Manhiça), Memdes (Dário), Luís e Jerry.

ACÇÂO DISCIPLINAR: “Amarelo” para Kito.

GIL CRVALHO

publicado por Vaxko Zakarias às 12:34
 O que é? |  O que é? | favorito
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
18
19
20
21
25
26
27
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO