Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 16 DE Novembro 2009

O DIA 14 pode ter vários significados. Para uns o 14 pode ser de Fevereiro, Dia dos Namorados, em que oferecemos uma flor a quem mais amamos na vida. Mas o 14 a que me refiro hoje é de Novembro.

Selecção de Moçambique ansiosa aguardando o desafio com á selecção da Tanzaniana.
O dia em que para os moçambicanos assinalaram a passagem para o CAN de 2010. O dia em que os “Mambas” colocaram a Nigéria no Campeonato do Mundo. O dia em que ruiu o sonho dos tunisinos de irem a mais alta competição planetária. Por isso, o 14 de Novembro vai ficar para a história de três países: Moçambique, Nigéria e Tunísia. O inesquecível dia 14 de Novembro!

Os “Mambas” devem regozijar-se pelo feito conseguido no sábado na Machava. Um mérito próprio por terem se qualificado para o CAN de Angola de 2010 e colocado, por outro lado, a Nigéria no Campeonato do Mundo, onde tinham poucas esperanças de lá chegar, pois à entrada para esta ronda, os tunisinos estavam em grande vantagem.

Não há dúvidas que a missão era bastante espinhosa. Estava-se diante de uma das melhores selecções de África. Mas os “Mambas” vestiram o fato-macaco e desceram lá para a mina para transpirarem às estopinhas. O fizeram com galhardia. O fizeram como os moçambicanos gostam de o fazer: sempre sacrificados e pouco bonificados!

MAMBAS

Com uma primeira parte um tanto ou quanto insípida, os “Mambas” foram balbuciando à procura de uma mínima falha do adversário que nunca apareceu. O jogo da paciência chegou em alguns momentos a irritar o público que estava ávido em ver a sua selecção mais atacante e aventureira.

A paciência ganha a vitória. Foi o que aconteceu. Aliás, água mole tanto bate na pedra até que fura. Foi exactamente isso que aconteceu sábado no Vale do Infulene, cemitério dos tunisinos, e com um português à frente deles. Refiro-me a Humberto Coelho que veio tanto esperançado, mas que saiu vergado e cabisbaixo e certamente que nunca se esquecerá deste nome: MOÇAMBIQUE!

Mexer, Tico-Tico, Dominguez, Dário Monteiro e companhia pegaram nas “armas” e foram à frente de combate, para uma batalha que em alguns momentos chegou a recear-se que estava perdida, principalmente quando se ouviu que o Quénia estava a ganhar á Nigéria.

Os “Mambas” não se atormentaram. Fizeram o jogo pelo jogo. O futebol espectáculo que Mart Nooij não prometeu acabou por se verificar, mais pelo talento do nosso futebolista, que é tecnicamente apurado.

A Tunísia foi jogando na contenção. Queria primeiro garantir o empate e esperar que a Nigéria perdesse ou empatasse com o Quénia. Todo o “mundo” tinha um ouvido na Machava e outro em Nairobi.

O GOLO

A dado momento, o jogo da Machava deixou de ter interesse. Passou-se momentaneamente para o Quénia. Era um espectáculo vivido à distância.

Aquele fatídico minuto!

A segunda parte foi espectacular e espevitante. Os “Mambas” entraram a todo o gás. A Tunísia nunca se encontrou. Era um verdadeiro “massacre” que os forasteiros não esperavam. Dominguez já estava encostado a Dário Monteiro no ataque. Tico-Tico era um verdadeiro “maestro” com a bola. Os lances de perigo sucediam-se na baliza tunisina.

Dário Monteiro na primeira escapadela rematou com o pé esquerdo. O guarda-redes tunisino em desequilíbrio e instintivamente desviou o esférico com uma palmada. O público de pé já gritava golo.

Mas, como já o dissemos que água mole em pedra dura bate até que fura, Dário Monteiro escapuliu-se da marcação dos defesas. Tirou um petardo. O guarda-redes defendeu para frente. Na recarga, o ponta-de-lança moçambicano “fuzilou”. Humberto Coelho e os seus jogadores levaram as mãos à cabeça. Jogava-se o minuto 40 desta etapa complementar.

FINAL FESTIVO

Os tunisinos perderam completamente a cabeça. Até porque tinham informações de que a Nigéria já estava a vencer o Quénia. Faltava pouco tempo para o jogo terminar. E foi o que se viu. Os “Mambas” ainda tiveram tempo para se recrearem. Tico-Tico e Dominguez até davam-se ao luxo de exibirem toda a sua técnica.

No final foi uma festa. Uma festa de arromba que se prolongou pela noite adentro.

A equipa de arbitragem realizou um trabalho digno de louvor.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Noumandiez Desire Doue; Songuifolo Yeo e Moussa Bayere, todos da Costa do Marfim.

MOÇAMBIQUE: Kampango; Campira, Dário Khan, Mexer e Paíto; Dominguez, Simão, Genito (Gonçalves), Miro (Hagy); Tico-Tico e Dário Monteiro.

TUNÍSIA: Ayman; Khaled Souissi, Yassin, Saif, Karim, Khaled Korbi, Houcine, Fahid (Ali Zitouni), Amine Oussama), Chouki, Iassine.

GIL CARVALHO

publicado por Vaxko Zakarias às 11:27
 O que é? |  O que é? | favorito
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
19
21
22
23
27
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO