Este blog tem como objectivo difundir a documentação de carácter desportivo
Segunda-feira, 09 DE Novembro 2009

EM todos os aspectos, foi, indubitavelmente, o “jogo do ano”.

Celebração dos campeões (C. BILA)
Muito público no Estádio da Machava, como há muito não se via nas competições domésticas, uma partida espectacular, envolvente, disputada com todo o ardor, constante incerteza quanto ao seu desfecho, algumas decisões de certo modo infelizes do árbitro Ainad Ussene, abraços de júbilo e lágrimas de tristeza, no fim, tudo isto esteve presente, ontem à tarde, no Vale do Infulene, no domingo da coroação do Ferroviário de Maputo como campeão nacional de futebol, mercê da igualdade 1-1 com o Desportivo, na partida decisiva da derradeira jornada do Moçambola-2009.

Em rigor, a turma de Chiquinho Conde cumpriu aquilo que de facto lhe era suficiente para, pela segunda vez consecutiva, subir ao pedestal de honra: o empate. Fosse com golos ou não, muitos ou poucos.

Numa tarde em que as bandeiras verde-e-branca foram as mais predominantes, comparativamente às alvi-negras”, os “locomotivas” abriram o activo por intermédio de Jerry, aos 17 minutos, num lance em que, inteligentemente, ludibriou os centrais do Desportivo, que ficaram à espera de um pretenso fora-de-jogo. Depois, aos 26, desta vez por Mendes, tiveram um segundo tento, mal anulado pelo juiz da partida, por indicação do seu assistente João Paulo.

A seguir, veio o período áureo do Desportivo, premiado com um belíssimo golo de Muandro, aos 40 minutos. Os “alvi-negros”, com um futebol melhor elaborado e de toque curto, eram os que mais se salientavam nas quatro linhas, no entanto, o Ferroviário emprestava ao jogo uma característica que lhe valeu a diferença: o pragmatismo, a desmarcação e o instinto matador do seu goleador Jerry, que, aliás, acabou sendo o melhor marcador do campeonato.

Se, como sói dizer-se, a melhor defesa é o ataque, Chiquinho Conde, no segundo tempo, optou por fazer a mescla de ambas as situações, mas com mais determinação na retaguarda, fechando as principais linhas de passe e, sobretudo, as unidades desequilibradoras do adversário. Resultado: o Desportivo, é verdade, teve mais posse de bola, rematou, porém, o Ferroviário manteve a sua verticalidade e, acima de tudo, um betão intransponível.

Não se lhe pedia mais, pois tinha o título nas mãos. O resto foi a festa verde-e-branca iniciada em pleno rectângulo de jogo e que inundou toda a cidade de Maputo e arredores. Os novos campeões nacionais, que conquistaram o seu nono título, igualando ao Costa do Sol, foram depois recebidos, num ambiente de grande festa, pelo edil da capital do país, David Simango.

A 26ª e última jornada do Moçambola-2009 foi igualmente marcada pela despromoção de dois emblemas históricos: Chingale de Tete e Ferroviário de Nampula, que curiosamente jogaram entre si e empataram a um golo. Estas duas formações juntaram-se ao Ferroviário de Nacala, cuja sentença há muito já era conhecida.

ALEXANDRE ZANDAMELA

publicado por Vaxko Zakarias às 16:02
 O que é? |  O que é? | favorito
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
19
21
22
23
27
28
29
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Joga se hoje em Lichinga ataça de Moçambiqui as fo...
Eu acho que já é o momento para a Federação Moçamb...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
MANOSTAXXMapa Europeu dos Salarios por Paíshttps:/...
Para auxiliar no treino nada melhor do que receita...
Entao e em 2016 nao havera????
Gostaria de salientar que a tentativa de mínimo nã...
blogs SAPO